Apostila Básica de Áudio – Amplificadores

Sonorização — 2 de março de 2015 23:39

3.6. Amplificadores, Crossovers & Caixas Acústicas

por: Filippo Valiante Filho

Os amplificadores são a reta final do sinal de áudio antes que ele volte a ser som novamente. Eles aumentam o sinal, até aí muito baixo, dando-lhe potência suficiente para alimentar as caixas acústicas. Os amplificadores também recebem o nome de potências.

Na parte frontal dos amplificadores temos as chaves liga-desliga e os atenuadores de cada canal. Às vezes temos também um VU que indica o nível do sinal de saída. Existindo leds como protection ou fuse, quando acesos indicam que algum fusível se queimou ou foi acionado algum circuito de proteção.

Na parte traseira temos as conexões Input, que são as entradas dos amplificadores, e Speakers ou Outputs, onde ligamos as caixas acústicas. Também temos os fusíveis e as chaves 110/220V. Alguns amplificadores possuem dois jacks de entrada por canal, ligados juntos para que possamos enviar o mesmo sinal para a entrada de um outro amplificador. As chaves stereo/mono selecionam se o amplificador funcionará em estéreo, com duas entradas independentes ou mono, ligando as entradas dos canais internamente, fazendo com que os dois canais amplifiquem o mesmo sinal. Outro modo de operação do amplificador é em "bridge mono" onde os dois canais tornam-se um único canal mono capaz de extrair a potência máxima do amplificador.

A saída do amplificador possui uma impedância limite de funcionamento, a impedância corresponde à resistência elétrica que a caixa acústica (carga do amplificador) oferece ao mesmo. Podemos ligar as caixas acústicas até obtermos impedância maior ou igual a suportada pelo amplificador, o uso de impedâncias inferiores pode queimar o equipamento. Quando ligamos caixas de mesma impedância uma as outras, através de cabos comuns, obtemos a impedância resultante dividindo o valor indicado para uma caixa pelo número de caixas.

Por exemplo, temos uma caixa de 8 ohms, ligando-se esta caixa a outra de também 8 ohms a impedância resultante é de 4 ohms (duas caixas). Interligando-se quatro caixas obtemos 2 ohms. Essa regra vale apenas para caixas de mesma impedância. Três caixas de 8 ohms interligadas dão 2,6 ohms. Esta conta na verdade é uma associação de resistências em paralelo.

As caixas acústicas acomodam os alto-falantes, drivers e tweeters que são os transdutores, que como visto na introdução, convertem o sinal elétrico vindo do amplificador novamente em som. É preciso escolher e dimensionar corretamente o conjunto caixa acústica-amplificador e, quando necessário, o crossover, para obter-se o melhor resultado sonoro. O posicionamento das caixas acústicas também é um fator muito importante.

Uma caixa acústica possui alto-falantes específicos para graves e médios, drivers para médios e agudos e, ou, tweeters para agudos. As caixas "full-range" cobrem todas as frequências e podem ser complementadas por caixas para sons graves, equipadas com “woofer” ou "sub-woofer", que são alto-falantes específicos para baixas frequências.

Os "crossovers", ou divisores de frequência, separam o sinal que deve passar para cada transdutor da caixa acústica. Os divisores podem ser externos ou internos (dentro da própria caixa acústica), também podemos utilizar os dois ao mesmo tempo com um crossover externo separando sub-woofer de caixa full-range e o crossover interno da caixa full-range funcionando normalmente (ligação muito comum).


Fonte: Publicado originalmente em: http://www.audionasigrejas.org/Apostila/indice.htm


Item Anterior

Índice Geral

Próximo Item


Tags: ,