Estudos Bíblicos: Adoração – Lição 03 – O Sábado e a Adoração


Sábado à tarde

Verso para Memorizar:“Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do Senhor, que nos criou. Ele é o nosso Deus, e nós, povo do Seu pasto e ovelhas da Sua mão” (Salmos 95:6, 7).

Leituras da semana: Êxodo 20:11; Deuteronômio 5:15; Isaías 44:15-20; Mateus 11:28-30; Romanos 6:16-23

Como vimos na introdução, criação e redenção estão no centro da mensagem do primeiro anjo e no tema da adoração. O primeiro anjo chama nossa atenção ao “evangelho eterno”, a boa notícia da salvação em Jesus, que inclui não apenas o perdão do pecado, mas o poder para vencê-lo. O evangelho, então, nos promete vida nova em Cristo, e a santificação, que em si mesma é parte do processo de salvação e redenção (João 17:17; Atos 20:32; I Tessalonicenses 5:23).

Como vimos, a mensagem do primeiro anjo inclui um lembrete especial de que aquele a quem devemos adorar é o Criador, que nos criou e fez o mundo em que vivemos.

Assim, os temas da criação, redenção e santificação estão ligados à adoração. Não é de surpreender que esses três temas são revelados no sábado, um elemento crucial nos eventos descritos em Apocalipse 14, quando diante de nós é colocada a questão: adoramos o Criador, Redentor e Santificador, ou a besta e a sua imagem? O texto não nos deixa uma terceira opção.

Nesta semana, vamos considerar o mandamento do sábado e como esses temas são revelados nesse dia. Ao estudar, pense nisto: Como podemos tornar esses temas o centro de nossa experiência de adoração?


Domingo

Criação e redenção: o fundamento da adoração

“Lembra-te do dia de sábado, para o santificar” (Êxodo 20:8). As palavras lembrar e memorial em hebraico vêm da mesma raiz hebraica, zkr. Quando Deus disse “lembra-te”, estava dando ao povo um memorial de dois grandes eventos, um deles sendo o fundamento do outro.

1. De acordo com o quarto mandamento, quais são esses dois eventos, e como eles estão relacionados entre si? Êxodo 20:11;Deuteronômio 5:15

O papel de Cristo como criador está inseparavelmente ligado ao Seu papel como redentor, e toda semana o sábado destaca ambos. Isso não acontece apenas a cada mês ou ano, mas a cada semana, sem exceção, o que mostra a importância do Salvador. Aquele que nos planejou e criou é o mesmo que libertou Israel do Egito e que nos liberta da escravidão do pecado.

2. Leia Colossenses 1:13-22. Como Paulo une claramente os papéis de Cristo como criador e redentor?

Criação e redenção estão na base de toda a verdade bíblica e são tão importantes que recebemos o mandamento de guardar o sábado como lembrete dessas duas verdades. Desde o Éden, onde o sétimo dia foi primeiramente separado, até agora, houve pessoas que adoraram o Senhor santificando o sábado do sétimo dia.

Pense nisto: Essas duas verdades eram tão importantes que o Senhor nos deu um lembrete semanal delas; tão importantes que Ele nos ordena dedicar um sétimo de nossa vida em um tipo especial de repouso, a fim de que possamos focalizar melhor nossa atenção nessas verdades. Como sua experiência de adoração no sábado pode ajudar a aumentar sua apreciação de Cristo como criador e redentor?


Segunda

Lembra-te do teu Criador

A Bíblia começa com a famosa frase: “No princípio, criou Deus os céus e a terra”. O verbo “criou”, bara, se refere apenas a ações de Deus. Os seres humanos podem construir coisas, fazer coisas, criar coisas e formar coisas, mas somente Deus pode bara. Só Deus pode criar espaço, tempo, matéria e energia, que fazem parte do mundo material em que existimos. Tudo está aqui apenas porque Deus criou (bara).

Certamente, a maneira pela qual Ele fez tudo isso permanece um mistério. A ciência mal entende o que é a própria matéria, muito menos como foi criada e por que existe em determinada forma. O mais importante, porém, é que nunca nos esqueçamos de onde tudo surgiu. “Os céus por Sua palavra se fizeram… Pois Ele falou, e tudo se fez; Ele ordenou, e tudo passou a existir”(>Salmos 33:6, 9).

Além disso, quando um importante projeto é concluído, as pessoas gostam de comemorar. Por exemplo, quando construímos uma igreja, a dedicamos ao Senhor. Similarmente, quando Deus terminou a criação da Terra, Ele comemorou o evento separando um dia especial, o sábado.

3. Compare Isaías 40:25, 26; 45:12, 18; Colossenses 1:16, 17; e Hebreus 1:2, com Isaías 44:15-20, e 46:5-7. Qual é a diferença entre Deus e os ídolos?

Depois que o grande conflito entre Cristo e Satanás atingiu a Terra, o inimigo tem tentado levar as pessoas a duvidar ou negar a existência do verdadeiro Deus, o Criador. Por meio da ignorância de Sua Palavra ou negação da evidência de Seu poder criativo, a inteligência humana procura outras explicações para nossas origens, além do Senhor. Todos os tipos de teorias têm sido propostas. A mais popular hoje, é claro, é a evolução, que supõe a mutação aleatória e a seleção natural como meios pelos quais toda vida e inteligência existem. Alguém apresentou recentemente a teoria de que todos somos apenas projeções de computadores e de que realmente não existimos, mas somos apenas criações dos computadores de alguma super-raça de seres alienígenas. De muitas formas, é possível argumentar que os deuses de madeira sobre os quais Isaías escreveu, que eram adorados pelos seus próprios fabricantes, eram tão bons quanto muitas das teorias sobre as origens, muitas vezes apresentadas como alternativas ao Deus da Bíblia.

Se realmente aceitamos o sábado conforme a Bíblia o identifica, como um memorial dos seis dias da criação de Deus, como podemos ser protegidos contra as falsas ideias sobre nossas origens? Além disso, quem desejaria adorar um Deus que usasse o cruel e violento processo da evolução para nos criar, como alguns ensinam?


Terça

Liberdade da escravidão

Como já vimos, o sábado aponta não apenas para a criação, um importante assunto da adoração, mas também para a redenção.Deuteronômio 5:15 nos diz: “porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o Senhor, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que o Senhor, teu Deus, te ordenou que guardasses o dia de sábado”. Estas palavras são refletidas no tema fundamental da mensagem do primeiro anjo: redenção e salvação. Essa redenção é simbolizada por aquilo que o Senhor fez pelos filhos de Israel por ocasião do Êxodo. Nenhum deus do Egito teve poder para impedir que a nação de escravos escapasse de seu cativeiro. Somente o Deus de Israel, que Se revelou em milagres poderosos e que Se apresentou com glória majestosa e ofuscante, foi capaz de libertá-los com “mão poderosa” e “braço estendido” (Deuteronômio 5:15). Deus queria que eles se lembrassem de que “o Senhor é Deus; nenhum outro há, senão Ele” (Deuteronômio 4:35). Então, Ele lhes deu o dia de sábado para ser um constante lembrete de Sua grande libertação da escravidão egípcia e uma lembrança da escravidão espiritual da qual Cristo nos libertou.

4. Leia Romanos 6:16-23. Que promessas nos são oferecidas? Como isso se relaciona com o que o Senhor fez por Israel no Egito?

O Novo Testamento ensina claramente que a escravidão do pecado exige um poderoso Salvador, assim como ocorreu no cativeiro egípcio do antigo Israel. Foi isso que os filhos de Israel tiveram em seu Senhor, e é isso que nós, cristãos de hoje temos, porque o Deus que os livrou da sua escravidão é o mesmo que nos livra da nossa.

Se já necessitamos de uma razão para adorar o Senhor, a libertação da escravidão, que Ele conquistou para nós, não seria um bom motivo? Os filhos de Israel cantaram um grandioso cântico, depois de terem sido libertados (Êxodo 15). Assim, para nós, a experiência de adoração no sábado deve ser uma celebração da graça de Deus, que nos liberta não somente da penalidade legal do pecado (que caiu sobre Jesus, em nosso favor), mas do poder do pecado para nos escravizar.

O que significa não mais ser escravos do pecado? Significa que não somos pecaminosos, ou que não pecamos mais, às vezes? E, mais importante, como você pode aprender a clamar as promessas de libertação que o evangelho nos oferece, e torná-las reais?


Quarta

Lembra-te do teu santificador

5. Leia Êxodo 31:13. Qual é o significado do verso? Qual é a relevância disso para nós hoje? O que significa ser santificado por Deus? Como podemos experimentar esse processo em nossa vida?

Criação, redenção e santificação estão interligados. Criação, é claro, é a base de tudo (pois sem ela não haveria ninguém a quem redimir e santificar). No entanto, em nossa condição caída, a criação já não mais é suficiente, pois precisamos de redenção, da promessa de perdão pelos pecados. Caso contrário, teríamos que enfrentar a destruição eterna, e nossa criação se acabaria para sempre.

Certamente, a redenção está inseparavelmente ligada à santificação, processo pelo qual crescemos em santidade e na graça. A palavra traduzida como “santifica” em Êxodo 31:13 vem da mesma raiz da palavra usada em Êxodo 20:8, quando o Senhor ordenou ao povo que santificasse o sábado. A mesma raiz aparece em Êxodo 20:11, que diz que Deus “santificou” ou “tornou sagrado” o dia do sábado (veja também Gênesis 2:3, onde Deus “santificou” o sétimo dia). Em todos esses casos, a raiz, qds, significa “ser santo”, “separar como santo, “ser consagrado como santo”.

Deus chamou Israel e os separou como Seu povo santo, para ser uma luz para o mundo. Cristo chamou Seus discípulos para a missão de levar o evangelho ao mundo. No centro dessa tarefa estão a santidade e o caráter dos que proclamam a mensagem. O evangelho não trata apenas da questão de não ser condenado por causa dos pecados. Como vimos ontem, o assunto é ser livre da escravidão do pecado. Trata-se de ser uma nova pessoa em Cristo e fazer com que nossa vida seja um testemunho vivo do que Deus pode fazer por nós aqui e agora.

6. Leia II Coríntios 5:17. Qual o plano de Deus para a criação arruinada pelo pecado? Como o sábado pode nos ajuidar nesse plano de redenção? Como nossos cultos de adoração podem ajudar a realçar esse tema?


Quinta

Descansando na redenção

Criação, redenção e santificação: temos tudo isso em Cristo, e cada um deles é simbolizado de maneira especial por meio das bênçãos do sábado.

7. Leia o convite de Jesus para o descanso, em Mateus 11:28-30. Como o sábado se encaixa com o que Jesus nos diz ali?

O “descanso” que Jesus ofereceu às pessoas incluía descanso emocional, psicológico e espiritual, para aqueles que estivessem sobrecarregados com cargas pesadas, incluindo a carga do pecado, culpa e medo. Além da necessidade humana básica, de descanso físico, há uma necessidade igualmente importante, de que a mente e as emoções tenham uma mudança de ritmo, um descanso dos fardos e do estresse da vida diária. Deus planejou o sábado exatamente para isso. Estudos têm mostrado que a produtividade no local de trabalho realmente aumenta com uma pausa semanal. Interromper a rotina habitual de vida melhora a acuidade mental e a resistência física. Além disso, o sábado provê o necessário senso de expectativa que ajuda a evitar o tédio e o cansaço.

Embora qualquer um possa dizer que está descansando em Cristo, o sábado nos oferece uma manifestação real e física desse descanso. O sábado é um símbolo do descanso que temos verdadeiramente nEle, na salvação que Cristo realizou para nós.

O sábado também nos satisfaz no aspecto emocional, porque nos dá um senso de identidade: somos criados à imagem de Deus, e pertencemos ao Senhor, porque Ele nos fez.

E assim como Deus estabeleceu a instituição do casamento no Éden, para atender à necessidade humana de intimidade social, Ele deu o sábado para a intimidade entre o Criador e Suas criaturas.

O sábado promete realizar o que é possível por meio da obra restauradora de Cristo. Ele nos dá esperança para o futuro, no eterno sábado de descanso final. Mas, o mais importante de tudo, o sábado nos supre na maior de todas as necessidades humanas: adorar algo ou alguém. Deus, em Sua grande sabedoria, nos deu o sábado como um dia reservado para adoração, um dia para ser usado em Sua honra e louvor.

Que fardos você está carregando, dos quais necessita descansar? Como pode aprender a entregá-los a Ele? Como sua experiência de adoração no sábado pode ajudá-lo a aprender a descansar verdadeiramente nEle?


Sexta

Estudo adicional

Leia de Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 44-51: “A Criação”; p. 111-116: “A Semana Literal”; O Desejado de Todas as Nações, p. 281-289: “O Sábado”.

Era intenção do Senhor que [a] observância [do sábado] os designasse como adoradores Seus. Seria um sinal de sua separação da idolatria e ligação com o verdadeiro Deus. Mas, a fim de santificar o sábado, os homens precisam ser eles próprios santos. Devem, pela fé, tornar-se participantes da justiça de Cristo… Só assim o sábado poderia distinguir os israelitas como os adoradores de Deus” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 283).

Perguntas para reflexão:
1. Pense mais na ideia de que a verdadeira guarda do sábado pode nos proteger de muitos dos enganos a respeito da criação. Pense, por exemplo, sobre os eventos finais acerca dos que adoram a besta, em contraste com os que adoram o Criador (Apocalipse 14). Como uma falsa compreensão das nossas origens, como a ideia de que Jesus usou a evolução para nos criar, poderia predispor as pessoas a ser enganadas nos últimos dias?
2. Examine novamente a relação entre sábado e adoração. Como sua igreja adora no sábado? O serviço é voltado para exaltar a Deus como criador, redentor e santificador? Se não, qual é a ênfase? Como podemos aprender a manter o Senhor como o foco de nossa experiência de adoração?
3. A criação é o centro de todas as nossas crenças. Por que nada do que cremos, como adventistas do sétimo dia, faz sentido, à parte de Deus como criador?

O sábado está inserido no relato original da criação. Como esses fatos ajudam a revelar o quanto o sábado é importante e fundamental? Como isso nos ajuda a compreender melhor, também, o fato de que o sábado será tão central nesse drama final dos últimos dias, quando os poderes falsos procurarão receber a adoração que só Deus merece?

Respostas Sugestivas: 1: Criação e redenção. A relação está no fato de que Deus realizou as duas obras em favor de Seu povo. 2:NEle foram criadas todas as coisas. NEle tudo subsiste e somos reconciliados com Deus mediante Sua morte. 3: Deus criou e governa todas as criaturas com Seu poder, ao contrário dos ídolos mortos, que não sabem de nada. 4: Os que se entregam a Deus deixam de ser escravos do pecado, se tornam servos da justiça e seguem no caminho da vida eterna. 5: O sábado é um sinal da aliança entre Deus e Israel, sendo relevante também para a igreja atual. Santificar é separar para um fim santo. Pela comunhão com o Espírito Santo podemos também ser santos. 6: Deus criou, o pecado arruinou e Jesus recriou o ser humano. O sábado é sinal desses dois momentos. Cada culto deve nos lembrar dessa dupla obra divina. 7: O sábado também é um convite para descansarmos nos braços de Jesus.