Música de Casamento

por: Regina Homen Fryxell &
Blackhawk Chapter da Associação Americana de Organistas [1]

 


Prefácio
(por Conrad Bergendoff)

A maioria das vezes em que um casamento é planejado, deseja-se um “casamento religioso” porque uma igreja pode oferecer um “lugar distinto” para o evento, aonde flores e músicas aumentarão a beleza da ocasião.

Precisamos, contudo, lembrar que a verdadeira razão para um “casamento religioso” é o fato de que o casamento é uma instituição de Deus, e que a cerimônia no altar é a confirmação do relacionamento matrimonial sob a benção e o mandado de Deus. Um casamento religioso precisa ser uma cerimônia digna de igreja.

Certamente a música, que é uma parte da cerimônia, precisa ser “adequada”. Deve ser uma parte da adoração e louvor do evento, e ser religiosa na forma e no conteúdo. O Blackhawk Chapter da Associação Americana de Organistas, e especialmente a senhora Fryxell merecem os parabéns pela compilação que segue, a qual pode ser um guia para aqueles que planejam casar na casa de Deus.


O Que é Apropriado

Os amigos da música de igreja estão felizes ao notar uma tendência para maior cuidado na seleção de músicas para casamento religioso. Tal tendência é natural, pois decorre da maior compreensão da função da beleza e ordem na adoração e da importância da reverência, em todos os momentos, pelas coisas sagradas. [2]

O reconhecimento da função da música na adoração tem despertado o desejo por material que seja adequado para uma cerimônia na casa de Deus. Cada vez mais pessoas estão levantando perguntas, semelhantes a estas que seguem abaixo, sobre música para casamento. Maior número de músicos de igreja estão sendo levados a procurar as respostas – e eles estão felizes com isso.

  1. Existem músicas de casamento que podem ser usadas em lugar de “I Love You Truly”, “Because”, ou “Oh, Promise Me”?
  2. Podemos ter outras músicas para o processional e o recessional além das conhecidas seleções da ópera Lohengrin, de Wagner, e do Midsummer Night’s Dream [a conhecida “Marcha Nupcial”] de Mendelssohn?
  3. Onde podemos encontrar músicas que estejam de acordo com a dignidade, beleza e santidade de uma cerimônia no altar “perante o Deus Onisciente, e na presença da congregação”?
  4. É apropriado que a congregação cante hinos num casamento? Isto foi feito alguma vez?
  5. Se um coral estiver presente, o que poderá cantar?
  6. Onde podemos encontrar um acompanhamento musical simples do “Pai Nosso” que transmita uma atmosfera de adoração ao invés de uma apresentação de concerto?
  7. Que palavras são adequadas para serem cantadas em um casamento?
  8. Que músicas, de caráter festivo e sacro, se acham disponíveis para usar com órgão e cordas ou outros instrumentos?
  9. Toda música que precede a cerimônia deveria ser mantida bem suave?
  10. Existe música apropriada e genuinamente bela que não seja difícil?
  11. Que música vale a pena apresentar, que não esteja “batida” pelo uso?
  12. Como distinguir entre música adequada para uso na igreja – antes, durante e após a cerimônia – e a música apropriada para a ocasião social, tal como a recepção em outro lugar?

Em muitas igrejas estas perguntas têm sido bem respondidas através de folhetos com instruções, que são oferecidos pelo ministro ao casal em sua primeira visita para os preparativos para o casamento. Ele os aconselha a procurar logo a organista da igreja, a fim de obter auxílios mais específicos na escolha de músicas da lista aprovada, com bastante antecedência das datas de ensaio e casamento. Em muitos casos é necessário tempo para que as sugestões sejam assimiladas pelo casal e seus familiares mais próximos, que talvez nunca tenham pensado sobre a propriedade do uso de música secular ou canções de amor teatrais numa cerimônia sagrada. Realmente a idéia de que um casamento é simplesmente um espetáculo é tão prevalecente que muitas vezes é útil prover orientação até mesmo aos convidados.

Esta necessidade, recentemente, levou o pastor de uma igreja a imprimir uma boa quantidade de folhetos para serem distribuídos aos convidados ao chegarem à igreja. Citamos parte deste folheto intitulado, “Para os Convidados ao Casamento” (“To the Marriage Guest”):

“Você foi honrado com o convite de um homem e uma mulher cristãos para participar de um dos momentos mais santos e felizes de suas vidas. Você é um convidado deles e da igreja. Você também é companheiro deles na adoração. A cerimônia matrimonial não é apenas uma ocasião social com um toque religioso. É uma cerimônia religiosa do começo ao fim, na qual são oferecidas orações, são feitos votos, e é pronunciada uma benção. É, na realidade, a celebração de um rito muito sagrado. Você está presente para participar, sempre, interiormente e, algumas vezes, audivelmente, neste ato de adoração. Se você não está familiarizado com os costumes da igreja, o seguinte poderá ajudá-lo:”

“O serviço matrimonial está explicado na pagina (…) do livreto que está no encosto do banco da igreja. Se você tiver tempo, poderá lê-lo todo antes, e certamente poderá segui-lo quando a cerimônia começar.”

“A igreja é o templo de Deus, não só durante a cerimônia, mas antes, depois e a todo o tempo. É um lugar para oração, não para agitação. Há pessoas presentes aqui, com você, para quem este santuário é o lugar mais santo na terra. Você se tornará agradável a elas pela quietude e reverência de sua conduta.”

“Nenhuma pessoa casada deveria assistir a um casamento sem render graças a Deus por seu próprio casamento, e sem renovar em eu coração os votos que estão sendo tomados, pela primeira vez, por outros.”

“Nenhuma pessoa deveria deixar a igreja sem ter feito o que veio fazer – orando fervorosamente para que as bênçãos de Deus possam realmente repousar sobre este homem e esta mulher todos os dias de suas vidas juntos.”

“Enquanto você ora, você pode receber uma bênção.”

É certo que muitos organistas já por várias vezes têm sido molestados, e até realmente envergonhados, ao terem que discordar com a solicitação de música secular, freqüentemente de baixo nível ou de conteúdo vulgar. Talvez a atuação necessária para a reforma tenha sido dificultada pela timidez, ou o desejo de agradar a todos. Talvez as virtudes da humildade e obediência tenham sido enfatizadas demais, em detrimento do sentimento de responsabilidade em aderir aos princípios. Além disso, muitos membros da igreja podem pensar que, visto a música da igreja freqüentemente não ser classificada como essencial à adoração, ela também não seja importante. Outros simplesmente não pensam nada.

De certo modo isto está acontecendo por todo país; as coisas têm gradualmente ido de mal a pior, e o nível das músicas de casamento em algumas ocasiões tem se tornado uma verdadeira vergonha – esta é a razão que tem levado os reformadores a escrever em conhecidos periódicos sobre “Blasfêmia na música da igreja”.

Muito assunto tem vindo da Associação Americana de Organistas com sua declaração de princípios (clique aqui para ver a declaração).

No momento existe uma crescente conscientização da necessidade de cooperação da parte dos ministros, músicos da igreja e membros em geral, a fim de que informações dignas de confiança possam estar disponíveis em quantidade suficiente para esclarecer essa situação confusa. [O espaço virtual Música Sacra e Adoração também tem um papel neste “esclarecimento”, ao publicar textos sobre o assunto].

Ligado a isto é bastante apropriada a declaração da neta de Richard Wagner sobre música de casamento na Europa. Citamos do livreto “Música para Casamento na Igreja” (“Music for Churc Weddings”), que foi publicado pela Comissão Mista de Música da Igreja Episcopal (Seabury Press, 1952, Greench, Conn.):

Durante o período de intervalo do “Sistema Radiofônico de Columbia” (“Columbia Broadcasting System”), no programa de domingo à tarde, 29 de julho de 1950, a neta de Richard Wagner (a segunda filha de Siegfried), foi entrevistada. O assunto do segundo casamento de Wagner veio à tona e a seguinte conversação teve lugar:

Sistema Radiofônico de Columbia: Foi usado no casamento o “Bridal Chorus” de Lohengrin?
Neta: Lógico que não!
SRC: E a “Marcha Nupcial” de Mendelssohn, da música Midsummer Night’s Dream?
Neta: Esta também não.
SRC: Por que não?
Neta: Ninguém se casa com estas músicas, na Europa.
SRC: Elas são bem populares aqui.
Neta: Sim, eu sei, porque vivo neste país. Contudo nós nunca ouvimos isto na Europa até vermos nos filmes, e aí pensamos que fosse uma brincadeira de Hollywood.
SRC: Com que música as pessoas se casam na Europa?
Neta: Bem, nós fazemos diferença entre música sacra e secular. E, além do mais, eu sou “supersticiosa” para me casar com o “Bridal Chorus”.
SRC: Por que?
Neta: Bem, o casamento de Lohengrin e Elza não foi duradouro.

Ao sugerirmos músicas para processional e recessional, damos especial ênfase ao fato de que estes não necessitam estar em tempo 2/4 ou 4/4, já que os processionais de igreja não são marchados e nem apressados, mas são simplesmente andados – naturalmente, vagarosamente, com passos curtos e com dignidade e reverência, sem fazer nenhum esforço para acompanhar o ritmo da música.

Isto não desmerece a adequação da música. Assim como é aconselhável para qualquer culto, um estudo das palavras do sermão matrimonial fornecerá a indicação para a escolha da música a ser cantada ou tocada. O casamento na igreja é um rito sagrado para invocar a bênção de Deus sobre a formação do lar. Toda música usada deve servir para refletir e intensificar a disposição e o sentimento de louvor e elevar o pensamento em direção a Deus.

Daí a necessidade de constante reflexão, cuidado e instrução por parte daqueles que supervisionam a música. De tempos em tempos, têm sido feitas tentativas para acomodar pontos de vista diferentes, através da combinação de textos sagrados com conhecidas melodias seculares. A pessoa cuidadosa não se deixará enganar por este procedimento; nem se convencerá de que o texto da música, apenas por mencionar a Deus ou clamar “Senhor, Senhor”, seja sacro [Mateus 7:21].

Para realçar ou intensificar uma cerimônia sagrada não devemos contar com música que na verdade seja própria para uma sala de concerto, palco de ópera, teatro, campo de futebol ou sociedade beneficente. Os organistas, algumas vezes, têm executado seleções líricas com a desculpa que de qualquer modo ninguém perceberá a diferença; que isso é meramente questão de associação de idéias, e que as pessoas, por não entenderem, não serão afetadas. Mais tarde, estes mesmos organistas se perguntam, com preocupação, até quando as pessoas permanecerão ignorantes. Indivíduos conscienciosos no julgamento das músicas apropriadas para cada ocasião, concluem: “Quando em dúvida, rejeite”.

O canto congregacional pode ser usado em acréscimo ou no lugar do coral ou solos. Isto tem sido feito em várias igrejas e há esperança de que essa prática possa se tornar mais generalizada. [Como dito acima, a cerimônia de casamento é um culto a Deus. Sendo assim, os presentes não são convidados como espectadores, sim como possíveis adoradores. Todos, então, poderiam se unir em um cântico de louvor e adoração a Deus, em atitude de gratidão pelo milagre do enlace matrimonial].

Antemas corais podem tomar o lugar de solos, precedendo a cerimônia. Estes podem ser na forma de invocação ou intróito como, por exemplo, sendo à noite, o antigo hino “Candle-lighting Hymn”. Hinos para processionais e recessionais podem ser cantados apenas pelo coral, ou juntamente com a congregação.

A antiga música tradicional do “Pai Nosso” é parte da nossa mais antiga herança musical. Sendo que ela é usada na própria cerimônia, muitos preferem que não seja usada [recitada] antes da cerimônia, achando que isto é supérfluo. De qualquer modo, a forma cantada ou recitada não deveria excluir seu habitual uso quando o ministro e a congregação se unem no “Pai Nosso”.

Textos escriturísticos, belos hinos, ou outros poemas de índole sublime fornecem amplo material nos temas de gratidão e louvor a Deus, alegria em todas as Suas obras, súplicas por Sua constante presença, e orientação no estabelecimento de um lar.

Embora, em alguns casos, haja uma justificável preferência pelo uso apenas de música suave durante o período que precede a cerimônia, não é necessário sustentar que tal plano seja sempre necessário ou ideal. A razão fundamental para tal prática pode ter sido, primariamente, salientar o momento da entrada da noiva. Ou pode ter sido uma sutil, mas necessária, tentativa para evitar que as pessoas conversem – o que apenas aumenta o volume se a música for mais ruidosa. Freqüentemente a música muito suave não é ouvida por pessoas com dificuldade auditiva ou por aqueles que estão assentados longe do órgão. Além disso, uma apresentação de dez minutos a meia hora, quando apenas uma música é tocada o tempo todo, tende a entediar o ouvinte, não importa quão própria ou bem tocada. Certamente aqui é um lugar para expressar dignidade silenciosa; suave e calma alegria, bem como para jubiloso louvor.

A música não precisa ser difícil para ser usada na ocasião sagrada de uma maneira realmente bela. Por exemplo, “Jesus, Alegria dos Homens”, na simples forma de hino, pode ser usado vocalmente ou instrumentalmente quando a composição de Bach é impraticável e difícil. Se alguém duvida e precisa ser convencido, o pastor pode mencionar o uso do hino “Louva minh’alma o Rei dos Céus”, cantado por Goss, como processional exclusivamente para o casamento da princesa Elisabeth, na Abadia de Westminster, Londres, no dia 20 de Novembro de 1947. Igualmente, o simples arranjo de “In Thee is Gladness” pode ser preferido à composição original de Bach ou outras composições difíceis.

Há, na realidade, uma fartura de músicas apropriadas de real valor, que ainda não foram tocadas por músicos de muitas igrejas, o que nos permite deixar de usar uma mesma composição até “enjoar”, e não deixar de lado as muitas alternativas para enriquecimento de nossas cerimônias. As igrejas podem encorajar o uso de uma variedade de bom material, adquirindo cópias das músicas mais adequadas como recursos locais e mantendo-as à mão para rápida consulta, ou mesmo para empréstimo, se necessário, aos cantores e outros músicos envolvidos.

A dignidade do santuário e o profundo significado da cerimônia são guias básicos para o planejamento de um programa de música para a igreja, qualquer que seja a ocasião. Durante o período em que os convidados estão chegando, a música pode refletir um grande e verdadeiro capricho, alegre e festivo – tudo com o propósito de glorificar a Deus. O trivial ou frívolo não tem lugar aqui, nem os populares favoritos que primam em relembrar e enfatizar associações seculares, sociais e sentimentais. Músicas de ocasiões especiais podem ser usadas adequadamente como as destas datas: Natal, Advento, Epifania, Páscoa e Ações de Graças. Os prelúdios musicais devem servir para direcionar e unificar o pensamento de todos os presentes à cerimônia que irá começar. E o hino inicial, coro litúrgico ou solo, com palavras apropriadas, apontar em direção a Deus.

Durante a cerimônia, não devem ser interpoladas músicas, nem é desejável ou de bom gosto usar música de fundo ao órgão (mesmo que o público amante de rádio e televisão possa estar condicionado ao contrário). O ideal de fato, em qualquer serviço litúrgico, deve ser o organista nunca tocar durante o sermão do ministro.

A música após a cerimônia, incluindo o recessional, é apropriadamente alegre e dignificante, variando no grau de volume. Um inflexível fortíssimo, quando prolongado torna-se enfadonho. O mesmo acontece com a excessiva repetição, simplesmente para continuar tocando até que as pessoas acabem de sair da igreja. Uma coleção organizada de músicas contrastantes de prontidão para tais necessidades imprevisíveis, eliminará a pobreza e o embaraço da monotonia.

A música para a recepção – uma ocasião social – pode ser extraída dos trabalhos mais íntimos e subjetivos de bons compositores. Aqui é possível atender a números solicitados e ainda permanecer dentro dos limites da propriedade e do bom gosto. Não é necessário descer ao nível da “música de bar”, pois existe um vasto repertorio de material no campo da música de câmara [e da música erudita em geral].

O assunto acerca da música de casamento promete ser perene. Enquanto este mundo existir as pessoas irão casar-se e dar-se em casamento. Visto que as mesmas pessoas freqüentam casamento, ano após ano, porque não tornar mais conhecida a grande variedade de músicas verdadeiramente apropriadas à ocasião, ao lugar e aos recursos disponíveis na literatura existente?

Independentemente da música ser “velha” ou “nova”, simples ou complicada, ela sempre deve ser reverentemente bela!

Em toda parte são necessários amigos da música de igreja – entre pastores, músicos de igreja, professores e pessoas em geral – a fim de tornar os tesouros da música de igreja disponíveis dentro da própria igreja. Unicamente ouvindo e usando uma linguagem as pessoas poderão compreender o que ela pode expressar. Somente assim a linguagem da música pode realmente se tornar “a única língua entendida por todas as pessoas em todos os lugares”. Somente então as pessoas saberão que “a Música para qualquer cerimônia religiosa não é para divertimento ou um modo de passar o tempo, ela é a portadora da mais sublime mensagem ao mundo, uma interprete das verdades eternas do céu e da terra”, como tão bem se expressou W. E. Buszin.


Músicas Para a Cerimônia Nupcial

Música de órgão para o recital que precede a Cerimônia Nupcial
(ao final do texto, deixamos um índice com as Publicadoras e Agências as quais possuem a edição das obras aqui apresentadas. Nas indicações abaixo, deixamos apenas suas iniciais):

Arnatt, Ronald
Procession – G

Bach, J. S.
Arioso – GS
Blessed Jesus, at Thy Word (Vol. 5) – P
If Thou Be Near (Book of Airs – E. S. Barnes) – BMC
In Thee Is Gladness (Little Organ Book) – D.P.N. GS
Jesu, Joy of Man’s Desiring (West) – N
Largo in D (Book of Airs – E. S. Barnes) – BMC
Largo and Allegretto From Flute Sonata (Handel to Purcell-Nevins)-G
Like a Shepherd God Doth Guide Us (Sheep may safely graze) – G
Lord Jesus Christ, Be Present Now (Little Organ Book) – D. P. GS
Lord Jesus Christ, Be Present Now (12 Chorale Preludes – F. Glynn) – GS
My Heart Ever Faithful (Book of Airs) – E. S. Barnes) – BMC
Now Thank We All Our God (Claude Means) – G
Pastorale in F (Historical Organ Series, Bonet) – P. N. GS
Praise to the Lord, the Almighty (Schubler Chorales) – P. N. GS
Prelude in G (Vol. I Wedding Music) – C
Rejoice, Ye Christians (12 Chorales Preludes – Glynn) – GS
Symphony to Wedding Cantata nº 196 (Porter) – G
Symphony to Cantata 29 (Whitford) – G
(E muitos Prelúdios, Tocatas, Fugas, Fantasias, Trios e Sonatas).

Battishill, J
Andante in A Major (Twelve Short Pieces-West) – N

Bingham, Seth
Harmonies of Florence – G

Boellmann, L.
Prelude, Suite Gothique (Vol. I Wedding Music) – C

Bonnet, J.
Pastorale (12 pieces Nouvelles) – EV

Bossi, E.
Siciliana (Historical Organ Recitals, ed. Bonnet) – GS

Brahms, J
Behold a Rose Now Blooming (Christmas) – G

Bustehude
Fugue in C (Treasury of Early Organ Music-Biggs) – MP
How Brightly Shines the Morning Star (Christmas) – P
Prelude in B
Prelude e Fugue in E
Prelude e Fugue in F (Vol. I ed. Keller) – P

Charpentier, Marc-Antoine
Marche en Rondeau (Tr.Hitchcock) – B e H

Clerambeault, L. N.
Prelude in D (Anthologia Antigua, Vol. I) – JF
Dialogue, for upper and lower registers of the Trumpet from Suite (Historical Organ Recitals, Vol. I-Bonnet) – GS

Couperin, F.
Mass for parish Use (nº 2, 3, 8, 6, ed. Bingham) – JF

Croft, W.
Andante, Allegro Maestoso – H

Daquin, C.
Noels (Christmas) – MP

Darke, Harold
Meditation on Brother James’ Air (Ps. 23) – OX

Dupre, M.
Prelude and Fugue in G. Minor – L

Edmundson, G.
Fairest Lord Jesus – JF

Fiocco, J. H.
Adagio in G (Album of Graveyard Gems) – SMP

Franck, César
Pastorale (Vol. II)
Adagio (Chorale III)
Fantasie in C (first Movement, Vol.I)
Prelude, Fugue and Variation (Vol. I) – P

Giout
Grand Choeur Dailogué – GS

Gore, R. T.
Canonic Toccata – G

Guilmant
Pastorale (1st Sonata) – G. Schirmer – GS

Handel, G. F.
Excerpts from “Water Music” – JF
Suite for a Musical Clock (ed. Purvis) – HF

Hokanson, Margrethe
Crow with Thy Benediction (7 improvisations on Hymns and Folktunes) – Augs
Jesus, Joy of Man’s Desiring – Augs

Jongen, J.
Chant de Mai – M
Choral – D

Karg-Elert
Now Thank We All Our God (Wedding Music, Vol. 2) – C
How Brightly Shines the Morning Star (Christmas) – C
In Dulci Jubilo (Christmas) – N

Lang, C. S.
Tuba Tune in D – JBC

Langlais
4 Postludes for Organ
Pasticcio (from a Suite with Prelude Modale) – M e R

Le Begue
Les Cloches (Anthology of Early French Music-Bonnet) – G

Lenel, Ludwig
The Quempas Coral (Christmas) – Cha

Marcello, B.
Psalm 19 (The Heavens Declare The Glory of God) – G

Martini, G.
Aria con varazione (Gaveyard Gems) – SMP

Means, Claude
Prelude on “Down Ampney” – G
(Come Down, O Love Divine)

Mendelssohn, F.
Excerpts from Organ Sonatas – GS, P

Mulet, H.
Rose Window (Byzantine Sketches) – L

Milford, Robin
The King of Love (St. Columbia, Wedding Music, Vol. 2) – C
Pastorale (Three Christmas Pieces) – OX

Oldroye, G.
Three Liturgical Preludes (nº 2 and 3) – OX

Pachelbel, J.
Prelude on Old 100th (Eighty Ch. Prel. 17 and 18 cent.) – P
Toccata and Pastorale (Purcell to Handel, ed. Nevins) – G
Pastorale (Von himmel hoch, Hist. Org. Rec. Vol. I-Bonnet)- GS

Peeters, Flor
Abide, O Dearest Jesus (30 Ch. Prel. BK. I) – P
Ária-Heu
Awake, My Heart, With Gladness (Easter, 30 CH. Prel. BK. III) – P
Chorales Fantasie on “Lasst uns erfreuen” (Festa Voluntaries) – NorG
Come, Holy Ghost (30 Dh. Prel. BK. II) – P
How Brightly Shines the Morning Star (30 Ch, Prel. Bk. I) – P
Praise the Almighty (30 Ch. Prel. Bk. I) – P
Toccata: Holy God We Praise Thy Name (30 Ch. Prel. Bk. III) – P
10 Preludes on Old Flemish Tunes (Seasonal) – SC

Pepping, Ernst
Mit freuden zart (Large Organbook, Vol. III) – SC (Sing Praise to God)
Wie soll ich dich empfangen (Advent, Vol. I) – SC

Pierné, G.
Prelude, Cantilène, Scherzando – Du

Purcell, H.
Sonata for Trumpet and Strings (arr. Bairstow) – OX
Trumpet Tunes and Voluntary (Cerimonial Music, Biggs) – MP
Prelude in G (Historical Org. Rec. Vol. I, Bonnet) – GS
Bell Symphony (Rejoice in the Lord) – G

Purvis, R.
Pastorale on Forest Green (Christmas) – CF

Reger, M.
Benedictus – M
52 Choral Vorspiele (Gott des himmels; Werde munter) – Lau

Rheinberger, J.
Intermezzo from Pastoral Sonata – GS
Cantilena, Sonata XI (Wedding Music, Vol. I) – C
Original compositions for organ, Vol. (monologue, 5, 11) – N

Roberts Myron
Carillon – G

Rowley, A
Benedictus – G

Russell, William
Suite in C – JBC

Saint-Saens, C.
Fantasia in D Flat – GS

Schroeder, Hermann
Little Preludes and Intermezzi, Op. 9 (nº 1, 4, 6) – Sc
Fairest Lord Jesus
Now Pray We to the Holy Spirit (Op. 11) (6 Organ Chorales) – Sc

Selby, Wm.
Voluntary in A (Treasury of Shorter Organ Classics, ed. Biggs) – MP

Sowerby, L.
Carillon – G

Stanley, John
Suite in D (ed. Patrick Williams) – B e Co.
A Tune for the Flutes (arr. Harry Wall) – Cr r Co.
A Trumpet Tune (arr. Harry Wall) – Cr. E Co.
Toccata for the Flutes (arr. Harry Wall) – Cr. e Co.

Sumsion, H.
Pastorale (A book of simple voluntaries) – Ox

Tartini, G.
Adagio cantabile (Book of Classical Airs) – GS

Thiman, Eric.
Improvisation on “Crimond” – N

Van den Gheyn
Carillon and Fugue (Hist. Org. Rec. Series, Vol. 2, Dickinson) – G

Vaughan Williams, Ralph
Rhosymedre (Three Preludes on Welsh Tunes) – S e B

Vierne, L.
Carillon de Westminster – EV
Ist. Symphony: Pastorale, Allegro Vivace, Finale – M
24 Pieces in free style, vol. 2
Epithalame
Lied
Pastorale – Du

Walcha, Helmut
Nº 6 Pastorale (He Whom Joyous Shepherds Praised) Christmas – P
Nº 7 With Joy My Heart Is Bounding (Christmas 25 Preludes) – P
Nº 8 in Bethlehem Christmas – P

Walther, J. G.
Concerto in G (Early Organ Music, ed. H. Schweiger) – GS
Praise to the Lord (80 Chorale Preludes, 17 and 18 cent.) – P
Lord Jesus Christ, Be Present Now (Wedding Music, vol. II) – C

Whitlock, P.
Andante Tranquillo (Five Short Pieces) – Ox
Exultemus (Seven Sketches, Bk. I) – Ox
Pastorale: Ps. 23 (Seven Sketches, Bk. I) Ox
“Werde Munter” (Jesu, Joy of Man’s Desiring) from 6 hymn Preludes, Bk. II – Ox

Widor, C. M.
Adagio (Symphony nº 5) – N
Andante Cantabile: Scherzo (Symphony nº4) – M
Pastorale, Scherzo (Symphony nº 2) – M

Willan, H.
Prelude on Quem Pastores (Christmas) – C
Prelude on Praised Be the Lord (Easter) – C

Wood, Charles
Psalm 23 (16 Preludes for Organ, vol. 2) – S e B

Yon, P.
Pastorale, 4th Sonata (Modern Anthology) – G

Músicas para Processionais

Bach, J. S.
Sinfonia to Wedding Cantata nº 196 (Poster) – G
Sinfonia to Cantata; Thou Guide of Israel, nº 104 – G
Fantasia in G (Middle Movement; vol. I, Widor-Schweitzer) – GS

Bach-Fryxell
Symphony to Alleluia: “Praise, My Soul, The King of Heaven”
(Soli Deo Gloria) – ABC

Bassani
Larghetto (Graveyard Gems) – SMP

Boellmann, L.
Prelude: Suite Gothique (wedding Music, vol. I) – C

Boyce, Wm.
Voluntary nº 1 in D (Introduction to Trumpet Tune) – H

Clokey
Processional (Wedding Suite) – JF

Couperin, F.
Offertories (lst section; Mass for Parish Use, Bingham) – JF

Croft, Dr. Wm.
Voluntary in C (nº 1 – Andante, from 6 voluntaries) – H

Franck, César
Fantasie in C (lst. Movement) – P

Handel, G. F.
Larghetto in F (Concerto X for Organ – Wedding Music Vol. L) – C
Andante Maestoso (Concerto IV for Organ – Wedding Music Vol. I) – C

Le Begue
Symphony in B flat (Anthology of early French, ed. Bonnet) – G

Purcell, H.
Largo in D (Purcell to Handel, ed. Nevins) – G (Available in Collection only)

Tartini, G.
Largo in B Flat (lst Movement of violin sonata; Alte Meistersonaten) – U

Vaughan Williams, R.
Prelude on “Rhosymedre” – S e B

Whitlock, P.
Jesu, Joy of Man’s Desiring (“Werde Munter” fr. 6 Hymn Prel. Bk 2) – Ox

Processional Hymn (for choir and/or congregation)
“Praise, My soul, the King of Heaven”
“Praise to the Lord, the Almighty”
“All people That on Earth Do Dwell”
“Fairest Lord Jesus, King of Creation”

Músicas para Recessionais

Bach, J. S.
In Thee Is Gladness (historical Organ Recitals, Vol. 2, Bonnet) – GS
My Heart Ever Faithful (Book of Airs, Barnes) – BMC
Allabreve in D (Vol. I Windor – Schweitzer) – GS
Now Thank We All Our God (Claude Means) – G

Boellmann, L.
Carillon (The French Organist, Vol. I Bedell) – M

Clokey
Recessional (wedding Suite) – JF

Karg-Elert
Now Thank We All our God (Wedding Music, Vol. 2) – C

Marcello, B.
Psalm 19 – G

Mendelssohn, F.
Maestoso Excerpts from Organ Sonatas – GS

Mulet, H.
Carrilon – Sortie – M

Peeters, Flor
Praise the Almighty (Op. 68-10 Chorales Preludes) – P

Purcell, H.
Bell Symphony (Rejoice in the Lord) – G
Trumpet Tunes (Cerimonial Music, E. P. Biggs) – MP

Roseingrave
Allegro Pomposo (Graveyard gems) – SMP

Sowerby, L.
A Wedding Processional – G

Vierne, L.
Carrilon the Westminster (Fantasie Pieces, Vol. 3) – LM
Carrilon (24 pleces in free style, Vol. 2) – Du

Widor, C. M.
Toccata, Symphony 5 – M
Allegro, Symphony 6 – M

Recessional Hymns (for choir and/or congregation)
“Now Thank We All Our god”
“May the Grace of Christ, Lead Us Come Whith Us, O Blessed Jesus” – E.H. 211

Música Vocal

Ashfield, Robert
Two Introits for Man’s Voices To This Temple Where We Call Thee;
God Be in My Head – N

Bach, J. S.
Jesus, Lead Our Footsteps Ever (Whittaker) – Ox
Like a Shepherd, God Doth Guide Us – Gal, G. C.
Jesus, Joy of Man’s Desiring – Gal
Trust in the Lord, Cantata 174 (Diack) – CF
My Heart Ever Faithful – GS

Bach-Fryxell
Praise, My Soul, the King of Heaven Alleluia (Soli Deo Gloria) – ABC

Bairstow
The King of Love Shepherd Is (S.A.T.B.) – OX

Beethoven, L. V.
From 6 Sacred Songs:
Bitten – Prayer
Die Ehre Gottes – The Praise of God
Gottes Macht und Vorsehung – The Providence of God – K

Bingham, S.
The Lord’s Prayer (S. A. T. B.) – CF

Bitgood, R.
The Greatest of These Is Love – G

Brahms
Though I Speak With the Tongues (Four Series Songs)

Brockless, B.
May the Grace of Christ (S.A.T.B.) – BA

Bunjes, Paul (editor)
Wedding Blessings – Vol. of. 12 songs. – C
Jesus, Shepherd, Be Thou Near Me (Bach)
The Lord My Shepherd Is (Helder)
O Jesus, Joy of Loving Hearts (Brahms)
Love Divine, All Love Excelleing (Welsh-Bunjes)
Come, Follow Me (Karg-Elert)
O Father, Son, and Holy Ghost (Kittel)
Jesus, Joy of Man’s Desiring (Bach – 2 arr.)
Lord Who at Cana’s weddings Feast (Buxtehude)
O Father, All Creating (Buxtehude)
The Lord Bless You (Bach)

Clements, John
The Lord’s Prayer (unison) – Ox (nº 45 062)

Clokey
O Perfect Love (Wedding Suite) – JF
Set Me As a Seal Upon Thine Heart (Wedding Suite)
God Be in My Mead (S.A.) – JF

Davies, Ivor
May the Grace of Christ, Our Saviour (Unison) – N

Davies, Waldorf
God Be in My Head (S.A.T.B.) – G
Tune “Pentaton”, nº 300 P. H. (cantado com as letras dos seguintes hinos):
– Shine on our Souls, Eternal Lord – AH 471
– The Lord’s My Shepherd – P. H. 97: 1, 2, 3, 5.

Dowland, J.
Come Holy Ghost, Creator, Come (S.A.T.B.) – N

Dvorák
God Is my Shepherd (Vol. I) – AMP
I Will Sing New Songs of Gladness (Vol. I) AMP
Sing Ye a Joyful Song (Vol. II) – AMP

Fetler
O Father, All Creating (Medium Voice) – C

Franck, César
O Lord Most Holy – GS

Fryxell, Regina H.
Osaka 67 (Unison; 2 part, or solo) – G
Praise to the Lord (S.A.T.B., or solo; congregation on last stanza optional) – G
O Come, Creator Spirit, Come (S.A.T.B., or solo) – G
The Lord’s Prayer (S.A.T.B., unison, or solo) – ABC
Thou Wilt Keep Him in Perfect Peace (Unison or SATB) – AbP

Gore, R.
Entreat Me not to Leave The – C (high or low voice)

James, Brother
Brother James’ air (Ps. 23) (S.A.T.B., Gordon Jacob; solo, or unison, Trew – Ox

Lang, C.S.
Hail, Gladdening Leght (Evening-Unison) – N

Ley
The Lord’s Prayer (Unison) – Ox

Lloyd, Henry
O Christ, Who Once Hast Deigned – C

Lovelace, Austin
A Wedding Blessing – GS
We Lift Our Hearts to Thee – C

Mckie, Wm.
We Wait for Thy Loving-Kindness (S.A.T.B.) Written for Princess Elizabeth) – Ox
Psalm 121 and Wedding Responses (S.A.T.B.) Written for Princes Margaret – Ox nº 43 338

Mendelssohn, F.
The Voice That Breathed O’er Eden – Pr

Moe, Daneil
The Greatest of These Is Love (Medium Low) – Augs

Praetorius
The Prayer of Our Lord (S.A.T.B.) – C

Rowley, A.
Here at Thine Altar, Lord (S.A.T.B., or solo) – N

Schuetz, H.
Wedding Song (high-Lenel) – Cha (low-Leupold)

Sowerby
O perfect Love – G

Thiman
The God of Love My Shepherd Is – Novello – N
Thou Wilt Keep Him in Perfect Peace – G

Walton, Wm.
Set Me as a Seal Upon Thine Heart (S.A.T.B.) – Ox

Willan, H.
O Perfect Love (high) – G
Eternal Love (3 songs of Devotion) – CCB

Vaughan Williams, R.
O How Amiable (Mixed Voices, 2 parts, or solo; Congregation optional on closing stanza – Ox

Material em Hinários
AH, Augustana Lutheran Hymnal, 1925
– EH, Episcopal Hymnal, 1940
– PH, Presbyterian Hymnal, 1933
– MH, Methodist Hymnal, 1935
– LH, Lutheran Hymnal, 1923
– CSB, Common Service Book, 1918
– Eng H, The English Hymnal, 1933
– Ox.CB, The Oxford Carol Book, 1928
– SBH, Service Book and Hymnal (Lutheran) 1958
 

“The Lord’s Prayer” (EH 722 – melodia antiga, tradicional – MH 572 para cântico a 4 vozes)
“All people that on Earth Do dwell” – EH 278, SBH169
“Beautiful Saviour” – AH 317
“Before Our Father’s Throne” – AH 356:2 (com a música de B. Harwood, EH 174)
“Children of the Heavenly Father” – AH 487
“Come Dow, O Love Divine” – SBH 123; EH
“Come, Gracious Spirit, Heavenly Dove” – EH 378; SBH 127
“Come, Holy Ghost, Our Souls Inspire” – SBH 117
“Come, Thou Holy Spirit, Come” – EH 109 (cantochão)
“Come with Us, O Blessed Jesus” (Bach) – EH 211; SBH 283
“Crown with Thy Benedictions” (Mendelssohn) – LH 535
“Father, Hear the Prayer We Offer” – Eng. H 385
“Father, in Thy Mysterious Presence Kneeling” – Yattendon Hymnal – Oxford
“For the beauty of the Earth” – AH 338
“From All That Dwell Below the Skies” – EH 277
“Give Praise and Glory Unto God” – EH 287
“God Be in My Head” (Nicholson) – EH 466
“Hail, Gladdening Light” (evening) – MH 637; PH 83 in Responses
“Jesus, Thou Joy of Loving Hearts” – AH 241:1-2, 4-5, SBH 483, EH 485:1-2,4
“Lead Us, Heavenly Father, Lead Us” – AH 353 (com a música de 310, Dulce Carmen)
“Lord Jesus Christ, Thy Grace Us Lead” – AH 305; SBH 188
“Lord, We Beseech Thee” – EH 228:5, 6 possivelmente 1, 4 (duas músicas)
“Lord, We Thy Presence Seek” – EH 418:4 (com a música de B. Harwood; EH 174)
“Lord, Who at Cana’s Wedding Feast” – EH 215 (com a melodia Pentatone; PH 300)
“Love Divine, All Love Excelling” – EH 479
“May the Grace of Chirst, Our Saviour” – EH 216; AH 362
“Now Thank We All Our God” – AH 299; EH 279
“O Come, Creator Spirit, Come” – EH 1081, 2, 4, 5
“O Father, All Creating” – LH 534; Eng. H 345
“O God Our Help in Ages Past” – EH 289; SBH 168
“O Lord of Heaven and Earth and Sea” – AH 305; Eng. H 521; SBH 448
“O Love Divine and Golden” – LH 533; MH 430; PH 485
“O Perfect Love” – AH 528; EH 214
“O Splendor of God’s Glory Bright” – EH 158; MH 638; PH Response 84
“O Thou Who Gavest Power to Love” – Eng. H 347
“O Worship the King” – AH 333; EH 288; SBH 163
“Praise My Soul the King of Heaven” – AH 327; EH 282; CSB 289; SBH 160
“Praise to the Lord the Almighty” – AH 324
“Praise WE the Lord, Who Made All Beauty” – Ox CB 164
“Saviour, Let Thy Sanction Rest” – AH 529; (ou a música de EH 212)
“Shine on Our Souls, Eternal Lord” – AH 471 (com a melodia Pentatone; Ph 300)
“Sing Praise to God Who Reigns Above” – MH 355; SBH 422
“The King of Love My Shepherd Is” – EH 345; SBH 530
“The Lord’s My Shepherd” – Ph 97 (ou com a melodia Crimond); SBH 522
“The Voice That Breathed o’er Eden” – AH 530
“Thine Forever, God of Love” – AH 252; EH 427; PH 248

Música para Órgãos de Tubos*
*Pode ser também executado em piano. Uma lista mais extensa, para uso geral, pode ser encontrada no “Catálogo Concórdia”. (pp. 118 e 119). Outras sugestões com listas em folhetos de música para casamento em igreja (Seabury Press), pode ser útil em fornecer músicas para o recital antes da cerimônia.

1. Antichi Maestri (Vol. 1 e 2, ed. Santini) – Ca
2. Boellmann, Leon (Heures Mystiques, Vol. 1 e 2) – E
3. Dubois, Theodore (Six pieces) – L
4. 80 Chorale Preludes of 17 and 18 centuries – P
5. Franck, César (L’Organiste, Vol. 1 e 2) – E
6. Murray, Dom Gregory (Short Interludes, Vol. 1, 2, 3 – R e D)
7. Old Masters (for Keyboard) – P (nº 4527a)
8. Peeters, Flor (Heures Intemes, Vol. 1 e 2) – Lm
9. Peeters, Flor (35 Miniatures for organ)
10. Teleman, 12 Easy Chorale Preludes (2, 6, 8, 10, 11, 12) – P
11. Vièrne, Louis (24 pieces en style libre, Vol. 2) – Du
12. The Parish Organist – (for all seasons) – C (muitos compositores e períodos):
Vol. I-IV ed. Flescher (with hymn tune in 3 parts)
Vol. V-VIII ed Goldschmidt

Para Recessional:

1. Allegretto, Banchieri (Vol. 2) Toccata Frescobaldi (Vol. 1)
2. Sortie, (Vol. I) Allegro moderato, (Vol. 2) Moderato (Vol. 2)
3. Allegro Maestoso in D Allegro Maestoso in E flat
4. Carillon (Vol. 2)

Músicas Para Usar Com Outros Instrumentos

1. Com Canto e/ou Instrumento (os apropriados para uso na igreja possuem um *, os demais são para recepção):

Bach, J. S.
* Jesus, Joy of Man’s Desiring (violino, flauta ou oboé com órgão ou piano) – G
* Like a Shepherd, God Doth Guide Us (2 Flautas, piano ou órgão)
* The Lord Bless You (Cantata 196. Cordas substituindo as vozes) – C
* To Thee, O Lord (Soprano e Baixo poderiam ser dados ao Violino e Cello; e piano ou Orgão) (S.A.T.S., arr. Kemmer) – G
* Wie Wohl ist mir (Cordas, flauta ou oboé na melodia; piano ou órgão) arr. K.K. Davis (para vozes uníssonas)
* Now Thank We All Our God (Cordas ou madeiras substituindo as vozes) – (arr. Holler, S.A.T.B. or S. S.) – G

Bach-Fryxell
*Sinfonia to “Praise My Soul the King of Heaven” – (Cordas, madeiras ou trompete com piano ou órgão) – ABC

Buxtehude, D.
*Lord, who ar Cana’s Wedding Feast (2 violino, Cello opcional, órgão ou piano) – C
*Father, All Creating (2 violinos, Cello Opcional, órgão ou piano) – C
(Nota: outras seleções de álbuns para cerimônia de casamento (Bunjes) podem ser executadas com vários instrumentos bem como com canto. Muitos prelúdios corais para órgão também podem ser usados com instrumentos na melodia do coral. Ou a melodia pode ser cantada por uma ou mais vozes).

Músicas Para Combinação com Vários Instrumentos

2. Para instrumento solo:

Bach, J. S.
Das Music-Kraenzlein, nº 7 (Cordas e piano) – C
* Sonata in E minor for flute (e órgão ou piano) excerpts in Purcell to Handel – G
* Sonata in C major for flute (e órgão ou piano excerpts in Purcel to Handel – G
2nd. Sonata for flute and piano (Bach Airs-Barnes) – BMC
* Largo (5a. Sonata para violino, acompanhamento de órgão – Bach Airs – Barnes) – BMC
*Air for G atring (da Suite em D;  acompanhamento de órgão – Bach Airs-Barnes) – B
* Sarabande (6a. Suite para cello;  acompanhamento de órgão – Bach Airs-Barnes – BMC
* Arioso (“Bist du bei mir”; violino na melodia – Bach Airs-Barnes) – BMC
Andante (Sonata III in A minor, violino)
Arioso (Concerto in G minor, violino)
Adagio (Concerto in A minor, violino)
* 3 Wedding Chorales (órgão e 2 trompetes) – C

Corelli, Arcangelo
* Church Sonata (Trio) in D, op. 3 nº 2, ed. Biggs – MP
* Church Sonata (Trio) in F, Op. 1 nº 1, ed. Biggs – MP (For Cordas; ou oboés e flauta; e órgão ou piano)
Trio Sonata, Op. 3, nº 4 (Organum Series III/I) – C
Largo – Sonata in A major (violino)

Handel, G. F.
Trio Sonata in B (Hortus Musicus 15) – C
Sonata for flute (Hortus Musicus c) – C
* Violin Sonata I: Andante in A
* Violin Sonata III: Andante in F
* Violin Sonata IV: Andante in D
* Violin Sonata V: Andante in A
* Violin Sonata VI: Andante in E
Os acompanhamentos para órgão para as sonatas acima podem ser encontrados no volume “Slow Movements of Handel Violin Sonatas”, arr. John M. Dlein – Br. M

Krebs, Ludwig
Chorale Preludes: (para trompete ou oboé e órgão ou piano)
Dearest Jesus, We Are Thine Father, Dwell in Every Heart – MP

Legrenzi
Trio Sonata in G (Hortus Musicus 31) – C

Rohlig, Harold
Praise to the Lord, the Almighty (Flauta, Trompete, Órgão, Coro ou conjunto) – C
8 Intradas and Chorales (for Órgão e Trompete, Coro ou conjunto) – C
Christmas Music of Old Masters (for 2 instrumentos solo e teclado) – C ed. Fritz Dietrich

Sieffert, Max
Let’s Make Music: Wir treiben Hausmusik: (coleção pré-clássica: cello; ou flauta, oboé, contra-baixo) – C

Telemann
Sonata and other music for violin and Keyboard (HM 7) – C
Pieces for flute (HM 8) – C

Nota: Para uma lista maior veja “Hortus Musicus” (Jardim Musical), uma nova serie da Hausmusik e Chamber Music de compositores da Idade Média até o Período Clássico – C
Veja também: Chamber Music – Organ Séries – C

Para a Recepção (se desejar):

“Where’er You Walk” – Handel
“On Wings of Song” – Mendelssohn
“I Love Thee” – Beethoven or Grieg
“Dedication” – Schumann or Franz
“Thou Art So Like a Flower” – Schumann
“Calm as the Night” – Bhom
“How Do I Love Thee” – Lippe
“To You, Dreams” – Strauss


Código das Publicações ou Agências

ABC – Augustana Book Concern.
AMP – Associated Music Publishers.
AbP – Abingdon Press.
Augs – Augsburg.
BA – British American.
B e Co – Bosworth & Co., London.
B e H – Boosey & Hawks, N. y.
BMC – Boston Music Co.
Br. M – Broadcast Music, Inc.
C – Concordia.
Ca – Casimiri.
CCB – C.C. Birchard & Co.
Cha – Chantry Music Press.
CF – Carl Fischer.
Cr & Co. – Cramer & Co., London.
D – Oliver Ditson Co.
Du – Durand & Co. (Elkan-Vogel).
E – Enoch.
ECS – E. C. Schirmer Music Co.
EV – Elkan-Vobel.
G – H. W. Gray Co.
Gal – Galaxy.
GS – G. Schirmer.
H – Hinrichsen (C. F. Peters Corp).
Heu – Heuwekewmeyer.
HF – Harold Flammer, N. Y. C.
JBC – J. B. Cramer & Co.
JCC – John Church Co.
JF – J. Fischer & Bro.
K – Kalmus.
L – Leduc.
Lau – Lauterbach and Kuhn (Leipsig).
LM – Lemoine.
M – Marks.
MP – Music Press – Mercury Music Co.
M & R – McLaughlin & Reully.
N – Novello & Co.
Ox. – Oxford University Press.
P. – Peters.
Pr. – Presser.
R & D – Rushworth & Dreaper.
S & B – Stainer & Bell.
Sc – Schott.
SMP – St. Mary’s Press _ 145 West 64th., N. Y. C.


Declaração de Princípios Religiosos da Associação Americana de Organistas [3]

Para a maior Glória de Deus, e para benefício de Sua Santa Igreja na terra, nós, sendo respectivamente membros da Associação Americana de Organistas, declaramos nossa opinião e propósito através do seguinte:

Cremos que o ministério da música no Culto Cristão é uma oferenda sagrada perante o Altíssimo.

Cremos que aqueles que são postos como maestros de corais e organistas na Casa de Deus devem ser pessoas devotas, ensinando os caminhos da dedicação aos coralistas confiados aos seus cuidados.

Cremos que os mesmos propósitos de vida e Profissão devem ser instituídos para Ministros e Coralistas e mantidos em qualquer lugar.

Cremos que sempre e em qualquer lugar é adequado, correto e nosso sagrado dever trabalhar e orar pelo crescimento do Culto Cristão em reverencia e dignidade a fim de que a Igreja possa ser purificada de suas manchas, a mente dos homens possa ser instruída e a honra da Casa de Deus possa ser guardada hoje e no futuro.

Portanto com reverência e humildade nos entregamos a estes empreendimentos apresentando nosso trabalho e nossas vidas no nome dAquele sem o qual nada é seguro, nada é santo.

Amém. (voltar ao texto)


Nota:

[1] Os editores do espaço virtual Música Sacra e Adoração agradecem imensamente à Loide Simon por esta contribuição. O texto original, em toda a sua extensão, não possui qualquer nota de pé de página, por isso, quando aparecerem, serão todas de autoria dos editores do referido espaço virtual. Expressões no corpo do texto que estiverem entre [colchetes] são também de autoria dos editores do Música Sacra e Adoração, não constando do original.

[2] Esta opinião do autor, expressa à época da confecção deste documento, parece a nós, editores do Música Sacra e Adoração, contrastar com a realidade atual. Hoje o movimento parece-nos ser inverso: cada vez menos há a preocupação com a seleção pormenorizada de músicas para a cerimônia de casamento. Mais do que um culto de celebração e adoração a Deus pelo milagre de uma união matrimonial, a cerimônia de casamento tem sido uma mera festa, um encontro social, um evento, muitas vezes com características profanas, sendo, algumas vezes, um autêntico culto ao luxo e à vaidade.].

[3] A Associação Americana de Organistas é uma entidade sem vinculação direta a qualquer religião ou denominação religiosa, mas que, devido à sua estreita ligação com a execução da música sacra, compreende os princípios de santidade envolvidos.


Fonte: Esta apostila “Música para Casamento”, foi concedida ao Música Sacra e Adoração diretamente por Loide Simon, que a confeccionou segundo uma livre tradução de Tércio Simon para o Instituto Adventista de Ensino (IAE – atual UNASP, Campus I), em meados da 1990.