Sonorização Caótica

por: Marcelo Charles

11 dicas para o caos não se instalar

Título estranho para um artigo não é mesmo? Mas saiba que existem inúmeras situações ainda mais estranhas dentro da sonorização em igrejas, pelas quais você provavelmente já passou ou ainda vai passar. Vou tentar com esse artigo explicar como transpor e contornar várias dessas situações e, assim, “pular fora” das situações caóticas.

Bom, você tem um som na sua igreja ou comunidade, que com muito esforço foi comprado através de doações e em várias prestações, e aquele equipamento tem que fazer milagres, fazer com que todos entendam o que o palestrante, orador ou pregador está falando. Você tem que fazer com que o agradável não se torne desagradável, que o sublime não se torne vulgar. Então em que ponto começaremos?

Começamos então arrumar a casa ou por em ordem o item mais perto de você, ou seja, você mesmo.  Bom, mas você pode pensar, a culpa deste caos é toda minha??? Não meu amigo, não é toda sua, mas você tem uma parcela de contribuição, infelizmente. Em diversos treinamentos que tenho passado para técnicos de som em diversas igrejas, noto uma certa resistência a novas informações. Alguns insistem em achar que aquilo é aquilo e não outra coisa. Insistem em manter seu orgulho e nunca admitir que sempre fizeram ou fazem algo errado a vida toda por ignorância. Já vi inúmeras situações do tipo:

  • Deixarem o Phantom Power ligado, porque achavam bonitinha aquele luz acesa, e não sabiam o que era.
  • Fazer um belo desenho no equalizador, achando que existe uma lógica em ter uma letra “U” desenhada no equalizador, ou uma ondinha desenhada lá.
  • Achar que sempre falta agudo, quando no entanto os agudos já estão quase queimando os tweeters.
  • Achar que ninguém está ouvindo e sempre colocar mais e mais volume.

Houve uma ocasião, uma situação cômica, em que um técnico de som que se dizia experiente me disse que phantom power é bom ficar ligado, porque ele dobra o som do microfone. DOBRA O SOM DO MICROFONE ???? ONDE ? Então o amigo técnico de som responde: mas o vendedor da loja disse isso e aquilo.

Queridos irmãos, os vendedores de lojas de instrumentos e equipamentos de áudio, na sua grande maioria, querem apenas vender, querem que você assine seu cheque ou passe seu cartão lá, pague e vá embora, e para não se mostrarem leigos, falam qualquer coisa. Além de que vão te enfiar um equipamento que esteja disponível na loja, e dirão que aquele equipamento que você quer, e que ele não tem é de pior qualidade. Lembrando que não são todos os vendedores assim, existem poucos vendedores que tem profundo e grande conhecimento, além de experiência, mas por via das dúvidas confie suas questões ao manual do equipamento antes de obter uma resposta ridícula. Peça para ver o manual e o veja na loja, antes de comprar, para ver os reais recursos do equipamento em questão. Se o vendedor não quiser te mostrar o manual, diga que não tem problema, você comprará em o equipamento outra loja.

Em muitos treinamentos e atendimentos, tenho me deparado com diversas situações, e o pior é quando me chamam para que eu confirme que o errado está certo. Quando me deparo com essas situações difíceis, faço questão de ir aos cultos nessas igrejas e sair perguntando a vários membros da igreja local o que eles acham do som, e obtenho então uma lista enorme de situações do tipo: agudo demais, alto demais, estranho demais, não consigo entender as palavras, baixo demais, microfonia, etc.

Levo então essa relação ao teimoso e orgulhoso técnico de som, o qual então tem dois caminhos, ou dispensa meus serviços ou terá que ter a humildade de começar do zero e solucionar aquela extensa lista de reclamações e críticas.

Então já teremos ai a primeira forma de trabalhar:

Primeira Dica: Peça opinião a todos. Pois além de você, meu amigo técnico de som e técnico, existem mais dezenas ou centenas de pessoas na igreja que estão ouvindo talvez o mesmo som que você, e eles poderão te fornecer valiosas criticas e valiosos parâmetros. Ouvir os membros da igreja e pedir opinião a eles é o primeiro e mais importante passo para o sucesso no som da sua igreja. Os instrumentistas são ótimas fontes de pesquisa. Faça uma pesquisa, isso mesmo, peça opinião e não se chateie se ouvir desabafos e extensas reclamações. Dizer a todos que você está pesquisando para tentar melhorar não é humilhante e nem vergonhoso, mas sim é sinal que você se preocupa e quer melhorar, e as pessoas verão isso. Isso é uma prática freqüente minha, pergunto aos cantores que se apresentam, aos pregadores, sempre estou perguntando, é gratificante ouvir elogios, e mais gratificante ainda é obter novas informações que te ajudarão a saber se você é o problema ou o cantor ou pregador é o problema. Mas saiba separar o pedir opiniões do obedecer qualquer um que fala qualquer coisa. Tome as opiniões, analise, pense e tome as decisões necessárias, mas não saia mudando o som ao primeiro olhar estranho de cada um. Se for o caso, converse depois com a pessoa para saber o quê ela achou ou se ela percebeu algo que você não percebeu. Comunicação é muito importante em tudo na vida, inclusive na sonorização. Tentar entender o que as pessoas querem e ser entendido é fundamental.

A Segunda Dica: Estude. Leia artigos, livros, revistas, estudar sobre acústica, periféricos, impedâncias, cabeamentos, caixas de som, mixagem, equalização, consoles, compressores, efeitos, e tudo mais que for possível. Freqüente feiras como Expomusic e AES. Aprenda sobre mesas digitais. Hoje com a internet existem inúmeros artigos e documentos, alguns em inglês que você poderá usar algum tradutor para lê-los. Ler, estudar é algo imprescindível.  Mesmo que a igreja local não te ajude com os custos de treinamentos ou com livros, tenha em mente que seu investimento será em você mesmo, no aumento do seu conhecimento. Vá às lojas, alugue o vendedor e mexa nos equipamentos. Seu trabalho será recompensado não por homens e nem por elogios que massageiam o ego, mas sim pelo nosso Pai do Céu.

A Terceira Dica: Faça uma revisão geral. Revise todo o seu cabeamento, cheque se suas caixas estão trabalhando em correta impedância com as potências. Verifique se as fases estão ligadas corretamente. Revise os cabos dos instrumentos e de microfones, e não deixe ocorrer ruídos no seu som. Tente não usar a potencia no volume máximo, pois isso pode criar ruídos do tipo tshhhhh nas caixas de som. Revise também as posições das caixas e veja se a posições estão te fornecendo uma correta referência. Algumas igrejas têm galerias, onde o técnico de som fica no alto e as caixas ficam em baixo, fornecendo então uma falsa referencia, e isso é terrível. Sei que infelizmente a situação não permite você descer o som todo ou subir as caixas, então te sugiro uma análise, ouvir um cd embaixo na nave da igreja e depois em cima, na galeria, e comparar as diferenças entre médios, graves e agudos. Lembre-se: um único cabinho em curto pode causar belíssimos estalos e ruídos em seu sistema. Por isso tire os cabos de onde pessoas possam acidentalmente pisar neles. Reveja também as soldas de cabos e conectores.

Quarta Dica: Equalize corretamente. Se possível, tenha um equalizador de 31 bandas para seu sistema de P.A. A partir dele será possível fazer correções de todo seu sistema, inclusive deixar o som lindo ou terrível, tirar microfonias, ou criar várias microfonias. Os equalizadores são, na minha opinião, um dos itens mais importantes de todo o sistema. Sei que é muito difícil equalizar 31 bandas só na orelhada, mas existem softwares que ajudam a demonstrar. Busque na internet softwares chamados: RTA software, ou Real Time Analizer e que gerem pink noise (ruído rosa) caso você mesmo quiser fazer medições. Vide esse artigo: http://musicaeadoracao.com.br/25630/a-tenebrosa-microfonia/

Quinta Dica: Cuidado no volume extremo. Existem alguns eventos ao ar livre que são feitos pelas igrejas, nos quais são usados volumes extremos na sonorização. Recomendo a todos aqueles que trabalham com volumes extremos que revejam seu sistema todo, revejam suas potências e caixas e vejam se as mesmas estão com a potência correta. Se suas caixas de som possuem cada uma 200W RMS em 8 ohms, e sua potência tem uma saída de 200W RMS em 8 ohms então você já tem um sério problema quando for trabalhar em alto volume, pois as potências podem queimar suas caixas e sua potência poderá também queimar. O ideal é caso você tiver uma caixa de 200W RMS a 8 ohms, que você tenha uma potência que entregue a ela 400W RMS em 8ohms, ou seja, o dobro. Consulte o manual de suas caixas, de suas potências e reveja suas impedâncias e potências (RMS) nominal e de pico. Pois por mais estranho que pareça, é mais fácil queimar seus falantes e seus tweeters por falta de potência do que por excesso.

Sexta Dica: Antecipe-se aos problemas. Chegue Antes! Não deixe pra resolver os problemas faltando 10 minutos pra começar tudo! Chegue se possível e no mínimo uma hora antes, repasse o som, reveja se está tudo OK, peça para o(s) cantor(es) ou instrumentista(s) chegar(em) bem antes. Cobrando as pessoas para que cheguem antes, elas não poderão e nem deverão reclamar depois de algo que não gostaram. Troque as pilhas/baterias dos microfones sem fio, antes que acabem na mão do Pastor! (Tenham certeza que já vi isso acontecer, e com dois microfones juntos ao mesmo tempo, com o pastor tendo que falar sem microfone em uma igreja que investiu mais de 100.000 reais em som.)

Sétima Dica: Faça o certo. Use estabilizadores e filtros de linha no seu som. Não use instrumentos musicais em entradas XLR de microfone, use-as nas entradas Line. Use sempre cabos e multicabos balanceados. Não use o multicabo para enviar amplificação para as caixas de som, para retornos ativos (amplificados) sim.

Oitava Dica: Equilibre voz e instrumentos. Realmente existem situações onde o cantor parece surdo, e por mais que você envie retorno nele, ele continua a pedir som e mais som. Nessas situações é melhor então você parar tudo (sim, pare!) e pergunte ao cantor: você quer mais retorno do que? De voz? De playback ou instrumentos? Com essas perguntas, você fará o amigo cantor ou pregador ouvir o que está errado. Peça para as pessoas interessadas, que estarão utilizando-se do som, para que cheguem mais cedo da próxima vez, assim vocês terão tempo para repassar o som todo. Às vezes não é a voz que está baixa no retorno, mas sim os instrumentos ou playback que estão mais altos, formando-se uma armadilha, pois você aumentará mais voz, que poderia já estar alta , quando no entanto a coisa simples a fazer seria tirar volume do playback ou dos instrumentais. A voz, tanto em retornos quanto no som do P.A. sempre deve estar um pouco mais alta em relação a tudo, seja instrumentos ou playback, ou seja, de uma forma que  ela fique destacada, mas não tão alta a ponto de encobrir playback e instrumentos.  Estes são erros comuns, por exemplo: momentos de louvor com instrumentos musicais, a voz fica bem mais alta, cobrindo então os músicos. Neste caso, alguns deles aumentariam o volume de seus instrumentos, mas o correto seria abaixar um pouco o volume da voz.

Nona Dica: Mixe corretamente a distribuição horizontal. Use o Pan (botão de panorama, Left/Right) para distribuir os instrumentos na mix, pois todos sobrepostos (no centro) causam som embolado. Por exemplo: Piano mais a direita, violão mais a esquerda. (pois são dois instrumentos que competem entre si). Baixos sempre devem estar com o Pan no centro. Voz sempre no centro, quando houver só uma voz de cada timbre. Quando houver, por exemplo, um conjunto grande de vozes, você poderá ir distribuindo cada voz no Pan. Exemplo com 4 sopranos: uma à direita (9 horas), outra à esquerda (3 horas), outra totalmente à direita, outra totalmente à esquerda, e assim por diante, com outros timbres (baixos, barítonos, contraltos, tenores, etc.)

Décima Dica: Procure estar bastante atento. Se alguém vier conversar com você no momento em que estiver em atividade na mesa de som, tente deixar o papo para depois, a maioria dos erros ocorre por distração.

Décima Primeira Dica: Sempre peça a direção de Deus. Sempre ore para que tudo ocorra corretamente, peça sabedoria, peça paciência e persistência, peça a Deus que te dirija para que consiga fazer tudo de forma dedicada.

Grande abraço a todos.

Eventuais dúvidas, sugestões para novos artigos e críticas, fiquem a vontade para me escrever:

Marcelo Charles
Consultoria em áudio e tecnologia musical.
Curitiba – PR

[email protected] (e-mail / msn)
(41) 9241-1594