Muito Açúcar Pode Provocar a Surdez

por: Daniela Vianna
Folha de S.Paulo – 30/09/2001 – 12h07

Vertigens, sensibilidade a sons altos e zumbido nos ouvidos, principalmente em pessoas com histórico familiar de diabetes, também são sinais de que algo pode estar errado no aparelho auditivo.

O alerta é do otorrinolaringologista Yotaka Fukuda, chefe do setor de Otologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Segundo ele, a ingestão de muito açúcar libera grande quantidade de insulina, hormônio que afeta a estrutura chamada estria vascular, localizada na cóclea [um órgão em forma de espiral, cheio de líquido”.

É na cóclea que a energia mecânica da emissão de sons se transforma em energia elétrica para informar ao cérebro o que eles significam. Esse trabalho é feito por meio da vibração das células ciliares (com cílios). O excesso de insulina faz com que parte da cóclea inche, pelo mau funcionamento da estria vascular, impedindo a ação das células ciliares.

Se o problema for descoberto a tempo, a simples dosagem de insulina no organismo pode solucioná-lo. Mas, se o inchaço ocorrer por muito tempo, as células ciliares podem ser destruídas, provocando a surdez.

“Geralmente o problema começa a aparecer por volta dos 25 anos, quando a pessoa começa a ter uma vida sedentária. Aumento rápido de peso é sinal que a insulina está agindo rápido”, afirmou. Fukuda disse que as mulheres são mais afetadas, na proporção dois para um. “Se não trata, as crises de tontura podem se agravar, acentuadas por perdas auditivas flutuantes, podendo chegar à surdez”, alertou.

O otorrinolaringologista Ricardo Ferreira Bento, chefe do Grupo de Ouvido da Faculdade de Medicina da USP, confirmou que problemas metabólicos podem afetar a audição, mas disse que os casos são raros.

A surdez total ou avançada atinge uma em cada mil pessoas no Brasil e as causas são as mais variadas. A maioria dos casos de surdez parcial pode ser revertida por meio de tratamentos cirúrgicos e médicos (remédios, em caso de infecções) ou colocação de aparelhos auditivos (amplificadores de som), que funcionam como os óculos nos casos de problemas de visão.

No caso das crianças pequenas, a atenção deve ser redobrada, porque elas não conseguem expressar que estão perdendo a audição. Doenças como meningite, medicamentos tóxicos (como antibióticos à base de aminoglicosídios) e rubéola materna podem provocar surdez infantil.

“Há um mito de que nada se pode fazer para curar a surdez. A grande maioria das pessoas pode ser ajudada”, afirmou Bento.


Fonte: http://www1.folha.uol.com.br