Aula 8 – Acompanhamento Dinâmico

por: autor desconhecido [*]

Vimos até aqui, acompanhamentos melódicos onde as notas eram estáticas, enquanto somente a melodia se movimentava. Mas é importante saber que é possível criar um acompanhamento onde a melodia funcione como uma melodia paralela ao canto principal, que hora figura em uníssono hora harmonizada à duas, três ou quatro vozes. Chamaremos essa segunda melodia de contraponto.

No entanto para criarmos com perfeição e beleza estas melodias paralelas, precisamos conhecer certos pontos importantes.

  1. Que notas podem figurar nessa melodia
  2. Em que momentos devemos movimentar essa melodia
  3. Em que instrumentos elas funcionam melhor harmonizadas ou em uníssono.

Tudo isso veremos a partir de agora da forma mais simples possível.

Tomemos por base a seguinte melodia:

Passemos à sua cifragem

Vejamos como ficaria com um acompanhamento que se conduzisse como uma melodia paralela.

Agora excluamos a melodia principal e vejamos o que sobra como acompanhamento.

Note que com apenas este acompanhamento já se tem uma bela melodia, que poderia bem soar sozinha como um fragmento melódico de qualquer melodia.

Mas ela não foi concebida assim, já completa como está, foi criada a partir de simples seqüências de notas reais do acorde em questão naquele momento.

Pensemos numa harmonia:

Agora criemos uma seqüência simples de notas reais dos acordes de momento:

Vamos agora variar seus valores para não ficarem monótonas quanto ao ritmo:

Note que as notas que serviram de ponto de partida para a criação desta melodia continuam presentes, apenas com valores diferentes.

Vamos agora harmonizar a melodia, porem apenas em alguns pontos:

Agora vamos juntar novamente com uma suposta melodia sob a qual esta harmonia fora criada.

Note que nem havíamos criado a melodia no entanto, ainda assim, a harmonização parece ter sido feita para esta melodia.

Agora finalmente vamos visualizar esta harmonização depois de orquestrada para um pequeno grupo.

Perceba que todas as vozes se movimentam e ao mesmo tempo não sufocam a melodia, que dobrada em outro instrumento, transita totalmente transparente em meio ao acompanhamento.


[*] – Nota: Os editores do Música Sacra e Adoração não localizaram informações acerca do autor deste artigo. Qualquer contribuição acerca desta informação será bem-vinda.


Fonte: http://pt.scribd.com


Aula Anterior

Próxima Aula