Modernizar Sem Mundanizar

A Forma da Adoração — 15 de outubro de 2012 06:10

por: Gilberto Theiss

Para refletir sobre este tema, uma pergunta pode nos ajudar a entender melhor o significado das concessões. Se não tivéssemos o conhecimento científico de que a Terra, sustentada pelo nada, gira em torno de si mesma e do sol, seríamos capazes de saber com absoluta certeza esta verdade? É claro que não. Apenas o fato de ser dia e noite não seria capaz de nos revelar que a Terra esteja girando em torno de um sol gigantesco e em torno de si mesma. Pelo conhecimento que temos hoje, sabemos que a Terra está girando em torno de si mesma e em torno do sol, mas não conseguimos sentir esses movimentos de rotação.

Da mesma forma, quando fazemos concessões na vida cristã, gradativamente nos apostatamos sem nos apercebermos. Cega e gradualmente começamos a trilhar o caminho do mal como se estivéssemos no caminho do bem. O rei Salomão cometeu esse gravíssimo erro ao fazer alianças com nações pagãs.

Ellen White revelou que “tão gradual foi a apostasia de Salomão que antes que dela se advertisse, tinha-se afastado de Deus […] e conformou-se cada vez mais intimamente aos costumes das nações ao redor.” (Profetas e Reis, p. 55). Também esclareceu que “a apostasia de Israel havia-se desenvolvido gradualmente” (Profetas e Reis, p. 296). No entanto, como a revelação nos alertou, “a conformidade aos costumes mundanos converte a igreja ao mundo; jamais converte o mundo a Cristo” (O Grande Conflito, p. 509).

Ainda falando a respeito do povo de Israel, Ellen White nos adverte que eles “não compreendiam que serem neste sentido diferentes de outras nações era um privilégio e bênção especiais. Deus havia separado os israelitas de todos os outros povos, para deles fazer Seu tesouro peculiar. Eles, porém, não tomando em consideração esta alta honra, desejaram avidamente imitar o exemplo dos gentios! E ainda o anelo de conformar-se às práticas e costumes mundanos existe entre o povo professo de Deus.[…] Cristãos acham-se constantemente procurando imitar as práticas dos que adoram o deus deste mundo. Muitos insistem em que, unindo-se aos mundanos e conformando-se aos seus costumes, poderiam exercer uma influência mais forte sobre os ímpios. Mas todos os que adotam tal método de proceder, separam-se desta maneira da Fonte de sua força. Tornando-se amigos do mundo, são inimigos de Deus. Por amor à distinção terrestre, sacrificam a indizível honra a que Deus os chamou, honra esta de mostrarem os louvores dAquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz – I Pedro 2:9 . (Patriarcas e Profetas, p. 607).

Embora vivamos neste mundo, não isto significa que devamos absorver seus costumes em nossa vida e devoção. Como bem expressou o pastor Erton Koller, “precisamos modernizar, porém sem mundanizar”. Pense nisso!


Fonte: adaptado de Reavivamento e Reforma, p. 86


Tags: , ,