O Culto – Capítulo 12

por: Rev. Onézio Figueiredo [1]

Estética templária

Examine a construção do templo. Veja como Deus ordenou artística e esteticamente a sua construção e a disposição dos móveis e utensílios litúrgicos. Este desvelo estético deve prevalecer em nossos templos pela arquitetura adequada à realização e à solenidade dos serviços sagrados pela disposição do púlpito, pela colocação do coral, do órgão, do piano, da orquestra, dos vasos ornamentais.

Lembrem-se de que a comunidade se posta de frente para os móveis, utensílios, coral, dirigente e pregador. A desarmonia do complexo litúrgico provoca mal-estar na comunidade. O belo e o harmônico fazem parte da liturgia. O ambiente de culto deve ser solene, ter alegria discreta e oferecer um ambiente de reflexão, meditação e contrição. A nave precisa evocar o sentimento de reverência e introspecção meditativa.


Notas:

[1] O presente texto foi escrito por um Reverendo da Igreja Presbiteriana. Por este motivo, o leitor encontrará algumas referências relacionadas ao culto de domingo, ou ainda alguns temas diretamente vinculados a esta denominação religiosa. Apesar deste detalhe, os editores do Música Sacra e Adoração compreendem que a leitura do texto do Reverendo Onézio Figueiredo é de suma importância para o contexto da adoração e do culto a Deus na Igreja Adventista do Sétimo Dia, justificando assim esta publicação.


Fonte: www.monergismo.com


Capítulo 13

Escolher outro capítulo