As Chaves Para a Excelência do Maestro

Coral e Regência — 6 de outubro de 2013 1:20 pm

por: Rev. João Wilson Faustini

Com estas chaves o maestro abrirá os segredos para a sua verdadeira excelência (*)

1. A Chave do Exemplo:

Seja um exemplo físico na postura, movimentos e expressão facial:

Através da empatia, seja uma espelho para o coral, inspirando-o a cantar e a interpretar com vitalidade e energia, mas com liberdade e flexibilidade.

Seja um exemplo na liderança e no bom relacionamento: especialmente com os coristas. Trate-os com respeito, como pessoas, e não como objetos para alcançar o seu sucesso pessoal. Considere os outros músicos, os que tenham outras escolas ou técnicas diferentes. Relacione-se sempre bem com outras pessoas e políticos.

Seja um exemplo de vida: um bom modelo de caráter que possa imitado. Seja organizado, consciente e focado.

Seja um exemplo de fé: Procure transmitir fé através da música. Da fé provem a harmonia. As vozes nunca se harmonizarão se não houver harmonia nos relacionamentos. Da fé provem a paz, a esperança e a verdadeira alegria.

2. A Chave do Objetivo

Através do canto e da arte coral, com seriedade ou mesmo através de entretenimento, procure transportar os seus coristas e ouvintes mais perto do Artista Supremo. A música é o meio mais adequado para nos elevar até Deus.

3. A Chave da Competência

Adquira competência musical: teoria e pratica musical, harmonia, historia da música, estilos do repertório nacional e internacional. Desenvolva sua própria voz, dominando a técnica vocal. Aprenda a respirar e a empostar corretamente sua voz para poder, você mesmo e não outra pessoa, ensinar com autoridade e corrigir os coristas durante os inúmeros problemas vocais que podem ocorrer durante o aprendizado das peças. Frequente concertos, ouça outros corais, ao vivo ou em gravações. Aprenda a por em prática as coisas boas, que deve imitar, e a reconhecer as coisas ruins, que deve evitar. Familiarize-se com o repertório das grandes obras corais da literatura, cantatas, oratórios, missas, os motetos das diversas épocas da historia, e operas. Conheça os instrumentos da orquestra, e mesmo a literatura orquestral e organística. Lembre-se de que precisa ser estudioso e aberto a técnicas de regência ou vocais diferentes. Há muitas maneiras de se cantar corretamente e há técnicas diferentes de regência, respiração e de emissão da voz, que chegam a resultados semelhantes.

Tenha competência em sua língua nativa: Aprimore o seu Português. Aprenda tudo o que puder sobre métrica, poesia, prosódia, prosa, para poder verificar se há erros de acentuação e manter os tempos fortes dos compassos coincidindo com os acentos das palavras. Aprenda outras línguas para cantá-las corretamente.

Aprenda a interpretar textos: Como o canto coral e canto vocal são uma fusão de texto e música, ambos são importantes para uma interpretação genuína. Saiba sintetizar e reduzir o conteúdo do texto de uma estrofe poética ou de um paragrafo em prosa, a uma ou duas palavras apenas. Aprenda a usar sua expressão fisionômica para criar a atmosfera necessária do conteúdo do texto encontrado na redução ou síntese. Isto é muito importante para a verdadeira interpretação de textos, porque dará ao regente não só a atmosfera, mas também ajustará o andamento e a dinâmica que o texto exige. É muito fácil de se deixar ser levado pela beleza da música, e ignorar totalmente o que o texto expressa. Os “lieder” de Schumman, Schubert e outros compositores que escreveram extensivamente para a voz são excelentes para nos ajudar a compreender este processo, chamado de “durchkomponiert”, através do qual muitos desses compositores alemães consideravam o texto tão poderoso no seu conteúdo dramático, ao ponto de os levar a mudar a melodia ou harmonia de uma peça estrófica, saindo do seu padrão já estabelecido anteriormente na peça, para acomodar o drama e tornar mais vivo o conteúdo de uma palavra ou frase.

4. A Chave da Tenacidade

Descubra novos talentos brutos e desenvolva-os. Transforme-os em pedras buriladas e preciosas, que cantem e encantem e sejam instrumentos de louvor a Deus através da arte. Trabalhe com “garra” para conseguir desenvolver o potencial intelectual, musical, vocal e espiritual do seu grupo. Incomode o coristas preguiçosos!

5. A Chave da Humildade

Jamais permita que o sucesso do seu trabalho suba à sua cabeça. O mundo musical é cheio de arrogância e inveja. Saiba lidar com as vitórias e sucessos sem se gabar ou achar que só você é o melhor. Mesmo que tenha trabalhado arduamente, nunca pense que o sucesso veio unicamente pelo seu esforço pessoal. O bom resultado sempre depende do esforço de todos!

Dependure na sua memória todas estas chaves. Não deixe que nenhuma delas fique enferrujada pelo desuso ou esquecida… Você verá que o seu coral responderá com entusiasmo, dedicação e transformação de suas próprias vidas, lideradas por você! Elas se sentirão realizadas e abençoadas, e compreenderão que podem ser instrumentos maravilhosos para difundir a arte, a beleza e a alegria a milhares de seus ouvintes.


(*) Conselhos dados em homenagem especial ao competente maestro Leandro Gafke


Fonte: Soemus – Sociedade Evangélica de Música Sacra


Tags: ,