Como Literalmente Enxergar o Som: Vídeo

Artigos Diversos e Curiosidades Musicais — 15 de maio de 2014 5:00 am

por: Jéssica Maes (HypeScience)

Estamos acostumados a pensar em nossos cinco sentidos – visão, audição, olfato, tato e paladar – de uma maneira bem separada um do outro. Mas e se fosse possível enxergar um estímulo sonoro, como seria?

Quando a luz passa por entre áreas que possuem diferentes densidades do ar, ela se curva. Você provavelmente já percebeu isso no jeito como pontos distantes no asfalto parecem brilhar em um dia quente e ensolarado, ou na forma como estrelas parecem cintilar. O que você vê nesses casos é a luz sendo distorcida enquanto passa por densidades diferentes do ar, que são, por sua vez, criadas por temperaturas e pressões distintas.

Em meados do século 19, o físico alemão August Toepler inventou uma técnica de fotografia chamada Visualização de Fluxo de Schlieren, capaz de captar e registrar visualmente estas mudanças na densidade. O processo em si é um pouco difícil de explicar em palavras (o vídeo abaixo possui uma explicação bem completa), mas permite que os cientistas e engenheiros consigam enxergar coisas que normalmente são invisíveis para nós: como o calor subindo da chama de uma vela, a turbulência em torno da asa de um avião ou o alcance de um espirro.

O mesmo esquema também pode ser usado para ver o som. Afinal de contas, o som é apenas mais uma mudança na densidade do ar – uma onda de compressão que se move. Um alto-falante empurra o ar ao seu redor, criando uma onda que viaja pelo ar até encontrar os seus tímpanos.

Desta forma, o Fluxo de Visualização de Schlieren pode ser usado para “ver” o som. Uma vez que as ondas sonoras viajam extremamente rápido (aproximadamente 340 metros por segundo, ou 1.225 quilômetros por hora), é necessário fazer uso de uma câmera de alta velocidade para captar a passagem destas ondas. Michael Hargather, professor de Engenharia Mecânica da Universidade de New Mexico Tech, nos Estados Unidos, utiliza essa abordagem para estudar a onda de choque causada por explosivos. Ele já produziu vídeos por meio desta técnica com praticamente tudo, desde fogos de artifício até carros-bomba. Porém, Harhather também filmou ondas de choque mais benignas, como a queda de um livro sobre uma mesa, a ponta de uma toalha sendo estalada ou um homem batendo palmas.

Você pode assistir a todos esses experimentos no vídeo abaixo. Para ativar as legendas em português, clique no botão “legendas ocultas”, no lado inferior direito da tela. No lugar de “inglês”, selecione “traduzir legendas” e, logo após, “português”. A tradução das legendas está boa e deixa o vídeo bem compreensível. [NPR]



Fonte: HypeScience


Tags: ,