Estudos Bíblicos: Adoração – Lição 07 – Adoração nos Salmos


“Como é agradável o lugar da Tua habitação, Senhor dos Exércitos! A minha alma anela, e até desfalece, pelos átrios do Senhor; o meu coração e o meu corpo cantam de alegria ao Deus vivo” (Salmos 84:1, 2).

Prévia da semana: Os salmos expressam os clamores do coração dos que buscam a Deus em um diálogo vivo, de súplicas, promessas, bênçãos, louvor e celebração.

Leitura adicional:Salmos 49, 73; 78:1-8; 150; Lucas 19:38-40; Romanos 8:25-27. Caminho a Cristo, capítulos 11 e 13.


Domingo
Introdução

Linguagem da alma

Os seres humanos comunicam suas emoções de maneiras variadas. Frequentemente, verbalizar não é suficiente; por isso, encontramos outras formas de expressão, como por meio das artes, por exemplo. Algumas pessoas se expressam por intermédio de palavras e da escrita, outras pela música, pintura, escultura, encenação, etc. Em meu caso, utilizo a música. Não tenho talento suficiente para escrever músicas, mas ao ouvir música sou tocado de forma indescritível, incomparável. E tenho certeza de que não sou o único! Justamente porque ela pode nos tocar num nível tão básico, precisamos ser cuidadosos com o tipo de música que escutamos.

Davi expressou seus mais íntimos pensamentos e sentimentos por meio da música. O livro de Salmos é uma coleção de seus pensamentos, como também do pensamento de outros, com música. Apesar de não termos atualmente o acompanhamento musical para os salmos, temos as palavras. Lendo-as, podemos perceber alguns sentimentos de Davi: alegria e regozijo (Salmos 100), tristeza e desespero (Salmos 38), raiva (Salmos 58) e contrição (Salmos 51). Quase todos esses salmos foram cantados a Deus. É como se Ele fosse o confidente e o melhor amigo de Davi, seu terapeuta pessoal. Davi não tinha medo de expressar diretamente a Deus tudo o que estava sentindo. A música era a linguagem da alma de Davi e uma parte integral de sua adoração pessoal a Deus.

Hoje, a música ainda é parte essencial da adoração. Ao cantarmos hinos de louvor em uma congregação, escrevermos uma canção a ser apresentada apenas a Deus em nossa própria casa ou simplesmente meditarmos na letra de uma canção durante nossa hora tranquila com Ele, a música pode agir como uma linguagem que faz com que nos comuniquemos com Deus. Assim como Davi compartilhou com Deus tudo o que estava em seu coração, nós também podemos oferecer-Lhe nosso louvor e agradecimento, contar-Lhe a respeito de nossas frustrações, desejos e pedidos. Nesta semana, ao estudar a adoração expressa nos salmos, a cada dia procure um salmo que combine com o que você está sentindo. Deixe cada salmo lembrar-lhe de que, assim como aconteceu com Davi, Deus também fala a sua linguagem.

Mãos à Bíblia

Os salmos de louvor descrevem quem é Deus e por que Ele é digno de adoração. Eles declaram Sua grandeza e chamam os adoradores para honrá-Lo com alegre adoração.

1. O que os exemplos a seguir têm em comum? Salmos 90:1, 2; 95:1-6; 100:1-5

2. O Salmo 19 é outra canção de louvor a Deus como criador. Qual é a sua mensagem essencial? Por que ela é tão importante, diante dos argumentos de que existimos apenas como resultado de forças naturais desorientadas, que nos criaram unicamente por acaso?

3. Observe como o salmista muda repentinamente da discussão da glória de Deus, revelada nos Céus, para Sua Palavra revelada. Essa mudança abrupta é intencional. Leia João 1:1-3; Colossenses 1:16, 17; Hebreus 1:1-3. Que grande verdade o salmista enfatiza?

Gary CaseBaton Rouge, EUA


Segunda
Exposição

Adoração viva – exemplos, oportunidades e responsabilidades

Ouvir música sacra e estar em contato com a natureza são duas atividades que imediatamente conduzem meus pensamentos a Deus. Quando desacelero o suficiente para ouvir a música na natureza, um forte sentimento de reverência para com meu Criador envolve todo o meu ser. Enquanto vivia na Louisiana, frequentemente eu me maravilhava com a rica variedade de sons na natureza em uma tarde quente de verão. Fechando os olhos por poucos minutos, o que antes parecia somente um fundo tornava-se um alto coro. À noite, uma tempestade com trovões dava origem a uma harmonia de sapos, proporcionando um crescendo que se estendia madrugada adentro, mesmo depois de os outros sons musicais já terem cessado.

Andar na neve acima da linha das árvores, nas montanhas do Colorado, fornece-me uma contrastante experiência musical. Conforme o som da minha respiração ofegante diminui e meu batimento cardíaco se estabiliza, fico admirado ante a constante mudança do vento, o distante choro de um pássaro e o som da água voando no que parece ser um mundo congelado.

Cada “nota” dessa infindável canção natural ressoa como um louvor ao Criador. Em celebração à Sua criação e às abençoadas dádivas de Sua redenção e amor, Deus deseja ouvir nossas “notas” de louvor acima das da natureza. “O Senhor deseja que façamos menção de Sua bondade e falemos de Seu poder. Ele é honrado pela expressão de louvor e ações de graças. Diz: ‘Aquele que oferece sacrifício de louvor Me glorificará’ (Salmos 50:23“; Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 297, 298).

Rico sem riquezas (Salmos 49). Para a maioria das pessoas, a realidade financeira está muito abaixo do último nome constante na lista dos mais ricos do planeta, anualmente divulgada pela revista Forbes. Somos convencidos de que um pouco mais de dinheiro tornaria nossa vida melhor. Então, passamos a perseguir salários mais altos e posições mais elevadas, esquecendo-nos de que as riquezas terrestres somente podem ser usadas para conseguir bens materiais.

“Você não é rico até que tenha algo que o dinheiro não possa comprar.”1 Nenhuma soma de dinheiro pode comprar bênçãos de Deus. Jamais conseguiremos pagar o preço de nossa salvação. Felizmente, nosso status financeiro na Terra não tem nenhuma importância para Deus. Quando se trata de salvação, tudo o que importa é onde nosso coração se encontra (Mateus 6:21).

“Céu, temos um problema” (Salmos 73). Quando os médicos disseram que minha filha havia nascido com um problema no coração que exigia cirurgia, acreditei que o Senhor poderia curá-la. Entretanto, mesmo com unção e orações, sua condição permaneceu inalterada. Enquanto esperava os médicos completarem a avaliação pré-cirúrgica, senti-me muito desencorajada. Eu não conseguia compreender porque Deus não a havia curado. Esperava que Ele o fizesse, pois sabia que tinha condições de fazê-lo. Eu sentia que Ele deveria fazer isso. Estava fazendo tudo ao meu alcance para ser fiel a Deus. Confiava em Suas promessas, mas esperar pela opinião dos médicos parecia ser um esforço em vão. Tentar viver corretamente não havia resolvido o problema.

Apesar de confusa, senti-me aliviada quando os médicos disseram que minha filha parecia estar bem e qualquer intervenção futura poderia esperar – eu poderia levá-la para casa em segurança.Ela havia sido curada ou não? Se o coração dela ainda estava anormal, como poderia estar tão bem? Questões e dúvidas me atormentaram por semanas.

Após amamentar durante a madrugada, reclinei-me na cadeira segurando minha filha de quatro meses e sussurrei suavemente a canção “Deus Cuidará de Ti”. Desde a minha infância, por muitas vezes essa canção havia sido um conforto para mim, mas suas palavras nunca me haviam tocado tão profundamente como naquela noite. Enquanto as lágrimas corriam pela minha face, envergonhei-me da pouca fé que havia demonstrado, e finalmente percebi que Deus realmente tomaria conta dela, não importando o que acontecesse.

Minha filha ainda parece perfeitamente saudável. Mesmo não tendo corrigido a anatomia dela, Deus continua a protegê-la de qualquer problema relacionado à deformidade em seu coração. Que maravilhoso testemunho do amor de Deus! Ele pode nos suster mesmo quando nosso coração não funciona bem!

Passe adiante (Salmos 78:1-8). Precisamos apresentar às pessoas a maneira pela qual Deus nos tem guiado e relatar Seus maravilhosos feitos em favor do Seu povo. Precisamos “‘trazer à memória os dias passados, nos quais, após [sermos] iluminados, [suportamos] grande combate de aflições.’ ‘Tu és um povo santo ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu para ser um povo especial para Si, acima de todos os povos que estão sobre a face da Terra. O Senhor não estendeu Seu amor sobre ti nem te escolheu porque eras mais numeroso que outros povos, pois eras o menor de todos os povos; mas porque o Senhor te ama. […] Saiba, portanto, que o Senhor teu Deus, Ele é Deus, o Deus fiel, que mantém a aliança e a misericórdia para com os que O amam e guardam os Seus mandamentos até mil gerações.'”2

1. Garth Brooks. Disponível em: <http://thinkexist.com/quotation/you_arent_wealthy_until_you_have_something_money/250476.html>. Acesso em: 7 jun. 2010).2. “Recount God’s Dealings”, The Advent Review and Sabbath Herald, 19 de março de 1895.

Pense nisto

1. Que modificações podem ser feitas no ritmo da sua vida para que você não perca oportunidades de adorar ao Criador? 2. O que você pode fazer quando a vida parece muito escura para cantar louvores a Deus? 3. Que impacto nossa adoração pode causar nas pessoas ao nosso redor?

Mãos à Bíblia

Enquanto muitos salmos foram escritos para adoração pública, outros são orações de angústia e sofrimento pessoal. No Salmo 73, o suplicante fica irado porque, enquanto ele sofre injustiça, os perversos prosperam e vivem sem preocupações.

4. Leia o Salmo 73. Que mensagem podemos tirar desse texto, tendo em vista o ministério de Cristo no santuário celestial, com suas verdades sobre Deus e sobre o plano da salvação?Daniel 7:9, 10, 13, 14, 25, 26

O juízo nos Salmos, e na Bíblia como um todo, tem dois lados: punição merecida sobre os ímpios e defesa dos oprimidos e humildes (Salmos 7:9, 10; 9:7-12; 75:2; 94:1-3, 20-22; 98:9). A boa notícia é que podemos crer que, em Seu tempo e modo, Deus corrigirá tudo, por mais difícil que seja compreendermos isso no presente (I Coríntios 4:5).

Dallas EsteyFirestone, EUA


Terça
Testemunho

O Deus que foi sequestrado

Um dia, no Quênia, adoradores se dirigiram ao seu lugar de culto e descobriram que seu deus havia desaparecido. Perplexos, eles foram à polícia para fazer uma queixa. Os policiais ficaram confusos ao se deparar com um deus que sequer podia ajudar a si mesmo.

Quão maravilhoso é saber que nosso Pai celestial está presente sempre que O adoramos. Ele ainda revela Seu poder nos dias atuais para provar Seu amor e presença. “Não é por um poder a ela inerente que, ano após ano, a Terra produz suas fartas colheitas e continua sua marcha ao redor do Sol. A mão do Infinito está em perpétua operação, guiando este planeta. É o poder de Deus em contínuo exercício que mantém a Terra em equilíbrio em sua rotação. É Deus que faz o Sol se erguer nos céus. Abre as janelas do céu e dá a chuva” (Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 416). É por Seu poder que a vegetação floresce, que cada folha aparece, cada flor desabrocha, cada fruto se desenvolve.

Muitas pessoas hoje estão distraídas da adoração ao Deus verdadeiro, assim como estiveram os israelitas que pereceram no deserto. “Chegando os filhos de Israel, toda a congregação, ao deserto de Zim, no mês primeiro, o povo ficou em Cades” (Números 20:1).

“Ali morreu Miriã e foi sepultada. Daquela cena de júbilo nas praias do Mar Vermelho, quando, com cântico e danças para celebrar a vitória de Jeová, saiu Israel, até à sepultura no deserto, a qual acabou com o peregrinar de toda a sua vida – tal foi a sorte de milhões que com grandes esperanças haviam saído do Egito. O pecado lhes arrebatara dos lábios a taça de bênçãos. […]

“‘Com tudo isto ainda pecaram, e não deram crédito às Suas maravilhas. […] Pondo-os Ele à morte, então O procuravam; e voltavam, e de madrugada buscavam a Deus. E lembravam-se de que Deus era a sua Rocha, e o Deus altíssimo o seu Redentor’ (Sl 78:32-35). Não voltavam, todavia, a Deus com propósito sincero. Se bem que, quando aflitos por seus inimigos, buscavam auxílio dAquele que unicamente poderia livrar, no entanto, seu coração não era reto para com Ele, nem foram fiéis ao Seu concerto” (Ellen G. White,Patriarcas e Profetas, p. 410).

Deus nos convida para virmos a Ele e O adorarmos com todo o nosso coração.

Mãos à Bíblia

Neste mundo reinam grande desigualdade e injustiça. Um percentual relativamente pequeno de pessoas vive no luxo, em contraste com grandes multidões que lutam para sobreviver. O que piora a situação é que, muitas vezes, o rico se torna mais rico explorando o pobre. Na Bíblia, o Senhor advertiu sobre essa injustiça. Caso não se arrependam, os culpados de tal exploração, terão muitas explicações a dar no dia do juízo.

5. Como o Salmo 49 se relaciona com o que lemos ontem? Qual é sua mensagem fundamental? Onde podemos encontrar o evangelho nessa passagem?

6. Considere os versos 7-9 do Salmo 49. Qual é a sua mensagem?

7. De acordo com o salmista, quantos dependem de Cristo para a salvação?

Jared BosireMombasa, Quênia


Quarta
Evidência

Um antídoto para o autoengano

Adorar não é meramente cantar alguns hinos nos quais nós raramente meditamos nem recitar orações que parecem dara Deus instruções sobre o que Ele deve ou não fazer. A adoração envolve oferecer nossa vida a Deus e deixá-Lo fazer o que Lhe aprouver. Portanto, adoração pressupõe entrega.

Decepção, falsidade, ilusão e hipocrisia são características humanas em seu estado natural. Consequentemente, autoengano é um grave problema e a causa de muito sofrimento. Cultivamos falsas crenças a respeito de nossas motivações, intenções, ações, caráter e identidade.*

Infelizmente, o autoengano também pode se manifestar na adoração. Quando isso ocorre, ela se torna uma forma de autogratificação e autoelogio. Em Lucas 18:9-14, o fariseu exemplifica uma forma equivocada de adoração. Ele nega ser um pecador, tornando Deus um mentiroso (I João 1:10). Vangloria-se de suas boas ações e orgulhosamente desce o olhar para o publicano. Para ele, a adoração era uma oportunidade de exigir recompensas suas por boas obras.

O publicano, porém, exemplifica a genuína adoração, praticada em espírito e em verdade. Isso envolve submissão para com a verdade a respeito de nosso estado assim como para a verdade a respeito de quem é Deus. O publicano confessa que é pecador, que precisa de um Salvador. Para ele, a adoração é uma oportunidade de buscar a graça de Deus e Seu perdão. A adoração em espírito e em verdade é um antídoto contra o autoengano.

A adoração em espírito e em verdade é claramente demonstrada nos salmos. No Salmo 139, o autor reconhece a onisciência e a onipresença de Deus. Ninguém pode se esconder de Sua presença nem escapar do Seu alcance. Neste salmo, a adoração envolve abrir nossa vida à investigação de Deus e Sua intervenção sem reservas. A genuína adoração gera humildade, nutre a fé, intensifica a sensibilidade para pecar e fortalece o desejo de arrepender-se e pedir perdão. Ela confirma e sustenta um membro na família de Deus.

* Richard W. Paul e Linda Elder. Critical Thinking: tools for taking charge of your learning and your life, p. 292, 498.

Mãos à Bíblia

8. Leia Salmos 141:2. Que imagem está sendo usada nesse verso? O que ela representa?

O sistema sacrifical foi destinado a apontar para a morte de Jesus em favor de toda a humanidade. Ele deveria mostrar a futilidade das nossas obras para nos salvar.

9. Leia Salmos 40:6-8 e Hebreus 10:1-13. Como Paulo relaciona o texto de Salmos 40:8 com o sistema de sacrifícios?

A ênfase do autor é que temos salvação por meio de Cristo, não mediante a morte de animais. Somente por intermédio de Cristo há verdadeiro perdão dos pecados.

Francis WokabiRuiru, Quênia


Quinta
Aplicação

Adoração: uma expressão de amor

A maioria das culturas está repleta de rituais ou cultos que envolvem ídolos ou Deus. Em todo coração humano, parece existir um vazio que precisa ser preenchido para que a felicidade e algum propósito para a vida sejam encontrados. Nem a criação de Deus, nem toda a educação, riqueza, talento, arte, entretenimento ou todas as armadilhas que o mundo oferece podem satisfazer aos profundos anseios do coração. Somente adorar a Deus, o Criador, pode preencher o vazio em nosso ser.

Mas o que é adoração? Para ter melhor compreensão sobre adoração – o que é ou não aceitável- precisamos entender que o verdadeiro culto é a nossa resposta a Deus. Ele toma a iniciativa de estabelecer amizade conosco, preparando nosso coração e mente para a influência do Espírito Santo. Começa lembrando-nos de que, antes de sermos, Ele é. Como disse Moisés, “antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade Tu és Deus” (Salmos 90:2). Deus não nos criou para nosso próprio prazer, mas para Seus propósitos (Gênesis 1:26). Quando compreendermos que não existe possibilidade de existirmos sem Ele e que Ele nos amou primeiro (I João 4:19; Romanos 5:8), nossa resposta natural será a entrega completa, para que tenhamos com Ele um relacionamento de amor sem medidas.

A adoração é a expressão humana de amor a Deus. Tal expressão se dá por meio de um imensurável espectro. Contudo, a leitura dos salmos permite a identificação de alguns traços comuns executados com base nesse espectro, fornecendo-nos um manual de adoração:

1. O culto envolve uma resposta alegre a Deus por meio de cânticos (Salmos 100:1, 2).2. A adoração incorpora a oração (Salmos 141:2).3. A adoração inclui amizade com Deus, “mas, para mim, bom é estar perto de Deus” (Salmos 73:28).4. A adoração tem uma saudável dose de gratidão (Salmos 54:6).5. A adoração nos dá conforto, encorajamento e segurança. “Senhor, Tu és o nosso refúgio, sempre, de geração em geração” (Salmos 90:1).

Mãos à Bíblia

10. Leia Salmos 78:1-8. Por que Deus quer que o povo lembre sua história? Leia também Deuteronômio 6:6-9 e I Coríntios 10:11. Como podemos aplicar esse princípio em nosso contexto e experiência, que são bem diferentes da história deles?

Uma das formas pelas quais Deus Se revela é por meio da História. No entanto, cada geração deve ter uma nova experiência com Ele, com base nessa História. Por essa razão, não apenas a música, mas a proclamação da Palavra de Deus na adoração é vital tanto para as gerações do passado quanto para as novas gerações. Negligenciar a proclamação da Palavra na adoração é diluir o poder que o evangelho tem de alcançar corações, mudar vidas e enriquecer a experiência de adoração dos fiéis.

Lawrence KiageAtlanta, EUA


Sexta
Opinião

Adorando no escuro

Alguma vez você já se sentiu completamente cercado por circunstâncias fora de seu controle, incapaz de enxergar um meio de escapar? Há alguns anos, eu me encontrava em desespero. Estava convencida de que as circunstâncias jamais mudariam, que eu era um fracasso total e que não havia nada a ser feito sobre isso. Durante aquele tempo eu estava adorando? Não. Estava lendo minha Bíblia ou orando? Não. Qual era o ponto? Comecei até mesmo a me esquecer de Deus e de que Ele poderia atuar em minha vida.

No entanto, um amigo me lembrou de um compromisso que eu havia feito: escrever um artigo para a Lição dos Jovens. O momento poderia ser pior? Comecei a trabalhar em meu artigo com o coração pesaroso. Fui forçada a ler minha Bíblia e, ao fazê-lo, comecei a passar tempo com Deus. Devagar, sem perceber, minha aparência mudou. Minha depressão começou a desaparecer e passei a entender que a vida é muito mais do que o aqui e o agora. Deus gentilmente me lembrou de que Ele jamais me havia abandonado e tampouco iria fazê-lo naquele momento. Lembrou-me de nossos muitos anos juntos e dos milagres que Ele havia executado em minha vida. Fez-me saber que nunca, jamais, iria me deixar. Ele renovou em mim a esperança e a razão de viver.

Deus usou meu trabalho naquele simples artigo, um simples ato de adoração, para conduzir-me até Ele, dar-me paz e esperança e encher-me com Seu poder restaurador.

Quando lemos os salmos, aprendemos que adoração envolve a confiança em Deus independentemente das circunstâncias e louvor a Ele mesmo quando não conse guimos enxergar saídas. A verdadeira adoração nos conduz à comunhão com Deus. Ela muda vidas, corações e aparências, trazendo paz e esperança e permitindo que sintamos verdadeiro regozijo.

Pense nisto

1. O que a verdadeira adoração representa para você? 2. Alguma vez você já se sentiu além dos limites de Deus?

Mãos à obra

1.Escute vários tipos de música cristã que o ajudem a adorar em diferentes situações (momentos alegres, tristes, depressivos, etc.). 2. No YouTube, assista a um hino “cantado” em libras (linguagem de sinais para surdos e mudos). Como os movimentos expressam adoração? (Pesquise no YouTube por frases como: “hinos em libras”, etc.). 3. Escreva um serviço de culto em um destes formatos: igreja rica, igreja “morna”, igreja clássica, igreja contemporânea. Cada um desses estilos de adoração fala a nós de maneiras diferentes. Qual seria o objetivo do seu serviço? O que você enfatizaria? 4. Fotografe vários tipos de adoração ou pesquise fotos na internet. Apenas olhando as fotografias, você poderia dizer que tipo de adoração foi registrada? Quais são as diferenças entre os estilos analisados?

Tanya L. HenrySpringfield, EUA