O Tempo na Música – Parte III

Teoria Musical 4 de julho de 2012 3:58 pm

Compasso – Definições

Na música ocidental a forma em que contamos e dividimos o tempo é feita através do Compasso.

Compasso é a divisão da música em séries regulares de tempo.

Essas séries, ou seja, Compassos, podem ser de 2 tempos, 3 tempos, 4 tempos, 5 tempos, 7 tempos, 11 tempos, etc., mas os mais usados são:

  • de 2 tempos – Chamado de Compasso Binário
  • de 3 tempos – Chamado de Compasso Ternário
  • de 4 tempos – Chamado de Compasso Quaternário

Como vimos anteriormente (O Tempo na Música – Parte II) contamos o tempo na música através da pulsação que é constantes. O Compasso é identificado em uma determinada música pela pulsação dos tempos fracos e fortes. Veja abaixo como é a pulsação nos principais compassos:

Compasso Binário – 2 Tempos

Compasso Ternário – 3 Tempos

Compasso Quaternário – 4 Tempos

Como vimos acima o início de cada compasso se dará no tempo forte, que será o primeiro tempo. Desta maneira podemos identificar qual é o compasso de uma determinada música. Para isso devemos identificar o pulso e onde está o tempo forte, que será o início de cada compasso. A cada série de pulsações até a repetição novamente do tempo forte teremos um compasso e o número de pulsações contidas nesta série será o número de tempo de cada compasso.

Veja exemplos abaixo:

Obs.: Os traços representam a pulsação constante e os números os tempos do compasso.

É importante saber que as músicas nem sempre começam no tempo forte, podem começar antes ou mesmo depois do primeiro tempo, por isso é importante identificar onde está a acentuação e lá será o primeiro tempo do compasso como vimos no exemplo acima da música “Parabéns”.

Procure ouvir músicas identificando o seu compasso, treine a sua percepção rítmica, localizando onde está cada pulsação e os tempos fortes.

Até a próxima aula (O Tempo na Música – Parte IV), na qual teremos a continuação deste assunto.


Próxima Parte

Voltar ao índice

Tags: