Qual o Custo de um Som de Qualidade na Igreja?

por: Fabiano Pereira

Atuando na área de áudio, vídeo e acústica enquanto ministério desde 1987, recebi do Senhor o privilégio de percorrer igrejas e congregações desse imenso Brasil para ministrar sobre essas áreas e também prestar consultoria. O que encontro em minhas viagens? Sempre a mesma pergunta, de pastores, líderes e técnicos: “O que fazer para melhorar o som na minha igreja?”.

As reclamações são as mais diversas, de falta de legibilidade até problemas com volume excessivo, o que gera na igreja e na liderança, ao final do culto, aquela sensação de que os resultados poderiam ter sido melhores se “o sistema de som tivesse funcionado corretamente”. Se esse é o problema que sua igreja ou congregação enfrenta, vamos, juntos, seguir um roteiro prático de análise que nos dará uma idéia do quanto precisamos investir para resolver esse problema.

Se o problema é com volume e/ou falta de inteligibilidade, analise, antes de tudo, o comportamento dos músicos e cantores. Produzir uma música tem a ver com a forma de execução pelos músicos e cantores. Se cada um age como se estivesse sozinho no altar, o som é comprometido desde sua origem, e o técnico não tem muito o que fazer. É muito importante ter um arranjador cuidando dessa parte e orientando os músicos e cantores. Com arranjos mais limpos, onde cada um cumpre sua função, melhora muito a qualidade do som, por mais simples que o equipamento seja.

Caso o problema ainda persista, precisamos analisar, então, a distribuição do som dentro do prédio: muitas igrejas investem pesadas somas em equipamentos caros e sofisticados e tem um som simplesmente “horrível” porque esses equipamentos foram instalados errados. Muitas vezes sou chamado pelo pastor para “trocar” o som, e ao chegar ao local descubro que o problema está no posicionamento das caixas, da house-mix, na disposição do equipamento sobre o altar, entre outras coisas. Com uma simples redistribuição do sistema, sem a necessidade de troca do equipamento, conseguimos resultados surpreendentes. Sendo assim, verifique se suas caixas não estão mal posicionadas, centralizando todo o “peso” do som para uma parcela menor da congregação, e procure distribuir melhor o som dentro do templo, para que todos ouçam de forma uniforme, com o mesmo volume. A adoção de um “fly” ou “cluster central” podem ajudar.

Isso é particularmente importante quando a acústica do templo é problemática, o que infelizmente é a realidade em 90% dos casos, pois ajuda a amenizar os problemas de rebatimento e o “reverb natural” do prédio. Contudo, lembre-se sempre que equipamento nenhum resolve plenamente o problema de acústica ruim. Para isso, só um projeto de acústica adequado.

Se, contudo, você constatar que o pessoal da área de música tem feito a lição de casa, o equipamento não está com defeito, é de boa qualidade (o que, hoje em dia, não implica necessariamente em equipamento caro. Muita coisa boa tem sido feita no país, e atende perfeitamente nossa necessidade) e está instalado corretamente, sugiro então que converse com seu pastor e procure convencê-lo da importância de investir em treinamento.

Inúmeras vezes as igrejas investem e reinvestem grandes somas na compra de equipamentos, e não tem retorno satisfatório porque esquecem que a peça principal do áudio é quem está atrás da mesa. Se não houver um técnico capacitado e motivado, de nada adiantam equipamentos de dezenas de milhares de reais ( ou dólares!), isso não vai mudar os resultados frustrantes. Em compensação, tenho visto nesses 17 anos de ministério muitos técnicos capacitados fazendo “verdadeiros milagres” com sistemas de som mais simples e limitados. Pense nisso! E economize grandes somas para investir em outras áreas e ministérios da Igreja de Cristo.

Nos próximos números falaremos um pouco mais sobre posicionamento das caixas dentro do templo e sobre sistemas de som simples e práticos de operar, para pequenas é medias aplicações. E lembre-se: não existe equipamento de áudio potencialmente ruim, mas sim empregado de forma ou em lugar errados.

A Ele toda a Glória!


Fabiano Pereira é operador de rádio e técnico de áudio e vídeo há mais de 17 anos. Dirige o CCPA – Centro Cristão de Produção Audiovisual, ministério sem fins lucrativos que atende igrejas de todo o país ministrando workshops e seminários e prestando consultoria. E-mail para contato: [email protected]


Fonte: Publicado originalmente em http://www.igrejasevangelicas.com.br/pages/estudos.php?id_estudo=452