Idiomas Tonais São a Chave Para o Ouvido Absoluto

por: Diana Deutsch

Se você quer que teus filhos tenham ouvido absoluto como os maestros de música Mozart e Chopin, então coloque-os desde pequenos em aulas de mandarim ou vietnamita. A probabilidade de desenvolver o ouvido absoluto parece estar ligada ao idioma que as pessoas falam, confirmando que as crianças podem conseguir esta capacidade quando são bem pequenas.

As estimativas sugerem que o ouvido absoluto é muito raro nos EUA e Europa, com apenas 1 em cada 10.000 sendo capaz de ouvir um tom único e identificá-lo como um Dó central, por exemplo. Mas é ligeiramente mais comum em pessoas que começam um treinamento musical com menos de cinco anos.

Além disso, um estudo de 2006 da psicóloga Diana Deutsch da Universidade da Califórnia em San Diego, demonstrou que o ouvido absoluto é comum em estudantes de música chineses que falam mandarim. O mandarim, assim como o cantonês ou vietnamita, é um idioma tonal, na qual o tom de uma palavra falada é essencial para o seu significado. “Em minha experiência, os músicos na China não acham que o ouvido absoluto seja uma coisa notável, porque é muito comum,” diz Deutsch.

Para descobrir se os chineses possuíam uma vantagem genética, a equipe de Deutsch testou o ouvido absoluto de 203 estudantes de música – eles tinham que identificar todas as 36 notas de três oitavas tocadas em ordem aleatória. Os que foram testados incluíam 27 estudantes de etnia chinesa e vietnamita que tinham diferentes níveis de fluência no idioma tonal aprendido de seus pais.

Ocorreu que os estudantes asiáticos não pontuaram melhor do que estudantes brancos, se não fossem fluentes no idioma de seus pais (Journal of the Acoustical Society of America, vol. 125, p 2398). Mas estudantes muito fluentes tiveram altas pontuações, conseguindo cerca de 90 por cento das notas corretas, em média. “Eles foram incrivelmente bem. A diferença foi gritante,” diz Deutsch.

Este estudo sugere que aprender um idioma tonal tem um papel muito mais relevante para o ouvido absoluto do que os genes. “Realmente parece como se as crianças pequenas adquirissem o ouvido absoluto se é dado a elas a oportunidade de conectar rótulos verbais a notas musicais na idade em que aprendem a falar,” conclui Deutsch.


Fonte: http://www.newscientist.com

Publicado na revista New Scientist de 2 de Maio de 2009, pág. 10