A Tecnologia a Serviço das Igrejas – Sistemas Inteligentes

por: Carlos Bertachi

Boa parte da tecnologia nos equipamentos de som é aplicada aos DSP (processadores digitais de sinais). Apesar de este tipo de tecnologia estar sendo empregada já alguns anos, ultimamente muitos fabricantes investiram na elaboração de novas ferramentas baseadas em DSP e atualmente podemos notar que existe uma gama enorme de equipamentos capazes de realizar tarefas incríveis graças aos DSP’s.

Como todos sabem as igrejas sofrem bastante com a qualidade do som. Isto ocorre geralmente por duas razões: a primeira está ligada diretamente com a baixa qualidade dos equipamentos instalados na igreja e a segunda diz respeito aos ajustes e operação dos equipamentos de som.

A qualidade dos equipamentos pode ser facilmente resolvida, embora existam custos envolvidos; porem os ajustes requerem conhecimentos técnicos e certos cuidados para que o sistema de som funcione com qualidade.

É comum ouvirmos igrejas relatarem que o som foi recentemente substituído mas os problemas de microfonia e ecos permanecem. Parte deste problema está relacionado com o ajuste de ganho dos microfones, o qual deve ser devidamente ajustado para evitar este tipo de problema.

Os ajustes funcionam perfeitamente quando o microfone é utilizado sempre pela mesma pessoa. Porém, nas igrejas cristãs (Evangélicas e Católicas) isto é praticamente impossível, pois os músicos que cantaram e tocaram num determinado dia não serão os mesmos que cantarão no próximo evento religioso. Assim, este rodízio de músicos e pessoas acarreta novos ajustes, que infelizmente não são realizados da forma correta e o resultado é a microfonia e ecos novamente.

Com o advento da tecnologia empregada nos DSP’s, nossa experiência demonstra que é possível termos sistemas de som “inteligentes”. Este tipo de sistema é capaz de notar que uma determinada pessoa está falando ao microfone com o tom de voz muito baixo, e que isto poderá prejudicar a compreensão dos adoradores na igreja. Nesta situação o sistema assume o controle sendo, capaz de ajustar automaticamente o volume do microfone em questão. Caso este mesmo microfone seja utilizado por outra pessoa com o tom de voz muito alto o sistema atuará para reduzir o volume.

Com todos os microfones devidamente programados, obedecendo a parâmetros técnicos pré-estabelecidos, a chance de microfonia e ecos é eliminada definitivamente, dispensando a interferência de pessoas para ajustar o som. Isto só é possível porque o sistema possui inteligência virtual e toma as decisões automaticamente.

Ainda é possível controlar de forma independente o volume do som de cada caixa acústica, enviando sinais de áudio distintos a cada uma delas, aumentando da performance do sistema de som.

Estes exemplos citados acima a respeito do uso do DSP’s são apenas uma pequena amostra de suas funcionalidades. Os DSP’s atuais são equipados com inúmeros periféricos, tais como, equalizadores, compressores e outros equipamentos que auxiliam no ajuste do som da igreja. Desta forma, podemos afirmar que um único DSP é capaz de substituir muitos equipamentos.

O maior benefício que o sistema de som inteligente oferece, é a garantia que o som da igreja funcionará com alta qualidade, estável, robusto, livre de microfonia e ruídos indesejados, capaz de realizar os ajustes automaticamente.

É a tecnologia a serviço da sua igreja contribuindo para a edificação dos crentes, pois “a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo” (Romanos 10:17 – NVI).


Carlos Bertachi é Coordenador de Engenharia da Liberty Engenharia, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções audiovisuais para templos religiosos