Histórias de Hinos do Hinário Adventista – Nr. 540

A Revelação da Cruz

Letra: Isaac Watts (1674-1748)

Título Original: At the Cross

Música: Ralph Erskine Hudson (1843-1901)

Texto Bíblico: Então chamaram pela segunda vez o homem que fora cego, e lhe disseram: Dá glória a Deus; nós sabemos que esse homem é pecador. Respondeu ele: Se é pecador, não sei; uma coisa sei: eu era cego, e agora vejo. (João 9:24 e 25)

Observação: Ralph Erskine Hudson escreveu a letra do côro deste hino em 1885. Muitos hinários listam este hino pelo seu primeiro verso: Alas! And Did My Savior Bleed?


Acompanhe o hino no Youtube


1. Quão cego outrora eu já vaguei
Distante do Senhor,
Que veio lá dos altos Céus,
Salvar o pecador.

Coro:
Foi na cruz, foi na cruz
Em que alfim percebi:
Meu pecado recaiu em Jesus!
Foi então, pela fé, que meus olhos abri,
Que prazer sinto agora em Sua luz!

2. Do grande amor sem-par ouvi,
O amor de meu Jesus,
Porém eu surdo então me fiz
E desprezei a luz.

3. Temor da morte eu já senti,
Pairando sobre mim;
Aos pés de Cristo então corri
E achei abrigo enfim.

4. Remido, ó Cristo, o coração
Eu ponho ao Teu dispor;
Teu nome quero sempre honrar,
Honrar Teu santo amor.


Isaac Watts escreveu este hino intitulado Godly Sorrow Arising from the Sufferings of Christ (Tristeza Santa Surgindo dos Sofrimentos de Cristo). As seis estrofes originais descrevem bem este sofrimento e a resposta do pecador ao descobrir em Cristo a fonte da sua redenção. O hino faz parte da segunda divisão do seu hinário Hymns and Spiritual Songs (Hinos e Cânticos Espirituais), publicado em 1707. A inigualável poetisa cega, Fanny Crosby, conta na sua autobiografia da hora da sua conversão ao som do hino de Watts. Em novembro de 1850, durante um culto que ela estava assistindo, “depois duma oração, começaram a cantar o grande hino antigo de consagração, ‘Por Meus Pecados Padeceu’, e quando chegaram a terceira linha da quinta estrofe, ‘Eis-me aqui, Senhor, eu me entrego a Ti’, minha alma se inundou de luz celestial.”

Infelizmente, esta estofe não aparece nos hinários em português. Acredita-se que mais conversões têm sido atribuídas a este do que a qualquer outro hino inglês, a não ser que “Tal Qual Estou” de Charlotte Elliott o tenha superado em anos recentes.

O evangelista e músico Ralph E. Hudson compôs a melodia que ganhou o seu nome. HUDSON apareceu pela primeira vez no seu Hymns Songs of Peace, Love and Joy (Cânticos de Paz, Amor e Alegria) em 1885. Hudson adicionou um refrão (letra e música) ao hino que calcula-se ter nascido nos Camp Meetings. O hino, sem o refrão de Hudson apareceu em outras coletâneas da época. Por seu caráter bem diferente da estofe, o refrão não foi incluído .

Ralph E. Hudson (1843-1901), nascido na cidade de Napoleon, Estado de Ohio, EUA, mudou-se durante a infância para Pensilvânia. Durante a Guerra Civil, Hudson serviu como enfermeiro no Estado de Maryland. Casou-se com Mary Smith em 1863 e , voltando a Ohio em 1864, começou o seu ensino de música na faculdade Mount Vernon na cidade de Alliance. Pregador licenciado pela igreja Metodista Episcopal, Hudson foi muito ativo na obra evangelística. Cantor e hinista, também estabeleceu sua própria publicadora. Publicou quatro coletâneas de gospel hymns, as quais depois uniu num só volume intitulado Quartette. Hudson freqüentemente compôs melodias do estilo gospel hymns para letras de hinos tradicionais bem conhecidos para uso no seu trabalho evangelísticos.


Veja a partitura cifrada deste hino

Veja este hino também no Ministério Cristo Vai Voltar