Dois Grandes Sinais da Breve Volta de Cristo

Pr. Jorge Mário de Oliveira

São tantos e tão freqüentes os sinais da volta de Jesus, que não nos impressionam mais. Fome, pestes, terremotos, catástrofes, sinais nos céus, na lua e nas estrelas, falta de amor, e outros, são todos cientificamente explicados, que já não produzem o efeito que devia produzir.

Muitos desistem da fé. Cansam-se da espera. Outros permanecem letárgicos, indiferentes, deitados em berço esplêndido insensatamente dizendo: “Meu Senhor tarde virá…” (Lucas 12:45).

Deus foi sábio em dar-nos sinais, prenúncios de sua segunda vida. Marcas indicativas de que o fim se aproxima. Conhecendo a dureza de nosso coração, sabendo da tendência que temos à incredulidade, à impaciência natural por esperar, misericordiosamente nos deu outros sinais que não aparecem na Bíblia mas que reforçam as convicções na Palavra de Deus dando o alerta do fim iminente.

Sinais para Adventistas do 7º Dia. Já parou para pensar nisso? Destaco dois deles.

O 1º Sinal:

“Quando o protestantismo estender os braços através do abismo, a fim de dar uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo, quando por influência dessa tríplice aliança os Estados Unidos forem induzidos a repudiar todos os princípios de sua Constituição, que fizeram deles um governo protestante e republicano, e adotar medidas para a propagação dos erros e falsidades do papado, podemos saber que é chegado o tempo das operações maravilhosas de Satanás e que o fim está próximo.Testemunhos Seletos, vol. 2, p. 151.

Essa tríplice aliança, já é uma realidade. O que era escatologia, já não é mais. Este sinal está aí. Diante disso alguns dizem: “É profético… tem de acontecer e vai acontecer mesmo. Nem que não queiramos.”

É sempre bom lembrar que as profecias não são determinativas. Elas não determinam o futuro. O que fazem é antever o futuro. Pela presciência de Deus, Ele revela o futuro ao profeta que faz uma descrição antecipada dos eventos futuros.

Quando Ellen White fala da tríplice aliança entre catolicismo, protestantismo e espiritismo, não está determinando que deverá ser assim apenas Deus lhe mostrara no passado, o que ocorreria no futuro, hoje presente, que o Protestantismo daria suas mãos ao catolicismo e ao espiritismo. E que por influência dessa tríplice aliança, a nação americana repudiaria sua constituição e governo republicano impondo leis que divulgariam os erros do papado.

Quando isso acontecesse, o povo de Deus saberia que o fim estaria próximo.

O 2º Sinal:

“As coisas que descrevestes como ocorrendo em Indiana, o Senhor revelou-me que haviam de ocorrer imediatamente antes da terminação da graça. Demonstrar-se-á tudo quanto é estranho. Haverá gritos com tambores, música e dança. Os sentidos dos seres racionais ficarão tão confundidos que não se pode confiar neles quanto a decisões retas. E isto será chamado operação do Espírito Santo.” Mensagens Escolhidas, vol. 2, p. 36.

“Uma balbúrdia de barulho choca os sentidos e perverte aquilo que, se devidamente dirigido, seria uma bênção. As forças das instrumentalidades satânicas misturam-se com o alarido e barulho, para ter um carnaval, e isto é chamado de operação do Espírito Santo.” Ibdem

“Satanás opera entre a algazarra e a confusão de tal música, a qual, devidamente dirigida, seria um louvor e glória para Deus. Ele torna seu efeito qual venenoso aguilhão da serpente. Essas coisas que aconteceram no passado hão de ocorrer no futuro. Satanás fará da música um laço pela maneira por que é dirigida.” Idem, pp. 37-38.

A música religiosa contemporânea é um sinal de que a porta da graça está para se fechar. Para mim estes dois sinais estão entrelaçados. O espiritismo no mundo evangélico e católico é uma realidade através do movimento carismático. Existe uma aliança ecumênica ideológica.

Quem diria a trinta anos atrás que o catolicismo se tornaria pentecostal? E eu pergunto? O que embala esse falso reavivamento? Como conseguem manter o clima? O êxtase? Pelo mesmo recurso usado pelo espiritismo do candomblé, da macumba e afins. Pela música.

Padres carismáticos e seus companheiros estão aí, como testemunho do poder da música para suscitar um reavivamento da fé e da piedade do católico indiferente à religião. O sucesso é extraordinário!

As leis de marketing pregam: Dê o que o povo gosta. Faça o que o povo quer. Por isso que certas missas são mega eventos. Missas shows com a presença de cantores famosos para atrair as multidões iludidas e enganadas ao sabor de uma música reavivamentalista pelas características rítmicas e harmônicas que possuem.

Dois sinais. Um indicando que o fim está próximo e outro que a porta da graça está para se fechar. Ambos estão intimamente ligados. Indicam o mesmo evento. Podem ser percebidos à olhos vistos. Só não enxerga quem não quer ver. E há pessoas céticas que dizem: “Nada a ver!

Mesmo que o digam, não muda o que em realidade o é. Os sinais não são para os descrentes mas para os crentes. Para que saibam identificar os tempos nos quais vivem.

Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem.” (Mateus 13:13)

Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?” (II Pedro. 3:10-12).

Gosto desta versão que diz: ” Que pessoas vos convém ser em santo trato e piedade?” Devemos cruzar os braços dizendo: “Não, é profético… Isso vai ser assim mesmo?” Não. Deus espera uma outra reação.

“Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, p. 121.

“Deus pede um reavivamento espiritual, e uma reforma espiritual. A menos que isto se realize, os que são mornos continuarão a se tornar mais aborrecíveis ao Senhor, até que Ele Se recuse a reconhecê-los como Seus filhos.

Precisa haver um reavivamento e uma reforma, sob a ministração do Espírito Santo. Reavivamento e reforma são duas coisas diversas. Reavivamento significa renovação da vida espiritual, um avivamento das faculdades da mente e do coração, uma ressurreição da morte espiritual. Reforma significa uma reorganização, uma mudança nas idéias e teorias, hábitos e práticas.” Idem, p. 128.

Como acontece o reavivamento?

“Cumpre-nos, porém, mediante confissão,humilhação, arrependimento e fervorosa oração, cumprir as condições estipuladas por Deus em Sua promessa para conceder-nos Sua bênção. Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, p. 121.

“Deve haver oração unida e perseverante, e o reclamar, pela fé, as promessas de Deus. Deve haver, não o cobrir o corpo de saco, à semelhança da antiguidade, mas profunda humilhação de alma.” Idem, p. 126.

“Se temos qualquer consideração pela salvação de nossa alma, precisamos fazer decidida mudança. Precisamos buscar ao Senhor com genuíno arrependimento; importa que, com profunda contrição de alma, confessemos nossos pecados, para que sejam apagados.

É preciso não ficarmos por mais tempo no terreno encantado. Aproximamo-nos rapidamente do fim do nosso tempo de graça. Indague cada alma: Como estou eu perante Deus?” Idem, p. 125

“Não há coisa alguma que Satanás tema tanto como que o povo de Deus desimpeça o caminho mediante a remoção de todo impedimento, de modo que o Senhor possa derramar Seu Espírito sobre uma enfraquecida igreja e uma congregação impenitente.” Idem, p. 124.

Não é fácil reformar. Mudar idéias, teorias, hábitos e práticas é um tremendo de um desafio. Por isso, creio só ser possível como resultado de um reavivamento. Alguns estão esperando que alguma coisa extraordinária aconteça. Não acorrerá. Temos a revelação. Ela já nos foi dada. Busque aproveitar agora a oportunidade de conhecê-la. Um dia, será tarde. Saul chorou arrependido tarde demais….

Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus.” (Hebreus 12:1-2).


Fonte: Publicado originalmente em http://www.iaec2.br/pessoais/jorgemario/sermoes/dois_grandes_sinais.htm