Dirigidos pelo Espírito ou Orientados por Propósitos? – Parte 04

por: Berit Kjos

O Espírito de Adoração

Em Uma Vida com Propósitos, Rick Warren sabiamente aponta para a importância da adoração e da entrega: “A adoração deve estar baseada na verdade das Escrituras e não em nossas opiniões a respeito de Deus”. [1, p. 89] Isso é verdade! Todavia, seu livro oferece opiniões e ilustrações que solapam essa verdade – incluindo algumas suposições enganosas sobre Deus e o que Ele ama.

“A adoração deve ser precisa e autêntica”, ele escreve na página 90. “A adoração agradável a Deus é profundamente emocional e profundamente doutrinária … O melhor estilo de adoração é aquele que mais genuinamente representa o seu amor por Deus, com base na formação e na personalidade que ele lhe deu.”

Ele então apresenta a seguinte ilustração:

“Meu amigo Gary Thomas observou que muitos cristãos parecem estar presos em uma rotina insatisfatória de adoração, em vez de terem uma empolgada amizade com Deus. Eles se obrigam a utilizar métodos devocionais ou estilos de adoração que não se adaptam à forma exclusiva que Deus lhes deu.”

“Gary refletiu consigo mesmo: Se Deus propositadamente nos criou diferentes, por que deveríamos todos amar a Deus da mesma forma? … Em seu livro Sacred Pathways [Caminhos Sagrados], Gary identifica nove maneiras pelas quais as pessoas se aproximam de Deus; os naturalistas estão mais motivados a amar a Deus ao ar livre, em ambientes naturais. Os sensitivos amam a Deus com os seus sentidos e apreciam belos cultos de adoração que envolvam o aspecto visual, paladar, aroma e toque, não apenas a audição… Os ascetas preferem amar a Deus em solidão e simplicidade. (Mais tarde no livro, Warren nos diz que apenas aqueles que participam da igreja organizada de hoje podem crescer espiritualmente.) … Os ativistas amam a Deus pelo confronto com o mal, combatendo a injustiça e trabalhando para tornar o mundo um lugar melhor…” [1, p. 91; ênfase adicionada]

Será se o Pastor Warren iguala os “ativistas” aos ativistas sociais e políticos que empurram igrejas e as nações em direção ao sistema global de bem-estar social baseado nos padrões da ONU para a solidariedade social? As igrejas liberais e o Conselho Mundial de Igrejas são as forças principais nesse movimento acelerado de “parcerias baseadas na fé” que – sob a bandeira do amor e da tolerância – serve aos necessitados e ao mesmo tempo silencia o evangelho. [2] Mas Jesus disse: “O meu reino não é deste mundo.” [João 18:36]

“Não há uma abordagem ‘tamanho único’ para adorar e desenvolver amizade com Deus”, continua o pastor Warren. “Deus quer que você seja você mesmo.” Isso é verdade. Depois, ele valida seu ponto de vista com uma citação da The Message: “Este é o tipo de pessoa que o Pai está buscando, os que são simples e honestos consigo mesmos perante ele em sua adoração.” Compare as três traduções padrão da Bíblia abaixo com a paráfrase Message, de Eugene Peterson. Observe a contradição das palavras e do sentido:

Almeida Corrigida Fiel
Almeida Revista e Corrigida
Nova Versão Internacional
The Message
A hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” [João 4:23] A hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” [João 4:23] Está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura.” [João 4:23] Este é o tipo de pessoa que o Pai está buscando; os que são simples e honestos consigo mesmos perante ele em sua adoração.[1, p. 91-92; ênfase adicionada]

Embora Deus exija absoluta honestidade da parte de Seu povo, a palavra “verdade” aqui implica muito mais do que “simples e honestos consigo mesmos”. A verdade central fala sobre nosso maravilhoso Deus. Adoração é a nossa resposta ao que Sua Palavra e Seu Espírito nos revelam sobre Sua glória e bondade. E o Pastor Warren sabe disso muito bem. Apesar de sua pragmática promoção da contemporização cultural sob a bandeira do crescimento da igreja, ele também inclui algumas belas descrições:

“Onde está a glória de Deus? Basta olhar em volta, Tudo que foi criado por Deus reflete sua glória de alguma forma. Vemos isso em toda parte: da menor forma de vida microscópica até a Via Láctea; do pôr-do-sol e das estrelas às tempestades e estações do ano … A Bíblia diz que os céus declaram a glória de Deus.” [1, p. 48]

“Não há nada que possamos agregar à sua glória, assim como seria impossível aumentar o brilho do sol; mas somos instruídos a reconhecer sua glória, honrar sua glória, declarar sua glória, louvar sua glória, refletir sua glória e viver por sua glória. Por quê? Porque Deus merece! Nós lhe devemos toda a honra que pudermos dar.” [1, p. 49]

Verdade! Mas enquanto Warren nos lembra que “Adorar é um estilo de vida”, ele baseia sua descrição de Deus em suas suposições pessoais, não na revelação Bíblica:

“A adoração não tem relação com o estilo, volume ou andamento da música. Deus ama todos os tipos de música porque ele inventou todas – rápidas e lentas, altas e suaves, antigas e modernas. É provável que você não goste de todas, mas Deus gosta!” [1, p. 59; ênfase adicionada

Gosta mesmo? Inclusive da batida vibrante do Rock pesado? [Leia o artigo “Popular Music with Pagan Roots”] Ou a sensualidade pulsante de outras formas de Rock e do Hip-hop? Ou os sons hipnóticos da música de Nova Era? [veja também os artigos (em português) disponíveis em “O Cristão e a Música Rock“]

Embora todas as partes do universo tenham sido criadas pelo nosso Deus soberano, Ele nos deixa usar Suas matérias-primas de acordo com nossas próprias inclinações – independente se elas honrem ou profanem Seu nome. Mas quando nos tornamos parte de Sua família e do Seu Reino, Ele nos faz responsáveis para com Seus elevados e santos padrões – e ao que revelou sobre Si Mesmo em Sua Palavra.

Mais uma vez o pastor Warren parece concordar. Ele diz:

“Devo optar por valorizar o que Deus valoriza. É isso que os amigos fazem – importam-se com o que é importante para a outra pessoa. Quanto mais você se torna amigo de Deus, mais se importa com as coisas com as quais ele se importa, sofre com as coisas que o entristecem e se alegra com as coisas que lhe dão prazer.” [1, p. 86]

Esse é um ótimo resumo. Warren continua e diz que: “Paulo é o melhor exemplo disso. As prioridades de Deus eram as suas prioridades, e os desejos de Deus eram os seus desejos.” Depois, ele apóia sua afirmação com outra citação da The Message, que deixa de lado um ponto-chave: que Deus é um “Deus zeloso”. Seu santo zelo é expresso por meio de Paulo em sua preocupação pela igreja. Para mostrar o contexto, incluímos também o verso seguinte:

Almeida Corrigida Fiel
Almeida Revista e Corrigida
Nova Versão Internacional
The Message
Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo. Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos…” [II Coríntios 11:2-4; ênfase adicionada] Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber a Cristo. Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos…” [II Coríntios 11:2-4; ênfase adicionada] O zelo que tenho por vocês é um zelo que vem de Deus. Eu os prometi a um único marido, Cristo, querendo apresentá-los a ele como uma virgem pura. O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie…” [ II Coríntios 11:2-4; ênfase adicionada] O que me deixa tão transtornado é preocupar-me tanto com vocês – esse é o zelo de Deus que queima dentro de mim!” [II Coríntios 11:2] [1, p. 86; ênfase adicionada]

Provando o “zelo” de Deus, Warren pergunta:

“O que importa para Deus? A redenção de seu povo. Ele quer que todos os seus filhos perdidos sejam achados! Esse é o único motivo pelo qual Jesus veio à terra. A coisa mais preciosa ao coração de Deus é a morte de Seu Filho. A segunda coisa mais preciosa é quando seus filhos comunicam essas novas a outras pessoas. Para ser amigo de Deus, você deve se interessar por todas as pessoas ao seu redor, com as quais Deus se importa.”

Sim, isso parece correto. Mas é apenas uma meia-verdade. O pastor Warren aparentemente citou as palavras acima da The Message para validar seu ponto de vista sobre “zelo” [19] Mas as traduções-padrão da Bíblia baseadas nas fontes gregas antigas na verdade se referem a uma questão diferente: o zelo de Deus pela pureza e santidade da igreja. Paulo estava alertando os coríntios sobre a corrupção no corpo de Cristo – a preocupação principal tanto no Velho quanto no Novo Testamento. O apóstolo enfatiza novamente esse propósito em sua carta à igreja de Filipos:

Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; retendo a palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão.” [Filipenses 2:15-16]

Em outras palavras, Deus nos chama para sermos diferentes do mundo corrupto que nos rodeia. Ele nos fez um povo santo e nos separou para Si Mesmo. Jesus disse: “Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.” [João 17:15-18]

A ênfase do pastor Warren nesse zelo esconde esse ponto. O tema da pureza é trocado pelo tema mais contemporâneo das relações pessoais. Portanto, as diretrizes sobre relacionamentos baseados em “sentir-se bem” tornam-se mais importantes do que a necessidade espiritual de arrependimento e santidade em Cristo.

Não pense que eu diminuiria o mandamento mais importante: “Amai-vos uns aos outros”, como Cristo nos ama. Mas, quando a corrupção e o mundanismo infiltram-se na igreja, o amor agapao – uma expressão do Espírito Santo em nós – se extingue. Podemos substituí-lo por mais amor humano phileo (amizade, afeição, irmandade), mas isso não irá cumprir o mandamento acima. (Apesar da freqüente referência do pastor Warren sobre nossa “amizade com Deus”, a Bíblia nunca usa a palavra phileo em nenhum dos mandamentos para amarmos a Deus. Ela sempre usa a palavra agapao, o amor sobrenatural de Deus fluindo através de seu povo fiel.)

No contexto da filosofia gerencial e de marketing de Peter Drucker, a ênfase do pastor Warren faz completo sentido. As novas diretrizes relacionais são planejadas para construir a lealdade grupal, ensinar “respeito” por todas as opiniões e bloquear as verdades impopulares que exponham o erro e a corrupção. Estas últimas são simplesmente divisivas demais. A “amizade” entre pessoas espiritualmente diversas é muito importante, mesmo que isso entre em choque com a Palavra de Deus [4] e force os cristãos a transigirem. É por isso que muitos cristãos comprometidos, mas de coração partido, estão deixando as igrejas “amigáveis aos buscadores” nas quais serviram fielmente. Eles simplesmente não podem concordar em descartar as instruções bíblicas “ofensivas” para seguir a nova visão de unidade e comunidade.

O povo de Deus precisa ouvir sua consciência instruída pelo Espírito Santo. Se invocamos o nome e promessas de Deus, devemos seguir Seus caminhos em vez de nossos sentimentos ou esquemas populares de marketing. Se nossa adoração é uma expressão de nossa natureza humana em vez da verdade e do Espírito de Deus, ela é inútil. É muito fácil “extingüir o Espírito” e se tornar cego à Sua Luz. Ao tentarmos tornar o cristianismo mais aceitável ao mundo, podemos esquecer as sóbrias advertências de Jesus aos Seus discípulos:

Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia.” [João 15:19-21]

Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.” [I Tessalonicenses 5:19-24]


Notas

1. Rick Warren, Uma Vida com Propósito, Editora Vida.

2. Veja “Church Management and Global Missions”. No inverno de 2003, o pastor Warren apresentou o Plano P.E.A.C.E – “uma estratégia para que cada pequeno grupo de nossa igreja e dezenas de milhares de pequenos grupos em outras igrejas, se tornem comprometidos com a solução dos cinco maiores problemas do mundo: a perdição espiritual, a falta de líderes piedosos, a pobreza, as doenças e a falta de educação.”

“Acreditamos que é parte do começo de um avivamento espiritual, um movimento global, uma Nova Reforma”, escreveu o pastor Warren. “O plano PEACE tratará desses cinco problemas ‘gigantes’ por meio da implantação de novas igrejas … equipando os líderes … dando assistência aos pobres … cuidando dos doentes … e educando à próxima geração …”

“O resultado é que pretendemos reinventar a estratégia missionária no século XXI. Como foi dito, essa será uma nova Reforma. A primeira Reforma nos devolveu a mensagem original da igreja. Foi uma reforma doutrinária – em que a igreja ACREDITA. Essa segunda Reforma nos levará de volta à missão original da igreja. Será uma reforma nos propósitos – o que a igreja FAZ no mundo.”

Deus nos chama para compartilhar Seu amor e recursos com os pobres e necessitados. Mas se o plano PEACE do pastor Warren significa treinar líderes de igreja a confiar e seguir as estratégias mundanas de gerenciamento e marketing como ele mesmo faz (veja Parte 1 e 3), eles estarão a serviço da agenda global humana; não servindo a Deus. [Leia Reinventing the World]

3. A ênfase atual em “paixão” e euforia podem ser enganosas. Na tradução Almeida Corrigida e Fiel, “paixão” refere-se ao sofrimento de nosso Senhor na cruz. Mas outras traduções igualam “paixão” a “lascívia” ou “afeição desordenada”. Por exemplo, veja Atos 1:3 e Colossenses 3:5 (ACF): “Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria.”

4. II Coríntios 6:14-18 – “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.”


Fonte: A Espada do Espírito

Tradução: Maria Stella Tupynambá


Capítulo Anterior Índice da Série “Propósitos” Capítulo Seguinte