Fogo na Igreja

A Forma da Adoração, Debate Sobre a Música na Igreja — 2 de outubro de 2016 15:00

por: Lloyd Grolimund

Enquanto escrevo este artigo (dezembro de 2003 – janeiro de 2004), a igreja na Austrália [*] está sofrendo uma transformação considerável na adoração. As influências pentecostais de Hillsong, Parachute e outros estão tendo uma influência extraordinária na forma do culto de adoração no contexto da igreja Adventista. Estas alterações incluem a introdução e prática de dramas, música rock cristã e uma abordagem informal do culto de adoração, e tem por objetivo alcançar a mente secular dos que não freqüentam igreja alguma na Austrália urbana.

Muitos argumentam que as grandes multidões que freqüentam as igrejas que praticam esta abordagem são, em si mesmas, uma prova da benção de Deus. Baseando-se praticamente apenas neste ponto, os defensores deste fenômeno insistem em um esforço agressivo e sustentado para introduzir e incorporar este modo de adoração na igreja [adventista]. Em grande parte, seus esforços tem dado frutos e a adoração pentecostal está se tornando parte do adventismo tradicional na Austrália.

Este fato é especialmente evidente no trabalho com os jovens, onde a forma e o estilo de adoração pentecostal são utilizadas de maneira quase universal por todas as associações locais. Uma reunião de jovens típica envolve uma pregação poderosa, dramatizações e muita música no estilo rock cristão. Nas reuniões e congressos de jovens a música toma a maior parte da experiência de adoração, frequentemente ocupando mais de uma hora. Os jovens são levados ao topo da montanha com o forte impulso de canções de rock e então baixados até o vale com melodias bem mais tranqüilas. Acompanhando esta música, há movimentos de dança e bater de palmas. Inquestionavelmente, muitos dos jovens apóiam esta abordagem e isto pode ser visto nos milhares de jovens que assistem aos congressos de jovens, camporees, reuniões campais, etc.

A inspiração para a maior parte do que está acontecendo na adoração adventista não é criada em nossas fileiras. Em grande medida, as mega-igrejas pentecostais estão dirigindo treinamentos cristãos na Austrália. Muitos pastores adventistas, e oficiais das igrejas locais estão assistindo a programas de treinamento e seminários que são planejados, organizados e dirigidos profissionalmente, como qualquer outro programa secular. Em ambientes cinco estrelas ensina-se aos estudantes o infinito valor em adotar a abordagem pentecostal. Bandas espetaculares, líderes de louvor experientes, poderosos apresentadores e uma adoração que domina completamente os sentidos é uma tônica irresistível para pastores adventistas e líderes de jovens das igrejas locais, os quais estão lutando para ver algum crescimento em suas igrejas ou grupos de jovens. Acrescente a isto as estatísticas que alardeiam o crescimento explosivo da igreja [pentecostal], e um argumento poderoso para seguir pela estrada pentecostal está completo.

A pressão que este movimento exerce sobre os líderes da igreja, os quais estabelecem as diretrizes e o foco para a Igreja Adventista do Sétimo Dia é imensa. Não surpreende que muitos se sintam avessos à oposição a esta tendência carismática e é necessário possuir um grande valor para permanecer em pé contra tal abordagem devastadoramente popular e aparentemente bem sucedida. Que alguns façam isto é uma evidência de seu comprometimento com Deus e de sua coragem.

Este fenômeno não está restrito a idade, gênero ou geografia. Desde pequenas igrejas do interior a grandes igrejas das metrópoles o reavivamento alimentado pelo pentecostalismo marca a fogo seu caminho entre os bancos das igrejas e as mentes por toda a Austrália. Velhos e jovens igualmente são tomados pela excitação e a vibração deste movimento.

Aqueles que ousam se opor a estas diretrizes são marginalizados como fanáticos e classificados junto à parcela lunática da extrema direita. Os oponentes são vistos como tradicionalistas e de visão estreita, que não são capazes de adotar uma atitude positiva com relação às abordagens contemporâneas a uma sociedade sem igreja e secularizada. Reputações se esvaecem, perdem-se amigos e outros são relegados ao ostracismo por causa de sua oposição. Muitos têm receio das conseqüências de permanecer em pé contra este movimento e, portanto, permitem seu progresso sem contestação.

Outros têm abraçado esta tendência pentecostal e se esforçam para fazer avançar esta causa em cada ocasião. Eles a promovem em suas igrejas, encorajam as pessoas a participar de simpósios e seminários e então forçam a aplicação [de seus conceitos] às experiências de adoração a cada oportunidade.

Mais de uma igreja adventista foi dividida, de forma irreconciliável, por causa disto. Por todo o país existem igrejas, famílias e amizades despedaçadas pelo impasse que o pentecostalismo traz ao adventismo.

Devido à metamorfose ocorrida na adoração no adventismo na Austrália, a igreja enfrenta um futuro incerto. Poucos poderiam discordar da afirmação que a igreja pós-moderna será muito diferente daquela do passado. A maneira como ela se modelará, conforme a geração mais jovem, imersa no pentecostalismo, assume posições de liderança, é desconhecida. Se seria demasiado tarde para reverter esta tendência, é questionável. Somente Deus, que conhece o fim desde o princípio, sabe verdadeiramente onde este fenômeno perturbador nos levará.

Adoração é a Questão

A adoração sempre foi o ponto de toque entre Jesus e Satanás. Este ponto é muito claro na Bíblia. A quem adoramos determinará a nossa existência eterna. Como adoramos determina a quem adoramos, da mesma maneira que a quem adoramos determina como adoramos.

Assim como a adoração sempre foi a questão fundamental, da mesma forma ela continuará a ser o ponto de atrito, conforme o povo de Deus peregrina através do período do fim. Isto exige de nós um estudo cuidadoso e sério sobre o assunto, Somente então poderemos chegar a conclusões que estarão em harmonia com a vontade de Deus.

Deus é Fogo

Hebreus 12:29: “Porque o nosso Deus é um fogo consumidor.” Ao longo da Bíblia Deus é comparado ao fogo. Podemos ver esta analogia em vários lugares. Eis aqui alguns exemplos:

  1. Deus era o fogo que tanto Caim quanto Abel estavam procurando. (Gênesis 4.)
  2. Deus era o fogo que chamou Moisés a liderar o povo de Israel. (Êxodo 3:2.)
  3. Deus era parte do fogo que protegia Israel em seu jornadear através do deserto. (Êxodo 13:21.)
  4. Deus era o fogo que deu os Dez Mandamentos aos israelitas. (Deuteronômio 4:12.)
  5. Deus era o fogo que levou Israel ao arrependimento nos dias de Elias. (I Reis 18.)
  6. Deus é o fogo que traz o reavivamento e o perdão no batismo. (Mateus 3:11 e Lucas 3:16.)
  7. Deus era o fogo que incendiou a igreja Apostólica. (Atos 2.)

É este Fogo (Deus) que o mundo pós-moderno está procurando na adoração. De fato, a adoração tem a ver com a presença do Fogo (Deus). Sem o Fogo (Deus) não pode haver verdadeira adoração.

Adventismo – A Igreja em Fogo e a Igreja Formal Tradicional

As pessoas (especialmente os jovens) estão buscando pelo Fogo (um Deus real) na igreja. Eles têm vindo à igreja na expectativa de tal experiência, desde o nosso princípio. Deveríamos estar agradecidos por aqueles que encontraram a Deus no contexto no adventismo australiano. Contudo, para muitos, não tem sido este o caso. Frequentemente, os conversos chegam ao adventismo esperando encontrar um Deus real, dirigindo um vibrante movimento em fogo. Em vez disso, se deparam com formalismo e tradição que rivaliza com o catolicismo. [1] Esta é uma experiência devastadora para os novos crentes.

O fogo está presente quando os membros da igreja são cristãos comprometidos e praticantes. Isto inclui o estudo regular diário da Bíblia e a oração, juntamente com um espírito de humildade e arrependimento. Os membros da igreja com este tipo de experiência trazem Jesus com eles. São pessoas estimulantes, vibrantes e felizes, que estão em paz com Deus e a igreja. Outras pessoas são atraídas a eles e à sua igreja, porque vêem Jesus através de suas vidas.

As igrejas cheias de pessoas salvas são igrejas que crescem. O fogo de Deus queima fortemente a partir do púlpito, nas classes da Escola Sabatina e nas reuniões da comissão e da assembléia da igreja. O evangelismo aos perdidos é a função primária desta igreja e todas as outras atividades estão subordinadas a esta missão. A Bíblia é a única prática da lei e todas as decisões e todas as questões são resolvidas através da aderência à Palavra. A igreja saturada com fogo está aberta a mudanças, quando a mudança está de acordo com a Bíblia e colabora para o avançamento da causa de Cristo.

A igreja tradicional formal pratica muito pouco daquilo que fazem os convertidos na igreja em fogo. Esta igreja é restringida pela história e a prática comum. Os cultos de adoração são sóbrios, monótonos e previsíveis. Qualquer mudança é vista como ameaçadora e perigosa, e deve ser evitada a todo custo. É comum para esta igreja estar constantemente olhando para dentro de si mesma e o evangelismo tem uma prioridade muito baixa. Esta igreja constrói paredes, em vez de pontes para a comunidade. Não é raro que esta igreja esteja perdendo membros rapidamente. Frequentemente uns poucos líderes poderosos dominam a todos. O formalismo frio substitui a adoração vibrante, cheia do espírito e como resultado direto esta igreja está morrendo, ou está morta. Por toda a Austrália os ossos destas igrejas estão ao sol como testemunho da tolice de tal abordagem – uma abordagem que com freqüência é assumida pelo movimento Adventista conservador.

A Resposta à Igreja Tradicional Formal

Inevitavelmente, a abordagem tradicional formal [resulta em] uma igreja que os australianos jovens e sem igreja acham sem atrativos. Em grande medida, Jesus não está presente e não existe fogo. Esta abordagem dificilmente ganha almas para Cristo e a Reforma da Idade Média foi uma refutação diretamente guiada por Deus a tal formalismo tradicional.

Existem muitas respostas básicas à abordagem tradicional formal. Seguem-se algumas delas:

  1. Fique na igreja e ajude a construir paredes e manter o status quo. É surpreendente como muitos se sentem seguros e a salvo com esta abordagem.
  2. Abandone o cristianismo, bem como o adventismo.
  3. Tente reavivar a igreja a partir de dentro dela, através de uma experiência pessoal impulsionada pelo fogo.
  4. Tente reavivar a igreja a partir de dentro dela, usando o modelo pentecostal.
  5. Abandone a congregação adventista e estabeleça outra igreja adventista baseada no modelo pentecostal.
  6. Abandone a igreja adventista por outra – normalmente uma igreja pentecostal carismática.

O ponto número 3 é a única resposta que um adventista impulsionado pelo fogo pode ter. Com muita freqüência assumimos outras abordagens em detrimento da igreja e de nós mesmos. Cada um destes pontos merece tempo e estudo. Contudo, é com os pontos número 4 e 5 que o restante deste artigo se preocupará.

A Onda Pentecostal e o Adventismo do Sétimo Dia

É preocupante para a maior parte dos adventistas testemunhar o abandono e a deterioração do adventismo na Austrália. De forma geral, a igreja não está em boa forma. O dízimo está diminuindo em termos reais, [2] a freqüência está caindo rapidamente [3] e não temos sido mais capazes de apoiar os campos missionários como fazíamos. [4] Nossos jovens estão nos abandonando em proporções epidêmicas [5] e para qualquer lado que olhamos, vemos que a igreja está em rápido retrocesso. Conforme os membros e o apoio financeiro desaparecem, os pastores, administradores e membros preocupados da igreja ficam se perguntando onde esta perturbadora tendência irá terminar. Que futuro, se é que existe algum, a igreja Adventista do Sétimo Dia tem na Austrália?

É confortador saber que o adventismo não está sozinho em seu dilema. A maioria das igrejas protestantes estão enfrentando os mesmos cenários, e em muitos casos, estão em um estado mais devastador do que nós. Denominações inteiras estão em perigo de desaparecer do cenário religioso australiano. Talvez os únicos grupos cristãos nos quais se percebe algum sucesso na Austrália pós-moderna são os pentecostais. Com suas mega-igrejas, grandes grupos de jovens, taxas massivas de conversão, fica difícil argumentar contra a sua abordagem. [6]

Devido aos seus êxitos, os pentecostais são a gora a referência para o cristianismo moderno. Sua música, estilo e abordagem espiritual tem sido aceitas e incorporadas em cada faceta da adoração e prática protestante.

A boa teologia exige que o catalisador de mudanças no adventismo deve ser algo mais do que ter sucesso – especialmente [no caso de] uma mudança pentecostal. A Bíblia diz “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho” (Salmos 119:105). Certamente, se vamos aceitar, enquanto denominação, a onda pentecostal que está atualmente submergindo o protestantismo e subsequentemente a nós, então ela deve passar pela prova da verdade honrada pelo tempo.

O Que Há de Errado Com o Pentecostalismo?

O que a Bíblia tem a dizer acerca do movimento pentecostal é tanto interessante quanto solene. Somente quando compreendermos a perspectiva bíblica deste assombroso fenômeno é que seremos capazes de lidar com seu avanço sobre a igreja Adventista no início do século 21.

Conforme já discutimos, a presença de Deus na Bíblia é frequentemente descrita como um fogo consumidor. Para cada aproximação que Deus tem feito para com a humanidade, Satanás tem criado uma falsificação. Analise os seguintes exemplos:

  1. Deus criou o mundo – Satanás se opõe através da evolução
  2. Deus criou o Sábado – Satanás se opõe com a adoração no Domingo
  3. Deus diz que a alma que pecar, morrerá – Satanás se opõe dizendo que a alma é imortal
  4. Deus diz que a segunda vinda será visível – Satanás se opõe através do arrebatamento secreto
  5. Deus criou o matrimônio – Satanás se opõe com o conceito de parceiros
  6. Deus cria o sexo – Satanás se opõe com a imoralidade
  7. Deus cria o alimento – Satanás se opõe com a glutonaria

Satanás falsifica cada ação de Deus. Cada falsificação é planejada para confundir e enganar.

A presença de Deus como um fogo consumidor também possui uma falsificação satânica – uma falsificação planejada para enfraquecer e eventualmente destruir a movimento adventista e sua mensagem. Proponho que esta falsificação é o movimento mundial carismático pentecostal.

Falso Fogo na Bíblia

Em Atos 2 o Espírito Santo dá poder à igreja nascente com uma das experiências mais dramáticas da Bíblia. O poder de Deus foi liberado nos corações de 120 homens e mulheres comuns. Chamas de fogo desceram no recinto e iluminaram as cabeças dos crentes. Com suas vidas lavadas no poder fundidor do Espírito Santo, este pequeno grupo de peregrinos mudou para sempre o mundo com a história de Jesus. Como resultado desta experiência Jesus foi levado a todos os cantos da terra. Isto não poderia ter acontecido, exceto através do poder do Espírito Santo nos corações dos crentes.

Foi a presença de Deus através do fogo (o Espírito Santo) que ocasionou o milagre que fez nascer a igreja apostólica cristã (Pentecostes em Atos 2). O adventismo do sétimo dia é o descendente direto deste momento impulsionado pelo Fogo. Deus não apenas nos abençoou com a verdade, mas também nos concedeu o Espírito Santo (Fogo) para o avançamento da verdade. É por isto que um pequeno movimento do século 19 cresceu rapidamente até chegar a uma grande fé internacional que possui vinte milhões de adoradores participantes em praticamente todos os países do mundo.

Através dos anos o adventismo enfrentou muitas crises. Kellogg pensou que podia fazer a igreja ajoelhar-se. A influência de Desmond Ford viu dezenas de ministros e centenas de membros da igreja abandonar o trabalho e a fé. Às vezes, se não fosse pela direta intervenção e condução de Deus, a igreja poderia ter caído. E ainda assim, através de todos os conflitos, apostasias e divisões, a igreja tem continuado em frente, resolutamente, porque Jesus é o seu capitão. Ela não pode tropeçar. Porém, agora um tipo novo e diferente de perigo ameaça a igreja – o Neo-Pentecostalismo. Este é o mais perigoso desafio que ela tem enfrentado em toda a sua história, e é com este movimento em particular que este artigo está preocupado.

O pentecostalismo é um movimento interdenominacional. Sua influência abrangente infiltra-se nas igrejas católicas, protestantes e adventistas do sétimo dia. Este fenômeno tem consideravelmente mais influência sobre o cristianismo moderno do que qualquer outro fator. Contudo, ainda há alguma coisa errada e existem boas razões pelas quais este movimento é tão perigoso para o adventismo do sétimo dia.

Na base do movimento pentecostal carismático está a poderosa direção e o ministério do Espírito Santo (Fogo). A religião baseada [primeiro] na experiência, e depois na verdade, é o modelo defendido pelo neo-pentecostal. A evidência disto é manifesta em uma miríade de fenômenos e sucessos. Alguns deles são:

  1. Falar em línguas
  2. Curas e milagres
  3. Crescimento espetacular
  4. Declarações e ministério profético
  5. Unidade
  6. Dons espirituais
  7. Sucesso e riqueza seculares
  8. Universidades e escolas
  9. Clínicas médicas
  10. Adoração poderosa e culturalmente relevante
  11. Música original
  12. Grandes conferências espetaculares de treinamento

Apesar destas características atrativas, que estão levando muitos a crer que o sucesso deste movimento é impulsionado pelo Espírito, uma dúvida subjacente permanece nas mentes dos adventistas do sétimo dia. Existe uma suspeita incômoda de que nem tudo está correto na pressa precipitada com que alguns de nossos líderes estão encorajando a igreja adventista a unir-se com o movimento neo-pentecostal.

A geração atual de jovens adventistas do sétimo dia está procurando por Deus. Eles vêm à igreja de seus pais (IASD) procurando por Fogo (Deus). Em muitos casos, tragicamente, não O estão encontrando (Deus). Porém, diferentemente das gerações anteriores, que abandonavam o adventismo, bem como o cristianismo [7], estes jovens não abandonam o cristianismo – eles abandonam apenas o adventismo. A grande maioria termina em igrejas carismáticas que estão se aquecendo ao redor do fogo pentecostal – e o fogo queima forte. Em qualquer tarde de domingo inúmeros jovens adventistas podem ser encontrados nos cultos da igreja Hillsong em Sydney. O problema devastador neste caso não é apenas o conceito da adoração falsa no domingo – é o fogo – o fogo pentecostal – que é falso.

O Caso Bíblico Contra o Fogo do Pentecostalismo

Em Apocalipse capítulo 13, somos confrontados com duas bestas. A primeira besta (versos 1-10) [8] tem sido claramente identificada pelos estudiosos sinceros da Bíblia desde a Reforma Protestante como a Igreja de Roma. Conforme nos aproximamos do tempo do fim, este poder religioso dirige uma grande rebelião mundial contra Deus.

A segunda besta (versos 11-17) [9] é interpretada pelos adventistas do sétimo dia como sendo os Estados Unidos da América. Com isto em mente, note os versos 13 e 14. “E (os EUA) faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, [10] à vista dos homens. E (os EUA) engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi (aos EUA) permitido que fizesse em presença da besta (Igreja de Roma), dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem (falsa adoração) à besta (Igreja de Roma) que recebera a ferida da espada e vivia” (Apocalipse 13:13-14). [11]

Lembre-se de que o fogo de Atos 2 é a presença e a unção do Espírito Santo; porém, deferentemente do fogo de Atos 2 que fez nascer a igreja apostólica, este novo fogo serve a um propósito mais obscuro e sinistro. O propósito primário deste falso fogo é fazer com que os homens e mulheres sejam enganados e abandonem a Jesus. Ele faz isto encorajando o mundo a estabelecer uma imagem (falsa adoração) à Igreja de Roma.

Se o “fogo verdadeiro” é a obra do Espírito Santo que provoca reavivamento, arrependimento e mudança, então o “falso fogo” de Apocalipse 13 deve ser o derramamento de um falso espírito que engana e leva as pessoas para longe de Deus.

Poderia ser que este falso fogo de Apocalipse 13:13 não seja outra coisa além do reavivamento impulsionado pelo espírito carismático pentecostal (falso fogo), que tem tomado o mundo, e subsequentemente uma boa parte do adventismo ocidental de assalto?

Veja o seguinte, que destacamos do verso 13 mais uma vez:

  1. O fogo vem da segunda besta – EUA
  2. É miraculoso
  3. Desce do céu (é espiritual)
  4. Faz com que todo o mundo adora a primeira besta – a Igreja de Roma

Agora considere o seguinte, à luz dos pontos acima:

  1. O movimento pentecostal se origina principalmente dos Estados Unidos. Esta grande nação ainda é a base do poder deste vibrante movimento.
  2. O movimento pentecostal está arraigado e imerso no que é milagroso. Isto inclui as curas, profecias, falar em línguas, sonhos e visões.
  3. O fogo é a presença sobrenatural de um ser sobrenatural. Os cristãos identificam isto como sendo Deus. O espírito que move o pentecostalismo é sobrenatural – ele desce dos céus e é espiritual – mas estou propondo que não é de Deus. Como este artigo demonstrará, o fogo que queima forte neste movimento tem sua origem em um reino mais obscuro.
  4. O movimento pentecostal está unindo as igrejas de toda cristandade em um todo ecumênico. Batistas, metodistas, congregacionalistas, adventistas do sétimo dia, católicos – todos nós encontramos unidade em uma experiência comum de adoração – uma experiência pentecostal. Não é irracional esperar que esta experiência tenha um papel importante no movimento ecumênico que unirá as igrejas e religiões pouco antes do tempo do fim.

Se a hipótese acima é verdadeira, então devemos responder às seguintes perguntas:

  1. Como o movimento pentecostal pode ser acusado de ser movido por um falso espírito?
  2. Mesmo se um falso espírito esteja movendo o pentecostalismo carismático, como este movimento ajuda a estabelecer uma imagem em honra à Igreja de Roma?
  3. Que papel o pentecostalismo está desempenhando no movimento ecumênico?

A parte final deste artigo irá investigar estas questões desafiadoras.

Como o Movimento Pentecostal Pode Ser Acusado de Ser Movido Por um Falso Espírito?

O que torna o movimento neo-pentecostal tão sutil é sua aparente conformação com a verdade. Porém, o alicerce desta fé está fundamentado em um conjunto de abordagens doutrinárias que não são compatíveis com o adventismo ou com a Bíblia [12]

Isaías 8:20: “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles.” Este é um texto simples que apresenta um conceito simples. Quando um movimento não fala de acordo com a lei [13] ou o testemunho [14], então a Bíblia declara que não existe luz nele. Se o pentecostalismo quer se estabelecer como líder espiritual da cristandade (e, subsequentemente, do adventismo) então, no mínimo, deveria abraçar a lei de Deus e Suas Escrituras. O fato de que ele não se enquadra neste padrão estrito o desqualifica de qualquer autoridade ou liderança.

O movimento pentecostal falha em diversas áreas com respeito à lei e ao testemunho. Veja os seguintes exemplos:

  1. Total desconsideração e negação ao Sábado – (contrário à lei). [15]
  2. Rejeição da Segunda Vinda literal de Cristo – (contrário ao testemunho). [16]
  3. A imortalidade da alma, resultando, por ocasião da morte, em vida eterna ou inferno eterno – (contrário ao testemunho). [17]
  4. O batismo do Espírito Santo separado da conversão e evidenciado por falar em línguas – (contrário ao testemunho). [18]
  5. Em seguida ao arrebatamento secreto haverá um período de 7 anos, conhecido como a tribulação. Depois deste período, Cristo voltará e estabelecerá pessoalmente seu governo por um período de mil anos, conhecido como o reino milenial – (contra o testemunho). [19]

Através de três ondas durante os últimos 100 anos, o movimento pentecostal não se estabeleceu como um pilar da verdade. [20] O que pode ser dito é que a terceira onda, conhecida como “Movimento dos Sinais e Maravilhas”, afastou-se ainda mais da verdade do que o “Antigo Movimento Pantecostal”, do princípio do século 20, ou a abordagem neo-pentecostal dos tempos mais recentes. [21]

A pretensão do pentecostalismo de possuir o Espírito Santo não é necessariamente uma validação de sua legitimidade. Seu relacionamento com a Escritura (o testemunho) e a lei de Deus (a lei) deve determinar isto. Se esta é a norma de referência, então o neo-pentecostalismo está verdadeiramente em sérios problemas.

O Papel do Espírito Santo

A Palavra tem algumas visões claras acerca da obra do Espírito Santo e Sua influência e direção da igreja:

João 14:26: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.” Um dos papeis centrais do Espírito Santo é ensinar. Mas o que Ele nos ensina?

João 16:13: “Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.”

A função do Espírito Santo é ensinar toda a verdade. Se o pentecostalismo afirma ter a inspiração e a liderança guiadas pelo Espírito, então DEVE ser um celeiro da verdade. Deve ensinar a verdade, pregar a verdade, praticar a verdade, extrair profundamente da verdade, obedecer e seguir a verdade. Conforme já foi ilustrado, este movimento não é um baluarte nem um propagador da verdade. Devido a isto, o Espírito Santo não pode liderar este movimento. [22]

A Diferença Entre o Adventismo e o Pentecostalismo

O Adventismo não pode afirmar ter toda a “verdade”. O que separa o adventismo do pentecostalismo é a sua disposição para crescer na “verdade”. O desenvolvimento da IASD nos últimos 150 anos tem sido uma evidência real deste fato. Considere os seguintes exemplos:

  1. Mudança do culto de adoração do domingo para o sábado.
  2. Mudança de comer qualquer coisa para uma compreensão das leis bíblicas sobre a alimentação.
  3. Mudança de erros na compreensão da Trindade para uma compreensão bíblica da Divindade.
  4. Compreensão progressiva acerca da justificação pela fé.
  5. Aceitação e assimilação da verdade sobre o estado dos mortos.
  6. Compreensão e convicção acerca da mensagem do santuário.

Esta Igreja Adventista do Sétimo Dia é uma ilustração de como uma denominação pode mudar para uma compreensão mais profunda da verdade em seu jornadear. Esta é uma clara evidência da liderança do Espírito Santo – evidência que não se observa no pentecostalismo.

Fogo Falso Atiçado por um Espírito Falso

Uma vez que o sistema pentecostal pratica e encoraja falsas doutrinas, falsas práticas de adoração inevitavelmente se seguem. Isto pode ser visto na sua integração da carne (o mundo) com as coisas de Deus. Esta prática faz da adoração pentecostal uma abordagem muito perigosa.

I João 2:15 diz “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.” A adoração pentecostal está saturada de coisas “do mundo” (carne). Na vanguarda da abordagem carismática está o uso da música rock na adoração. Este fenômeno tomou de assalto a igreja (cristã e adventista) e suas raízes e origens se encontram na experiência pentecostal. [23] A música rock é a linha de frente no ataque pentecostal, e é utilizada para fazer avançar a sua mensagem para dentro das principais correntes do cristianismo e do adventismo tradicionais. Embora o foco principal deste artigo não seja a questão da música rock na igreja cristã, [24] seu enorme impacto na disseminação das práticas pentecostais entre as denominações cristãs não pode ser ignorado. A música rock é a vanguarda pentecostal para penetrar o cristianismo (e o adventismo) tradicional. Com a aceitação desta música vem uma série de outras influências e práticas pentecostais que estão debilitando a igreja cristã (adventista) e sabotando a sua missão. [25]

Estamos debilitados e sabotados porque os nossos jovens são os que foram ordenados por Deus a terminar a obra. Eles são os que mais recebem o impacto da abordagem pentecostal. Quando se tornam imersos na experiência pentecostal, torna-se praticamente impossível para eles ter um relacionamento autêntico com Jesus Cristo. O Espírito Santo não está presente em muitos dos nossos programas para jovens, quando os jovens são chamados a render suas vidas, a um total comprometimento, e a um serviço altruísta. O uso da adoração baseada na carne, enquanto nossos jovens são chamados para Jesus, faz com que o Espírito Santo se afaste. É somente através de uma caminhada genuína com o Salvador que os jovens encontrarão o poder do Espírito, do qual precisam para terminar a obra. Isto não ocorrerá, nem poderá ocorrer, enquanto continuarmos a afundar e afogar nossos jovens no pentecostalismo.

[Ocorrendo de forma] proeminente entre estes serviços de culto estão as dramatizações, a expressão criativa (dança), o falar em línguas, o riso santo, o profetizar e as curas. Através destes meios pentecostais o foco da mensagem cristã (adventista) tem se tornado uma experiência. Entretenimentos e excitações mundanas são a base desta experiência. A verdade da Bíblia tem se tornado subserviente à “experiência”. Esta é a razão pela qual doutrinas fundamentais da Palavra são totalmente ignoradas na busca fremente por um clímax experimental. Este clímax “espiritual” é induzido através da música rock e entretenimento barato no estilo de Hollywood – estilos que claramente não estão influenciados pelo Espírito de Deus, mas, ao contrário, por um espírito de trevas.

Estes veículos mais débeis e menos eficazes têm substituído a pregação da Bíblia. Este é o propósito declarado de Satanás. Em muitas igrejas cristãs a pregação da palavra tem sido substituída [26] por dramas teatrais altamente elaborados, [27] horas de música de rock pesado e grande quantidade de dança criativa. [28] Bill Hybels, pastor principal da Willow Creek Community Church, declara este princípio quando diz “Os cultos de adoração do final de semana se baseiam em música, drama, e o evangelho pregado, normalmente nesta ordem.” [29] Isto está em contraste direto com a exortação do apóstolo Paulo “Prega a Palavra” [30]

A atitude ambígua do pentecostalismo com relação à pregação da Palavra de Deus trouxe o “amortecimento do cristianismo” (adventismo). Enquanto milhares de pessoas estão experimentando as alturas da adoração pentecostal, muito poucas conheçam algo acerca das preciosas verdades da Escritura, as quais têm escudado a igreja do erro e da apostasia durante os milênios.

O pentecostalismo é um movimento baseado em doutrinas falsas e meias-verdades, que se apóia em uma poderosa experiência sensorial para destruir qualquer defesa ou reserva que o sincero cristão possa ter. [31] É isto que o torna tão perigoso para a igreja adventista e o seu povo.

Como o Movimento Pentecostal Ajuda a Estabelecer Uma Imagem em Honra à Igreja de Roma?

A compreensão profética básica adventista tem sustentado que alguma força unirá as igrejas do protestantismo para que estas alcancem Roma através do abismo e se unam a ela em uma rebelião mundial contra Deus.

Esta verdade tem sido ridicularizada e tem sido motivo de chacota por parte de muitos estudiosos, por ser muito improvável e ridícula. Na base de sua zombaria está a improbabilidade da “união” das denominações protestantes, as quais se mantêm, por séculos, profundamente divididas acerca de crenças e doutrinas teológicas. De fato, quase todas as tentativas de encontrar unidade entre as aguerridas denominações protestantes tem terminado em vergonhoso fracasso. Contudo, o advento do pentecostalismo alterou irreversivelmente tudo isto para sempre!

O rolo compressor pentecostal tem passado por cima das fileiras de todos os movimentos cristãos tradicionais. As denominações batista, católica, unida e anglicana foram, todas elas, apanhadas na controvérsia e influência deste movimento. Enquanto que alguns teólogos e pastores condenam abertamente sua influência manipuladora, [32] muitos outros a estão aceitando como a nova onda do futuro. Geralmente os pastores e protetores do rebanho estão promovendo o pentecostalismo como um movimento que fala a uma geração rebelde em termos que são eficazes e poderosos. A aceitação do pentecostalismo no interior do cristianismo tradicional (incluindo uma grande parte do adventismo ocidental) é quase completa. [33]

Os comentaristas cristãos fora dos círculos adventistas estão reconhecendo isto. “A ‘nova onda’ do cristianismo poderá vir (e virá) [34] na forma pentecostal. Com uma quantidade estimada de 500 milhões de seguidores, o pentecostalismo abrange agora a segunda maior parcela de cristãos no mundo, mais do que todos os protestantes e anglicanos juntos. Com seu crescimento contínuo e sua compreensão única da experiência cristã, o pentecostalismo promete reformar o cristianismo no século 21.” [35]

“O movimento pentecostal não é simplesmente uma nova denominação”, diz Margaret M. Poloma do departamento de sociologia da Universidade de Akron. “O surgimento do pentecostalismo é mais análogo ao surgimento do protestantismo dentro da cristandade do que o nascimento de uma nova denominação. É um exemplo da reestruturação do cristianismo.” [36] Uma vez que o pentecostalismo é um movimento, e não uma denominação, tem sido capaz de infiltrar-se facilmente para dentro do cristianismo. Isto se evidencia por toda parte.

A maioria dos festivais cristãos de jovens na Austrália são organizados e administrados pelos pentecostais. “Youth Alive” (Juventude Viva) é um exemplo de um dos maiores programas do ministério em nosso país e pode-se dizer que é o mais bem sucedido. [37] Milhares de pessoas assistem a estes eventos de jovens, que estão saturados e imersos no pentecostalismo.

Os programas de jovens que não são conduzidos por pentecostais são tão fortemente influenciados por este tipo de ministério de jovens que não existe diferença entre eles. [38] Um festival interdenominacional de rock na Nova Zelândia, chamado “Parachute” (Pára-quedas) é um exemplo de um megaevento cristão que atrai centenas de milhares de jovens e velhos. [39] Pessoas de todas os credos e religiões fazem parte desta excitante reunião, e elas também estão inteiramente imersas na onda pentecostal.

Que Papel o Pentecostalismo Está Desempenhando no Movimento Ecumênico?

Em cada cidade importante do mundo ocidental é o pentecostalismo que está dirigindo de forma avassaladora a educação cristã e o treinamento dos leigos. Em Sidney, a igreja “Hillsong” [40] estabelece o ritmo nas conferências e treinamentos cristãos. [41] Os cristãos (incluindo centenas de adventistas) estão assistindo aos milhares a estes treinamentos, realizados em importantes centros comerciais da cidade. Armados com novos conhecimentos e idéias estimulantes, que parecem funcionar, líderes de cada fé voltam para suas igrejas para implementar aquilo que aprenderam. Praticamente todo o protestantismo (inclusive o adventismo) está se reunindo aos pés dos venerados líderes pentecostais.

Onde antes havia uma divisão teológica entre as denominações protestantes, agora há uma harmonia espiritual e esta é criada e mantida por uma experiência pentecostal de adoração. Este sentido de unidade, através da adoração, passa por cima, de forma poderosa, de suspeitas há muito tempo mantidas, fanatismos e diferenças doutrinárias entre as muitas denominações. Este é um divisor de águas na experiência da fé cristã e especialmente do adventismo.

Creio que esta nova unidade cristã, dirigida pelo espírito das trevas e impulsionada por falsas doutrinas e meias verdades, permitirá que um movimento protestante unido se lance por sobre o abismo e agarre a mão de Roma. [42] Ainda é difícil fazer algo além de especular sobre como, exatamente, isto irá acontecer. Contudo, creio que este fenômeno continuará a evoluir e o futuro responderá às nossas perguntas, conforme vai se desenrolando.

Fogo em Apocalipse 13

Apocalipse 13:13,14: “E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens. E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia.”

O que podemos ter certeza é que o fogo de Apocalipse 13, que une o protestantismo e o prepara para unir-se a Roma não pode ser outro poder além do poderoso movimento do pentecostalismo no seio da cristandade. Esta conclusão pode justificar-se pelos seguintes argumentos:

  1. Um espírito falso dirige o pentecostalismo
  2. Isto pode ser exemplificado pela reticência deste movimento a seguir e obedecer a verdade.
  3. Devido a isto, o pentecostalismo é uma mistura de meias verdades e falsidades, dependendo de uma “experiência”, ao invés da “experiência imbuída na verdade”.
  4. O pentecostalismo é uma experiência religiosa e assim, por causa disto, pode ser vista como “proveniente do céu”.
  5. Todas as três ondas do pentecostalismo se baseiam no milagroso, em lugar da verdade, para legitimar suas posições. [43]
  6. A influência do pentecostalismo no cristianismo é profunda e devastadora – ele é verdadeiramente um fenômeno mundial.
  7. O cristianismo tem sido unido através da prática pentecostal. [44]
  8. Todas as objeções e diferenças doutrinárias anteriores estão sendo atualmente desprezadas ou removidas, para concordar com o poder do fenômeno pentecostal.
  9. Como o movimento pentecostal é dirigido pelo espírito (falso), é baseado no fogo (falso).
  10. É um movimento dirigido pelo fogo que está levando as pessoas para longe da verdade e, portanto, para longe de Deus.
  11. Devido a todos os itens anteriores, pode-se dizer com segurança que o pentecostalismo é o fogo que engana todo o mundo e leva o protestantismo aos braços de Roma.

Uma Observação Importante

Neste ponto devemos notar que isto não teria sido possível se a igreja cristã tivesse reconhecido e praticado a verdade, conforme esta se encontra na Bíblia. O protestantismo rejeitou o princípio da Sola Scriptura. O fato de que ele desobedece abertamente as verdades da Bíblia [45] deixou a igreja totalmente aberta ao pentecostalismo. O Espírito é forçado a se afastar diante da desobediência, a Bíblia é rejeitada como fonte de verdade [46] e a igreja cristã cai diante do engano de um movimento impulsionado por um fogo de boa aparência e dirigido por Satanás.

É provavelmente inevitável que o adventismo na Austrália seja apanhado por este engano dos últimos dias, considerando a enorme influência que o pentecostalismo tem sido capaz de exercer sobre toda a amplitude das diversas correntes do cristianismo. Contudo, isto não é justificável. De todos os movimentos cristãos, é o adventismo que deveria ter sido o mais imune. Temos um maravilhoso discernimento das profecias, juntamente com o conselho do ministério de Ellen White. É espantoso que tenhamos sido levados tão facilmente.

A Ameaça do Pentecostalismo Para o Adventismo

A ameaça do pentecostalismo para o Adventismo não tem paralelo em seu perigo. A seguir estão alguns dos perigos que este movimento dirigido pelo “espírito” apresenta:

1. Perda de Identidade – Ao abraçar o movimento pentecostal, o adventismo está perdendo a sua identidade espiritual e doutrinária. Nossa “experiência de adoração” é a mesma de qualquer outra denominação ou igreja. Por causa disto, muitos do nosso povo (especialmente os jovens) estão nos abandonando, em busca de “uma experiência de adoração melhor” – uma experiência pentecostal, em uma igreja que adora aos domingos.

2. Falsa Adoração – Milhares de nossos jovens (e outros) estão adorando ao som das fortes batidas da música rock. Juntamente com luzes coloridas piscantes e dança, as cenas da adoração no tempo do fim (em nossas igrejas), profetizada por Ellen White há quase 100 anos atrás estão se tornando verdadeiras nesta geração. [47]

3. Ecumenismo – A experiência compartilhada de adoração está fazendo com que seja mais fácil para o adventista se identificar com as outras denominações. Pelo fato de que a experiência da adoração tornou-se tão central, a doutrina se torna sem importância. Frequentemente ela é vista como sendo nada mais do que uma divisão irritante. Em muitos casos não está mais em moda nem á permitido concentrar-se em doutrinas distintivas que possam causar desunião e desarmonia com outras denominações cristãs. O sábado, o santuário, a marca da besta e outras crenças adventistas distintivas estão, em muitos lugares, se tornando um constrangimento. A unidade que o adventismo agora compartilha com a maioria das outras religiões cristãs através da experiência de adoração pentecostal está cultivando uma pressão sobre essas doutrinas distintivas e sobre aqueles que as promovem. Conforme perdemos a nossa peculiaridade doutrinária, juntamente com nossa abordagem de adoração única, o adventismo corre o risco de ser tragado pela onde ecumênica do “sinta-se bem”, que está varrendo a cristandade.

4. Perda de Espiritualidade – E espiritualidade vem de experimentar e estar com Deus. Devido ao espírito por trás do pentecostalismo não ser de Deus, a espiritualidade real, na presença deste falso espírito, diminuirá em vez de aumentar. É por esta razão que vemos a crescente introdução de “coisas do mundo” [48] na adoração corporativa pentecostal (e protestante).

5. Perda de Dízimos e Ofertas – Paralelamente ao advento do pentecostalismo há a perda real de dízimos e ofertas. Isto tem ocorrido predominantemente por dois fatores:

i. Membros descontentes estão enviando seus dízimos e ofertas para ministérios independentes, que se opõe às tendências pentecostais. [49]

ii. A perda de espiritualidade através do pentecostalismo está trazendo consigo uma falta de comprometimento. Isto pode ser visto na perda massiva de receita que a igreja adventista está experimentando atualmente. Muitos membros já não vêem no ato adventista de ofertar, qualquer coisa de distintiva ou única e, portanto, não praticam o oferta sacrifical em nível algum. É a minha opinião que, até que reconheçamos este fato e permitamos que Deus nos limpe deste fenômeno que grassa em nossa igreja, continuaremos a ver as entradas provenientes dos dízimos e ofertas diminuir.

6. Perda de Membros – A igreja adventista na Austrália continua a perder membros em grande escala. Muitas igrejas locais estão fechando as suas portas. Onde anteriormente o adventismo cresceu vigorosamente, agora está debilitado ou, tragicamente, não existe. Creio que o forte impulso pentecostal de muitas igrejas e cultos de adoração é diretamente responsável pela maior parte das apostasias e abandonos que enfrentamos agora. As pessoas não conseguem mais falar de uma experiência única com Deus, baseada em Sua Palavra. Sem esta prática, os problemas, provas e desafios da vida estão nos varrendo para fora da igreja e da mensagem.

O Que Podemos Fazer?

1. Ame – A batalha do pentecostalismo sobre a igreja adventista é feroz. Amizades são perdidas e famílias se dividem. Este é o comportamento do anti-cristo. Deus é amor (I João 4:8). Não existe lugar, na experiência dos cristãos, para animosidade, impaciência ou aborrecimento com os outros – não importa quais possam ser seus pontos de vista. Como adventistas, devemos amar-nos uns aos outros. É o nosso amor de uns para com os outros que confirma nosso amor por Deus e estabelece irrefutavelmente nossa pretensão de cristianismo. Se mão amamos nossos irmãos e irmãs, então não amamos a Deus (I João 4:20,21). São necessários sabedoria e amor inspirados por Deus para sermos capazes de discutir estas questões – discordar – e continuar amando. Se não amamos, então podemos até estar teologicamente certos (ou errados) e, ainda assim, perder tudo.

2. Respeite – Nesta discussão precisamos continuar a respeitar-nos uns aos outros e aos nossos diferentes pontos de vista. Mesmo quando a discussão está acirrada e a discórdia é intensa, Deus exige que nos tratemos com respeito e paciência. Não há espaço para rudezas, arrogância, ou atitudes condescendentes. Isto aumenta os mal-entendidos e as tensões, tornando mais difícil chegarmos conclusões progressivas e frutíferas.

3. Silêncio – Se o espírito de amor e respeito não está presente, então, às vezes, é melhor manter silêncio.

4. Oração – Ambos os lados da discussão precisam orar – sozinhos e uns com os outros. A oração é um dos meios que Deus usará para unir Sua igreja e resolver esta discussão. [50]

5. Recorra à Bíblia – Somos a igreja da Bíblia. Este livro deve ser estudado e também obedecido, se visamos a continuação da uma igreja adventista forte, livre das influências do pentecostalismo.

6. Ellen White – Os escritos de Ellen White possuem uma quantidade poderosa de material acerca deste assunto. Se ela é a mensageira de Deus para a Sua igreja dos últimos dias, então certamente é o tempo de começarmos a reconhecer e creditar autoridade aos seus escritos. Se houvéssemos considerado seus conselhos sobre este assunto nunca teríamos nos encontrado nesta confusão inescapável!

7. Tenha uma Relação com Deus – É muito difícil chegar a uma conclusão satisfatória neste assunto quando todas as partes envolvidas não estão totalmente comprometidas com Jesus. Quando ambas as partes na discussão se dedicam a um caminhar diário com Deus, encontrarão a vontade de Deus, Contudo, se ambos, ou uma das partes, está fora do Reino de Deus, então tensão, conflitos e hostilidade normalmente ocorrerão.

8. Seja relevante na adoração corporativa – Não há desculpa para que a igreja fique nos anos 1950 ou 60. A adoração deve ser relevante. Relevância não é pentecostalismo. Deveríamos nos esforçar continuamente para alcançar o público e nossos membros com uma linguagem que eles compreendam, embora não cruzemos os limites dados por Deus, conforme delineados na Bíblia e no Espírito de Profecia.

Nossa música deve ser vibrante e entusiasta. O culto de adoração deveria ser bem planejado e ter o seu foco na honra a Deus. Uma boa adoração também é uma adoração inclusiva. Tanto os jovens quanto os de mais idade, juntamente com suas famílias deve ser ativamente envolvidos. A Bíblia deveria ser a base de nossa pregação e estudo durante os cultos de adoração aos sábados. O entretenimento deve ser evitado, e temos que fazer a nossa parte, trazendo o Espírito Santo CONOSCO, conforme vimos adorar a Deus a cada sábado.

Enquanto nos esforçamos para experimentarmos a adoração em um contexto relevante, também é muito importante nos lembrar e incorporar tudo o que é positivo do passado. A verdadeira adoração que honra a Deus incluirá aquilo que é bom do passado, enquanto integra o que é apropriado do presente.

A resistência da igreja fiel aos projetores de vídeo, retro-projetores e outras ferramentas tecnológicas é tola. Esta tolice inclui a proibição desnecessária aos instrumentos musicais. [51] São os músicos, e não os instrumentos, que escolhem enaltecer ou desonrar a Deus.

O movimento pentecostal no adventismo australiano usa todos os veículos que pode para promover a sua mensagem irrestrita. Quando for possível e apropriado, nossa igreja deveria usar os veículos e as formas [52] do século 21 para encorajar uma adoração bela, que enalteça e honre a Deus.

9. Reconheça que os nossos jovens [53] são diferentes das gerações mais idosas da igreja – eles frequentemente não usam gravatas e paletós. Sua linguagem e seus interesses são diferentes. [54] às vezes suas abordagens com relação à vida, a Deus e à adoração são diferentes das expectativas e práticas de alguns da igreja mais idosa. [55] Porém, muitos dos nossos jovens amam a Jesus. Eles estão buscando a Deus. Precisamos encorajá-los na verdade, ao invés dos costumes e tradições do NOSSO passado. [56]

10. Resista – Deveríamos resistir ao pentecostalismo no adventismo. Isto deve ser feito de maneira ordenada, através dos meios apropriados.

A resistência deveria (na maioria dos casos) ser interna (através das comissões da igreja e reuniões administrativas, sessões da Associação, União, Divisão e Conferência Geral). Deveríamos falar com nossos anciãos da igreja, pastores, administradores das associações, líderes, etc. a respeito de nossas preocupações. Quando nada parece dar resultado, devemos continuar falando, continuar escrevendo e continuar orando – NUNCA, JAMAIS DESISTIR.

Nossa resistência deve ser longa e perseverante. Deve ser paciente e gentil. Deveríamos tentar apresentar a verdade de uma forma clara e precisa. Quando nos apresentamos diante da comissão ou em uma reunião administrativa, nossa abordagem deve ser bem fundamentada, racional e confiável. Em todos os momentos devemos sustentar a causa com o espírito manso de Jesus permeando as nossas próprias vidas.

Quando os fiéis continuam a experimentar o fracasso e a rejeição em seus esforços para fazer avançar a verdade nesta assunto, então deveriam reunir-se para oração. Reúnam-se nas casas uns dos outros, e tragam a presença do Todo-poderoso sobre a igreja e seus líderes. Permitam que Ele mude o que você não pode mudar. Creio que esta é a forma mais elegante de resistência na qual cada um de nós pode participar.

Opções que Podemos Tomar

Sou um pastor que acredita na mensagem adventista do sétimo dia em sua plenitude. Às vezes enfrento forte oposição; contudo, em 15 anos, nunca tive que deixar a igreja para permanecer fiel. Estou pregando a Palavra verdadeira em uma das maiores igrejas da Divisão Sul do Pacífico. Não estou tendo qualquer problema significativo por parte de nenhum dos irmãos ou líderes de nossa Divisão, União ou Associação da igreja. Creio que há espaço no adventismo para praticarmos e pregarmos uma caminhada fiel com Jesus sem influências pentecostais.

As pessoas que consideram que a única opção para fazer a igreja “progredir” é iniciar ou unir-se a um ministério independente infiel, não fazem nada além de participar de uma organização que não tem simpatia para com a causa da igreja e, finalmente, para com Deus.

Se freqüentamos uma igreja que continua a participar da práticas infiéis, existem outras opções que podemos tomar:

  1. Encontre uma igreja fiel
  2. Funde uma nova igreja, através dos canais apropriados.
  3. Permaneça na igreja infiel orando, falando e movimentando-se por mudanças. Creio que mais dos nossos membros fiéis precisam permanecer em nossas igrejas infiéis. Tais pessoas são o sal, a luz sobre a colina – através de quem Deus provocará um reavivamento pelo qual todos anelamos. A força de nosso relacionamento com Cristo deveria estar em nossa comunhão particular – a maioria de nós deveria ter maturidade espiritual suficiente para permanecer em uma igreja adventista infiel, que pratica uma adoração pentecostal, enquanto gentilmente encorajamos a verdadeira adoração! (Apesar do fato de que às vezes somos criticados, demonizados, mal-compreendidos, condenados ao ostracismo e difamados.)

I. Aceite a liderança da igreja conforme Deus estabeleceu. Às vezes os líderes são fiéis e outras vezes deixam a desejar. Contudo, Deus os colocou nestas posições! Ele estabelece e derruba líderes ao Seu próprio tempo e de Sua própria maneira. Deus fez isto nas Escrituras e continua a fazer na igreja de hoje. Devemos fazer tudo o que pudermos para manter a pureza espiritual na igreja e então devemos nos apoiar em Deus. Ele é o Pai da igreja. Ele está no controle. Precisamos exercer paciência e aprender a observar enquanto Ele opera maravilhosamente com a igreja e sua liderança.

Nunca deveríamos nos esquecer do exemplo de Davi em seu tratamento para com Saul – o rei infiel de Israel. Por palavra ou por atos Davi recusou-se a ferir o ungido de Deus. Esta deve ser a nossa atitude.

Estou convencido de que possuímos muitos líderes que amam a Jesus, são fiéis, e estão fazendo a coisa certa por Deus e por Sua igreja. Nossa percepção sobre eles é frequentemente temperada por mal-entendidos e ignorância sobre o que eles têm feito e o que estão fazendo. Creio que a igreja de Deus deveria estar orando diariamente para que Deus favoreça os líderes e pastores com sabedoria, coragem e graça. Certamente que eles precisam do apoio de nossas orações nos tempos atuais de apostasia, confusão e temor.

Quando os líderes são infiéis devemos falar com eles, devemos orar por eles, e então, falar claramente nas comissões de nomeação (que indicam nossos líderes) com intrepidez e amor (quando somos nós quem os apontamos.)

II. Evite extremos – Isto inclui extremos no estilo de vida e na prática cristã. As 27 [atualmente 28] crenças fundamentais representam o adventismo. Estas grandes verdades bíblicas deveriam ser o fundamento teológico da nossa fé e prática. Cada crença fundamental está enraizada em Jesus e na Bíblia!

Causa dano à causa de Cristo quando a igreja se apega a atitudes que não estão enraizadas na Palavra. A insistência em utilizar unicamente uma versão da Bíblia (N.T. – A versão King James, no caso do autor, Almeida no caso brasileiro) [57], a oposição desnecessária e sem sentido à tecnologia moderna, [58] a insistência em certas formas de vestimenta [59] a escravidão obstinada a uma certa estrutura no culto de adoração; [60] tudo isto é uma vantagem nas mãos de Satanás e daqueles que andam pelo caminho pentecostal. Nossos jovens (e outros) vêem corretamente estas atitudes como hipócritas e anti-escriturísticas. Devemos ser vistos como pessoas de mente aberta, que podem analisar corretamente a palavra da verdade. Vamos em frente quando pudermos, façamos avançar o evangelho por todos os meios apropriados, e permaneçamos firmes quando o pecado e o engano buscam adentrar nas santas portas da igreja de Deus.

Conclusão

O pentecostalismo apresenta um perigo extremo para a igreja adventista do sétimo dia. Esta é uma batalha escatológica para o povo de Deus. Não tenho certeza de quanto dano a igreja poderá suportar nesta batalha. Porém, creio que no momento estamos perdendo milhares e milhares de jovens preciosos para esta apostasia. Oro para que possamos, através da graça de Deus, navegar através desta tempestade – porém, estou profundamente preocupado. Por causa disso, gostaria de terminar este artigo com um desafio e um chamado:

1. Líderes da Igreja – Tenha certeza de seu chamado. Você está onde está porque Deus o colocou ali. Em sua vida e em seu ministério Deus tem visto qualidades que Ele quer usar – é por isto que você é um líder. Seja fiel a este chamado. Conscientize-se de seu potencial e seja aquilo que Deus quer que você seja. Seja forte e corajoso e assuma uma posição por Deus e pela verdade A QUALQUER CUSTO!

Analise e ore sobre este fenômeno. Permita que Deus o dirija através da sua experiência diária com Ele em Sua Palavra e em oração. Quando se convencer – AJA!

Proteja a igreja, conforme Deus o chamou a fazer. Permaneça firme, seja um homem ou uma mulher de coragem, veja o mal e o engano como eles são, guie-nos para fora desta apostasia e, pela graça de Deus, traga a igreja de volta para Deus.

Existem milhares e milhares de nós no seio da igreja que o apoiarão se você assumir uma posição. Acima de tudo, você terá o apoio de Deus. Com Ele, você nunca irá perder. Nós te amamos e estamos orando por você – por favor, guie-nos!

2. Membros da igreja – Ore por vossos anciãos, pastores e presidentes. Resista a esta apostasia como puder, em sua pequena esfera de influência. Seja um cristão de equilíbrio e razão. Não assuma suas posições nas tradições do passado, mas sim na verdade atemporal da Palavra de Deus – ore por sabedoria para saber a diferença.

Acima de tudo continue a amar incondicionalmente aos outros. Se perdermos isto, perdemos tudo. Se mantivermos isto, ganharemos a eternidade.


Oração

Querido Deus

Abençoa os nossos líderes e dá-lhes sabedoria, força e coragem. Dá-nos sabedoria para compreender a verdade. Lembra-Te da Tua igreja e salva-nos em nossa hora de necessidade. Que possamos glorificar e honrar a TI em um mundo que está em trevas e perdido. Por favor, não nos abandone, perdoa-nos e ouve as orações que elevamos a Ti.

Em nome de Jesus,

Amém!


Sinta-se à vontade para manter contato comigo por e-mail. Meu endereço eletrônico é [email protected] [N.T. – As mensagens devem ser em inglês]


Notas

[*] – Quando o autor fala da Austrália, está falando da realidade que ele conhece. Porém, todas as questões abordadas neste artigo podem ser extrapoladas para qualquer outro país do mundo, guardadas as devidas contextualizações locais. (Nota do Tradutor)

[1]. Creio que o formalismo e a tradição que pode ser encontrada em muitas igrejas adventistas conservadoras é um fenômeno recente. Meu avô, um ministro durante os anos da primeira metade do século 20, costumava falar sobre uma igreja vibrante e crescente. Muitos pregadores do passado que ainda vivem falam de uma igreja imensamente diferente da igreja tradicional na qual alguns adoram hoje.

[2]. Veja o estudo recente e continuado dos teólogos do Colégio Avondale, Rob McIver e Steve Currow sobre o dízimo – suas conclusões gerais são que o dízimo real está diminuindo a uma taxa alarmante.

[3]. Muitas igrejas, tanto em cidades como no interior, que anteriormente vicejavam, perderam tantos membros que estão sendo forçadas a fechar e deixar de existir.

[4]. Na Missão do Pacífico e Nova Guiné mas de 50 pastores ficaram em trabalho somente em 2003. Isto sem contar centenas e centenas de professores, pastores e obreiros da igreja que perderam seus empregos nos campos missionários da Divisão do Pacífico Sul nos últimos 5 ou 10 anos.

[5]. Não se pode negar que nossos jovens estão nos abandonando em proporções epidêmicas, quando é feita uma análise honesta de nossa real situação.

[6]. A igreja Hillsong (uma igreja pentecostal em Sydney) tem uma freqüência de mais de 12.000 pessoas a cada final de semana. Seu orçamento anual para obras de caridade é de mais de 400 mil dólares. No ano passado, suas ofertas ultrapassaram 10 milhões e suas livrarias venderam mais de 8 milhões de dólares de livros e música. Eles compraram centros médicos e sua Faculdade de Bíblia tem mais de 1.700 alunos de meio período e de tempo integral. Esta igreja tem mais de 200 funcionários, incluindo 70 pastores. O prédio da igreja vale mais de 25 milhões. Eles tem mais de cinco câmaras de televisão e seus programas são transmitidos em mais de 80 países. (Fonte do material: “Good Weekend, 25 de Janeiro, 2003”)

[7]. O neo-pentecostalismo não está fortemente baseado nas línguas, riso santo e curas de fé. Estes elementos estão presentes apenas de uma forma limitada. Os excessos do pentecostalismo tradicional são frequentemente criticados pelos neo-pentecostais. O neo-pentecostalismo está mais baseado na Bíblia do que seu parente pestecostal da velha guarda, com suas palmas, falar em línguas e curas miraculosas. Com estes elementos extremos no seu armário dos fundos, o movimento neo-pentecostal viu que seria mais fácil ganhar aceitação nas denominações protestantes tradicionais. Contudo, o neo-pentecostalismo ainda é uma experiência religiosa fortemente baseada no experimental, em vez de uma religião baseada na verdade. Uma das razões pelas quais este movimento é tão perigoso para o adventismo do sétimo dia é que a apostasia está mais próxima da verdade e mais difícil de ser reconhecida. Neste artigo, o neo-pentecostalismo é o movimento que está sob discussão.

[8]. Minha experiência é semelhante a de centenas de outras pessoas com as quais tenho falado através dos anos. Em uma classe de cerca de 30 jovens adventistas na academia da Escola Secundária Adventista, há monos de cinco deles que ainda estão servindo ao Senhor como adventistas do sétimo dia. Veja a tua própria igreja – para onde foram todos os jovens dos últimos vinte e cinco anos? Quantos ainda estão servindo ao Senhor? Muitos de vocês concluirão que a resposta é amedrontadora.

[9]. Apocalipse 13:1-10:

1 Vi uma besta que saía do mar. Tinha dez chifres e sete cabeças, com dez coroas, uma sobre cada chifre, e em cada cabeça um nome de blasfêmia.
2 A besta que vi era semelhante a um leopardo, mas tinha pés como os de urso e boca como a de leão. O dragão deu à besta o seu poder, o seu trono e grande autoridade.
3 Uma das cabeças da besta parecia ter sofrido um ferimento mortal, mas o ferimento mortal foi curado. Todo o mundo ficou maravilhado e seguiu a besta.
4 Adoraram o dragão, que tinha dado autoridade à besta, e também adoraram a besta, dizendo: “Quem é como a besta? Quem pode guerrear contra ela?”
5 À besta foi dada uma boca para falar palavras arrogantes e blasfemas, e lhe foi dada autoridade para agir durante quarenta e dois meses.
6 Ela abriu a boca para blasfemar contra Deus e amaldiçoar o seu nome e o seu tabernáculo, os que habitam nos céus.
7 Foi-lhe dado poder para guerrear contra os santos e vencê-los. Foi-lhe dada autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação.
8 Todos os habitantes da terra adorarão a besta, a saber, todos aqueles que não tiveram seus nomes escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a criação do mundo.
9 Aquele que tem ouvidos ouça:
10 Se alguém há de ir para o cativeiro, para o cativeiro irá. Se alguém há de ser morto à espada, morto à espada haverá de ser. Aqui estão a perseverança e a fidelidade dos santos. (NVI)

[10]. Apocalipse 13:11-17:

11 Então vi outra besta que saía da terra, com dois chifres como cordeiro, mas que falava como dragão.
12 Exercia toda a autoridade da primeira besta, em nome dela, e fazia a terra e seus habitantes adorarem a primeira besta, cujo ferimento mortal havia sido curado.
13 E realizava grandes sinais, chegando a fazer descer fogo do céu à terra, à vista dos homens.
14 Por causa dos sinais que lhe foi permitido realizar em nome da primeira besta, ela enganou os habitantes da terra. Ordenou-lhes que fizessem uma imagem em honra à besta que fora ferida pela espada e contudo revivera.
15 Foi-lhe dado poder para dar fôlego à imagem da primeira besta, de modo que ela podia falar e fazer que fossem mortos todos os que se recusassem a adorar a imagem.
16 Também obrigou todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca na mão direita ou na testa,
17 para que ninguém pudesse comprar nem vender, a não ser quem tivesse a marca, que é o nome da besta ou o número do seu nome. (NVI)

[11]. Textos em itálico acrescentados.

[12]. No website da igreja Hillsong (uma grande igreja pentecostal australiana), sob o título “O que cremos”, está uma descrição dos princípios básicos de sua fé. Sua estrutura de crenças, conforme descritas na internet, poderia ser a estrutura de crenças de qualquer igreja adventista no mundo. Veja: http://hillsong.com/vision

[13]. Êxodo 20 é uma compilação resumida da lei de Deus – os Dez Mandamentos

[14]. Apocalipse 19:10 identifica o “testemunho de Jesus” como sendo o “Espírito de Profecia”. II Pedro 1:19-21 esclarece o “Espírito de Profecia” como sendo a Escritura. II Timóteo 3:16 reforça a autoridade e a veracidade de toda a Escritura.

[15]. O sábado é o próprio cerne de uma caminhada com Deus. Foi divinamente planejado para que o cristão genuíno passe um tempo com um Deus pessoal em um relacionamento íntimo. Este é um dia de adoração e comunhão com Ele. É o princípio central do cristianismo, assim como é o tema central de uma relação genuína com Jesus. Refutar abertamente esta doutrina, como o movimento pentecostal faz, é questionar o princípio fundamental, conforme estabelecido na Bíblia, para um relacionamento com Ele, ou seja, estudo da Bíblia, oração e o sábado – as três colunas para um relacionamento bem sucedido com Deus. Veja Gênesis 2:1-3; Êxodo 20:8-11; Lucas 4:16; Isaías 66:22, 23.

[16]. A maioria dos grupos pentecostais rejeitam a Segunda Vinda literal de Jesus, escolhendo acreditar em vez disso, no arrebatamento secreto. Para um breve resumo das crenças pentecostais, siga o link http://experts.about.com/q/2256/1864929.htm; veja o item 13

[17]. A compreensão errônea que a maioria dos pentecostais tem acerca da imortalidade da alma deixa este movimento vulnerável ao ocultismo. Se nós nunca morremos, então é possível que tenhamos contato com nosso entes queridos que morreram!

[18]. Os cristãos crêem que o batismo do Espírito Santo não pode ocorre de forma separada da conversão, e isto é evidenciado por qualquer um ou por todos os dons do Espírito – incluindo o dom de línguas. Veja I Coríntios 12 e 13, juntamente com Mateus 3:1-12. http://experts.about.com/q/2256/1864929.htm; veja os itens 7 e 8.

[19]. http://experts.about.com/q/2256/1864929.htm; veja o item 14. A Bíblia ensina claramente, em Apocalipse 19-22 que Cristo virá, retornará para o céu com os santos por 1000 anos e então restabelecerá Seu reino na terra por toda a eternidade.

[20]. Veja http://www.rapidnet.com/~jbeard/bdm/Psychology/char/abrief.htm

[21]. O termo “terceira onda” foi cunhado pela primeira vez por C. Peter Wagner em 1983: “Vejo historicamente que estamos agora na terceira onda. A primeira onda do movimento do Espírito Santo começou no início do século com o movimento pentecostal. A segunda onda foi o movimento carismático que começou nos anos 50 nas principais denominações. Estas duas ondas continuam até hoje.”

Vejo a terceira onda dos anos 80 como uma abertura dos evangélicos da linha estrita e outros cristãos à obra sobrenatural do Espírito Santo, que os pentecostais e carismáticos experimentaram, mas sem tornar-se nem carismático nem pentecostal. Penso que estamos em uma nova onda de algo que tem durado agora praticamente por todo nosso século” (Peter Wagner, “The Third Wave?” (A Terceira Onda?) PastoralRenewal, Julho-Agosto de 1983, pp. 1-5).

Este movimento também é conhecido como Movimento Sinais e Maravilhas e o Movimento Vineyard. Tem sido um movimento de rápido crescimento, atraindo adesões tanto das igrejas carismáticas quanto das não-carismáticas. O movimento enfatiza o “evangelismo do poder”, onde o evangelho é explanado e demonstrado através de sinais e maravilhas sobrenaturais.

Há três líderes importantes neste movimento: (1) John Wimber, provavelmente a figura central do movimento. Foi o fundador da igreja do movimento Vineyard, depois de sair do movimento da Capela do Calvário de Chuck Smith, e ensinou com C. Peter Wagner no Seminário Fuller. O curso era intitulado “Sinais, Maravilhas e o Crescimento da Igreja”. (2) C. Peter Wagner, professor da Escola de Missões Mundiais Seminário Fuller, onde ensinou juntamente com John Wimber. (3) Paul Cain, um influente “profeta dos tempos modernos”, um discípulo de William Branham, a quem Cain chamou de “o maior curador pela fé de todos os tempos” e “o maior profeta de todos os tempos”. Branham era aum falso profeta herético, que sustentava pontos de vista equivocados acerca da Divindade e da Trindade.

No movimento Sinais e Maravilhas, é possível encontrar o falar em línguas, mas o dom de línguas não é tão enfatizado quanto no movimento pentecostal ou carismático. O movimento Sinais e Maravilhas (movimento Vineyard) enfatiza o dom de profecia (insistindo na importância dos profetas dos tempos modernos) e o dom de curas. (Adaptado de um documento do Pastor George Zeller, ministro da The Middletown Bible Church, intitulado “The Charismatic Movement: 35 Doctrinal Issues” (O Movimento Carismático: 35 Questões Doutrinárias). Veja http://www.rapidnet.com/~jbeard/bdm/Psychology/char/35.htm (vale a pena ler).

[22]. É claro que isto não é a mesma coisa que dizer que os crentes pentecostais individualmente não possuem o Espírito Santo. É o sistema do pentecostalismo que está em discussão, e não a caminhada individual dos cristãos com Jesus.

[23]. Quando o pentecostalismo começou a se desenvolver no início do século 20, a música alta, dominada por tambores e ruídos era usada para incitar os adoradores a experiências espirituais estáticas. É por isto que Ellen White falou contra tais excessos. Veja Mensagens Escolhidas vol. 2, p. 36

[24]. Você poderá receber meu artigo “A Música Rock e a Igreja Cristã”, enviando-me um e-mail [em inglês] para [email protected]. O artigo será enviado imediatamente. [Este artigo pode ser encontrado traduzido para o Português em A Música Rock Cristã na Igreja Adventista (Nota dos Editores do Música sacra e Adoração)]

[25]. Estamos fracos e debilitados porque nossos jovens são os que foram comissionados por Deus para terminar a obra. Eles são os que mais têm sido impactados pela abordagem pentecostal. Quando se submergem na experiência pentecostal, torna-se quase impossível para eles ter um relacionamento autêntico com Jesus Cristo. O Espírito Santo não está presente em muitos de nossos programas de jovens, ao serem chamados para se entregarem, a um compromisso total e para um serviço altruísta. O uso do culto de adoração baseado na carne, enquanto nossos jovens são chamados para Jesus, faz com que o Espírito Santo fuja. É somente através de uma andar genuíno com o Salvador que os jovens encontrarão o poder do Espírito Santo, necessário para terminar a obra. Isto não acontecerá e não pode acontecer enquanto continuarmos a submergir e afogar nossos jovens no Pentecostalismo.

[26]. A seguinte declaração sobre a abordagem de Willow Creek (igreja contemporânea em Chicago que atrai mais de 20.000 pessoas todos os domingos) ilustra minha opinião: “o investimento de Willow Creek na música contemporânea e drama evita, estrategicamente, a confiança usual na palavra pregada”. How to Reach Secular People (Como Alcançar as Pessoas Seculares), p.152

[27]. Em um recente Camporee de Desbravadores testemunhei o falecimento da hora do sermão. Cada programa da tarde foi precedido por uma produção de teatro de uma hora de duração. Na conclusão do drama, quando o pregador se levantou para falar, centenas de desbravadores juntamente com seus líderes se dispersaram para fora do anfiteatro, deixando o mensageiro de Deus com muito poucos desbravadores para quem falar.

[28]. Se você mora na Austrália, pode validar por si mesmo essa afirmação. Vá a qualquer reunião de jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia, nas barracas dos acampamentos de jovens e adolescentes ou a um dos muitos acampamentos de verão que a igreja realiza. Descobrirá que em quase cada situação, o modelo pentecostal descrito é o que está sendo usado por nossos Departamentos de Jovens das Associações, União e Divisão. Espera-se que muitas das igrejas locais seguirão o exemplo, já que a organização da igreja é que determina o passo na direção e estilo de culto na Austrália. Que tenham escolhido, em sua maioria, a abordagem pentecostal, deveria ser preocupante! [N.T. – No Brasil a situação não é diferente]

[29]. How To Reach Secular People(Como Alcançar as Pessoas Seculares), p. 153

[30]. II Timóteo 4:2

[31]. Esta é uma experiência sensorial induzida pela música rock, luzes estroboscópicas, excitação e barulho. Freqüentemente isto leva a falar em línguas, profetizar e curas – mesmo entre os adventistas. O que torna estes fenômenos tão perturbadores é que não estão alicerçados na verdade, mas sim num espírito que nem sustenta, nem pratica a verdade. O Espírito Santo se moverá pelo falar em línguas, profecias e curas, mas somente quando os canais para tais fenômenos miraculosos estiverem praticando e promovendo a verdade. Então veremos a verdadeira obra do Espírito Santo e experimentaremos o verdadeiro fruto!

[32]. Veja os 3 links abaixo:
http://www.traditioninaction.org/HotTopics/d002ht.htm;
http://www.woosterbaptisttemple.org/embrace.html;
http://www.logosresourcepages.org/Positions/charismatic.htm

[33]. Isto se confirma pelo número crescente de igrejas protestantes e católicas que aceitam e praticam a abordagem pentecostal no culto de adoração.

[34]. Itálicos acrescentados

[35]. Veja: http://hirr.hartsem.edu/research/quick_question32.html

[36]. A Srta. Paloma é autora do estudo “O Espírito me Fez Ir”. Veja-o em http://hirr.hartsem.edu/research/pentecostalism_polomaart1.html

[37]. Veja http://www.nsw.youthalive.org.au/events.htm;

[38]. Muitos programas de jovens adventistas na Austrália são indistinguíveis daqueles feitos por pentecostais.

[39]. Veja https://www.parachutemusic.com/

[40]. Uma grande igreja pentecostal localizada no opulento cinturão bíblico a noroeste de Sydney.

[41]. Veja http://www.hillsong.com/conferences/colour/bin/view.pl?sitename=colourconference&page=index&showcolourconference=true.

[42]. Creio que a falsa obra de um espírito (das trevas) no Pentecostalismo tem em sua base no poder do oculto. Devido a isto vemos fenômenos espirituais perturbadores tais como – falar em línguas, gargalhadas guturais, falsos milagres, etc. Estou neste momento reunindo material para outro artigo sobre este aspecto do Pentecostalismo.

[43]. O Neo-Pentecostalismo depende das profecias e visões – às vezes em curas e raramente no falar em línguas ou milagres.

[44]. Incluindo algo do Adventismo.

[45]. A corrente principal do cristianismo rejeita, em sua maioria, as verdades do Sábado, Juízo Investigativo, a Mensagem de Saúde, a Segunda Vinda, o Estado dos Mortos, o Juízo Vindouro, a Criação, etc.

[46]. Por isso, temas como o homossexualismo, o aborto, etc. são temas do cristianismo.

[47]. Veja Mensagens Escolhidas, vol. 2, p. 36

[48]. A música rock, a dança, as luzes estroboscópicas, as longas peças teatrais, etc.

[49]. Todos os dízimos devem entrar nas salvas da igreja corporativa. Os Ministérios Independentes de apoio não aceitam o dízimo. 3ABN, A Voz da Profecia, Carter INC., Amazing Facts – todos eles são exemplos de ministérios independentes que não aceitam o dízimo, e, ainda assim, estão crescendo através de doações generosas dos leigos! Eles têm uma influência poderosa na missão e na espiritualidade da igreja na América. Ainda espero encontrar alguém que possa montar uma defesa bem-sucedida acerca de ficar com os dízimos para apoiar um ministério independente. Não existe absolutamente nenhum exemplo bíblico de alguma ordem judaica para ficar com os dízimos que correspondiam ao sacerdócio levítico – que a propósito, freqüentemente, eram infiéis!

[50]. Certas partes da Igreja Adventista têm descido tanto no caminho do pentecostalismo que provavelmente só a oração intercessora dos santos fiéis de Deus poderá trazê-los de volta.

[51]. Tenho encontrado muita dificuldade em incorporar a bateria no culto. Ela inevitavelmente tem ficado cada vez mais barulhenta até o ponto de se tornar incontrolável. Por causa disso, optei por deixá-la fora dos serviços de culto nos quais tenho influência – e encorajo a outros a fazerem o mesmo.

[52]. Os projetores de vídeo, retroprojetores, etc.

[53]. É a nossa juventude a mais afetada pela pressão Pentecostal sobre o Adventismo.

[54]. Não deveríamos excluir os jovens de participarem ou liderarem em cargos, por causa de seu vestuário contemporâneo ou de linguagem juvenil.

[55]. Às vezes, os jovens cometem erros ao dirigir o culto de adoração. Eles deveriam ser tratados com mansidão e guiados com amor.

[56]. Embora as expectativas do culto de adoração de nossos jovens possam ser divergentes da igreja tradicional, isto não é um ingresso de portas abertas para a abordagem pentecostal. Da mesma forma, os costumes e tradições da igreja tradicional (a ordem do culto, o uso apenas de hinos, só a utilização de piano e órgão na música, só paletó e gravata na igreja, nenhum apoio tecnológico), podem ser um estorvo para que nossa juventude encontre a Jesus. Tanto as gerações antigas quanto os mais jovens precisam respeitar a expectativa um do outro e, num espírito de humildade e reverência, trabalharem juntos para descobrirem um culto corporativo que abençoe a todos e honre a Deus!

[57]. Eu amo esta bela tradução antiga, contudo ela não é a única que Deus pode usar. É pecado impedir que a Palavra de Deus alcance as pessoas num idioma vernacular moderno – foi isto que o catolicismo tentou fazer na Idade Média. Agradeçamos a Deus por haver tantas traduções precisas que possam abençoar as pessoas em seu idioma.

[58]. Usemos os projetores de vídeo, computadores e qualquer outra coisa que ajude a elevar bem alto a Jesus, honrar Sua causa e compartilhar Sua mensagem.

[59]. Paletó e gravata não são a única forma apropriada de vestuário para os homens, em sua adoração a Deus. Há com certeza mais espaço para as mulheres referente a vestuário do que saia abaixo do joelho e blusas com mangas.

[60]. Deus é um Deus de criatividade. Nós não precisamos ficar atrelados a apenas três hinos, uma oração, seguido pelas ofertas e sermão. Não há nada de errado com esta abordagem, mas retirar essas barreiras, enquanto aderimos aos princípios do culto de adoração expressos na Bíblia e no Espírito de Profecia, é bom e apropriado.


Lloyd Grolimund ( [email protected] ) é pastor da Igreja Adventista do Sétimo Dia de Wahroonga em Sydney, Austrália


Fonte: Newsletters Nrs. 110 e 114, publicadas pelo Dr. Samuele Bacchiocchi e disponíveis no espaço virtual http://www.biblicalperspectives.com

Traduzido por Levi de Paula Tavares e Mauro Brandão em Janeiro/2008


Tags: , ,