Técnica Vocal – Diana Goulart

Técnica Vocal e Fisiologia 4 de julho de 2012 3:56 pm

por: Diana Goulart

[Relaxamento]

[Respiração]

[Vocalise]


[Relaxamento]

O relaxamento evita que você sobrecarregue o seu corpo com tensões e desgastes desnecessários. E no caso do cantor, o seu instrumento é o próprio corpo!

Você estuda, trabalha, namora, enfrenta o trânsito … É claro que é quase impossível estar permanentemente relaxado. E o pior é que muitas vezes você não se dá conta do quanto esta tensão se reflete nos seus músculos – principalmente pescoço, ombros e costas. A nossa idéia é facilitar a consciência corporal – quer dizer: com estes exercícios, você pode melhorar a percepção do que acontece com seu corpo num dado momento.

Estes exercícios não foram inventados por mim, mas reunidos em diversas aulas de canto, de yoga e de tai-chi. Existem várias formas de relaxar, e acredito que o melhor é ir experimentando estas (e outras) diferentes maneiras, até encontrar as suas técnicas preferidas.

Observação: Tente adquirir o hábito de “monitorar” a tensão muscular. Você pode fazer isso em qualquer situação do dia-a-dia: observe sua postura, por exemplo, ao digitar ou segurar o mouse. Será que não está dispendendo mais energia do que o necessário? Faça uma pausa de alguns minutos, use um destes exercícios e retorne ao trabalho.

Exercício 1

Bem devagar, faça movimentos com a cabeça: primeiro para a frente, como se fosse encostar o queixo na base do pescoço; para trás, fazendo o queixo apontar para o teto; para cada um dos lados, como se fosse levar cada orelha ao ombro (atenção: não eleve o ombro, é a cabeça que se move!).

Exercício 2

Sempre devagar, faça movimentos de rotação com a cabeça. Deixe os ombros relaxados. Se ficar tonto, leve a ponta da língua ao céu da boca e aperte.

Exercício 3

Faça movimentos circulares de rotação com os ombros – primeiro de trás para a frente, depois invertendo a direção.

Exercício 4

Em pé, procure alcançar o teto com as mãos. Tente sentir a musculatura se alongando, especialmente a dos braços e as lateraisl do tronco. Então, deixe o corpo “desabar” para a frente, com as mãos em direção ao solo. Deixe a cabeça relaxada também (não tente olhar para a frente). Vá então levantando bem devagar, começando sempre pela cintura – a cabeça será a última a voltar à posição ereta.

Exercício 5

Esfregue as mãos para aquecê-las. Massageie então o seu pescoço, começando atrás das orelhas e descendo até os ombros. Descubra onde estão os pontos mais tensos e tente “acalmá-los” com as pontas dos dedos.

Exercício 6

Deitado, contraia apenas os dedos dos pés. Observe a sensação de estar assim tenso. Então, relaxe os dedos. Agora, observe bem a diferença entre estar tenso e relaxado. Repita esta experiência com cada parte do corpo – pé, batata da perna, joelho, até chegar ao rosto. Tente vivenciar plenamente o contraste entre tensão e relaxamento.


[Respiração]

O controle da respiração é fundamental para quem quer cantar. Será que você está aproveitando toda a sua capacidade respiratória?

Na inspiração, o tórax se alarga e o diafragma, contraído, fica numa posição baixa. Isto permite que o ar entre naturalmente em nosso corpo. Quando a musculatura relaxa, encolhendo o tórax e elevando o diafragma, o ar sai (expiração).

Para a produção da voz, porém, é importante pensar na inspiração e na expiração como sendo um mesmo processo, um único movimento. O alargamento do tórax deve ser aproveitado ao máximo enquanto se produz o som – o cantor está sempre numa atitude de inspiração, mantendo assim o tóxax aberto e o diafragma abaixado. Nesta condição, ele tem todo o controle (apoio) necessário à produção do canto. A cada nova frase cantada, o processo se repete: o tórax encolhe para expulsar o resto de ar “antigo” e imediatamente expande, trazendo novo suprimento de ar para se produzir a próxima frase.

Observação: Note que mudanças na sua rotina – como dormir mais tarde do que o costume, uma gripe forte, uma situação estressante, etc. – podem afetar significativamente o seu desempenho. Quando isto ocorrer, não desanime: use esta constatação a seu favor, ampliando a sua capacidade de autoconhecimento. Saber como funciona o seu corpo é fundamental para quem quer cantar!

Exercício 1

Inspirar expandindo o tórax. Você deve sentir o alargamento das costelas flutuantes, mais ou menos na altura da cintura. NÃO LEVANTE OS OMBROS NEM ESTUFE O PEITO! Cuide também para que a musculatura do pescoço não esteja tensionada. Sustentar por alguns segundos (pausa) e expirar esvaziando totalmente (sanfona).

Exercício 2

Repetir o ex. 1, desta vez fazendo o som “SSSSS…” (contínuo) durante a expiração. Procure manter o som homogêneo, estável, sem variação de intensidade, e durante um tempo confortável, sem exageros.

Exercício 3

Repetir o ex. 1, agora fazendo sons bem curtos em “S” (stacatto). A cada som corresponde uma expansão do tórax (como se quizesse alargar ainda mais a cintura).

Exercício 4

Alternar os exercícios 2 e 3: S – S – S – S – SSSSSSSSS (stacatto / contínuo).

Exercício 5

Repetir os exercícios com os sons de CH e depois com F F. Marque o tempo confortável para manter um som contínuo, homogêneo, sem oscilações (SSS, CH, FFF). A partir deste tempo básico, comece a tentar aumentar sua capacidade, mas sem perder a qualidade.

Exercício 6

Inspire lentamente enquanto caminha cinco passos. Observe sempre o alargamento natural do tórax. Quando fôr dar o sexto passo, comece a fazer um som com a boca fechada (bocachiusa): Hummmmm….. durante os próximos cinco passos. Atenção: use a região média de sua voz – ou seja, o som não deve ser nem muito grave nem muito agudo. No sexto passo, “jogue fora” o ar que restou e recomece o processo – volte a inspirar lentamente e repita o ciclo.

Exercício 7

Parecido com o anterior, mas em vez de “hummmmm”, conte de 1 até 5, dizendo um número para cada passo. Atenção: use a região média de sua voz.

Exercício 8

Mantenha os cinco passos para inspirar, mas tente variar o tempo de expiração – por exemplo, você pode ir acrescentando dois passos de cada vez. É uma boa maneira de monitorar o seu progresso.


[Vocalise]

Vocalises são pequenas frases musicais que utilizamos como exercício para o treinamento da voz.

Veja a seguir alguns pontos fundamentais para executar qualquer vocalise:

Mantenha uma atitude relaxada (mas não “largada”). Sua coluna deve estar reta, e seu peso distribuído uniformemente sobre as duas pernas. Rosto, pescoço e ombros devem estar livres de tensão. Se puder, faça antes algum exercício de relaxamento.

Controle a respiração de acordo com as intruções de seu professor de canto. Se possível, faça antes dos vocalises alguns exercícios respiratórios.

Procure bocejar antes dos exercícios. Durante o bocejo, você eleva naturalmente o palato e abaixa a base da língua; além disso, o som do bocejo é um excelente modelo para a sonoridade da voz cantada.

Peça sempre a opinião do seu professor sobre a execução e os resultados dos vocalises. Peça a ele que oriente você sobre a extensão dos exercícios.

Atenção 1: Esteja sempre atento para não abusar da sua voz. Só o seu professor pode determinar a hora de expandir os seus limites vocais. Os vocalises aqui apresentados destinam-se apenas a treinar o que já é feito em aula. Atenção 2: Ouça atentamente o acompanhamento. Nas primeiras vezes você pode ouvir a melodia tocando junto, para guiá-lo; depois, quando se sentir seguro, é só “desligar” a melodia.

Exercício 1 – Vocalise de Aquecimento

Os vocalises de aquecimento devem ser feitos no início de cada aula, ou então antes de um show ou gravação. Estes exercícios preparam o cantor para uma atividade intensa. [1]

Depois de memorizar a frase musical e a “letra”, você vai repetir a frase diversas vezes e em diversas tonalidades, “subindo” e “descendo”, junto com o acompanhamento.

Exercício 2 – Articulação [1]

Exercício 3 – Extensão Vocal [1]

Se preferir, pode substituir a letra por combinações de duas vogais (MO-I-O-I-O, VE-O-E-O-E, etc).


Nota:

[1] Como o leitor atento percebeu, a parte de “vocalises” deste artigo é bastante breve e não apresenta os sons correspondentes às imagens das pauta musicais. Para maiores esclarecimentos e para um contato direto com a criadora do material aqui publicado por nós, aconselhamos uma visita ao espaço virtual original de Diana Goulart (Nota dos editores do Música Sacra e Adoração).


Fonte: Publicado originalmente em: http://www.dianagoulart.pro.br/salaaula/tecvoc/tecvoc.htm

Tags: ,