Algumas Dicas Para Uma Boa Voz

Técnica Vocal e Fisiologia 4 de julho de 2012 3:55 pm

por: Eduardo Guaiato

Aqui estão selecionadas algumas pequenas dicas, a serem colocadas em prática, antes, durante e após a apresentação vocal. Talvez algumas delas, não retratem o ponto de vista de outros colegas, e podem também, divergirem de pessoa para pessoa, de acordo com o organismo de cada um. Entretanto, procurei adaptar aquilo que mais se enquadra no “cantar” bem, norteado por amigos profissionais experientes e também, claro, por mim mesmo. Muito bem, vamos a elas…

  • Procure cantar sempre em pé, com postura ereta. Evite roupas apertadas.
  • Postura ereta, neste caso, não significa rigidez, mas sim, prontidão. Prontidão à respostas imediatas do organismo, exigidas para uma boa vocalização.
  • Relaxe a musculatura do corpo, principalmente a do tronco.
  • Através de exercícios técnicos, um aquecimento vocal é sempre fundamental antes de cada apresentação.
  • Após a apresentação, faça repouso vocal.
  • No canto, a hidratação da mucosa é de fundamental importância. Procure tomar pelo menos dois litros de água por dia.
  • Procure ter ciência do que vai cantar. Isso evitará frustrações por medo, timidez, ansiedade, etc.. No caso de uma melodia nova, procure estudar o texto em “off “, (sem acompanhamento), isso lhe trará maior segurança posterior.
  • Com o microfone, é muito importante ouvir sua própria voz. Se sentir que o acompanhamento está lhe incomodando, não hesite em pedir para aumentar o volume, ou pedir para abaixar a “cozinha” (acompanhamento).
  • Aprenda a reconhecer sua voz, novos timbres, tessituras ( tons graves, médios e agudos), partes ressonantes da máscara facial. É importante você monitorar sua voz, constantemente.
  • Procure não comer em excesso momentos antes das aulas, e beba água sem gelo durante o aprendizado.
  • Atenção às comidas super-condimentadas e gordurosas. Não fazem bem para a mucosa e prejudicam o sistema respiratório.
  • É relevante o hábito de exercícios de relaxamento, procurando evitar uma apresentação sob tensão e esforço.
  • Não é bem vista a auto-medicação via nasal. Procure antes um especialista.
  • Abomine o uso de bebidas alcoólicas, drogas e fumo, dando ênfase especial à maconha, cuja aspiração provoca super-aquecimento no complexo vocal, tornando a voz mais grave.
  • Não exagere na ingestão de bebidas quentes em excesso, (chá, café, chocolate, etc..).
  • Cuidado com mudanças bruscas de temperatura, seja por ingestão de líquidos ou fatores climáticos. Fuja do contato próximo a ares-condicionados e ventiladores. Se não for possível, aumente a ingestão de água à temperatura ambiente.
  • Nada de esforços vocais desnecessários, como gritar e falar alto. Evite falar demais ao telefone.
  • Ao falar, não force sua tessitura vocal (tons agudos ou graves). Fale no seu tom normal de voz. Por falar nisso, exija de seu professor para acompanhar no seu tom de voz mais adequado. Ele que se vire se cair em bemóis ou sustenidos, (teclas pretas).
  • Mantenha a concentração durante as aulas. Lembre-se de que sua voz é um instrumento que toca através do seu metabolismo, do seu espírito, da sua alma.
  • Esqueça os problemas extra-aula. Certifique-se de que você necessita de total relaxamento e concentração durante esse período.
  • Procure, pelo menos uma vez ao ano, visitar um otorrino para uma avaliação médica.
  • Alimentos pesados antes de dormir irritam as pregas vocais.
  • Dormir bem é de fundamental importância.
  • Não cante estressado.
  • É extremamente prejudicial cantar exaustivamente em ambientes de muito barulho, ou sem tratamento acústico adequado.
  • Evite cantar se não estiver bem de saúde.
  • Até hoje, não ficou cientificamente provado o uso de sprays, gengibre, conhaque, pastilhas, alho na manteiga, cebola crua, limão com mel, rapadura do Egito, e outras misturas milagrosas, como prevenção aos distúrbios vocais. Respeito a opinião de colegas, mas na minha ótica, é tudo uma questão de auto-sugestão, ou seja, se você por na cabeça que essas poções lhe farão bem, vá em frente, mas deixe seu clínico geral de sobreaviso.
  • Adquira seu próprio microfone. Uma questão de higiene e identificação.

Gostaria de deixar claro, que não sou terapeuta em distúrbios vocais, ou áreas abrangentes. Apenas enfoco colocações a título de informação, como profissional da voz. Caso necessite de orientação mais aprofundada, submeta-se à consulta de um especialista.


Fonte: http://www.edumusic.com.br

Tags: ,