Aula 7 – Harmonização de Melodias em Bloco (para Naipes)

por: autor desconhecido [*]

Quando trabalhamos com naipes, é comum harmonizarmos em blocos estes naipes. Esta harmonização dá caráter firme ao trecho harmonizado, e é muito usado nas composições para grupos maiores como bandas, orquestras ou grupos de metais.

Para melhor entendermos como se procede partamos de uma melodia dada.

Primeiramente ela deve ser cifrada:

Logo após cifrá-la, devemos identificar as notas que não fazem parte do acorde, que serão geralmente: apogiaturas (AP), notas de passagem (NP), bordaduras (B), retardos (R), etc.[**]

Apogiatura: nota que precede a nota real do acorde, localizada em temo forte.

Nota de passagem: Nota estranha ao acorde localizada entre duas notas reais, e em tempo fraco.

Bordadura: nota estranha ao acorde localizada entre nota do acorde que se repete antes e depois dela.

Esta pode ser superior ou inferior, por tom ou semitom.

Assim feito, procederemos de acordo com as seguintes regras:

Em caso de notas com valor curto, como por exemplo, ½ tempo:

1. Notas de Passagem e Apogiaturas e bordaduras serão harmonizadas com acordes do IV ou V Grau do acorde em vigor.

2. Retardos e antecipações serão harmonizados com acorde anterior e o próximo acorde respectivamente.

Em caso de notas com valor maior, como um tempo ou mais, serão harmonizadas com notas do próprio acorde, omitindo-se a nota imediatamente abaixo desta nota dada.

Então vejamos:

Cromatismos (Cr).

Devem ser harmonizados com cromatismos nas demais vozes. Neste caso se harmoniza primeiro a nota seguinte ao cromatismo.

Este tipo de harmonização deve ser usado em momento oportuno, evitando excesso de emprego que torna a música demasiadamente pesada, e ainda tira a beleza e surpresa deste recurso.


[*] – Nota: Os editores do Música Sacra e Adoração não localizaram informações acerca do autor deste artigo. Qualquer contribuição acerca desta informação será bem-vinda.

[**] – Nota: Os editores do Música Sacra e Adoração entendem que a utilização destes termos se dá no contexto exclusivo da Harmonia, com um sentido diferente daquele utilizado para descrever os ornamentos melódicos e rítmicos.


Fonte: Scribd


Aula Anterior

Próxima Aula