Louvor e Adoração

por: Pr. Otoniel F. Menezes[1]

Salmo 150:
1 Aleluia! Louvem a Deus no seu santuário, louvem-no em seu magnífico firmamento.
2 Louvem-no pelos seus feitos poderosos, louvem-no segundo a imensidão de sua grandeza!
3 Louvem-no ao som de trombeta, louvem-no com a lira e a harpa,
4 louvem-no com tamborins e danças, louvem-no com instrumentos de cordas e com flautas,
5 louvem-no com címbalos sonoros, louvem-no com címbalos ressonantes.
6 Tudo o que tem vida louve o Senhor! Aleluia!

João 4:
23 No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura.
24 Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.

Vamos agora fazer uma meditação séria e profunda sobre estes textos que você acabou de ler? O Salmo 150 fala de louvor.

O que é Louvor? De acordo com o Aurélio, louvar é exaltar, enaltecer, glorificar, aplaudir, bendizer… Exaltar é tornar alto, elevar, erguer, celebrar, engrandecer

Louvor é isso. É festa. É alegria. É regozijo. É exaltação. É comemoração de tudo o que Deus fez por nós. É demonstração de gratidão a Deus pelas grandes coisas que ele fez, faz e ainda fará.

[Já os versos de] João 4:23,24 falam de adoração.

Voltemos ao Aurélio:

Adoração é:ato de adorar, culto, reverência, veneração. Adorar é render culto; reverenciar, venerar; amar extremosamente, idolatrar.

Reverenciar é tratar com reverência, venerar, honrar; obedecer; acatar, respeitar. Reverência é respeito marcado pelo temor ao que é sagrado.

Em espírito é mentalmente; em idéia; em pensamento; sem participação do corpo. Em verdade é conforme a verdade; verdadeiramente; na realidade; de verdade; na verdade

Vamos examinar minuciosamente isso?

Por quê Devemos Louvar a Deus?

  • Por sua majestade. (Salmos 96:1)
  • Por sua glória. (Salmos 138:5)
  • Por suas excelências. (Salmos 148:13)
  • Por sua grandeza. (Salmos 145:3)
  • Por sua bondade. (Salmos 107:8)
  • Por sua misericórdia. (Salmos 89:1)
  • Por sua longanimidade e veracidade. (Salmos 138:2)
  • Por sua salvação. (Salmos 18:6)
  • Por suas maravilhosas obras. (Salmos 89:5)
  • Por suas consolações. (Salmos 42:10)
  • Por seus juízos. (Salmos 101:1)
  • Por seus conselhos eternos. (Salmos 16:7)
  • Porque ele perdoa o pecado. (Salmos 103:1-3)
  • Por sua proteção. (Salmos 71:6)
  • Por seu livramento. (Salmos 40:1-3)
  • Por sua resposta às orações. (Salmos 28:6)

Por quê Adorar a Deus?

Por tudo que o louvamos, e:

  • Porque ele é Digno. (Salmos 18:3)
  • Porque ele é Justo. (Salmos 145:17)
  • Porque ele é Santo. (Salmos 99:9)
  • Porque ele é Soberano. (I Timóteo 6:15)
  • Porque ele é Absoluto. [(Salmos 135:5)]
  • Porque ele é DEUS. [(Isaías 44:10; 45:6)]
  • Porque ele é Deus e não há outro. [(Isaías 43:10-13)]

Quem Louva e Adora a Deus?

  • Os anjos (Salmos 103:20)
  • Os santos (Salmos 30:4)
  • Os gentios (Salmos 117:1)
  • Os filhos de Deus (Salmos 8:2)
  • Os exaltados e os humildes Jovens e idosos (Salmos 148:1-11)
  • Todos os seres humanos (Salmos 107:8)

Como Devemos Louvar e Adorar a Deus?

Devemos entender que ninguém louva ou adora a Deus por vontade própria. É Deus quem escolhe e elege seus adoradores. Adorar é a razão primordial e mais profunda do seu relacionamento pessoal com Deus. E em todo relacionamento entre Deus e o homem, a iniciativa parte sempre de Deus.

Como ajoelhar-se ou prestar submissão envolvem o aspecto humano, as raízes da adoração bíblica devem ser procuradas não nas emoções humanas, mas no relacionamento divinamente estabelecido entre Deus e o homem. Que emoções e reações humanas estão envolvidas no ato de adoração, é algo inegável, naturalmente. Admiração, temor, gratidão e amor são emoções que devem ser experimentadas na adoração. O que se deve ressaltar, porém, é que elas não constituem a essência da adoração.

Biblicamente, o começo da adoração está em Deus e não no homem. Está em quem deve ser adorado e não no adorador.

Deus declara sobre si mesmo, na Bíblia, como o Deus vivo que existe de eternidade a eternidade; que criou o mundo, que criou o homem à sua imagem e se pôs em posição de relacionamento com ele. Deus julga as falhas humanas e salva o homem dos seus pecados. Deus controla o destino do homem. Deus diz o que o homem pode e o que o homem não pode fazer.

Se a adoração envolve amor, é o amor a Deus. Se há admiração, essa admiração é a admiração a Deus. Se há louvor, é o louvor a Deus. Se a adoração é uma reação humana, trata-se de uma reação do homem ao Deus vivo que se fez conhecido do homem através de suas obras, de suas palavras e de seu Filho Jesus Cristo, que se fez homem e se deu a si mesmo como sacrifício definitivo capaz de reatar a relação do homem com Deus (rompida pelo pecado) e restabelecer no homem a condição para a qual ele foi criado. [Devemos adorar a Deus] por isso: Porque Jesus esteve aqui.

Porque Jesus morreu por nós e se fez caminho,elo, jeito e condição definitiva de ligação entre o homem e Deus, é que na antigüidade

Deus era adorado através da oração, dos sacrifícios, nas festividades religiosas, no tabernáculo, na arca da aliança, no sábado (que era guardado como sinal de adoração a Deus em memorial da criação), no templo, nas sinagogas e através dos mais diversos simbolismos que o homem utilizava para demonstrar respeito, amor, honra e adoração a Deus; e hoje, nós adoramos a Deus Pai, na figura do Filho, através da atuação do Espírito Santo em nós.

Adorar e louvar, [portanto, são diferentes, por isso] é preciso distinguir a tênue característica que diferencia uma coisa da outra. É uma questão de postura: uma para louvar e outra diferente para adorar.

Louvor é festa. Adoração é reverência.
Louvor é júbilo. Adoração é respeito.
Louvor é regozijo. Adoração é contrição.

Na hora do louvor é hora de festejar a Deus pelos seus grandes feitos. Na hora da adoração, é hora de postar-se diante da maior autoridade que existe, que era, que é e que há de vir. É hora de prostrar-se diante do Rei dos Reis, do Senhor dos Senhores, do Deus de toda a terra e se fazer contrito, humilde, silencioso e atento para ouvir o que ELE tem para falar. É hora de reverenciá-lo. É hora de cultuá-lo. É hora de ouvir.

Louvar é celebrar com júbilo. Adorar é prostrar-se diante do Pai em espírito e em verdade.

Quando Deus mandou construir um templo para si, ele determinou que cada detalhe fosse feito exatamente do jeito que ele queria. Ele determinou o tamanho do pátio, do átrio, do altar e do lugar santíssimo. Determinou as medidas das portas, das janelas, das cortinas, dos adornos, tudo…

Ele cuidou de cada detalhe. As figuras e os fatos do Antigo Testamento, sempre simbolizavam o que seria o Novo Testamento. A antiga aliança retratava a nova aliança. Abraão oferecendo Isaque em sacrifício era uma antevisão do sacrifício de Jesus no Calvário. O cordeiro oferecido por Deus em lugar de Isaque era a demonstração clara de que Deus providenciaria o Cordeiro definitivo para ser sacrificado no lugar do homem. Deus não determinou cada detalhe do templo e como seriam feitas as coisas dentro desse templo, por acaso. Ele expressou exatamente o que ele queria e ainda quer.

A grande diferença é que na antiga aliança Deus exigia que o homem fizesse no plano físico tudo o que era necessário à propiciação e à adoração e havia uma barreira intransponível entre Deus e o homem. Havia o véu do templo. Só o sumo sacerdote, uma vez por ano, podia ir ao lugar santíssimo levar as reivindicações do povo e trazer a resposta de Deus.

Pois bem… Jesus veio. Rasgou o véu do templo. Religou o homem a Deus. Resgatou o homem para Deus. E restabeleceu o relacionamento livre entre o homem e Deus. Ele fez mais que isso. Ele instituiu a Nova Aliança entre Deus e o homem. E uma aliança para ser nova, tinha que ter alguma coisa diferente da antiga. E a diferença está exatamente aí.

Se a Antiga Aliança continha várias formas de relacionamento com Deus no plano físico, na Nova Aliança, esse relacionamento se transporta totalmente e se sublima no plano espiritual. Samuel já antevia isso quando disse: “Eis que o obedecer é melhor do que sacrificar, e o atender melhor do que a gordura de carneiros.” (I Samuel 15:22), salientando claramente que a atitude interna é muito mais importante que a atitude externa durante o culto, o louvor e a adoração.

É nessa Nova Aliança que, nesse relacionamento espiritual com Deus, que o Espírito Santo te transforma em TEMPLO. E nesse templo tem o átrio, tem o lugar santo e o lugar santíssimo. Por analogia, quando você louva, canta hinos que exaltam, enaltecem e glorificam a Deus, você está no átrio… Você caminha para o lugar santo quando apresenta a Deus a sua oferta de sacrifício e gratidão pelo que Ele fez, faz pessoalmente por você. Enquanto está no átrio e no altar, você dá testemunho e agradece ao Pai por todas as coisas, canta hinos que exaltam e hinos de gratidão a Deus.

Caminhando ainda nesse templo… não existe mais o véu da separação e você pode entrar no lugar santíssimo e chegar bem de frente ao Pai e prostrar-se diante dele, declarar seu amor a Ele, reverenciá-lo, adorá-lo e beijar a Sua face. É quando você canta os hinos nos quais você fala diretamente ao Pai, de frente para Ele. Como você deve estar internamente? Reverente, temente, humilde, contrito, em espírito e em verdade. Aí você estará pronto para ouvir o que Deus tem para falar com você.

Até agora, nesse caminhar no templo, você estava apenas se preparando para isso: Chegar diante do Pai!!! Prostrar-se diante dEle, adorá-lO e ouvi-lO. Se você realiza um culto a Deus e não consegue caminhar até o lugar santíssimo, você não realiza completamente esse culto. Você perde boa parte do seu tempo e não tem a chance de beijar a face do Papai do Céu.

Que você entenda e capte sinceramente o que Deus me incomodou para dizer a você. Que você aprenda a caminhar com desenvoltura dentro desse templo que está dentro de você mesmo e que você percorra sempre e cada vez mais o caminho que te leva à presença soberana do PAI CELESTE, ao lugar santíssimo, à sala do trono…

Em Espírito e em Verdade!

Que Deus te abençoe poderosamente !!!


Nota:

[1] As palavras entre [colchetes] são adições dos editores do Música Sacra e Adoração e não constam do artigo original.


Fonte: http://www.netgospel.com.br.