A Música na Adoração – Capítulo 4

por: Scott Guiley

O Deus de Maravilhas Espantosas

“Senhor meu Deus, quando eu, maravilhado,
Contemplo a Tua imensa criação,
O céu e a terra, os vastos oceanos,
Fico a pensar em Tua perfeição.
Então minha alma canta a Ti, Senhor:
Grandioso és Tu, Grandioso és Tu!
Então minha alma canta a Ti, Senhor:
Grandioso és Tu, Grandioso és Tu!”

Carl Boberg (1859-1940).

Um dos ingredientes principais na adoração é a admiração – ou o que podemos chamar de maravilha. Nós nos curvamos diante do que nos surpreende.

Infelizmente – em nosso mundo moderno – há pouca gente que fica maravilhada diante do que Deus é. Afinal de contas, porque deveríamos achar que Ele é tão extraordinário? Vivemos numa época quando alguns dos grandes mistérios e complexidades da vida foram bem explicados pela ciência. Testemunhamos o homem subir às montanhas do Himalaia, mergulhar nas profundezas do oceano e até andar na superfície da lua. Através dos documentários na televisão, assistimos coisas tais como a realização de uma cirurgia no cérebro e a erupção de vulcões. A ciência computadorizada nos forneceu processadores de dados, CD’s, mísseis, vídeo-cassetes, robôs e muito mais. O conhecimento aumentou. Veja Daniel 12:4. Achamos que temos tudo mais ou menos sob nosso controle – tudo está classificado e identificado. Se ainda nos deparamos com um problema, é só conectar para volumes de informação na Internet.

A tecnologia moderna nos espanta – Deus não! Passamos horas de olhos arregalados diante das invenções da ciência. Ficamos de boca aberta vendo uma “bomba inteligente” buscar um alvo tão pequeno quanto uma chaminé. Ficamos fascinados e atônitos em relação ao que o homem foi capaz de realizar – mas nem ligamos para o que Deus faz. A tecnologia tornou-se um ídolo. Na mente de muita gente ela é a realidade suprema (Pai), a realidade que ilumina (Espírito) e a realidade que redime (Filho). O Professor Neil Postman da Universidade de Nova Iorque falou sobre nossa “deificação da tecnologia”. Adoramos nossas invenções, mas ignoramos Deus. “Meus irmãos, não convém que isto se faça assim”. Veja Tiago 3:10.

É claro que sabemos que o pecador perdido está cego espiritualmente e seu coração está em trevas, de modo que não pode perceber as coisas de Deus. Mesmo assim fica o fato de que as coisas mais espantosas que os homens já puderam ver são aquelas que pertencem ao Deus eterno – pois Ele é “Aquele que só faz maravilhas”. Salmo 136:4. “A sua glória está sobre a terra e o céu”. Salmo 148:13. Quando um crente adora, ele fica numa atitude de admiração santa (isto mesmo, ele se prostra) diante de Deus – sabendo que neste momento ele vê o que é invisível, conhece o que é desconhecido, compreende o incompreensível e sente o que é eterno. Ao ficar atônito, fascinado, surpreendido – às vezes até completamente dominado – com tanta admiração, o crente aquece a alma na glória de Deus. As maravilhas de Deus induzem a nossa adoração.

Isto não significa que os crentes têm um entendimento perfeito da glória de Deus – é tudo uma questão de graça. Veja Mateus 13:16-17. Nenhum homem na carne jamais percebeu a plenitude de Deus, mesmo que ELE tenha habitado em nosso meio. Veja João 1:14-18. Colossenses 1:19 e 2:9. Mas recebemos grandes revelações pela Palavra de Deus – pelas quais somos gratos.

O propósito deste capítulo é concentrar brevemente nos três modos principais nos quais Deus manifestou Sua glória.

A Maravilha da Criação

Ao contemplar a glória divina, é preciso que se entenda que “Deus é Espírito”, João 4:24, e como tal não possui corpo físico nem matéria. Não pode ser visto nem sentido fisicamente. Deus é invisível. Veja 1 Timóteo 1:17. “Deus nunca foi visto por alguém”, João 1:18, e mesmo assim, Deus, às vezes, quis Se revelar em parte.

Um dos modos principais que podemos ver a glória de Deus é através da criação. Romanos 1:20 diz que “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas”. Em outras palavras, tudo o que vemos ao nosso redor que Deus fez (a criação) revela realidades invisíveis – especificamente, a existência de Deus e o poder eterno de Deus.

Quando olhamos para o céu numa noite estrelada, vemos de algum modo a glória de Deus. O Salmista disse: “Os céus declaram a glória de Deus”. Salmo 19:1. Com a visão natural podemos, às vezes, ver pelo menos 3.000 estrelas e milhões de galáxias ainda maiores que nossa Via Láctea. Como reagimos a esta demonstração de grandeza e glória? O descrente normalmente defende a opinião da evolução, que diz que todas as coisas vieram a existir através de forças naturais e assim glorifica (adora) o poder da natureza. Os crentes, contudo, são invariavelmente atraídos ao Deus Criador e Sustentador de tudo. Ficamos completamente maravilhados diante do poder e majestade de Deus! Não podemos nos conter: “Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas”. Apocalipse 4:11. Ou: “Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste; que é o homem mortal para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites”? Salmo 8:3-4.

E esta não é simplesmente nossa reação diante de um céu estrelado, mas nos maravilhamos diante de toda a obra de Deus na criação – o nascer e o pôr do sol, as mudanças nas estações do ano. Maravilhamo-nos diante da beleza de Deus nas montanhas e colinas, rios e oceanos, e árvores da floresta e areias áridas do deserto. A glória de Deus é vista em cada gota de chuva e cada floco de neve. Ele Se faz visível em cada ser vivo e cada criatura demonstra Sua sabedoria e poder.

Os crentes podem concordar de todo coração com o compositor do hino abaixo:

“O mundo é Teu Senhor. Que grato é perceber
A natureza a Te louvar, cantando de prazer!
O mundo é Teu, Senhor. Alegra-me pensar
Em Tuas sábias criações: montanhas, céus e mar”.
“O mundo é Teu, ó Pai. As aves na amplidão,
O lírio branco, a luz do sol, feituras Tuas são.
O mundo é Teu, ó Pai. Em tudo posso ver,
Até na folha a farfalhar, Teu divinal poder”.
“O mundo é Teu, Senhor. Jamais esquecerei
Que, embora existam erro e mal, Tu és o eterno Rei.
O mundo é Teu, Senhor, pois Cristo já venceu;
Inimizades destruiu, unindo terra e céu”. – Maltbie Babcock (1858-1901).

A grandeza da criação de Deus deve criar em nós o desejo de adorar ao Criador. Vamos curvar-nos diante dEle maravilhados!

A Maravilha da Palavra Escrita

No Salmo 19 – onde Davi fala sobre a glória de Deus na criação – ele também fala sobre a glória e maravilha da Palavra escrita. “A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e ilumina os olhos. O temor do Senhor é limpo, e permanece eternamente; os juízos do Senhor são verdadeiros e justos juntamente. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos. Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa”. Salmo 19:7-11.

A maravilha das Escrituras pode ser vista, porque Deus engrandeceu Sua Palavra acima de todo o Seu nome. Veja Salmo 138:2.

Bem… este é um assunto muito amplo! Poderíamos falar sobre a maravilha da revelação, a maravilha da inspiração, a maravilha da preservação, a maravilha da tradução e a maravilha da distribuição dela. Poderíamos falar como a Bíblia é inigualavelmente diferente de todos os outros livros – sua necessidade, unidade, autoridade, exatidão e suficiência. i>Poderíamos mostrar as grandes maravilhas de seus tipos e profecias.

Mas o mais maravilhoso sobre a Bíblia é que ela é, na verdade, a Palavra de Deus, que age de modo eficaz naqueles que crêem. Veja 1 Tessalonicenses 2:13. Pela Palavra de Deus somos vivificados (Salmo 119:50 e 93), nascemos de novo (1 Pedro 1:23), tornamo-nos sábios para a salvação (2 Timóteo 3:15), somos purificados (Salmo 119:9, João 15:3), santificados (João 17:17), admoestados (1 Coríntios 10:11), confortados (Romanos 15:4), edificados na fé (Atos 20:32, Romanos 10:17), crescemos na graça (1 Pedro 2:2), somos guardados das veredas da destruição (Salmo 17:4) e muito mais.

Devemos meditar na Palavra de Deus. Veja Salmo 1:1-3. A meditação é um processo de reflexão pessoal e deve ser feita em atitude de oração – um pensamento concentrado e sem pressa – sobre o significado da Palavra até que nossa natureza inteira se torne saturada.

Talvez seja como contemplar a glória de Deus no céu estrelado, exceto que na Palavra a vemos numa revelação completa e plena, embora (como o céu) não percebemos completamente as profundezas da Bíblia.

Uma pessoa que medita assim na Palavra vai se achar orando: “Abre tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei”. Salmo 119:18. E não demora muito para que se maravilhe diante do que seus olhos contemplam em cada página da Bíblia. Cada versículo começa a revelar a glória de Deus. Talvez até já tenha lido o mesmo versículo muitas vezes antes, mas agora ele se torna vivo, com novo poder e compreensão.

Um assunto que talvez seja inoportuno: diga-se que este autor não concorda necessariamente com os recentes achados do “Código da Bíblia”. Há homens, sem me alongar, hoje que reivindicam que através de computadores, puderam descobrir informações escondidas no modo como as letras são dispostas no Antigo Testamento Hebraico. Dizem que encontraram codificados os nomes reais de pessoa em cada século e descrições de eventos: II Guerra Mundial, os assassinatos de John e Robert Kennedy, Watergate, o bombardeiro de Oklahoma City, a eleição de Bill Clinton e muito mais! Estas idéias não são novas. Durante séculos homens bons defenderam a idéia de que tal código possa existir. O primeiro cientista moderno, o homem que ‘descobriu’ os mecanismos de nosso sistema solar e também a força da gravidade, Sir Isaac Newton, acreditava que havia um código secreto na Bíblia que revelaria o futuro. Ele aprendeu hebraico e passou metade da vida tentando achar este código. Outro homem, chamado o Gênio de Vilna, tinha certeza que cada detalhe da vida, não só num sentido geral, mas os detalhes de cada espécie e cada indivíduo em si, podia ser encontrado na Bíblia. Estas possibilidades surpreendem alguém que acredita realmente na Bíblia? Não! Por outro lado, vamos ter cautela em relação àqueles que sugerem que a Bíblia precisa apenas de um computador para ser entendida. Michael Drosnin, que escreveu o best-seller sobre “Código da Bíblia” é ateu e totalmente céptico – página 151 de seu livro.

Cremos que a Bíblia só pode ser entendida através do ensino do Espírito Santo. De fato, a maioria das pessoas pode obter um conhecimento superficial das Escrituras através dos olhos e ouvidos. Num nível puramente intelectual talvez possua a mentalidade de assimilar alguns dos conceitos comunicados. Talvez até possua a capacidade de transmitir tal informação aos outros. Mas entender realmente a doutrina e conhecer a verdade exige uma atuação do Espírito de Deus na alma. Quem é espiritualmente cego tem que receber a visão espiritual, e só os que receberam esta visão têm a capacidade de discernir as coisas de Deus.

Que maravilha é a Palavra de Deus – palavras maravilhosas de Vida – para aqueles que têm olhos para ver!

“É a Bíblia nossa luz, Ela fala de Jesus. Pela Bíblia nosso Deus Vem e ensina os filhos Seus”. “A Palavra é fiel, É mais doce que o mel. Nas promessas do senhor Confiamos sem temor”. – Werner Kaschel (1922-?)

Que nosso estudo e meditação na Palavra de Deus encoraje em nós um novo sentido de adoração.

A Maravilha do Salvador

Desvendar todas as maravilhas e glórias de Jesus Cristo é uma tarefa impossível. A própria eternidade não daria o tempo necessário para desvendá-lO. Samuel Rutherford (1600-1661) foi reitor da Universidade Santo André, na Escócia. Numa carta à madame Kilconquar, datada de 8 de agosto de 1637, ele falou sobre Cristo: “Ó, que Belo, que Único, que Excelente e Amoroso é Jesus! Ponha-se a beleza de milhares e milhares de mundos em paraísos como o Jardim do Éden em um; ponham-se todas as árvores, todas as flores, todos os perfumes, todas as cores, todos os sabores, todas as alegrias, todas as doçuras, toda a beleza em um, que coisa bela e excelente seria! Ainda assim seria menos do que o Cristo bem-amado, o primeiro entre dez mil, do que uma gota de chuva para os mares, rios, lagos e fontes inteiras de dez mil terras! Cristo é a maravilha do céu e da terra! Que pena que tão poucos recebam Jesus Cristo, o único, tão infinito, tão insondável e tão incomparável em excelência e doçura”.

João o Batista chamou Jesus de “Cordeiro de Deus” e depois disse: “Aquele que vem de cima é sobre todos”. João 3:31. Paulo disse aos Filipenses: “por isso, também Deus o exaltou sobrenaturalmente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho ….toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor”. Filipenses 2:9-11.

O que torna Jesus tão singular e diferente? O que há de tão maravilhoso sobre o Salvador?

  • Jesus é maravilhoso quanto à Sua existência eterna. Jesus não começou a existir quando nasceu de Maria. Ele estava presente com Deus Pai na eternidade passada antes do mundo começar. Veja João 17: 5 e 24. Sua vinda à terra foi a encarnação do Filho eterno de Deus. João 1:1-14.
  • Jesus é maravilhoso quanto a Seu nascimento miraculoso. A Palavra de Deus nos ensina que Maria era virgem, e que Jesus foi concebido no ventre dela, de modo miraculoso, pelo poder do Espírito Santo. Deste modo “Deus se manifestou em carne (1 Timóteo 3:16) – é assim que, em Jesus, temos unido em uma só Pessoa tanto o homem sem pecado como o Deus eterno.
  • Jesus é maravilhoso quanto a Sua vida perfeita. Ninguém mais teve a vida examinada de modo tão cuidadoso e crítico como Jesus. Homens de todas as gerações confessaram que Jesus foi o único e perfeito Homem que já existiu. O anjo Gabriel testificou sobre Sua natureza dizendo que Ele era “o Santo”. Lucas 1:35. Enquanto na carne, Jesus nunca pecou nem em palavras, nem em pensamentos, nem em ações – nunca deixou de fazer o que a justiça exigia d’Ele.
  • Jesus é maravilhoso quanto a Seu poder sobrenatural. Jesus tem um poder tal que quando Pedro desembainhou a espada e cortou a orelha do servo do sumo sacerdote, Jesus tocou a orelha: imediatamente ela ficou sã. Mas isso foi uma coisa “pequenina” para Aquele que é o Criador de tudo. João 1:3. Colossenses 1:16. Ele tem todo poder no céu e na terra – poder sobre homens e anjos, poder sobre a vida e a morte, poder sobre as doenças e as dificuldades, poder para salvar e perdoar, poder sobre a criação inteira, quer visível ou invisível. Ele é o Deus Todo-poderoso – o Senhor Deus onipotente.
  • Jesus é maravilhoso quanto a autoridade com que ensinou. Mateus diz ao fim do sermão do Monte: “E aconteceu que, concluindo Jesus este discurso, a multidão se admirou da sua doutrina; porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas”. Mateus 7:28-29. O povo reconheceu a diferença – os escribas eram homens sábios e professores da nação de Israel, mas Jesus era a expressão completa e máxima da Palavra de Deus.
  • Jesus é maravilhoso quanto a Seu sacrifício expiatório. Grandes homens deste mundo são reconhecidos pelo modo como viveram, mas Jesus é acima de todos por Sua morte. A obra expiatória de Jesus é o cordão de escarlata que passa por cada parte da Bíblia. Sua morte foi predita no Jardim do Éden. Os sacrifícios dos animais no Antigo Testamento apontavam para o Calvário. Os profetas testificaram “anteriormente ….os sofrimentos que a Cristo haviam de vir”. 1 Pedro 1:11. Os Evangelhos registraram os eventos da cruz. Cristo Jesus morreu para salvar Seu povo dos seus pecados – não existe nada mais glorioso e maravilhoso no mundo inteiro do que isto!
  • Jesus é maravilhoso quanto à Sua volta prometida. Tão certo como Jesus veio a primeira vez, assim também será Sua segunda vinda. Qualquer dia destes, nosso Jesus magnífico, maravilhoso e incomparável virá “para ser glorificado nos seus santos, e para se fazer admirável ….em todos os que crêem”. 2 Tessalonicenses 1:10.

Parece tão vazio dizer que Jesus é maravilhoso, pois é inexprimível dizer o quão maravilhoso é! Jesus é mais do que maravilhoso – Ele é inconcebivelmente maravilhoso! Ele é mais do que glorioso – Ele é maravilhosamente glorioso! Ele é mais do que espantoso – Ele é inimaginariamente espantoso!

Jesus Cristo é o Criador e Sustentador de todas as coisas. É o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim. É o Deus Filho, tanto quanto o Pai eterno. É o Cordeiro de Deus, a Páscoa, a Propiciação por nossos pecados, o Grande Sumo-Sacerdote, o Santo de Deus, o Caminho, a Verdade, a Vida, a Luz do mundo, o Bom Pastor, o Pão da vida, a Água da vida, a Pedra Angular, o Cabeça da igreja, o Leão da tribo de Judá, a Sabedoria de Deus, o Poder de Deus, a Porta, o Sol da justiça, o Fiador da melhor aliança, a Videira Verdadeira. Jesus é nosso grande Deus e Salvador, nosso Redentor, nosso Mestre, nosso Profeta, nosso Sacerdote e Rei, nossa Paz, nossa Justiça, nossa Santificação, nossa Redenção, nossa Canção, nosso Escudo, nossa Esperança, nosso Mediador, nosso Senhor. NOSSO TUDO!

O compositor do hino disse: “Eu fico maravilhado na presença de Jesus, o Nazareno”. Com certeza o mundo inteiro deve ficar maravilhado! Graça maravilhosa! Amor maravilhoso! Salvação maravilhosa! Condescendência maravilhosa! Revelação maravilhosa! Redenção maravilhosa! Poder maravilhoso! Sabedoria maravilhosa! Providência maravilhosa! Promessas maravilhosas! Ressurreição maravilhosa! Transformação maravilhosa! Destino maravilhoso! Eternidade maravilhosa! Glória maravilhosa!

Se existe algo que deve nos fazer prostrar em adoração diante de Deus é a maravilha de Jesus Cristo, o Salvador.

Temos que voltar a nos maravilhar; ao tipo de maravilha que levou Paulo a dizer: “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis são os seus caminhos!” Romanos 11:33. Paulo escreveu estas palavras logo após ter escrito três capítulos sobre a soberania de Deus! Da Teologia à Doxologia – quando vemos Deus em Sua glória, vamos adorá-lO maravilhados e em santo temor!


Fonte: http://www.palavraprudente.com.br


Capítulo 5

Escolher outro capítulo