O Culto – Capítulo 26

por: Rev. Onézio Figueiredo [1]

Liturgia segundo O Livro de Oração Comum

1 – Hino.
2 – Sentenças Bíblicas.
3 – Exortação.
4 – Confissão de Pecados.
5 – Oração Dominical.
6 – Introdução (Versículos e respostas seguidos de “Glória Patri”).
7 – Salmos em prosa e “Glória Patri”.
8 – Lição do Antigo Testamento.
9 – Cântico.
10 – Credo Apostólico.
11 – Kyrie.
12 – Pai Nosso.
13 – Sufrágios.
14 – Colectas.
15 – Antífonas.
16 – Ação de graças.
17 – Sermão.
18 – Bênção Apostólica.

Observação:

1. Anamnesis: Parte da liturgia que relembra a paixão de Cristo com textos bíblicos e hinos sacros alusivos.

2. Epiclesis: Invocação do Deus Pai para vitalizar os elementos eucarísticos. Calvino eliminou-a de sua liturgia.

Modelo de Epiclesis: “Pai misericordioso; rogamos-te que, de acordo com a santa instituição de teu Filho nosso Salvador, sejamos feitos partícipes de seu mui bendito corpo e sangue.

Envia, ó Senhor! tua bênção sobre este Sacramento para que nos seja o instrumento que exiba efetivamente o Senhor Jesus” (Da liturgia escocesa de 1629).

3. Litania: A litania compõe-se de cláusulas intercessórias ditas pelo dirigente com a resposta da congregação pelo “Kyrie Eleison”: “Senhor, tem misericórdia de nós”. Sua origem remonta à Sinagoga. Foi muito usada na Igreja primitiva. Consta da liturgia de toda a Idade Média, e Lutero inseriu-a em sua ordem do culto com pequenas modificações e adaptações à nova elesiologia.

4. Sursum Corda: Era o apelo do dirigente litúrgico para que os fiéis se consagrassem a Deus: “Levantai vossos corações”, o que equivale: Dedicai-vos ao Senhor. Invariavelmente ao apelo (Sursum Corda) seguia-se a oração de consagração.

5. Sanctus: “Santo, Santo, Santo, Senhor Deus Todo Poderoso! Plenos estão os céus e a terra de tua glória! Glória seja a ti, Senhor!” (ou: Nós também te damos Glória).

6. Colecta: Colecta é uma oração breve, concisa, direta, com leis estruturais definidas: Invocação: Tu, Senhor… Cláusula relativa: Que sondas os corações… Petição: Revela-nos qual destes dois tens escolhido… Afirmação de propósitos: Para preencher a vaga neste ministério e apostolado…

Conclusão: Do qual Judas se transviou. (Ver Atos 1.24,25). Outro modelo de “Colecta”, que conserva rigorosamente as cinco partes: “Deus todo poderoso (invocação); único que podes governar as vontades e afetos rebeldes dos pecadores (Cláusula relativa); concede a teu povo a graça de amar teus mandamentos e aspirar as tuas promessas (Petição); para que deste mundo, em meio aos acontecimentos vários e mudanças frequentes, nossas almas olhem para a felicidade verdadeira e eterna (Afirmação de Propósitos); mediante Jesus Cristo, nosso Senhor (Conclusão).

Portanto, as cinco partes da Colecta são:

1 – Invocação.
2 – Cláusula relativa.
3 – Petição.
4 – Afirmação de propósitos.
5 – Conclusão, que pode ser com uma doxologia.

7. Sufrágios: Sufrágios são diálogos entre o dirigente litúrgico e a comunidade, algumas vezes intercalados de orações. Exemplo de sufrágio da liturgia anglicana:

Ministro ……………………. : O Senhor seja convosco.
Congregação …………….. : E com o teu espírito.
Ministro ……………………. : Oremos: Senhor tem misericórdia de nós.
Congregação …………….. : Cristo, tem misericórdia de nós.
Todos ………………………. : Oração do Senhor.


Notas:

[1] O presente texto foi escrito por um Reverendo da Igreja Presbiteriana. Por este motivo, o leitor encontrará algumas referências relacionadas ao culto de domingo, ou ainda alguns temas diretamente vinculados a esta denominação religiosa. Apesar deste detalhe, os editores do Música Sacra e Adoração compreendem que a leitura do texto do Reverendo Onézio Figueiredo é de suma importância para o contexto da adoração e do culto a Deus na Igreja Adventista do Sétimo Dia, justificando assim esta publicação.


Fonte: www.monergismo.com


Capítulo 27

Escolher outro capítulo