Cantando a Palavra

O Adorador — 25 de outubro de 2012 9:19 pm

por: Derek J. Morris

Quando cantamos músicas inspiradas nas Escrituras, afastamos o inimigo de Deus

Três milênios atrás, o Espírito Santo inspirou o salmista a compor uma canção, cujo tema foi a própria Palavra de Deus. Ao ler parte da letra a seguir, você vai reconhecer o salmo: “Lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra e luz para os meus caminhos.” “Vivificame, segundo a Tua Palavra.” “A revelação das Tuas palavras esclarece.” “Escondi a Tua Palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti.”

Já reconheceu o salmo? Isso mesmo! É o Salmo 119 (v. 105, 154, 130 e 11 [Almeida Revista e Corrigida]). Leia em sua totalidade essa canção bíblica inspirada. A mensagem é clara: Deus nos revelou Sua Palavra e ela pode trazer luz e poder revitalizador para sua vida hoje.

Mais do que palavras – Jesus aceitou os cânticos inspirados (os Salmos), bem como todas as Escrituras como mais do que uma boa coleção de ideias religiosas, ou do que palavras humanas sobre Deus. As Escrituras eram e ainda são a inspirada Palavra de Deus. Quando Satanás tentou Jesus no deserto, Cristo respondeu com citações das Escrituras. Ele disse: “Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mateus 4:4, citando Deuteronômio 8:3).

Como recebemos a palavra que procede da boca de Deus? Por meio do testemunho oral e escrito dos profetas. Sob inspiração do Espírito Santo, o apóstolo Pedro deu este testemunho: “Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração, sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo” (II Pedro 1:19-21).

Quando o Senhor chamou Jeremias para ser profeta, ele respondeu: “Ah! Senhor Deus! Eis que não sei falar, porque não passo de uma criança” (Jeremias 1:6). Mas Deus lhe respondeu: “Não digas: Não passo de uma criança; porque a todos a quem Eu te enviar irás; e tudo quanto Eu te mandar falarás” (v. 7). Então, Deus tocou a boca do jovem profeta e disse: “Eis que ponho na tua boca as Minhas palavras” (v. 9).

A Palavra como defesa – A Palavra de Deus é uma defesa contra o inimigo. Quando Jesus foi ao deserto, após Seu batismo, Satanás viu Seu tempo de solidão meditativa como uma oportunidade para atacá-Lo. Cristo respondeu a cada tentação de Satanás, utilizando a Palavra de Deus. Como? Ele tinha um pergaminho ou dois escondidos sob a capa? Não. Jesus acreditava que as Escrituras são a Palavra de Deus, por isso as escondeu em Seu coração. Tomou tempo para memorizá-las e internalizá-las. Então, quando o inimigo O atacou, Cristo tinha uma proteção contra ele. O Salvador usou “a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus” (Efésios 6:17).

A palavra grega traduzida como “palavra” em Mateus 4:4 e Efésios 6:17 é rhema, que significa uma palavra específica ou declaração. Quando Satanás O atacou, Jesus simplesmente não levantou a Bíblia ou um rolo da Bíblia, como um tipo de amuleto da sorte e disse: “A Bíblia, a Bíblia, a Bíblia”. Não. Jesus respondeu aos ataques de Satanás com passagens específicas das Escrituras. Por que a Bíblia é uma defesa contra o inimigo? Porque Satanás é mentiroso e enganador, mas a Palavra de Deus é a verdade. Então, quando Satanás lhe diz: “Você é um pecador, um perdedor! Você pode muito bem desistir de tudo e se explodir!” Nesse momento, a Palavra de Deus aponta para Jesus e lhe diz a verdade: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (João 1:9). A verdade da Palavra de Deus desfaz as mentiras do diabo.

Quando Satanás tenta intimidá-lo(a) e encher você com temor, a Palavra de Deus aponta para o Redentor, que lhe diz a verdade: “Não temas; Eu sou o primeiro e o último e Aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno” (Apocalipse 1:17 e 18).

Se Satanás tenta oprimi-lo com os fardos desta vida, a Palavra de Deus aponta para Cristo, que lhe diz a verdade: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).

Três sugestões práticas – Deus quer que você experimente o poder revitalizador de Sua Palavra. Indico três maneiras práticas de preencher seu coração com a Palavra de Deus: (1) saturação – leia a Bíblia a cada dia. À medida que você saturar a mente com a Palavra de Deus, esteja certo de que o Espírito Santo vai trazer à sua memória o que você mais precisar (João 14:26); (2) cartões de memorização – escolha um trecho da Escritura e escreva palavra por palavra em um pequeno cartão; leve esse cartão consigo e leia-o várias vezes, para intencionalmente “esconder” a Palavra de Deus em seu coração (Salmos 119:11); (3) músicas inspiradas na Bíblia – aprenda a cantar melodias fundamentadas nas Escrituras ou componha suas próprias canções. Jesus usava as canções da Bíblia como uma forma de esconder a Palavra de Deus em Seu coração. [1] Quando você cantar a Palavra de Deus no culto ou durante suas atividades diárias, ela será fortalecida em sua mente. Então, compartilhe a Palavra de Deus com alguém à sua volta.

Anos atrás, um pastor recebeu uma ligação pedindo que ele fosse à casa de uma pessoa para pedir a bênção de Deus. Uma mulher chamada Glenda (pseudônimo) tinha perdido o esposo fazia pouco tempo e a superstição de sua cultura tinha lhe ensinado que o espírito de seu marido visitaria a casa por 40 dias, desde sua morte. Glenda era uma mulher instruída, mas não sabia como lidar com um fenômeno sobrenatural que ocorria em sua casa, especialmente com o som de batidas. Enquanto o pastor se preparava para ir à casa de Glenda, ele foi impressionado a levar um CD com músicas inspiradas nas Escrituras. Ao chegar à residência dela, ele a encorajou a ouvir as músicas e, assim, esconder a Palavra de Deus em seu coração. Na manhã seguinte, Glenda ligou para contar animada: “As batidas sumiram!” O mau espírito que ameaçava Glenda foi expulso de sua casa pelo poder da Palavra de Deus! Glenda experimentou o poder revitalizador da Palavra de Deus, e sua vida foi transformada.

Conclusão – A Palavra de Deus ainda é uma defesa contra o inimigo. Precisamos de seu poder mais do que nunca, “pois o diabo desceu até [nós], cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta” (Apocalipse 12:12). Tome tempo para estudar a Palavra de Deus. Reserve momentos para escondê-la em seu coração. Ore com o salmista: “Vivifica-me, segundo a Tua palavra” (Salmos 119:54) e experimente seu poder revitalizador em sua vida diária.


Derek J. Morris é editor da revista Ministry, periódico internacional para líderes religiosos.


Referência

1. Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 73


Fonte: Revista Adventista, outubro de 2012, pp. 20, 21 – Disponível em http://www.revistaadventista.com.br

Tags: , ,