Alimentando a Mente

(Estudo da Escola Sabatina da IASD-MR do ano de 2002)

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12:2.

“É lei do espírito adaptar-se gradualmente aos assuntos de que é treinado a ocupar-se.” – Patriarchs and Prophets (Patriarcas e Profetas), pág. 596.

Estudo Adicional:

Mensagens aos Jovens, págs. 270-296.
O Lar Adventista, págs. 401-418, 493-530.

Guardando as Avenidas da Alma

1. Enquanto aguardamos a volta do Senhor, qual deve ser nossa atitude? Lucas 21:36.

Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas essas [coisas] que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do Homem. (Lucas 21:36 RC)

“Queridos jovens: Ao princípio do dia, não negligencieis, a oração fervorosa a Jesus, a fim de que vos sejam comunicadas força e graça para resistir às tentações do inimigo sob quaisquer formas que possam vir. Se orardes fervorosamente, com fé e contrição de alma, o Senhor vos ouvirá a oração. Porém, deveis vigiar tanto quanto orar.” – Messages to Young People (Mensagens aos Jovens), págs. 122 e 123.

2. Como devemos nos proteger contra a tentação? 1 Pedro 1:13.

Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, (1 Pedro 1:13 RC)

“Todos devem vigiar os sentidos para que Satanás não alcance vitória sobre eles, pois são as avenidas da alma.” – Testimonies, vol. 3, pág. 507.

“Se quiseres dominar a mente e impedir que vãos e corruptos pensamentos te manchem a alma, deves tornar-te fiel sentinela de teus olhos, ouvidos e todos os sentidos. Só o poder da graça pode realizar esta obra tão desejável.” – Idem, vol. 2, pág. 561.

“Em caso nenhum Satanás pode obter domínio sobre os pensamentos, palavras e ações, a menos que voluntariamente lhe abramos a porta e o convidemos a entrar. Então, ele entrará lançando fora a boa semente semeada no coração e tornando sem efeito a verdade.” – The Review and Herald, 11 de julho de 1893.

Diversão

3. De que maneira a escolha de literatura e música afeta a espiritualidade? Tito 1:15.

Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes, o seu entendimento e consciência estão contaminados. (Tito 1:15 RC)

“Os que não desejam cair presa dos enganos de Satanás, devem guardar bem as avenidas da alma. Precisam esquivar-se de ler, ver ou ouvir tudo quanto sugira pensamentos impuros. Não devem permitir que a mente se detenha ao acaso em cada assunto que o inimigo das almas possa sugerir. O coração deve ser fielmente guardado. De outra maneira os males externos despertarão os internos, e a alma vagará em trevas.” – The Acts of the Apostles (Atos dos Apóstolos), pág. 518.

4. Qual é a condição real dos que procuram se divertir? Jeremias 2:13.

Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas. (Jeremias 2:13 RC)

“Os caça-prazeres estão apenas bebendo em cisternas rotas, que não podem reter água.” – The Signs of the Times, 8 de abril de 1889.

“Os jovens consideram levianamente as solenes responsabilidades que sobre eles repousam. – Canções frívolas e peças de música popular do dia parecem compatíveis com seus gostos. Instrumentos de música têm tomado o tempo que devia ter sido dedicado à oração. A música, quando não abusiva, é grande bênção. Porém, quando empregada erroneamente, é maldição terrível.” – Testimonies, vol. 1, pág. 497.

“Com a imensa maré de material impresso a derramar-se constantemente do prelo, velhos e jovens formam o hábito da leitura apressada e superficial. A mente perde a capacidade do pensamento contínuo e vigoroso. Além disso, a participação abundante das revistas e livros que, à semelhança das rãs do Egito, se estão espalhando pela Terra, não é somente coisa banal, ociosa e enervante. É também impura e degradante. Seu efeito não consiste simplesmente em envenenar e arruinar o espírito, mas também em corromper e destruir a alma.” – Education (Educação), págs. 189 e 190.

5. Diante dessas coisas, que compromisso devemos assumir? Salmo 101:3.

Não porei coisa má diante dos meus olhos; aborreço as ações daqueles que se desviam; nada se me pegará. (Salmos 101:3 RC)

“Dizei firmemente: Não despenderei momentos preciosos em ler o que não terá proveito nenhum para mim, e que apenas me impedirá de ser útil a outros. Devotarei tempo e pensamentos em adquirir habilidade para o serviço de Deus. Fecharei meus olhos às coisas fúteis e pecaminosas.” – Testimonies, vol. 7, pág. 64.

Recreação versus Diversão

6. Que era requerido que Adão e Eva fizessem no Jardim do Éden? Gênesis 2:15. Como devemos aplicar este princípio na escolha de nossas atividades recreativas?

E tomou o SENHOR Deus o homem e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar. (Gênesis 2:15 RC)

“Enquanto procuramos refrigerar o espírito e revigorar o corpo, Deus requer que empreguemos em todos os tempos todas as nossas forças, para melhor propósito. Podemos e devemos dirigir nossas recreações de tal maneira que estejamos mais bem habilitados para o máximo êxito no desempenho dos deveres que sobre nós recaem, e para que seja benéfica nossa influência sobre os que nos rodeiam.” – Testimonies, vol. 2, pág. 586.

7. Qual é a diferença entre recreação e diversão?

“Há distinção entre recreação e diversão. Na verdadeira acepção do termo, recreação é recriação. Ela tende a fortalecer e construir. Afasta-nos dos cuidados e ocupações usuais e proporciona descanso ao espírito e ao corpo. Assim nos habilita a retomar com vigor renovado o trabalho intenso da vida. Por outro lado, a diversão é procurada com o fim de proporcionar prazer. Muitas vezes é levada ao excesso. Absorve as energias necessárias para o trabalho útil, e torna-se estorvo ao verdadeiro êxito da vida.” – Education (Educação), pág. 207.

8. Quais são algumas das diversões nocivas?

“Há diversões, como a dança, o jogo de cartas, damas, xadrez, etc., que não podemos aprovar porque o Céu os condena. Essas diversões abrem a porta para grande mal. Não possuem tendência benéfica, mas têm influência estimulante, produzindo em alguns a paixão por aqueles folguedos que levam à jogatina e dissipação.” – Testimonies, vol. 1, pág. 514.

“Por meio do teatro, [Satanás] tem operado durante séculos para despertar a paixão e glorificar o vício. A ópera com sua fascinante ostentação e música sedutora, o baile de máscaras, a dança, o jogo, Satanás os emprega para derribar as barreiras do princípio e abrir a porta à satisfação sensual.” – Patriarchs and Prophets (Patriarcas e Profetas), págs. 459 e 460.

“O verdadeiro cristão… não será encontrado no teatro, nem no salão de bilhar, nem no jogo de boliche. Não se unirá com os alegres valsistas, nem tolerará nenhum outro prazer sedutor que afaste de Cristo a mente.” – The Review and Herald, 28 de fevereiro de 1882.

Jogos e Esportes

9. Como Deus vê os jogos e os esportes? Provérbios 17:14 e 19; Tiago 3:16.

[Como] o soltar as águas, é o princípio da contenda; deixa por isso a porfia, antes que sejas envolvido. (Provérbios 17:14 RC)

O que ama a contenda ama a transgressão; o que alça a sua porta busca a ruína. (Provérbios 17:19 RC)

Porque, onde há inveja e espírito faccioso, aí [há] perturbação e toda obra perversa. (Tiago 3:16 RC)

“Algumas das diversões mais populares, como o futebol e o boxe, têm-se tornado escolas de brutalidade. Estão desenvolvendo as mesmas características que desenvolviam os jogos na Roma antiga. O amor ao domínio, o orgulho da força bruta, o descaso da vida, estão exercendo sobre a juventude poder desmoralizador que nos aterroriza.

“Outros jogos atléticos, embora não sejam tão embrutecedores, são pouco menos reprováveis, devido ao excesso com que são praticados. Estimulam o amor ao prazer (e agitação), alimentando assim o desinteresse pelo trabalho útil, a disposição de evitar os deveres práticos e as responsabilidades. Tendem a destruir a graça pelas sóbrias realidades da vida e seus prazeres tranqüilos. Desta maneira é aberta a porta para dissipação e desregramento, com seus terríveis resultados.” – Education (Educação), págs. 210 e 211.

“Não condeno o simples exercício de brincar com bola. Entretanto, mesmo este, em sua simplicidade, pode ser exagerado. Sempre estremeço diante do resultado quase certo que segue na trilha dessas diversões. Leva a dispêndio de meios que deveriam ser dedicados a levar a luz da verdade às almas que perecem longe de Cristo. Diversões e dispêndio de meios para satisfação própria, passo a passo levam à glorificação do ego. A educação nesses jogos com o fim de desfrutar prazer, produz por essas coisas amor e paixão desfavoráveis ao aperfeiçoamento do caráter cristão.” – Selected Messages (Mensagens Escolhidas), vol. 2, pág. 322.

10. Em lugar dessas diversões, que deve ser feito? Filipenses 2:3.

Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. (Filipenses 2:3 RC)

“Em lugar de prover diversões que apenas distraem, deve ser tomada providência para proporcionar exercícios produtivos e bons. Os alunos são enviados às nossas escolas a fim de receber educação que os habilite a sair como obreiros na Causa de Deus. Satanás quer levá-los a crer que as diversões são necessárias à saúde física. Entretanto, o Senhor declara que a melhor maneira de obtê-la é com exercício físico mediante o serviço manual, deixando que a ocupação útil tome o lugar do prazer egoísta.” – Counsels to Parents, Teachers, and Students (Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes), pág. 354.

Vida Devocional

11. Qual deve ser o alimento da nossa mente? Filipenses 4:8.

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. (Filipenses 4:8 RC)

“A leitura limpa e sã será para o espírito o que é para o corpo o alimento saudável. Assim, havereis de tornar-vos mais fortes para resistir à tentação, formar bons hábitos, e proceder conforme os princípios corretos.” – The Review and Herald, 26 de dezembro de 1882.

“A qualidade da mente é idêntica à do alimento do qual ela é nutrida. Existe apenas um remédio: tornar-se familiarizado com as Escrituras. No estudo da Bíblia jamais poderemos nos exceder.” – Manuscript Releases, vol. 6, pág. 260.

“Devemos disciplinar a mente para que pense em temas saudáveis. Não lhe permitamos demorar-se em coisas más. O salmista exclama: “Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a Tua face, Senhor, Rocha minha e Libertador meu!.” – The Review and Herald, 12 de junho de 1888.

12. Ao passarmos tempo em comunhão com o Senhor, que ocorrerá em nosso caráter? 2 Coríntios 3:18.

Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. (2 Coríntios 3:18 RC)

“Contemplando, seremos transformados. Ao meditarmos na perfeição do Modelo divino, desejaremos tornar-nos inteiramente transformados, e renovados na imagem de Sua pureza. Na alma haverá fome e sede de ser semelhante Àquele a quem adoramos. Quanto mais nossos pensamentos se demorarem em Cristo, tanto mais dEle falaremos a outros, e mais O representaremos diante do mundo.” – The SDA Bible Commentary [E. G. White Comments], vol. 3, pág. 1145.

Recapitulação e Reflexão

1. Contra que ataques aos nossos sentidos devemos estar precavidos?
2. Que princípios devem orientar nossa escolha de literatura, música e outros elementos da mídia?
3. Qual é a diferença entre recreação e diversão?
4. Que alternativas temos quanto a diversões inúteis?
5. Como podemos ter certeza de estar alimentando a mente da maneira adequada?


Fonte: Publicado originalmente em: http://www.asd-mr.org.br/sabatina/2002/trimestre03/lica05.htm