Aula 1 – Origem dos Acordes

por: autor desconhecido [*]

Para entendermos de onde se originam os acordes que aparecem no decorrer de uma peça, é importante saber que eles são formados a partir da escala do tom dessa peça.

Para melhor exemplificar, pensemos em uma peça em Dó Maior. Construamos uma escala de Dó:

Agora sobre essa escala construamos acordes de 4 sons sobre cada nota:

Agora vamos cifrar cada acorde:

Pronto, temos aqui o campo Harmônico de Dó maior, ou seja, os acordes oriundos da tonalidade de Dó maior.

Agora é necessário saber que ao montarmos a seqüência destes acordes no decorrer da música, faz se necessário que eles se coloquem de forma que a transição de um para o outro se preceda da forma mais suave e tranqüila, sem muitos saltos exagerados nem paralelismos repetitivos.

Assim sendo usamos a técnica chamada encadeamento, onde buscamos manter as notas comuns sempre que possível, e quando não, fazemos a passagem pelo caminho mais curto.

Ex: Imaginemos uma seqüência dos seguintes acordes:

C – Am – Dm – G – C

Para se efetuar o encadeamento seguiremos os seguintes passos:

  1. Cria-se a linha do baixo.
  2. Cria-se, a partir de uma nota qualquer do 1º acorde, a voz superior, buscando manter notas comuns e onde não for possível, faremos movimento contrário ao baixo.
  3. Completaremos o acorde a partir da nota criada na voz superior para baixo.

Vejamos:

Passo 1

Passo 2

Passo 3

Note que as notas de cada voz, se sucedem de forma tranqüila e fácil de se cantar, essa é a característica de um bom encadeamento.


[*] – Nota: Os editores do Música Sacra e Adoração não localizaram informações acerca do autor deste artigo. Qualquer contribuição acerca desta informação será bem-vinda.


Fonte: Scribd


Aula Anterior

Próxima Aula