Pergunta 36: Qual o melhor truque para esquentar a voz?

Diana Goulart: Alguns cantores desenvolvem hábitos que se tornam verdadeiros rituais – consomem toneladas de pastilhas, balas, cristais de gengibre; usam sprays de romã, própolis, hortelã e o que mais surgir nas farmácias; e há ainda os que recorrem a bebidas alcoólicas como conhaque ou licor na esperança de “esquentar” a voz.

Nenhuma destas receitas tem fundamento comprovado, embora possam funcionar como um amuleto (é o famoso efeito psicológico ou placebo). As pastilhas e sprays são remédios, que podem ser receitados pelo médico quando necessário; mas usados constantemente e sem critério podem causar danos à saúde. Pior ainda: estes medicamentos podem mascarar o problema, escondendo temporariamente a dor (a dor é um alerta do organismo!) e fazendo você acreditar que então pode falar ou cantar à vontade, o que obviamente vai agravar a situação.

Tomar um chá fervendo na ilusão de que vai esquentar a garganta é outro engano comum. Você pensaria em tomar um banho bem quente para esquentar os músculos antes de jogar uma partida de futebol? O aquecimento que prepara a ação é o exercício que começa moderado e vai se intensificando até se atingir a melhor forma. Para isso existem os vocalises de aquecimento.

Quanto às bebidas, seu efeito é apenas o de relaxar e/ou desinibir – é óbvio que estamos falando de tomar UMA dose, pois o excesso de bebida, além de todos os problemas que traz, ainda por cima pode comprometer a concentração, a atenção e a memória.

A única forma eficaz de aquecer a voz, preparando-a para uma apresentação, é fazer exercícios vocais de aquecimento. Agora, se além disso você quiser tomar aquele chazinho morno…


Voltar para o Índice de Perguntas e Respostas sobre Canto


Diana Goulart é professora de Canto, fonoaudióloga, pesquisadora do canto e palestrante sobre diversos temas ligados à voz e ao canto. Para informações mais detalhadas, visite http://www.dianagoulart.com.br


Veja nota dos editores do Música Sacra e Adoração