Estudos Bíblicos: Adoração – Lição 04 – Alegria Diante do Senhor: Santuário e Adoração

Comentários de Amarildo Martins Ferreira


Texto Central: “E regozijem-se ali perante o Senhor, o seu Deus, vocês, os seus filhos e filhas, os seus servos e servas, e os levitas que vivem nas cidades de vocês por não terem recebido terras nem propriedades” (Deuteronômio 12:12 – NVI)


Sábado à Tarde
Introdução

Vamos continuar o estudo sobre a adoração que tem uma importância fundamental para o nosso envolvimento com o Criador. Durante esta semana vamos estudar sobre a alegria que devemos ter ao adorar o Senhor no santuário. O adorador deve ser caracterizado pela alegria em servir a Deus motivado por tudo que Ele fez a seu favor. A adoração deve ser também equilibrada, ter um ritual estabelecido, formal, organizada, todavia sem o extremismo. Deve o adorador adorar a Deus na beleza de Sua Santidade com uma devoção profunda, vinda de um coração grato e arraigada de um relacionamento verdadeiro com Deus.


Primeiro Dia da Semana
“Para Que Eu Possa Habitar no Meio Deles”
(Êxodo 25:1-9)

1. Leia Êxodo 25:1-9. Por que Deus pediu para que o povo de Israel edificasse um santuário para Ele? Por que não usou Seu poder para erguer o tabernáculo?

Desejo que Deus tinha em habitar no meio do Seu povo pecador e por meio do santuário Ele poderia concretizá-lo. Deus queria por meio desta habitação transformar o coração daquele povo por meio da Sua graça. O santuário real se encontra no céu, mas temos hoje o templo, onde por meio do Espírito Santo Ele habita. Saber disto deve nos levar a alegrar e O reverenciá-lo quando estamos louvando e bendizendo o Senhor no templo e não ficarmos tristes, cansados, desanimados e carrancudos quando nos encontramos no templo. Deus quer habitar também nas nossas casas e principalmente em nosso coração e somente permitindo isto é que vamos adorá-lo com alegria em Seu templo.


Segundo Dia da Semana
Corações Dispostos
(Êxodo 35)

2. Que cuidados adotou Moisés ao ordenar a construção do Tabernáculo? Que lições importantes podemos obter, em relação à questão da adoração? Êxodo. 35.

Moisés teve o cuidado de fazer o Tabernáculo de acordo com o modelo que Deus lhe deu. Este local de adoração foi orientado a ser feito com as ofertas do povo que deveriam ser doadas sem ser forçada, com alegria e sem querer nada em troca. Nada foi forçado e prometido retorno como se fosse uma barganha com Deus, foi orientado a dar com alegria, com gratidão pelo que o Senhor tinha feito a eles e o que propunha o coração, pois o Espírito Santo não força a ninguém. Os homens com talentos foram convocados e de coração muitos aceitaram usar seus talentos na construção do templo do Senhor. Princípios que devem ser praticados também nos tempos de hoje.


Terceiro Dia da Semana
O Holocausto Contínuo
(Êxodo 29:38-39; Hebreus 10:1-4; I Pedro 1:18-19)

3. Qual é a relação entre a morte de Cristo e os sacrifícios de animais no sistema do Antigo Testamento? Hebreus. 10:1-4; I Pedro. 1: 18-9.

Os sacrifícios de animais apontavam para o sacrifício de Cristo na cruz. Os animais limpos usados nos sacrifícios diários era o símbolo de Cristo. Este ritual diário tinha por objetivo ensinar o povo sobre sua constante necessidade de Deus e a dependência dEle para o perdão e salvação. Interessante é que Deus não tinha prazer no ritual de sacrifício, mas era a forma de mostrar o que resulta o pecado e para se livrar do mesmo não seria possível sem derramamento de sangue, ato que envolvia sofrimento e tristeza. Embora o ato em si fosse triste, o adorador saía com alegria depois da cerimônia, pois estava confiante que seus pecados foram perdoados, não pelo sangue dos animais, mas pela fé no Cristo vindouro. Hoje Deus nos convida a apresentar o nosso corpo como sacrifício vivo, ou seja, consagrar todo o nosso ser a Deus. Como o sacrifício exigia animais sem defeitos, Deus quer que ofereçamos o na melhor condição possível, pois caso contrário não será aceito por Deus a nossa consagração e adoração.


Quarto Dia da Semana
Comunhão com Deus
(Êxodo 25:10-22; Salmos 37:23; Salmos 48:14; Provérbios 3:6; João 16:13)

4. Leia Êxodo. 25: 10-22. O que o povo é orientado a fazer ali, e quais promessas são apresentadas?

O povo foi orientado a preparar um lugar onde Deus poderia habitar no meio deles, para que eles O conhecessem melhor. Ali naquele lugar Deus manifestaria para Seu povo. O povo foi orientado a queimar incenso, a fumaça representava a oração dos santos. Deus deseja comunicar com Seu povo e ouví-los por meio da oração, Ele queria que Seus filhos tivessem a certeza de que Ele estaria com eles sempre.

5. Que promessas encontramos em Salmo. 37: 23, 48: 14, Provérbios. 3:6 e João. 16: 13?

Temos a promessa de que Deus quer cuidar de nós, guiar na verdade, ajudar a firmar nossos passos em Seu caminho e estar constantemente conosco.


Quinto Dia da Semana
Alegrar-se Diante do Senhor
(Levítico 23:39-44; Deuteronômio 12:5-7; Deuteronômio 12:12; Deuteronômio 12:18; Deuteronômio 16:13-16)

6. O que estes textos nos dizem sobre a adoração israelita no santuário? Levítico. 23: 39-44; Deuteronômio. 12:5-7, 12, 18; 16: 13-16.

A adoração no santuário deveria ser sempre por gratidão a Deus e com alegria, sem perder o ponto de equilíbrio. Não devia ser um encontro frio e absolento nem que as emoções fossem fator determinante, mas alegres pelo fato das bênçãos do Senhor sobre eles. Eles deviam adorar a Deus de maneira racional não somente pela gratidão pelos feitos maravilhosos do Senhor, mas também para ser um testemunho para os outros povos.


Sexto Dia da Semana
Estudo adicional.

Devemos adorar a Deus de formas variadas com alegria, sem perder o respeito e a reverência. Deveríamos incluir não somente oração, mas também canções e leituras inspiradoras em nossa adoração. A variedade nos ajuda a evitar o tédio em nossa caminhada espiritual e absorver mais àquilo que Deus quer nos dizer por meio de nossa adoração a Ele.


Fonte: Publicado originalmente em http://mensageirorp.com.br


Índice Geral por Tema

Índice Geral por Autor