O Que a Igreja Deve Cantar? – Parte 6

A Adoração — 31 de julho de 2012 10:56

por: Daniel Souza

6. A igreja deve cantar cânticos que incentivem a comunhão entre os irmãos

Alguns anos atrás ouvi umas das mais equivocadas afirmações feitas por alguém dentro de uma igreja: “Os cânticos de comunhão fazem parte do passado”.

Se os cânticos que falam sobre amar uns aos outros, perdoar uns aos outros, servir uns aos outros estão “fora de moda” por que ainda perduram tantos problemas de relacionamento entre os irmãos?

Tenho convicção de que um dos maiores desafios do ser humano é conviver com seu semelhante, seu próximo. E isto, também, dentro da igreja, entre os irmãos.

Não é difícil ver competição, ressentimento, fofoca, inveja e outras manifestações carnais nos filhos de Deus em processo de amadurecimento. Como Paulo dizia, “crianças em Cristo”. (I Coríntios 3:1)

No entanto, Deus deseja que seus filhos amadureçam e cheguem a medida da estatura da plenitude de seu primogênito, Jesus. (Efésios 4:13)

Por isso, os cânticos de comunhão são extremamente úteis. Quando cantamos letras do tipo “Eu sei que foi pago um alto preço, para que contigo eu fosse um, meu irmão…”; “A começar em mim, quebra corações, pra que sejamos todos um como tu és em nós…”; “Como é precioso, irmão, estar bem junto a ti…”; “Quão bom e quão maravilhoso é que os irmãos vivam em união…”, estimulamos a igreja a viver e andar de modo digno da vocação a que fomos chamados. (Efésios 4:1-3)

Que o Senhor nos revele mais canções de comunhão. A igreja sempre precisará destas músicas.


Fonte: http://danielsouzafe7.blogspot.com.br

Tags: , ,