Estudos Bíblicos: Adoração – Lição 04 – Alegria Diante do Senhor: Santuário e Adoração

Comentários do Dr. Bruce Cameron


Textos: (Êxodo 25; Hebreus 10)

Introdução: Quando eu estava na escola, passei um verão trabalhando para uma pequena empresa de construção civil. Não era um emprego muito bom. O trabalho era perigoso, porque os donos pareciam não ter certeza acerca de algumas regras fundamentais, como a gravidade, por exemplo. Um dos donos cortou uma prancha, onde ele estava sentado e caiu de uma altura de dois metros e meio em uma calçada de cimento. Os donos não se atentavam para os perigos para seus empregados, já que pareciam não notar as questões que envolviam sua própria segurança. Outro problema envolvia passar instruções. Um dono falava rapidamente o que ele queria que eu construísse e, quando eu não entendia, ele pegava o lápis e desenhava no chão o que parecia com uma figura. Então ele anunciava que já havia me explicado e até desenhado uma figura e, portanto, eu tinha instruções suficientes. Nosso Deus desenhou um quadro acerca de Seu plano de salvação. Ao contrário das figuras desenhadas por meu antigo chefe, o quadro de Deus é cheio de detalhes. Vamos mergulhar em nossas Bíblias ver que quadro Deus desenhou para o Seu povo acerca da salvação!


I. O Quadro do Céu – Deus Conosco

A. Leia Êxodo 25:8-9 e Hebreus 8:5. Vemos que Deus disse a Moisés para construir um santuário de acordo com um “modelo” que Deus lhe mostrou. Note que Hebreus descreve este santuário como “sombra daquele que está nos céus”. O que este texto nos diz sobre a versão terrena do tabernáculo? (Como você compararia a tua sombra com você mesmo? É uma cópia, mas que nos dá apenas uma idéia geral sobre o original.)

1. Qual é a razão que Deus dá para pedir a Moisés que construa um santuário? (Deus quer “habitar no meio” de Seu povo.)

B. Leia Apocalipse 21:2-4. Qual é o plano final de Deus para os Seus seguidores? (Ele quer viver com eles! O céu descerá até a terra e Deus habitará com os seres humanos. Note que este é um desejo há muito acalentado por Deus.)

1. Se alguém diz que quer morar com você (embora esta pessoa possa pagar um aluguel) o que isto diz acerca da atitude desta pessoa com relação a você? (Deus te ama!)

II. O Quadro do Céu – Parceiros Humanos

A. Leia Êxodo 25:1-7. Como o lugar da habitação de Deus na terra deveria ser construído? (Através de ofertas do povo de Deus.)

B. Leia Êxodo 35:20-21. As pessoas estavam sendo forçadas a dar a Deus os materiais para o Seu santuário? (Não. “Todos os que estavam dispostos, cujo coração os impeliu a isso”, trouxeram ofertas.)

1. Se você fosse Deus, e fosse uma honra e privilégio incríveis para qualquer grupo de seres humanos que você decidisse honrá-los com a tua presença, você teria esta mesma atitude com relação ao financiamento da tua casa?

2. Ou, se você fosse Deus, pensaria que estaria muito abaixo de você se misturar com os seres humanos – e traria à existência, pela palavra, um grande palácio mobiliado?

3. O que isto nos ensina a respeito da atitude de Deus com relação aos seres humanos? (Isto mostra que Deus quer fazer parceria conosco em cumprir a Sua vontade, mas Deus não nos força – mesmo quando tem um motivo legítimo para pedir o nosso apoio.)

C. Leia Êxodo 35:22. O que você acha a respeito da fonte deste ouro para a casa de Deus?

1. Você se lembra que há duas semanas atrás estudamos o bezerro de ouro feito por Arão? Leia Êxodo 32:1-4. O que foi usado para fazer o bezerro de ouro? (A mesma coisa – ouro de jóias.)

2. Pense ainda um pouco mais para trás, acerca da fonte deste ouro. Lembre que essas pessoas eram escravos. Suas posses certamente vieram dos egípcios (veja Êxodo 12:35-36). O que isto nos fala sobre os objetivos de Deus para a nossa riqueza? (Primeiro, Deus possui todas as coisas. Os hebreus tinham este ouro somente porque Deus havia interferido em seu favor. Deus poderia simplesmente reclamar este direito, mas não o fez. Ele deixou que as pessoas decidissem. Segundo, o ouro não era “limpo” ou “sujo”, a questão era como o povo de Deus o usaria. Nós o usaríamos para construir um ídolo ou o usaríamos para dar glória a Deus?)

3. O que estas ofertas sugerem a respeito do apoio para a obra de Deus hoje? (Deus quer que apresentemos os nossos talentos seculares e nossos recursos comuns e os usemos para o avançamento do reino de Deus. Todo tipo de dons e talentos podem ser usados para apoiar o evangelho.)

D. Leia Êxodo 25:9 novamente. Quão preciso Deus pede que Moisés seja? (Deus diz a ele para fazer exatamente “conforme o modelo”.)

1. Você acha que Deus é específico acerca de nossa parte na nossa parceira com Ele? (Deus não nos força. Deus usa os nossos talentos comuns. Mas Deus tem um alto padrão para nós. Se escolhemos nos juntar à obra de Deus, Ele espera que obedeçamos.)

III. O Quadro de Deus – A Atitude do Santuário

A. Leia Hebreus 10:1. Note a referência novamente a uma “sombra”, Assim como aprendemos que o santuário na terra era uma sombra daquele que está no céu, assim a lei é uma sombra “dos benefícios que hão de vir”. O que você acha que é a realidade – mais leis?

1. O que este texto sugere como sendo o objetivo da lei? (Nos aperfeiçoar. Para este objetivo, ela é uma mera sombra.)

B. Leia Hebreus 10:2-7. Qual é a realidade da lei? Qual é o original? (O sacrifício de Jesus em nosso favor. O objetivo da lei era nos tornar perfeitos, mas para isso ela é apenas uma sombra. Jesus era a realidade.)

C. Leia Hebreus 10:8-10. Se Deus não se agradava dos sacrifícios, por que o Antigo Testamento os exigia? (Veja novamente Hebreus 10:3. O texto nos fala que os sacrifícios eram para nós – para nos lembrar dos nossos pecados.)

D. Como você sugere que podemos ser lembrados dos nossos pecados hoje? (Jesus morreu em nosso lugar. Deveríamos ser lembrados disto através da Ceia do Senhor. Veja I Coríntios 11:23-26.)

1. Existe alguma maneira que você poderia ser lembrado com mais frequencia?

a. Existe uma forma como a lei poderia fazer parte desta lembrança? (Leia Mateus 22:36-40. Jesus nos fala para amarmos o nosso próximo “como a si mesmo”. Isto envolve sacrifício. Hebreus 10 é todo sobre sacrifício. A idéia que se forma em nossa mente é que quando nos sacrificamos pelos outros, somos lembrados do sacrifício que Jesus fez por nós. Desta maneira, a lei é uma “sombra” da realidade do extremo amor de Jesus por nós.)

b. Leia Romanos 12:1. O que Paulo nos ensina acerca deste tipo de atitude de sacrifício? (É uma forma de adoração – adoração verdadeira e apropriada!)

2. Estou em férias, enquanto escrevo este comentário. Encontrei uma igreja local para visitar a cada sábado de minhas férias. Estas igrejas são muito pequenas – e, em alguns aspectos, isto é muito desencorajador. Por que tão poucos vão à igreja? O que te levaria, pessoalmente, a abandonar a igreja? (Nós vamos à igreja para que possamos nos sacrificar? Ou vamos à igreja para que possamos ser espiritualmente alimentados por outros?) (*)

a. Se decidirmos ser parte de um grupo que alimenta espiritualmente aos outros, isto nos alimentaria?

E. Começamos dizendo “Que quadro Deus desenhou para nós, através de Seu santuário na terra?” Qual é a tua resposta a esta pergunta? (Deus quer habitar conosco. Deus não nos força. Porém, habitar com Deus é um compromisso sério. Todo o sistema da lei e do santuário desenha um quadro de sacrifício pelos outros. A verdadeira adoração é o sacrifício próprio. A verdadeira adoração é uma lembrança constante daquilo que Deus sacrificou pelos nossos pecados.)

F. Amigo, você examinou a tua vida, para avaliar se possui um espírito de sacrifício próprio ou um espírito de gratificação própria? Você vai pedir ao Espírito Santo hoje que converta o teu coração, para que possa refletir melhor a lei e o amor de Jesus para com você?


(*) Nota do Tradutor: Ambas as respostas fornecidas não devem traduzir o real motivo para irmos à igreja. Vamos à igreja para adorar. O que motiva a verdadeira adoração é o reconhecimento de que Deus é digno. Este reconhecimento brota da comunhão pessoal e diária com Deus, e é isto o que verdadeiramente nos alimenta espiritualmente. A verdadeira adoração é uma reação à compreensão de quem Deus é, de quem eu (pecador) sou, diante deste Deus supremo, perfeito e santo, e de tudo o que Ele fez, faz e fará em minha vida, apesar de eu ser indigno. Somente uma pessoa que compreende isso é capaz de viver uma vida de adoração. Para mais detalhes sobre o conceito bíblico de adoração, visite A Adoração


Direito de Cópia de 2011, por Bruce N. Cameron, J.D. Todas as referências das Escrituras são da Bíblia de Estudo na Nova Versão Internacional (NVI), editada em 2003 pela Editora Vida – São Paulo, a menos que indicado de outra forma. As citações da NVI são usadas com permissão. As respostas sugestivas encontram-se entre parênteses. As frases entre chaves { } foram acrescentadas pelo tradutor e não constam no original.

Tradução: Levi de Paula Tavares


Fonte: http://brucecameron.blogspot.com


Índice Geral por Tema

Índice Geral por Autor