Histórias de Hinos do Hinário Adventista – Nr. 107

Histórias de Hinos — 10 de julho de 2012 23:29

Alegrias Vem Trazendo

Letra: Charles Wesley (1707-1788)

Título Original: Love Divine

Música: John Zundel (1815-1882)

Texto Bíblico: Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo curas nas suas asas; e vós saireis e saltareis como bezerros da estrebaria. (Malaquias 4:2)


Acompanhe o hino no Youtube


1. Alegrias vem trazendo o eternal e santo amor,
Lá do alto firmamento, para os crentes no Senhor;
Vem e limpa nossa vida, e com meiga compaixão
Purifica, nós rogamos, o perverso coração.

2. Vem preside nossa vida, divinal e santo amor!
Dá-nos forças nesta lida, té o nosso sol se pôr!
Que estejamos bem dispostos nosso sangue a entregar
Pela causa da verdade; vida ou morte, mas lutar!

3. Ao findarmos nossa luta, quando a luz do Céu romper,
Puros, santos e felizes que possamos todos ser.
Vem, conduze nossos passos para o eterno lar de além,
Onde a Cristo louvaremos, para sempre e sempre. Amém.


A história de Charles Wesley e seu irmão John, e a influência que tiveram sobre a vida política e social na Inglaterra através da pregação do evangelho, é um capitulo interessante na história da igreja. Charles era um compositor de hinos, produzindo cerca de 6.500 hinos para todas as ocasiões e sobre todas as fases do evangelho.

Este hino é do panfleto de Charles Wesley “Hymns for Those That Seek, and Those That Have Redemption in the Blood of Jesus Christ“, (Hinos Para Aqueles que Procuram, e Aqueles que Têm Redenção no Sangue de Jesus Cristo), de 1747, onde aparecia sob o título “Jesus, Show us Thy Salvation“, (Jesus Mostra-nos Tua Salvação).

Wesley canta alegremente sobre o amor de Deus. Frases tais como: “alegria”, “eternal e santo amor”, “meiga compaixão” e “divinal e santo amor”, são escriturísticas em sua sugestão, assim como cada linha do hino; notai a experiência progressiva na primeira estrofe, expressa pelas palavras “vem”, “limpa”, “purifica”. Então, o clímax na ultima estrofe, “Ao findarmos”, “puros”, “santos”, “felizes”, “louvaremos, para sempre e sempre”.

A melodia “Beecher” é também conhecida como “Amor Divino”, e “Zundel”, foi escrita por John Zundel e apareceu em seu hinário “Christian Hear Songs“, em 1870. Por alguns anos ele viveu em Nova York onde se associou-se a Henry Ward Beecher na Igreja de Plymouth. Ele auxiliou o Dr. Beecher na produção de “Plymouth Collection” em 1855, uma famosa coleção de hinos.

Esta melodia é uma boa melodia congregacional que efetivamente expressa o sentimento do hino. Uma boa interpretação é cantar a primeira estrofe forte, a segunda suave, e então cantar a ultima estrofe com toda a potencia da voz e um tanto mais lentamente, produzindo um grande clímax nas duas ultimas linhas. Isto somente deveria ser tentado sob competente direção. Este hino é uma grande expressão do culto.

Fonte: Histórias de Hinos e Autores – CMA – Conservatório Musical Adventista


Veja a partitura cifrada deste hino

Veja este hino também no Ministério Cristo Vai Voltar


Tags: