Questão de Fé

por: David Distler

… A Fé vem pelo ouvirda Palavra… (Rom. 10:17)

Achei importante incluir esta página pois creio que demonstrará que o meu emprego deste trecho bíblico tem a ver com um princípio de vida, não sendo somente uma estratégia de marketing destinada a atrair um público-alvo constituído pelas igrejas. Este trecho extraído da carta de Paulo aos Romanos capítulo 10 verso 17 é um princípio que tem dirigido meu trabalho ao longo dos últimos vinte anos, a princípio indiretamente, e de forma direta nos últimos seis.

Recentemente me foi feita a pergunta: “Fé? Fé em que?”

Acho válida esta dúvida nesses tempos em que se fala muito em fé, e dedico este espaço a responder esta questão pois o objeto de nossa fé é de tamanha importância que impactará não somente nosso viver diário como principalmente o nosso destino eterno.

Eternidade

Eternidade? Mas o que é enfim, esta tal eternidade? Numa sociedade em que a comunicação eletrônica corre a volta ao planeta à velocidade da luz, a palavra eternidade tem, talvez, perdido o seu peso.

Me recordo de uma ilustração que ficou gravada em minha mente há muitos anos atrás: No alto de uma cordilheira, acima de todos os picos, se eleva uma monumental montanha de pedra maciça. Uma vez por ano, em seu trajeto migratório, uma pequenina ave passa por ali e, por alguns instantes, deposita os poucos gramas de seu peso sobre a imensa e estrutura de pedra, para nela afiar o seu bico. Se fosse possível, no dia em que a imensa montanha de pedra tivesse se reduzido a um grão de areia por este hábito anual da pequenina ave, teria se passado 1 segundo de eternidade…

Talvez o maior dos enganos que ilude a humanidade é a de que importa somente o momento presente. Os mais disciplinados conseguem talvez serem previdentes para daqui a alguns anos, ou quem sabe, décadas – uma questão de meros milissegundos em termos de eternidade – enquanto que uma séria consideração do destino eterno fica, pela maioria, continuamente postergada a um terceiro plano, relegada em sua lista de prioridades para depois daquelas tarefas que sabem que nunca terão tempo para realizar.

Que triste ironia não haver tempo nestes milissegundos de vida terrena para uma decisão que diretamente impactará os milênios da eternidade!

Exemplo

Enquanto escrevo, vejo ao meu lado uma foto amarelada que caiu de um dos manuais de equipamentos antigos que usei para incrementar o meu site. Tirada há 53 anos num estúdio de rádio norte-americana, ela mostra um jovem radiante a operar o que era provavelmente o equipamento mais avançado de áudio daquela época.

Do pouco que pude aprender deste engenheiro, quando há cerca de uns 10 anos, adquiri de sua viuva parte do equipamento que compunha sua sala de música e estúdio doméstico, soube que o jovem se aprimorou em sua especialidade chegando a ser enviado ao México para supervisionar as instalações das antenas e equipamentos que irradiaram as transmissões internacionais da copa de 1970. Cerca de 15 anos após esta sua missão, porém, ele se viu acometido de grave doença e veio a adentrar a eternidade em questão de meses. Até hoje me recordo de como, enquanto eu examinava os equipamentos, manuais e catálogos cuidadosamente organizados, fui tomado por um imenso sentimento de futilidade pois pelo que pude compreender, em meio a todo o seu “sucesso” eles não tiveram tempo para Deus!

Evangelho de Lucas capítulo 12:

16 E lhes proferiu ainda uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produziu com abundância.
17 E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos?
18 E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens.
19 Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te.
20 Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
21 Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus.

Livro dos Salmos capítulo 103:

15 Quantoao homem, os seus dias são como a relva; como a flor do campo, assim ele floresce;
16 pois, soprando nela o vento, desaparece;

Sei que existem diversas crenças e filosofias humanas entre as quais algumas de que após esta vida existem várias chances de se compensar males cometidos nesta vida terrena. Porém na passagem: “a Fé vem pelo ouvir da Palavra” esta “Palavra” que coloco em maiúscula se refere à Palavra de Deus, manifesta em forma escrita na Bíblia; e não me parece coerente existirem tais chances de se recuperar o tempo perdido nesta vida dentro da eternidade mediante a cobrança do rico no trecho acima e muito menos mediante a declaração categórica de que: “aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo”! (Carta aos Hebreus, capítulo 9, verso 12)

Mediante esta declaração, as teorias de “segundas chances” ou “reciclagens evolutivas” parecem adquirir mais um perigoso aspecto de placebos, falsas esperanças ou, ainda fés vazias, através das quais milhões de pessoas se iludem e adentram a eternidade destinados a sofrerem para sempre as conseqüências de sua opção!

O Alvo

Como disse acima, é comum ouvirmos muitas idéias, poesias e letras falando e cantando a importância de fé, porém, muitas vezes, o objeto desta fé é ou autocêntrico, ou não chega sequer a ser mencionado. Fé é, ao mesmo tempo, tanto um conceito simples quanto complexo. O mero ato de se assentar demonstra que uma pessoa tem fé em que a cadeira irá suportar o seu peso. Será esta a fé que transforma destinos eternos?

A autoconfiança é uma característica importante para o desenvolvimento saudável do ser humano, mas quantos jovens não naufragam em vícios apesar de terem fé em sua capacidade de não serem dominados por estes vícios!

Este termo naufragar traz, ainda, à mente o notório caso do Titanic em que centenas de vidas teriam sido poupadas se os responsáveis não tivessem depositado sincera e futilmente a sua fé na infalibilidade do navio em que viajavam…

Em que devo depositar minha fé para ter segurança do meu destino eterno?

A Fé vem pelo ouvir da Palavra.

Note que destaco, também a palavra com maiúscula, porque? Porque existe, sim, uma Fé que não é vazia ou ilusória! – Qual é? – Vamos novamente à Palavra:

Nos últimos instantes de sua vida, crucificado ao lado de Cristo, um ladrão ou assassino lhe pede: “lembra-te de mim quando vieres no teu reino“. Este recebe do Filho de Deus a gloriosa resposta: “hoje estarás comigo no paraíso“. Apesar de ter cometido tantos erros e males a ponto de ser executado pela lei humana e sem tempo algum para repará-los, este malfeitor foi admitido quase que imediatamente no paraíso com base numa única declaração de fé! Veja novamente as suas palavras:

39 Um dos malfeitores crucificados blasfemava contra ele, dizendo: Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós também.
40 Respondendo-lhe, porém, o outro, repreendeu-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença?
41 Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez.
42 E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino.
43 Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.
(Evangelho de Lucas, capítulo 23)

Agora é importante destacar que esta Fé tem que ser mais do que um simples reconhecimento intelectual do personagem histórico Jesus Cristo. Ela envolve o conhecimento de Sua missão, e a partir deste conhecimento, uma aceitação e reconhecimento de que nós humanos somos incapazes, por força ou mérito próprio, de alcançarmos a eternidade com Deus, e assim, dependentes do plano que Ele instituiu para a nossa reconciliação consigo, aceitamos o seu plano para a redenção da humanidade reconhecendo-o como soberano e Senhor das nossas vidas.

Carta aos Efésios capítulo 2:

8Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus.
9A salvação não é o resultado dos esforços de vocês; portanto, ninguém pode se orgulhar de tê-la.

Portanto Fé na nossa incapacidade de alcançarmos a eternidade com Cristo sem a sua morte em nosso lugar.

na missão de Cristo que veio nos transmitir os princípios de uma vida melhor a qual somos incapazes de viver se Ele não for o nosso Mestre! No Evangelho de João Ele disse:

Eu vim para que tenham vida e vida em abundância. (Evangelho de João capitulo 10 verso 10)

Como então alcançamos esta fé? Pelo ouvir da Palavra. O que indica que não basta vivermos a vida do jeito que achamos melhor, mas, sim, está implícita a necessidade de se estar integrado numa igreja onde a Palavra seja apresentada e – espero – o sistema de som e a acústica permitam o ouvir e compreender da mesma pois esta deve ser a razão pela qual se faz som nas igrejas!

Importância

Termino com outra ilustração cuja aplicação, em termos de eternidade, me marcou profundamente:

Há muitos anos num país da Europa pós guerra, uma big band norte-americana estava em turnê. Era inverno, fazia muito frio e a péssima comida, aliada aos modestos índices de freqüência às apresentações, começava a impactar a moral e a inspiração dos músicos. Um dos solistas desanimado pelo cansaço da turnê, procurou o maestro para lhe pedir dispensa da apresentação daquela noite. A resposta do maestro foi a seguinte:

Eu quero que você imagine que esta noite estará alguém na platéia que entregou suas economias de vários meses para pagar a entrada, além de caminhar várias horas à pé nesta nevasca para presenciar a nossa apresentação. Pergunto-lhe, agora, se seria justo, após todo este sacrifício, este espectador não desfrutar da inteireza de nossa apresentação pelo fato de você não se sentir inspirado?

A obvia resposta, considerando se apenas o valor cultural e artístico, tem sua relevância em muito multiplicada ao transportarmos a analogia para termos da Palavra de Deus e sua apresentação em nossas igrejas! Imagine que um visitante, que por uma única vez em sua vida entra numa igreja, buscando uma alternativa ao mundo vazio, frio e indiferente, deixe de compreender a Palavra por não haverem condições técnicas de se compreender a mensagem…

…o impacto desta não compreensão tem conseqüências eternas!

… A Fé vem pelo ouvir (e compreender)
da Palavra…

São os conceitos e princípios acima que há 20 anos têm inspirado, motivado e orientado a minha busca por qualidade em sonorização, assim como muitos dos principais consultores, engenheiros e técnicos que depositaram sua fé em Cristo e se aprimoraram até serem profissionais internacionalmente reconhecidos tão somente por terem sido impactados pela consciência da enorme importância da inteligibilidade nos sistemas de sonorização das nossas igrejas.

David B. Distler
A Fé vem pelo ouvir da Palavra


David B. Distler – Com mais de 20 anos de experiência, David, é consultor associado à Audio Engineering Society e à National Systems Contractors Association. David projeta sistemas de som, sonoriza eventos e tem ministrado cursos para centenas de operadores de som e músicos.


Fonte: Publicado originalmente em: http://www.proclaim.com.br/questaodeFe.html