Histórias de Hinos do Hinário Adventista – Nr. 588

Bendito Jesus!

Letra: Sarah Poulton Kalley (1825-1907)

Título Original: Bendito Jesus!

Música: William Knapp (1698-1768)

Texto Bíblico: Lembra-te de mim, Senhor, quando mostrares favor ao teu povo; visita-me com a tua salvação, para que eu veja a prosperidade dos teus escolhidos, para que me alegre com a alegria da tua nação, e me glorie juntamente com a tua herança. (Salmo 106:4 e 5)


Acompanhe o hino no Youtube


1. Bendito Jesus, divino Pastor,
Ó vem conceder Teu rico favor.
As súplicas ouve, aceita dos Céus
O culto ofertado a Ti, nosso Deus.

2. Não temos valor pra dar-te aqui;
Resgate nenhum trazemos a Ti,
Pois nosso pecado foi pago na cruz,
Divino Cordeiro, bondoso Jesus.

3. Divino Senhor, ó, vem ensinar
A alma a sentir e a língua a falar
Com muita ternura e grande fervor,
O santo evangelho, as novas do amor.

4. Concede-nos paz e amor no viver;
Dá forças à fé, aumenta o poder.
Oh! Faze a pureza em todos florir,
E Cristo, a Verdade, em nós refulgir!


Depois de dezoito anos de alegre serviço na “Terra do Cruzeiro do Sul”, a autora deste hino, chamada a “Mãe da Hinodia Brasileira”, Sara Poulton Kalley (1825-1907), podia dizer com firmeza as palavras deste hino. Embora não tenhamos os dados exatos sobre como o hino surgiu em 1873, cremos que ele se baseia em Salmo 106: 4 e 5.

Nascida em 1825, na Inglaterra, em lar de destaque cultural e político, Sarah Poulton Morely recebeu primorosa educação e cultivou seus dotes artísticos, claramente revelados mais tarde na poesia e na pintura. Estudou várias línguas, entre as quais o hebraico, grego, alemão e francês. Sarah conheceu o Dr. Robert Reid Kalley em março de 1852, quando ambos faziam viagens à Palestina. Veio a casar-se com ele em dezembro do mesmo ano.

O Dr. Kalley trabalhara como missionário médico na Ilha da Madeira. Abrira escolas e mantivera um hospital durante oito anos, de 1838 a 1846 .Foi o primeiro médico a cuidar dos pobres. Tanto cuidou deles sem remuneração, como convidou a seus filhos a estudarem nas suas escolas sem pagar matricula. 

Uma onda de gratidão ao ‘bom doutor’,’o santo inglês’, espalhou-se pela ilha. Muitas pessoas tornaram-se crentes em Jesus e reuniram para louva-lo e aprender dele. Isso trouxe terrível perseguição pelo clero. O Dr. Kalley, e muitos crentes foram presos: o missionário por 6 meses. Ali foi enterrada sua primeira esposa. No esquentamento destas ferrenhas perseguições, cercaram o seu consultório. Planejavam matar o Doutor.

O casal chegou aqui em maio de 1855. Seguiu-se o primeiro trabalho evangélico duradouro entre os brasileiros.

O casal Kalley estabeleceu-se na cidade serrana de Petrópolis, RJ. Logo D. Sarah organizou o primeiro trabalho de Escola Bíblica ente os Brasileiros, para a qual começou a produzir hinos e cânticos em Português. O casal Kalley fundou a Igreja Evangélica Fluminense na cidade do Rio de Janeiro, RJ, em 1858. Foram firmes desde o começo, sobre a ira de Deus sobre a escravatura. Os cultos sempre incluíam qualquer pessoa, sem distinção. O Dr. Kalley pregava com bastante coragem contra esse mal. Houve um possuidor de escravos ser membro da igreja. O Dr. Kalley foi tácito. Citando Romanos 8.15,16 e outras passagens mostrou como um homem possuir outro, quanto menos de lhe tratar com menos do que o amor ao irmão, era totalmente contra as Escrituras. Desta maneira o casal foi modelo para outros missionários e outras missões que começaram seu trabalho no Brasil durante o período da escravidão e depois.

Uma das maiores contribuições que o casal Kalley fez para a marcha do evangelho no Brasil foi na área de hinodia. Henriqueta (Rosinha) Braga, a maior historiadora de música sacra evangélica no Brasil, falou eloqüentemente sobre esse aspectos do ministério desse admirável casal.

O casal foi, na divina providência, o verdadeiro baluarte da hinologia brasileira. Para isto, achavam-se os dois magnificamente preparados: eram, antes de tudo, cristãos consagrados; além disso, possuíam fina educação aliada à sólida cultura e a notáveis dons artísticos. Ambos escreveram hinos originais (metrificaram Salmos) e traduziram inspirados cânticos. (Dos cento e oitenta e dois números que hoje (1961) se encontram em Salmos e Hinos, com a letra K na lista de autores, cento e sessenta foram produzidos por D. Sarah e treze pelo Dr. Kalley).

“A coleção Psalmos e Hymnos, organizada pelo casal, com 50 salmos e hinos, foi usada pela primeira vez no domingo 17 de novembro de 1861, seis anos depois de sua chegada ao Brasil! Esta coleção foi a primeira coletânea de hinos evangélicos em português organizada no Brasil”. Sucederam-se novas edições, ano após ano, D. Sarah lançou Música Sacra, editada em 1868, na realidade a primeira edição de Psalmos e Hymnos com Músicas Sacras.

Não tendo filhos, o casal Kalley adotou uma filha, Sai, e um Filho, João Gomes da Rocha, que mais tarde, tornou-se colaborador com D. Sarah na obra hinológica que o casal começara.

Depois de 21 anos árduos e frutíferos no Brasil, o casal Kalley voltou à Escócia, mantendo, de lá a sua influencia e seu apoio ao trabalho aqui no Brasil. D. Sarah publicou a segunda edição de Psalmos e Hymnos com Músicas Sacras em 1889. Recebeu, na ausência do Dr. Kalley, que falecera em 1888, a ajuda valiosa do Dr. João Gomes da Rocha, organizador de edições subseqüentes. Foi necessária que estas edições fossem impressas na Escócia ou em Portugal sempre adicionando novas traduções e hinos originais. Como o casal havia custeado todas as edições até a morte do Dr. Kalley, assim continuaram a D. Sarah e o Dr. João Gomes da Rocha. Ao todo, laboriosamente prepararam e publicaram estas edições, tanto de letra, como também , as com partituras, como uma parte da sua grande colaboração para que o Evangelho crescesse no amado Brasil. Rocha continuou até sua morte a produzir estas edições que cresciam em número de hinos.

Seria muito difícil exagerar a importância do hinário Salmos e Hinos na história da hinodia brasileira, além de ser o primeiro hinário usado por diversas denominações.

A mãe da hinodia brasileira ainda fez muito mais em prol da obra do Evangelho no Brasil. Levantou fundos para missionários poderem trabalhar neste país.

D. Sarah faleceu aos 82 anos de idade, deixando-nos uma herança inigualável no campo da hinodia brasileira.

William Knapp (1698-1768) dizia em cada culto da sua igreja: “Vamos todos cantar para o louvor e a glória de Deus”, esta frase caracterizou a sua vida.

Knapp descendente de alemães, nasceu no condado de Dorstshire, Inglaterra, em 26 de setembro de 1698. Foi chamado O Salmista do Campo. Tornou-se organista, compositor e compilador de coleções de melodias. Serviu por 39 anos como precentor, uma função semelhante à de diretor de música, na Igreja de Saint James, em Poole, porto no seu condado natal no extremo sul do país.

Knapp publicou duas coleções de salmos, antemas e hinos, em 1738 e 1753. Hoje cantamos somente a sua melodia WAREHAM, que faz parte da primeira coleção. Uma das características distintas dessa melodia é que, com duas pequenas exceções, ela se movimenta, do início ao fim, em graus conjuntos.


Veja a partitura cifrada deste hino

Veja este hino também no Ministério Cristo Vai Voltar