Estudos Bíblicos: Adoração – Lição 08 – Conformidade, Concessão e Crise na Adoração

Comentários do Pr. Albino Marks


Texto Central: “Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal”. (Hebreus 5:14)


Sábado
Introdução

“Quanto a vós, guardai as minhas leis e os meus costumes, e não pratiqueis nenhuma dessas abominações: nem o nativo, nem o migrante que mora entre vós”.– Lv 18:26 – Tradução Ecumênica da Bíblia.

Esta foi a clara orientação de Deus para os filhos de Israel, antes de possuírem a terra prometida. Nenhum costume da cultura dos povos que habitavam Canaã devia ser aceito pelos israelitas, nem pelos gentios que se converteram ao verdadeiro Deus e aceitaram a salvação no Redentor prometido.“Guardai as minhas leis e os meus costumes”. Nenhuma porta é deixada aberta para misturar as duas culturas: A que é dada por Deus e a que vem do mundo dominado pelo inimigo.

Como saber, no mundo em que vivemos o que é o certo e o que é errado? As condições são bastante complicadas. Deus diz que nas culturas mundanas, ao mal chamam bem e ao bem chamam mal. Como estabelecer a diferença e saber o que é aceito por Deus e o que é rejeitado?
Deus não deixa esta questão importante sem dar as devidas orientações. Diz Ele: à lei e o testemunho – à instrução e à advertência. Em Sua Palavra estabelece princípios bem definidos sobre o certo e o errado, sobre o que deve ser aceito e o que deve ser rejeitado. Suas orientações abrangem toda a conduta espiritual, incluindo a adoração.

Paulo declara que o discernimento entre o bem e o mal, requer maturidade espiritual. É preciso encontrar prazer no saborear alimentos sólidos, verdades espirituais fundamentadas em um claro e definido assim diz o Senhor. Se as concessões são perigosas em qualquer área, elas são devastadoras quando envolvem princípios espirituais de conduta.

Pense: “Portanto guardareis a obrigação que tendes para comigo, não praticando nenhum dos costumes abomináveis que se praticaram antes de vós, e não vos contamineis com eles. Eu sou o Senhor vosso Deus”.– Lv 18:30 – Almeida Revista e Atualizada

Desafio: “Satanás tentou destruir a igreja nascente nos tempos apostólicos. Seus métodos naquele tempo eram os mesmos de sempre:… tentativas de limitar o papel da palavra de Deus na vida da igreja”.– Lição da Escola Sabatina. 1o t. 2002, pág. 138 – Pfs.


Domingo
Aos Olhos de Deus
(Gênesis 6:5; Deuteronômio 12:8; Deuteronômio 13:18; Jeremias 17:5-9; João 2:25; Romanos 3:9-12)

“Busquem o bem, não o mal, para que tenham vida. Então o Senhor, o Deus dos Exércitos, estará com vocês, conforme vocês afirmam”.– Am 5:14 – Nova Versão Internacional.

No Éden, a vida estava relacionada com a prática do bem. O bem estava relacionado com a expressão da vontade de Deus. Enquanto o homem, criado à semelhança de Deus, vivesse em harmonia com a expressão da vontade de Deus, ele receberia vida da fonte de vida que é a fonte do bem. Se praticassem o mal, declarou-lhes Deus:“certamente morrereis”.

Logo, buscar o bem, que é a proposta do profeta Amós para o povo de Israel, encontra seu antítipo no relacionamento que Adão e Eva mantinham com Deus no jardim do Éden, antes de sua desobediência.

Por meio do profeta Amós, Deus faz o apelo: Busquem a Mim – Lembra Betel, Gilgal, Berseba. (Am 5:5) Foram locais de grandes encontros com Deus. Locais de adoração. Mas estavam transformados em lugares de idolatria e rejeição de Deus. Satanás corrompera a mente dos adoradores e eles adoravam a seu modo.

O Evangelho é o poder de Deus para mudar o caráter, a conduta e a cultura, implantando o bem e destruindo o mal. A cultura do mal não pode conviver com o Evangelho do Bem. Não é possível servir a dois senhores: o Evangelho do Bem e a cultura do mal. Ainda que algumas práticas da cultura local possam ser aceitas, mas elas devem ser moldadas pela cultura de Deus

Para Israel, o Senhor deixou orientações bem definidas:“Observai as minhas leis e os meus costumes: é pondo-os em prática que o homem tem a vida. Eu sou o Senhor”.– Lv 18:5 – Tradução Ecumênica da Bíblia.

Pense: “Vocês não agirão como estamos agindo aqui, cada um fazendo o que bem entende”.– Dt 12:8 – Nova Versão Internacional.

Desafio: “E vocês saberão que eu sou o Senhor, pois vocês não agiram segundo os meus decretos nem obedeceram às minhas leis, mas se conformaram aos padrões das nações ao seu redor”.– Ez 11:12 – Nova Versão Internacional.


Segunda-feira
A Arte (e o Mal) das Concessões
(I Reis 11:1-13)

Um dos exemplos mais significativos de conformidades e concessões na adoração encontramos em Salomão. Ele exaltou o nome de Deus na edificação do templo em Jerusalém, e na sua dedicação, a verdadeira adoração alcançou o seu clímax.

O plano da salvação como uma dádiva da graça de Deus, inundava o coração dos israelitas e o brilho dessa glória deslumbrava a todos os povos. A rainha de Sabá quando compreendeu o significado da mensagem do“holocausto que oferecia na Casa do Senhor ficou como fora de si”.– 1Rs 10:5 – Almeida Revista e Atualizada.

Salomão uniu-se a centenas de mulheres estrangeiras em movimentos políticos, e para agradar estas mulheres construiu lugares de adoração a seus deuses. (1Re 121:1-8) Ellen G. White comenta:“Para satisfazer suas esposas colocou enormes ídolos – desproporcionadas imagens de madeira e pedra – entre as alamedas de murta e oliveiras”.– Profetas e Reis, pág. 57.

Estas mulheres“o induziram a voltar-se para outros deuses, e o seu coração já não era totalmente dedicado ao Senhor, o seu Deus”. –1Re 11:4 – Nova Versão Internacional.

Jesus declarou para a mulher samaritana:“Os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade”.– Jo 4:23 -Nova Versão Internacional.

Para adorar desta maneira correta e obter satisfação plena, é preciso compreender estas duas condições básicas: adorar em espírito e em verdade. Em espírito, significa que o trivial desta terra, o banal e transitório, cederá lugar para a compreensão e a vivência dos planos de Deus. Em verdade, é a adoração totalmente isenta de toda a especulação humana e aceitação submissa de toda a vontade e orientação divina. A adoração genuína será expressa em reverente e respeitoso amor a Quem adoramos.

Pense: “Se, porém, cedessem uma vez à tentação, sua natureza se tornaria tão depravada que não teriam em si poder nem disposição para resistir a Satanás”.– Patriarcas e Profetas, pág. 45.

Desafio: “O Senhor diz: ‘Este povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A adoração que me prestam é feita só de regras ensinadas por homens'”.– Is 29:13 – Nova Versão Internacional.


Terça-feira
Falsa Adoração
(I Reis 12:25-33)

Depois do cisma, Jeroboão, temeu que o povo voltando para as festas espirituais em Jerusalém, se voltaria também para submeter-se ao poder político de Judá. Para evitar que isso acontecesse, buscando o conselho de seus líderes, fez dois bezerros de ouro e os colocou um ao norte de seus limites e outro ao sul, na fronteira com Judá. Proclamou para seus súditos que estes eram os deuses que os tiraram do Egito.

O significativo desta trama está no que é declarado:“No décimo quinto dia do oitavo mês, data que ele mesmo escolheu, ofereceu sacrifícios no altar que havia erguido em Betel. Assim ele instituiu a festa para os israelitas”.1Rs 12:33 – Nova Versão Internacional.

Atente-se para o que é declarado:“Data que ele mesmo escolheu, no altar que havia erguido Assim ele instituiu a festa para os israelitas”.Todas as decisões e ações estão fundamentadas na iniciativa humana para estabelecer um sistema de adoração. Um falso sistema em contraposição àquilo que Deus determinara para adorá-lO em harmonia com a Sua vontade.

Assim aconteceu através dos tempos e acontece hoje. Satanás corrompe a mente do ser humano e o induz a criar sistemas de adoração. Alguns mais ousados, como os vários sistemas do paganismo, outros mais sutis, como os diferentes ramos do cristianismo.

João declara:“Todo o mundo ficou maravilhado e seguiu a besta. Adoraram, o dragão, que tinha dado autoridade à besta, e também adoraram a besta”.Ap 13:3 e 4 – Nova Versão Internacional.

Além dos muitos sistemas de adoração, o diabo criou um similar ao verdadeiro e assim, consegue o que não conseguiu com Jesus.

Adoramos nós de maneira correta ou teríamos distorções falsas?

Pense: “Foi-lhe dado poder para dar fôlego à imagem da primeira besta, de modo que ela podia falar e fazer que fossem mortos os que se recusassem a adorar a imagem”.Ap 13:15 – Nova Versão Internacional.

Desafio: “Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas”.– Ap 14:7 – Nova Versão Internacional.


Quarta-feira
Elias e os Profetas de Baal
(I Reis 18)

Encontramos em Israel dos dias de Acabe um exemplo clássico de conformidade e concessões. A cultura pagã foi introduzida na adoração com sabores de divina. Os altares e sacrifícios foram mantidos, mas o cerimonial invocava deuses falsos. Elias fez a intrigante pergunta:“Até quando vocês vão oscilar para um lado e para outro?”– 1Rs 18:21.

Hoje o diabo usa dois métodos para limitar o papel da Palavra de Deus: Culturas e ciências. Descobriu-se que as culturas são o terreno neutro no grande conflito cósmico. As idéias e os costumes culturais são puramente humanistas e, portanto, não sofrem a influência e ação de Satanás para o mal e para atos pecaminosos. Como tais, não são objeto da transformadora graça, influência e ação do Espírito Santo, atuando com o poder do evangelho no sentido de interferir nas idéias e costumes culturais para operar mudanças.

Já tornou-se prática invocar a dádiva da liberdade de escolha. Como Deus concedeu a liberdade de escolha, faz-se uma simbiose da cultura com a Palavra de Deus, e dependendo das circunstâncias vive-se uma ou outra.

Estas idéias, de maneira muito sutil, militam dentro da igreja e atuam no sentido de limitar a Palavra e o poder de Deus. Para os líderes judeus que tentaram transferir a conduta humanista de sua cultura para a cultura do Reino de Deus, Jesus declarou enfaticamente:“Estais no erro, porque não conheceis nem as Escrituras nem o poder de Deus”.– Mt 22:29 – Tradução Ecumênica da Bíblia.

Quando Jesus Cristo é aceito como o Senhor no coração, Ele também se torna Senhor da vontade, do caráter. Paulo declarou:“Com Cristo eu sou um crucificado; vivo, mas não sou mais eu, é Cristo que vive em mim”.– Gl 2:19 e 20 – Tradução Ecumênica da Bíblia.

Pense: “Elias dirigiu-se ao povo e disse: ‘Até quando vocês vão oscilar para um lado e para outro? Se o Senhor é Deus, sigam-no; mas, se Baal é Deus, sigam-no’. O povo, porém, nada respondeu”– 1Rs 18:21 – Nova Versão Internacional

Desafio: “Quando o povo viu tudo isso, todos caíram prostrados e gritaram: ‘O Senhor é Deus! O Senhor é Deus!'”– 1Rs 18:39 – Nova Versão Internacional.


Quinta-feira
A Mensagem de Elias
(Malaquias 3:16-18; Malaquias 4:1-6)

Elias confrontou Israel com a magna questão: A quem vocês estão adorando? Vocês sabem a quem adoram? Ele propôs para o povo:“‘O deus que responder por meio do fogo, esse é Deus’. Então todo o povo disse: ‘O que você disse é bom'”.– 1Rs 18:24 – Nova Versão Internacional.

O teste foi feito e nenhum questionamento poderia ser levantado. Todo o povo viu quem é Deus e a diferença entre aquele que adora a Deus e aquele não O adora. Enquanto a falsa adoração era regida pelos sentimentos com manifestações as mais estranhas, o verdadeiro adorador apresentou-se na simplicidade de um amigo que conhece Aquele à quem adora.

Elias invocou o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Deus revelou-se para os patriarcas como o Deus Todo-Poderoso. Os patriarcas reconheceram-nO como“o Deus Altíssimo, Criador dos céus e da terra”.– Gn 14:22. Esse é o único que merece adoração. Os outros deuses, ou são criaturas, ou são fabricados pelo próprio homem.

Esta grande questão da adoração, do confronto entre os verdadeiros adoradores e os falsos, mais uma vez terá o seu monte Carmelo. As mensagens dos três anjos são o chamado de Elias para cada ser humano tomar a sua decisão, deixando de oscilar de um lado para outro.

A adoração é definida pela obediência. Ou adoramos e obedecemos ao Deus criador, ou adoramos e nos submetemos à besta, o Baal moderno. Tal como nos dias de Elias, os falsos adoradores serão destruídos. De que lado estaremos nós, quando todos tiverem que decidir a quem adoram?

Pense: “Então vocês verão novamente a diferença entre o justo e o ímpio, entre os que servem a Deus e os que não o servem”.– Ml 3:18 – Nova Versão Internacional.

Desafio: “Aqui está a perseverança dos santos que obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus”.– Ap 14:12 – Nova Versão Internacional.


Sexta-feira
Estudo Adicional

Paulo declara que é preciso ter as“faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal”.– Hb 5:14.

Dentro desse contexto, o que é o bem? O bem é tudo o que Deus é. Amor, justiça, misericórdia, clemência, santidade, pureza, lealdade, fidelidade, retidão… .

Em oposição ao bem, o que é o mal? O mal é tudo o que Satanás é: Ódio, injustiça, maldade, impureza, imoralidade, torpeza, infidelidade, deslealdade, egoísmo, orgulho, vaidade… .

Acima de tudo, Deus é vida. Alguém, separado de Deus, tem realmente vida, mesmo estando vivo? Jesus declarou:“Deixe os mortos, enterrar os seus mortos”.Como dizendo: quem não conhece Deus, não está vivo.

Busquem o Deus Criador; que fez os astros, o mar, a terra. Busquem Jeováh, o Deus do amor e da justiça, que destrói o orgulho e lança ao pó o eu. Busquem o Deus da graça e do perdão. O Deus que transforma a vida e o caráter, devolvendo-lhe a Sua semelhança. Adorem esse Deus, porque é o único que merece a nossa adoração.

Quem aceita a Jesus como Salvador é trabalhado pelo Espírito Santo para uma completa transformação do caráter, aceitando o bem que vem de Deus e rejeitando o mal que tem origem com Satanás. Quando Jesus foi tentado pelo diabo para transferir a adoração que pertence a Deus, para ele em um processo de barganha, Jesus expulsou-o de Sua presença.

A adoração verdadeira não se fundamenta em barganha, mas em um relacionamento de amor e de escolha. Escolhemos o bem porque amamos Aquele que é o Bem. Jesus declarou:“Não há ninguém que seja bom, a não ser somente Deus”.– Lc 18:19 – Nova Versão Internacional.

Pense: “Ora, a vida eterna é que eles te conheçam a Ti, o único verdadeiro Deus, e àquele que enviaste, Jesus Cristo”.– João 17:3 – Tradução Ecumênica da Bíblia.

Desafio:“Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam”.– Hb 11:6 – Nova Versão Internacional.


Fonte: http://www.escolanoar.org.br


Índice Geral por Tema

Índice Geral por Autor