Histórias de Hinos do Hinário Adventista – Nr. 278

Histórias de Hinos — 10 de julho de 2012 23:50

Tal Qual Estou

Letra: Charlotte Elliott (1789-1871)

Título Original: Just As I Am

Música: Willian Batchelder Bradbury (1816-1868)

Texto Bíblico: Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem. Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó. (Salmos 103:13 e 14)


Acompanhe o hino no Youtube


1. Tal qual estou, eu venho a Ti,
Aceita-me, o Salvador!
Confiante sou em Teu amor;
Ó Salvador, me achego a Ti!

2. Tal qual estou, eu venho a Ti,
Perdão me podes conceder,
E minhas faltas esquecer;
Ó Salvador, me achego a Ti!

3. Tal qual estou, eu venho a Ti,
E Tu minhálma limparás,
Com Teu amor me envolverás;
O Salvador, me achego a Ti.


Charlotte Elliott escreveu este hino em 1834 e ele apareceu pela primeira vez no “Invalid’s Hymn Book”, em 1836. A autora ficou inválida no últimos cinqüenta anos de sua vida. Ela diz de sua experiência:

“Meu pai celeste sabe, o somente Ele, o que significa, dia após dia, e hora após hora, estar a lutar contra os impulsos do corpo, e uma predominante fraqueza, langor e exaustão, para resolver não me sujeitar a indolência, depressão, irritabilidade, como é a tendência, porém conforme Ele me dá forças, levantar cada manhã determinada a tomar isto como meu lema: ‘Se alguém quiser vir após Mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz, e siga-me’.”

Em 1822 seu pai foi visitado pelo evangelista Dr. César Malan que perguntou à Srtª Elliott se ela era cristã. A princípio se ressentiu com a pergunta mas logo tomou atitude de uma cristã. O hino foi escrito em numa noite em que Charlotte permaneceu acordada, aflita por sua incapacidade de ajudar nos preparativos de um bazar para angariar fundos para a igreja. Não há dúvida de que este tem sido “o grande hino ganhador de almas” do mundo, porque Charlotte Elliott fez fluir nele todos os sue anseios e desejos de ser “Tua e Tua somente“. Há penitência, submissão, e humildade expressas num procedimento sincero. O hino tem tido grande prestígio e tem sido traduzido para muitas línguas.

“Woodworth”, a melodia escrita por William B. Bradbry apareceu pela primeira vez na “Mendelssohn Collection or… Third Book of Psalmody“, 1849. Bradbury editou esta coleção juntamente com Thomas Hastings. Estando sob a influência de Lowell Mason, em Boston, Bradbury tornou-se organista, dirigiu classes de canto, compilou alguns livros de cânticos, e na igreja foi um influente músico. Era adepto do canto congregacional, e numa conferência sobre música afirmou: “Creio ser privilégio e dever de todos unir-se ao canto como um ato de adoração.”

Fonte: Histórias de Hinos e Autores – CMA – Conservatório Musical Adventista


Charlote Elliot, uma das hinistas mais destacadas do séc. XIX nasceu em 1789. Foi membro de uma família de certa cultura e tradição ministerial (dois irmãos, um tio e um avô foram pastores). Mostrou seu talento poético desde cedo, escrevendo poesias humorísticas. Uma doença séria em 1821 deixou Charlotte inválida para o resto da sua vida. No ínicio, foi rebelde para com Deus. Queixou-se certa vez: “Se Deus me amasse, não teria me tratado desta maneira”. A visita do ilustre pastor e líder da hinologia francesa, H. A. César Malan, mudou sua vida. O Pastor perguntou a Charlotte se ela realmente tinha aceitado a Cristo. Ela se ressentiu com esta pergunta. Malan, prudentemente, não insistiu, mas disse; “Não insisto em falar nisso, mas orarei para que você entregue o seu coração a Cristo e que se torne uma grande obreira em sua causa”.

Duas semanas depois, Charlotte procurou aquele grande evangelista. Falou das suas frustrações e dos seus sentimentos.

– “Que devo fazer para ser crente? “, perguntou ao amigo.

– “Deve ser entregar a Cristo, tal qual está”, veio a resposta.

– “Será que Deus me recebe, tal qual estou? “, perguntou Charlotte, pensando na sua rebeldia, seus temores, e no seu rancor.

– “Sim, tal qual está”, respondeu o Dr. Milan.

Charlotte fez isso e, dali em diante, dedicou sua vida a servir ao Senhor. Manteve uma correspondência com o Dr. Malan por 40 anos, o que muito lhe ajudou a superar sua vida de sofrimentos físicos, e manter um grande ministério espiritual e humanitário. Ao todo, escreveu 150 hinos, que refletiam seu amor pela poesia e pela música. Escreveu muitos hinos especialmente procurando ajudar todas as pessoas que sofriam. Foram publicados em alguns hinários da época. De acordo com Julian, os versos de Charlotte Elliott “São caracterizados pela ternura de sentimentos, simplicidade melancolia, devoção profunda e ritmo perfeito. Para as pessoas sofrendo enfermidades e tristezas, ela canta como poucos.”

Em 1834, o irmão de Charlotte procurava organizar uma escola para filhas de pastores sem recursos. Todos ao seu redor se empenhavam a ajudá-lo. Charlotte também queria ajudar, mas, muito doente, era-lhe impossível. Sentia demais a sua invalidez. Mas Deus pôs no seu coração este hino. Escrevendo seis estrofes, lá ajuntou, na sua alma, as grandes certezas, não das suas emoções, mas da sua salvação – do seu Senhor, do seu poder, das suas promessas – e deliberadamente registrou, para seu conforto, a fórmula da sua fé, reiterando a si mesma o evangelho do perdão, da paz e dos céus. A venda do seu hino angariou mais recursos do que os esforços de todos os outros.

“Tal Qual Estou” apareceu pela primeira vez num panfleto em 1835. Charlotte o publicou no seu hinário The Invalid’s Hymn Book (O Hinário Para o Inválido), em 1836. Mais tarde, no mesmo ano, Charlotte adicionou uma sétima estrofe ao hino e publicou-o numa outra coletânea para os que sofrem. Depois da sua morte, em 1871, descobriram mais de 1.000 cartas agradecimento por este hino. Traduzido para muitas línguas e difundido ao redor do globo, o hino tornou-se o mais usado na hora do apelo em cultos evangélicos.

Em setembro de 1934 o muito conhecido pregador batista Mordecai Ham dirigiu uma campanha evangelistica de 11 semanas em Charlotte, Estado de Carolina do Norte, EUA. Para um certo jovem na multidão, religião era um estorvo. Assistiu à reunião sem querer. Enquanto escutava, entretanto, as palavras do pregador tocaram algo nele. Compreendeu que era verdade. Aquela noite, enquanto o coro cantava Tal Qual Estou, o jovem Billy entregou a sua vida a Cristo. Andou até a frente como profissão pública da sua nova fé. Muita gente associa “Tal Qual Estou” com o jovem que entregou a sua vida a Cristo em 1934. Billy Graham, talvez o mais conhecido evangelista da história, tem viajado ao redor do mundo nos seus esforços de trazer Cristo às nações. O cântico que o chamou para fazer a sua profissão pública tornou-se o hino apelo usado em cada Cruzada Billy Granham.

A melodia extensivamente usada nos Estados Unidos com o texto de Charlotte Elliot é WOODWORTH, composta por William Batchelder Bradbury. Originalmente foi combinada com outro texto e publicada na Mandelssohn Collection editada por Hastings e Bradbury, em 1849. Felizmente Sankey, nas coletâneas Gospel e Cânticos Sagrados, publicadas entre 1875 e 1891, uniu a melodia de Bradbury ao texto de Elliot. Usou esta versão nas suas campanhas com Moody. O resultado foi muito feliz e esta versão foi difundida ao redor do mundo. Ao som desta versão, nas campanhas de Billy Granham, onde este hino é o hino oficial de apelo, milhares já foram à frente fazer sua confissão de fé.

Bibliografia:Ichter, Bill H. Se Os Hinos Falassem. Vol I, Rio de janeiro, Casa Publicadora Batista (JUERP), s/d, p. 328


Os milhares de cristãos fiéis, que dão evidência de sua fé em Cristo, são o bendito fruto da semente plantada em boa terra. Eles ouviram atenciosamente a Palavra de Deus e a assimilaram em suas vidas.

Charlotte Elliott, autora de mais de 150 hinos, foi uma filha rebelde. Talvez a sua enfermidade tenha contribuído para a sua revolta contra Deus. Dizia: “Se Deus me amasse não teria me tratado desta maneira.”

Numa visita que seu pai planejou com a finalidade de ajudá-la, ela confessou ao visitante que não sabia como encontrar-se com Deus. Perguntou: “Que devo fazer para ser crente?” Ao que o amigo respondeu: “Deve entregar-se a Deus tal qual está.”

“Será que Deus me recebe, tal qual estou?”, Charlotte tornou a perguntar pensando na sua rebeldia, nos seus temores e no ódio que tinha em seu coração. Assegurada pela promessa, lida da Bíblia, Charlotte atendeu ao convite de Deus e converteu-se. (Extraído do Livro: Se os Hinos Falassem, do Pr. Bill Ichter).

Estas palavras, “Tal qual estou”, ficaram gravadas na mente de Charlotte Elliott e a inspiraram a compor o hino que é freqüentemente cantado em nossos cultos evangelísticos. Tem servido de semente plantada em muitos corações e tem produzido fruto em abundância:

Tal qual estou, eu venho a Ti,
Aceita-me, o Salvador!
Confiante sou em Teu amor;
Ó Salvador, me achego a Ti!

Tal qual estou, eu venho a Ti,
Perdão me podes conceder,
E minhas faltas esquecer;
Ó Salvador, me achego a Ti!

Tal qual estou, eu venho a Ti,
E Tu minhálma limparás,
Com Teu amor me envolverás;
O Salvador, me achego a Ti.


Veja a partitura cifrada deste hino

Veja este hino também no Ministério Cristo Vai Voltar


Tags: