Apostila Básica de Áudio – Equalizadores

Sonorização — 2 de março de 2015 23:22

3.3. Equalizadores

por: Filippo Valiante Filho

Começando novamente com definições formais, vamos ler um trecho de um antigo manual de um equalizador da Styllus Eletrônica a respeito de sua função:

"A função do equalizador é compensar de forma precisa, as diferenças tonais causadas pela acústica ambiente, pela resposta deficiente das caixas acústicas ou ainda pela qualidade da fonte de programa. As gravações em estúdios são feitas em ambientes tratados acusticamente, ao contrário de uma instalação domiciliar onde o local da audição normalmente não é ideal para uma boa reprodução, móveis em geral, cortinas ou qualquer outro objeto que esteja na sala de audição, podem refletir ou absorver determinadas frequências. Uma diferença de nível entre os canais pode ocorrer quando da locação das caixas em ambientes acusticamente assimétricos. O equalizador é projetado para ajudar a restaurar a qualidade originalmente obtida no estúdio. A equalização pode também ajustar características tonais específicas tais como diminuir a frequência de ressonância ou intensificar um solo delicado, bem como fazer a equalização de frequência encontrada em muitas gravações ao vivo."

Em outras palavras, seja pela mesa, amplificadores, caixas acústicas e principalmente pelo próprio ambiente, nunca temos o som desejado, podemos perder um pouco de agudo, ou um pouco de grave, às vezes temos algumas frequências sobrando, o som está embolado ou coisas deste tipo. A equalização (ajuste do equalizador) visa corrigir essas imperfeições reforçando ou atenuando o sinal em cada frequência para que possamos ouvir todas as frequências com a mesma intensidade (resposta de frequência uniforme), melhorando a qualidade final do som.

Após equalizarmos, temos o gráfico das modificações simplesmente olhando para o equipamento, por isso o nome de equalizador gráfico.

Na parte traseira dos equalizadores temos os jacks Input e Output de cada canal além do conector de alimentação. Alguns equalizadores possuem também saída de gravação.

Na parte frontal temos os controles deslizantes com a frequência em que atuam escritas embaixo de cada um. São duas seções de controles por equalizador (estéreo) mas também existem equalizadores mono. Quando os controles estão no meio, temos o sinal tal como entrou; quando abaixamos os controles temos uma atenuação do sinal e para cima temos um reforço do sinal naquela faixa de frequência. Aproveitando, tanto o equalizador gráfico como os equalizadores da mesa de som quando posicionados para não reforçar e nem atenuar, ou seja, não modificar o sinal, dizemos que a equalização está flat.

Os botões In/Out definem se o equalizador vai atuar ou o sinal passará sem nenhuma modificação, inclusive sem alteração de ganho. O botão Power liga e desliga o equalizador e os controles Gain ajustam o ganho de cada canal. Os leds Peak ou Clip acendem indicando que o sinal de entrada do respectivo canal está muito alto. Caso existam leds Signal indicam que há sinal na respectiva entrada do equalizador. Os equalizadores também podem ter filtros HPF como os das mesas, só que variáveis, eliminando as frequências abaixo da selecionada pelo respectivo controle. Esse recurso pode ser utilizado para eliminar ruídos indesejáveis ou interferências elétricas. Também podem aparecer filtros LPF, que eliminam as frequências a partir da selecionada, poupando amplificadores, caixas acústicas e até ouvidos.


Fonte: Publicado originalmente em: http://www.audionasigrejas.org/Apostila/indice.htm


Item Anterior

Índice Geral

Próximo Item


Tags: ,