Histórias de Hinos do Hinário Adventista – Nr. 010

Histórias de Hinos — 10 de julho de 2012 23:29

Louvemos O Rei

Letra: Robert Grant (1779-1838)

Título Original: O Worship the King

Música: Atribuída a Johann Michael Haydn (1737-1806)

Texto Bíblico: Louvai ao Senhor. Ó minha alma, louva ao Senhor. Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus enquanto viver. (Salmo 146:1 e 2)

Observação: A letra deste hino é baseada em versos de William Kethe, publicados no Saltério de Genebra em 1561. A música é atribuída a Johann Michael Haydn (1737-1806), com arranjos de William Gardiner (1770-1853); publicada em Sacred Melodies – II (Melodias Sacras), (London: 1815)


Acompanhe o hino no Youtube


1. Louvemos o Rei, glorioso Senhor
Oh, vamos cantar de Seu infindo amor!
Escudo seguro é Seu grande poder,
E sempre Seus filhos está a defender.

2. Falemos de Deus, da graça sem-par,
Do grande Senhor do Céu, da Terra e mar,
Que forma a chuva, o vento e a luz.
A forte tormenta o Seu poder traduz.

3. Cantemos do Seu cuidado por nós,
E demos ao Pai louvor em alta voz,
Louvemos, louvemos ao bom Criador,
Amigo sincero, fiel e Redentor.


Sir Robert Grant deu à igreja um hino de primeira grandeza com “Louvemos o Rei”. O hino é baseado no Salmo 104, mais uma livre impressão do pensamento, de que uma paráfrase. Em qualidade literária, imagens, ritmo e estilo , é um hino admirável. Foi publicado pela primeira vez em “Christian Psalmody” de Edward Bickersteth em 1883. A paráfrase do Salmo 104 de Kethe foi o que inspirou este hino a Grant. Inicia-se assim:

“Louve minha alma o Senhor, fale bem do Seu Nome
Ó Senhor nosso grande Deus, qual é Tua aparência,
Assim passando em glória, quão grande é Tua fama,
Honra e majestade em Ti brilham intensamente.”

H. Augustine Smith sugere que o Samo 104 e o hino “Louvemos o Rei” são, ambos, comentários sobre os seis dias da criação em Gênesis. É interessante traçar este paralelo. Através do hino há títulos de divindade que são ricos de sugestões escriturísticas: “Rei”, “Escudo”, “Defensor”, “Ancião de Dias”, “Criador”, “Autor”, “Amigo” e “Redentor”.

A melodia “Lyons” vem de Johann Michael Haydn, um irmão mais novo de Franz Joseph Haydn. Michael Haydn era um violonista de sucesso, pianista, organista, regente de coro, e compôs consideráveis músicas para a igreja. Franz Joseph considerava a música para a igreja de seu irmão, superior a sua própria.

Melodias desta natureza não deveriam ser cantadas de forma apressada e animada, com marcação estrita de compasso, mas de uma forma mais livre, no estilo tradicional. A meia nota no fim de cada uma das quatro linhas poderia ser mantida por três tempos, e com isso o efeito seria melhorado. Em melodias como esta um ritmo mais flexível, intensifica a beleza do hino.


Veja a partitura cifrada deste hino

Veja este hino também no Ministério Cristo Vai Voltar


Tags: