Histórias de Hinos do Hinário Adventista – Nr. 519

O Pão da Vida

Letra: Mary Artemisia Lathbury (1841-1913)

Título Original: Break Thou the Bread of Life

Música: William Fisk Sherwin (1826-1888)

Texto Bíblico: Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne. (João 6:51)


Acompanhe o hino no Youtube


1. Ó Tu que deste o pão, lá junto ao mar,
Vem dá-lo a mim também, Jesus, vem dar!
Pois, na Palavra, ó Deus, pão busco achar,
O santo pão que me há de sustentar.

2. Vem Tua bênção dar, vem, ó Senhor;
Vem e revela, então, o Teu amor.
Pai, muitas graças dou por este pão,
Luz que provém do Céu e traz perdão.

3. É vida o Teu falar, sim, ao que crer.
Eu quero a lei guardar, e em Ti viver,
Mas fraco sou, Senhor, vem me ajudar,
Sim, sempre até ao lar de além chegar.


A autora deste hino, Mary Artemisia Lathbury (1841-1913) era filha de pastor e tinha dois irmãos, também ministros do Evangelho.

Cedo na vida revelou ela dotes especiais para poesia e desenho. Tornou-se artista profissional e professora de arte. Ilustrava freqüentemente seus livros e versos com seus próprios desenhos. No ramo literário contribuiu muito para jornais e revistas para crianças e jovens e, como redatora, serviu no notável Instituto Bíblico de Chautauqua, no norte do estado de Nova Iorque, fundado pelos Srs. Lewis Miller e Dr. John H. Vincent. Muitas das poesias que a Srta. Lathbury escreveu foram usadas para os cultos vespertinos em Chautauqua.

Falando sobre como chegou a desenvolver os seus dons no serviço religioso, diz ela que, um dia, pareceu-lhe ouvir uma voz dizendo: “Lembra-te, minha filha, de que tens o dom de tecer a imaginação em versos e o dom de, com o lápis, reproduzir imagens que te vêm ao coração. Consagra tais virtudes inteiramente a mim, como fazes com o mais íntimo do teu espírito”. Foi depois de ouvir isto que ela dedicou o seu talento ao serviço do Senhor.

Entre os vários cursos oferecidos pelo Instituto Bíblico de Chautauqua, predominava o do estudo bíblico. Sentindo o Dr. Vincent a necessidade de um hino especial, relacionado àquela matéria, solicitou à Srta. Lathbury, sua auxiliar, que o escrevesse. Ela o atendeu e, durante o verão de 1877, compôs este maravilhoso hino. O hino é baseado no milagre da multiplicação dos pães e dos peixes, operado pelo Senhor para alimentar a multidão cansada e faminta que O cercava junto ao mar da Galiléia, incidente este narrado pelos evangelistas, Mateus, Marcos, Lucas e João.

É uma prece ao Senhor suplicando-lhe que conceda a visão para enxergar o sentido profundo das santas Escrituras “além da mera letra”!

O tradutor deste hino é o Sr. Henry Maxwell Wright (1849-1931). Nascido em Lisboa, era filho de pais ingleses e por alguns anos dedicou-se ao comércio. Depois de auxiliar o célebre pregador Moody em uma grande campanha de evangelização realizada em Londres, em 1874 e 1875, abandonou a sua próspera carreira comercial para dedicar-se à evangelização da Inglaterra e Escócia. Esteve no Brasil quatro vezes: 1881, 1890-1891, 1893 e 1914.

O Sr. Wright contribuiu grandementete para a hinologia nacional, pois escreveu cerca de 151 hinos e 42 coros, muitos dos quais constam de hinários em língua portuguesa.

Este hino tem o número 353 em Hinos e Cânticos e é cantado com a música Bread of Life (Pão da Vida), cuja autoria é de William Fisk Sherwin (1826-1888).

Fonte: Publicado originalmente em: http://www.refrigerio.net/hinos27.html


Nr. 519 – O Pão da Vida

A narrativa bíblica do milagre de Cristo ao alimentar os cinqüenta mil foi a inspiração para a escritora deste belíssimo hino conhecido e amado por cristãos de todos os lugares. A escritora, Mary Lathbury, era conhecida como “A poetisa laureada de Chatauqua”, o famoso movimento literário do final do século XIX.

Mary nasceu em 1841 e passou seus primeiros anos em Manchester, Nova York. Seu pai era um pregador na igreja Metodista Episcopal. Seus dois irmãos também foram ordenados nesta denominação.

Além de ser hábil poetisa, Mary era uma artista brilhante e foi encarregada de ilustrar vários periódicos infantis.

Abandonou sua carreira de artista para assumir o trabalho de assistente de Secretário Executivo da União das Escolas Dominicais Metodistas, Bispo John H. Vincent. Mais tarde, Vincent fundou o famoso Movimento Chautauqua que, por volta de 1880, era muito popular através do país. Quando seu chefe pediu que escrevesse um hino vespertino para as reuniões de Chautauqua, Mary escreveu “Morre o Dia” (H.A. 028), o qual se tornou tão popular que foi publicado em quase todos os hinários da América.

“O Pão da Vida” foi escrito como um hino de meditação, para ser cantado pelos membros de Chautauqua, e o professor Sherwin compôs a música, que se adapta às palavras do poema de Mary de maneira belíssima. É um hino apreciado nos dois lados do Atlântico, e tem sido uma benção desde que foi composto em 1877, às margens de um pequeno lago no sudoeste de Nova York.

Fonte: Histórias de Hinos e Autores – CMA – Conservatório Musical Adventista


Veja a partitura cifrada deste hino

Veja este hino também no Ministério Cristo Vai Voltar