Os Cristãos e a Música Secular, Sacra e Profana – Escolha da Música

por: Pr. Marcus Guilherme Mesquita Rosa Godinho

PROPOSTA: HAJA PARÂMETROS PARA A FORMAÇÃO DE MÚSICAS SACRAS (NO RITMO, USO DOS INSTRUMENTOS, ETC.) DE MANEIRA QUE ESTAS NÃO NOS FAÇAM LEMBRAR DA VIDA QUE TÍNHAMOS QUANDO ANDÁVAMOS LONGE DE DEUS.

SEM CAIR NOS EXTREMOS NEM NA OMISSÃO, tento expressar de maneira simples e clara as conclusões que me fazem crer que apesar da música ser agradável em seus diversos estilos para as diversas pessoas, pode ser muito perigosa. Justamente por ser discreta em seus efeitos.

As conclusões dessa matéria pretendem ser de origem bíblica.

DEFININDO:
» Música Secular: Refiro-me às músicas que não louvam o Senhor e são comumente associadas a uma vida descomprometida com Deus antes da conversão.

» Música Sacra: Refiro-me às músicas que não trazem na sua orquestração e letra nenhuma lembrança da vida associada ao mundanismo(expressão bíblica). São distintas e buscam elevar os ouvintes a um gosto mais elevado.

» Música Profana: Refiro-me às músicas que pretendem ser sacras, mas que pela orquestração ou(e) letra, trazem alguma semelhança com aquelas que eram associadas aos bailes, shows, etc. Promovem e estimulam discretamente a recordação não saudável dos tempos em que o cristão ia a tais ambientes. Geralmente são feitas para agradar o maior nº de pessoas de todas as denominações e gerar maiores compras de cds. Não está preocupada em aguçar o gosto do povo, mas apenas em agradar.

Sem precisar buscar razões técnicas, para o cristão há fortes indícios bíblicos contra as músicas seculares e profanas.

MÚSICAS SECULARES SÃO:
As músicas Tradicionalistas que são dançantes (I Pedro 1:18, 19 – usadas em CTGs, por exemplo, ou outros ambientes não freqüentados por cristãos) , além das outras como Pop, Sertaneja e Romântica. Essas parecem ser claramente excluídas e proibidas para uso de um povo que professa ser estrangeiro (Hebreus 11:13).

Há músicas que não identificam nenhum ambiente e circunstância abandonada pelo converso, ou seja, não fortalece a saudade da velha vida:

Ex. 1: As músicas patrióticas já que elas não são dançantes e sim de utilidade pública.

Ex. 2: Com respeito às músicas Clássicas, não fiz um estudo. Apesar de terem sido, em sua maioria, feitas para ambientes secularizados e por pessoas não consagradas, essas músicas parecem, de maneira geral, não mais promoverem tais ambientes…o que parece torná-las inofensivas. Hoje ela é tida mais como construtora que destrutiva. Isso, no entanto, não sugere que toda música clássica seja aceita sem uma cuidadosa avaliação.

Ex. 3: Músicas como “Atirei o Pau no gato”, apesar de ser uma letra agressiva, a música em si (sem tratar da letra) parece não afetar a espiritualidade do cristão por não ser associado com nenhum ambiente desapropriado para o povo do Senhor. É necessário que o cristão use do discernimento desprendido e inteligente para saber qualificar as músicas que ficam dentro desse parâmetro.

Rock, Jazz e outras da mesma natureza já está mais que claro que são condenadas. Estão referidas no Manual da Igreja Adventista do Sétimo Dia como inadequadas p/ uso dos cristãos (cap. 13- Normas de Vida Cristã, 172).

RAZÕES PARA ABANDONARMOS AS MÚSICAS SECULARES E PROFANAS:

1. O SILÊNCIO DIZ MUITO: Apesar de tais músicas terem existido no decorrer de toda história(com vestimentas diferentes, mas em essência semelhantes) , não há textos inspirados que indiquem alguma aprovação para elas ou o seu uso pelo povo de Deus.

2. A QUEM ESTAMOS DANDO A FAMA: Essas músicas estão intimamente ligadas ao estrelismo de homens e mulheres. Isto é uma referência à busca da fama e do dinheiro, o que se opõe claramente ao que é santo, tornando-se profano pela essência de sua criação. Não glorifica o Criador nem conduz as criaturas a Ele como requer a Bíblia Sagrada (Apocalipse 14:7; I Coríntios 10:31).

3. ANDAR COMO JESUS ANDOU (I João 2:6): Se fosse possível ver Jesus andando entre nós, usando um walkman com o fone no ouvido, que música estaria Jesus ouvindo? De que maneira tais músicas O ajudariam a cumprir Sua missão? Ou, como elas O fortaleceriam? Ele disse: “Vigiai!” (Lucas 21:36). De que maneira tais músicas ajudariam Alguém “que, como nós, em tudo foi tentado”, a vigiar? (Hebreus 4:15).

4. MÚSICA AMBIENTE PARA ESPÍRITO SANTO: Sou o Templo do Espírito Santo (I Coríntios 6:19, 20). Uma ilustração: Uma esposa está grávida. Aprendeu que o bebê já pode ganhar atenção especial desde o ventre. Minha esposa e eu contamos historinhas bíblicas e o que acontece? O bebê se familiariza inconscientemente com a Palavra de Deus e também com a voz da mamãe e do papai. Logicamente a voz dela vai ser mais bem assimilada que a do pai do bebê. Alguém reforçou essa teoria quando nos disse que seu bebê chorava nos braços dos profissionais que fizeram seu parto, mas nos braços dela, ouvindo a voz dela, o bebê se acalmou. “A primeira voz” que seu bebê reconheceu foi a dela e, depois, de seu marido, nos disse! Mesmo que ele não tenha ainda nascido, colocamos uma música sacra para o bebê, pois cremos que quando nascer vai se familiarizar com as músicas que recebia. Assim também há um Deus maravilhoso que habita em você e em mim! É o Espírito Santo, pois somos o Seu Templo. Que estilo de música ambiente poderia deixar tocar em Seu precioso templo que é essa nossa pobre vida? Não há outra, senão aquela que seja despretensiosa de honrar homens, aquela que fortalecerá e trará equilíbrio emocional, espiritual e físico: a Música de Louvor e Consagração a Deus que não traz à lembrança aquela velha vida que tivemos.

5. NÃO PARTICIPAR DA ROLETA RUSSA: Após a guerra do Vietnã, o jogo conhecido como Roleta Russa tornou-se identidade daqueles dias cruéis. Esse jogo consistia numa aposta e num revolver carregado com apenas uma bala. Cada jogador apontava contra sua própria cabeça a arma arriscando assim sua própria vida. Certamente, de seis tiros apenas um seria fatal, mas por que arriscar? Consagrar a audição e também os lábios para o Senhor (Provérbios 4:23) é justo e necessário. Há uma razão especial para fazermos isto pelo Senhor: Cada pessoa cristã possui duas brasinhas dentro de seu coração. A primeira é a velha criatura (Paixões humanas cheias de concupiscências), enquanto a segunda, a nova (Harmonia com Deus e sua vontade). A música é como um sopro que faz incendiar uma dessas duas brasas. Com freqüência isso começa imperceptível e vai se tornando cada vez mais forte até tomar conta da vida. Então a função da música é fortalecer uma dessas duas brasas. Para um converso da idade da adolescência ou adulta tais músicas seculares tendem a soprar com mais força a brasinha da velha natureza (Vida antes da conversão). Para aqueles que cresceram num lar cristão a intensidade pode ser mais imperceptível, mas não diferente nos resultados. Uns colherão seus frutos de imediato e outros, anos depois! Com Elvis Presley parece não ter sido diferente. Ele havia sido um jovem cristão. Havia gravado músicas cristãs, mas, lamentavelmente, sua vida pendeu para a fama secular com músicas seculares. O que aconteceu com aquele jovem cristão antes de descambar para o secularismo e apostasia? Teria ele deixado a brasa do velho homem sentir o sopro inflamável das músicas seculares? Não é algo interessante para reflexão? Ouvir músicas seculares pode parecer inofensivo, mas com certeza é um jogo de roleta russa! A pessoa que ouve está colocando em jogo a sua própria vida.

6. IMPEDIR A PROFANAÇÃO DA MÚSICA SACRA E DE SEU MINISTÉRIO : Abandonar as músicas que referimos afim de proteger a igreja da forte pressão que sofre do secularismo (I Coríntios 3:16, 17). Quando conversava a respeito do assunto com um amigo, ele disse: “Pior do que as músicas seculares são as músicas que proferem ser sacras quando não o são e muitos se entregam a elas como sistema de culto!” Que forte declaração não é mesmo? Mas, será que não é verdade? Outros dizem: “Vamos proteger nossa igreja das músicas que são ou possuem… etc.” (Características que julgam ser negativas)! Reflitamos: A gente dá o que antes recebe, e isso é uma lei natural! (Lucas 12:48; Atos 3:6). “De graça recebeste, de graça daí” e “O homem fala do que o seu coração está cheio”; foram as palavras do Senhor Jesus! (Mateus 10:8; Mateus 15:18). Então que espécie de música sacra será produzida por aqueles que ouvem além do santo o secular? Como dizer que o secular não influencia o santo, quando ambos são aceitos pela mesma pessoa!? Na hora de compor, nossa música sofrerá influência de tudo que somos, vivemos e experimentamos. Para isso não há um texto mais próprio do que aquele que o Senhor diz: “Sede santos, porque Eu Sou santo” “… e vos separei dos povos para serdes Meus”(I Pedro 1:16; Levíticos 20:26 u.p.). Então é prudente colocar pra dentro de nossa pobre vida aquilo que vai ajudar a colocar para igreja músicas santas (separadas, consagradas ao Senhor). É próprio lembrar que a Igreja não será melhor que a “igreja do lar” e o “templo individual” (a própria vida)! Então se há músicas sacras que não o são de fato, é porque há compositores que sofrem influência das músicas seculares! Já é chegada a hora de tratar do assunto na raiz do problema. Por que não lembrar também que o ministério da música sacra não pode ser um ministério de lucro, mas de manutenção, sustentação e acima de tudo, de louvor a Um Santo Deus? Como fazer do louvor uma fonte de lucro!? Pensar assim é colocar-se num barco furado que dificilmente chegará ao “Porto Seguro”! Pra ilustrar: Algumas emissoras de TV põem no ar aquilo que a natureza carnal do povo quer e pouquíssimo daquilo que precisa para ser uma sociedade sadia. Então filmes de violência, novelas com intrigas, adultérios e paixões, desenhos de lutas e supremacias dá um bom ibope, sendo o contrário de baixo ibope. Assim também a música cristã poderá ser feita de acordo com o que o povo quer, ou, de acordo com o que o povo necessita! Dar o que o povo quer, ilude, como parecendo estar tudo bem. Produzir a música que o povo precisa, consagra e eleva, levando-o a afinar seu gosto aos gostos do Pai celeste. Então a música cristã não é fonte de lucro, apenas um ministério de abnegação como o do Senhor Jesus!

7. CUIDADO COMO SE USA OS INSTRUMENTOS MUSICAIS COM SEUS RITMOS: A palavra “santo” (grego: haguiós – pronúncia aportuguesada) significa algo separado do comum. A música cristã precisa possuir arranjos e toques instrumentais que não tragam à memória do povo de Deus a velha vida que possuíam nos bailes, discotecas ou em qualquer outro lugar. Caso isso não seja respeitado essas professas músicas cristãs servirão às intenções do mal como uma mídia serve para promover os produtos de seus clientes. A música é como perfume, que geralmente fica associado com um evento, acontecimento, pessoa, etc. A música sacra não pode e não deve fazer propaganda e divulgação da velha vida. Por isso o uso da bateria deve ser diferente em todos os aspectos daquele que há nas músicas seculares, afim de transmitir modéstia e reverência no louvor ao “Santo, Santo, Santo” Deus (Isaías 6:3).

8. PARA DESTRUIR AS PONTES QUE CONDUZEM À ANTIGA VIDA: A música secular ou sacra profana deve ser banida de nossa vida com a ajuda de Deus para não despertar (inconscientemente) um sentimento de amizade com o mundo perdido, pois isto é seriamente condenado pelo Senhor: “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. …É com ciúme que por nós anseia o Espírito, que Ele fez habitar em nós…”(Tiago 4:4,5). Toda ponte que liga nossa vida ao mundo perdido deveria ser destruída. Pois a música secular pode não ser o mundo, mas com certeza é a ponte que nos liga a ele! Um casal de líderes cristãos, no namoro conversavam sobre a possibilidade de a sós, quando casados, terem momentos românticos com dança em seu lar. O que leva as pessoas crerem que tal procedimento não deixa o Espírito do Senhor cheio de ciúme santo e zelo? Que momento propício há para Ele habitar em tais circunstâncias? E o que levaria pessoas boas a ultrapassar a linha que distingue o povo santo do secular? Não seria a ponte que não fora destruída?

9. O CRISTÃO É UM MORDOMO DE DEUS: Evitar as músicas seculares para não confundir os irmãos, afinal, a aceitação de algum tipo destas músicas não é baseada num claro “Pode” do “Assim diz o Senhor”. Na dúvida há pecado. Pois “tudo que não provém da fé é pecado” (Romanos 14:23). Tais músicas são duvidosas, apesar de muitas delas parecerem ser inofensivas (talvez as mais perigosas!). Além do mais, podemos viver sem elas, mas não podemos viver sem o Louvor a Deus! Algumas Perguntas: Há genuína preocupação em gastar o dinheiro que Deus põe nas mãos de seus filhos? Deveríamos enriquecer tais cantores quando muitos de nossos irmãos mais pobres não podem comprar um CD que louve o Senhor? Ou quando igrejas não possuem CDs do Hinário Adventista? Por que dar popularidade para aqueles que buscam a fama e a riqueza deste mundo perdido? “Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”(Mateus 6:21). Aonde colocamos os quatros T(s) da Mordomia (Tempo, Templo, Tesouro e Talento) que Deus colocou em nossas mãos? Aonde eles estiverem sendo aplicados estará o nosso coração!

10. OS CANTORES SECULARES PODEM SE DESPERTAR PARA A SALVAÇÃO: Quando cantores seculares (de músicas tradicionalistas, românticas, pop, sertaneja e outras) se convertem, eles param de tocar e cantar as músicas que antes amavam. Eles decidem louvar o Senhor continuamente, como estilo de vida. Se eles abandonam quando experimentam a verdadeira conversão, porque os cristãos, que professam estar convertidos, continuam ouvindo e, até mesmo, cantando tais músicas? Por que os cristãos, que professam o desejo de preparar as pessoas para a Volta de Jesus, e certamente, desejariam ver cantores famosos convertidos…por que, incoerentemente, dificultam a conversão deles? Como dificultam??? Pela aquisição de seus cds ou gravação de suas músicas, os tornam mais famosos, ricos, dependentes e presos no mundanismo. Quem é que os faz famosos no mundo para conservá-los longe da causa do Senhor? É Deus? Se não é Deus, a quem tais cristãos estão servindo quando popularizam esses cantores no reino deste mundo? É com sincero e profundo pesar que conduzo o leitor a tal raciocínio! Por seus atos impensados, nas vestes espirituais de muitos cristãos pode estar respingado o sangue de cantores sinceros. Possam se arrepender e permitir Jesus lavar-lhes as vestes para nunca mais as mancharem! Possam esforçar-se, direta e indiretamente, em favor da salvação dessas pessoas queridas, que são os cantores, para que estes sejam divulgadores do Reino de Deus e não mais do reino deste mundo, que é mau.

11. O CRISTÃO É ESTRANGEIRO E PEREGRINO NA TERRA: Deus me convida a joeirar minha cultura e a adequá-la àquela que é eterna. Em se tratando de música devo dar preferência àquela que vem do alto e não da Terra. O que isso quer dizer? Alguém já ouviu a música lá do céu? Não é nesse sentido, mas a música de louvor que não carrega características das músicas seculares é identificada como sendo do Céu. Cuidado: importar “música sacra” que causa escândalo em nossos irmãos, dando-lhes a explicação de ser uma questão cultural, pode ser perigoso e prejudicial à causa de Deus. Não é modéstia forçar a aceitação de tais músicas na Igreja. Nesse assunto é preferível a prudência para não cair no desagrado de Deus. “Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo.”(Hebreus 10:31).

12. O CLARO AVISO DE DEUS: A visão descrita por Ellen G. White: “Adejam (Mini Dicionário Aurélio: Dar vôos curtos e repetidos sem direção certa; esvoaçar) anjos em torno de uma habitação além. Jovens estão ali reunidos; ouvem-se sons de música em canto e instrumentos. Cristãos acham-se reunidos nessa casa; mas o que é que ouvis? Um cântico, uma frívola canção, própria para o salão de baile. Vede, os puros anjos recolhem para si a luz, e os que se acham naquela habitação são envolvidos pelas trevas. Os anjos afastam-se da cena. Têm a tristeza no semblante. Vede como choram! Isto vi eu repetidamente pelas fileiras dos observadores do sábado, e especialmente em ______________. [Será que seria hoje a irmandade de minha igreja em seus lares ou reuniões sociais?] …Jovens reúnem-se para cantar e, se bem que cristãos professos, desonram freqüentemente a Deus e Sua fé por frívolas conversas e a escolha que fazem da música. A música sacra não está em harmonia com seus gostos. …No juízo todas essas palavras da Inspiração hão de condenar os que lhes não deram ouvidos.” (EGW, Mensagens aos Jovens, 295 e 296).

A cena que Deus apresenta em visão fala notoriamente de música:
» No lar
» Com amigos
» Secular e não sacra
» Desaprovada
» Envolvida por trevas
» Própria para “ambientes de baile”, e por que não dizer: Discoteca, Show, etc.!?
» Causa tristeza nos anjos criados, imagine então em Deus que é um bom poço de amor sem medida!
» Anjos choram enquanto eles se alegram com as músicas seculares.
» Isto acontece “repetidamente” em nosso meio.
» Há uma lamentação pois a música que escolhem para cantar não é sacra, porque esta “não está em harmonia com seus gostos”.
» É uma “desonra” ao Santo Deus.
» A Inspiração diz que tais músicas têm “ocupado as horas que deviam ser devotadas à oração”(EGW, Mens.
Jovens, 295). Ou seja, estão descuidados com a preciosidade do tempo. Disse o Senhor: “Orai sem cessar”(I Tess. 5:17). Mas como estariam em poderosas orações quando cercados de tais circunstâncias? “A melodia de louvor é a atmosfera do Céu” (EGW, Mens. Jovens, 291). Como aceitar tais músicas se não fazem parte da “atmosfera do Céu”?
» Finalmente diz que os cânticos próprios para ambientes mundanos são reconhecidos como “frívolos”.

MÚSICA QUE O SENHOR JESUS CRISTO OUVIA E CANTAVA:

“Cristo muitas vezes era ouvido a cantar hinos de louvor; e no entanto tenho ouvido pessoas dizerem: ‘Cristo nunca sorria’. Quão errôneas são suas idéias com respeito ao nosso Salvador. Havia júbilo em Seu coração” (EGW, Beneficência Social, 93).

Não há o que temer quanto a mudar o estilo de vida. A verdadeira alegria e o genuíno sorriso da alma vem do cantar hinos de louvor. Quer melhor exemplo e segurança do que o Senhor Jesus e Sua vida de louvor?

Ele “exprimia freqüentemente o contentamento que Lhe ia no coração, cantando salmos e hinos celestiais. Muitas vezes ouviam os moradores de Nazaré Sua voz erguer-se em louvor e ações de graças a Deus. Entretinha em cânticos comunhão com o Céu; e quando os companheiros se queixavam da fadiga do trabalho, eram animados pela doce melodia de Seus lábios. Dir-se-ia que seu louvor banisse os anjos maus, e, como incenso, enchesse de fragrância o lugar em que Se achava. O espírito dos ouvintes era afastado de seu terreno exílio, para o lar celestial.” (EGW, Evangelismo, 499).

As músicas que os vizinhos ouviam do lar de José e Maria eram as músicas que Jesus gostava. Quer no lar, na igreja ou no trabalho, a música de Jesus era a sacra; e assim Ele entretinha “comunhão com o Céu”.

MÚSICA QUE ELLEN G. WHITE E PIONEIROS DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA OUVIAM E CANTAVAM:

Nossos pioneiros tiveram por meta imitar o exemplo de Jesus inclusive na escolha da música que cantavam e ouviam: “Tivemos no sábado um serviço de canto…todos os passageiros no carro [possivelmente um vagão de trem] pareciam deleitar-se grandemente com essa prática, e muitos deles se uniram ao canto. No domingo tivemos outro serviço de canto… Os passageiros escutaram atentamente, parecendo gostar do que foi dito. Na segunda tivemos mais canto, e todos nós parecíamos estar sendo mais unidos.” (EGW, Evangelismo 503)

Numa viagem a música do domingo e da segunda era a música do sábado! Era a música sacra que colocavam para “tocar” no carro e isso lhes fazia bem tanto quanto àqueles que não eram cristãos.

MÚSICA QUE SE OUVIA E CANTAVA DURANTE O ÊXODO DO POVO DE DEUS:

“Quando jornadeava pelo deserto, o povo de Israel louvava a Deus com cânticos sacros. Os mandamentos e promessas de Deus eram postos em música, e durante toda a viagem cantavam-nos os viajores peregrinos. …Deus desejava que toda a vida de Seu povo fosse uma vida de louvor.” (EGW, Parábolas de Jesus, 298 e 299).

“Durante toda a viagem” à terra prometida cantavam música sacra. Isso porque “Deus desejava” que o louvor ocupasse toda a vida de Seu amado povo. Por que pensar que seria diferente hoje se fazemos uma viagem da mesma natureza e até mais sublime! Não é a Canaã celestial a nossa meta? “Assim como os filhos de Israel, jornadeando pelo deserto, suavizavam pela música de cânticos sagrados a sua viagem, Deus ordena a Seus filhos hoje que alegrem a sua vida peregrina. Poucos meios há mais eficientes para gravar Suas Palavras na memória do que repeti-las em cânticos. E tal cântico tem maravilhoso poder. Tem poder para subjugar as naturezas redes e incultas; poder para suscitar pensamentos e despertar simpatia, para promover a harmonia de ação e banir a tristeza e os maus pressentimentos, os quais destroem o ânimo e debilitam o esforço. É um dos meios mais eficazes para impressionar o coração com as verdades espirituais. Quantas vezes à alma oprimida duramente e pronta a desesperar, vêm à memória alguma das palavras de Deus – as de um estribilho, há muito esquecido, de um hino da infância – e as tentações perdem seu poder, a vida assume nova significação e novo propósito, e o ânimo e a alegria se comunicam a outras almas!” (EGW, Evangelismo 496).

Apesar desse texto dispensar comentários, vale ressaltar que a música sacra faz reduzir a zero o poder das tentações, pois “perdem seu poder”. Não é isso maravilhoso para alguém que continuamente é tentado!? E quem não é? A oração de Jesus foi: “Dei-lhes a Tua Palavra, e o mundo os odiou, pois não são do mundo, assim como Eu não Sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os guardes do mal. Eles não são do mundo, como Eu do mundo não Sou.” (João 17:14-16).

E Deus revelou que Jesus a “Si mesmo Se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniqüidade, e purificar para Si um povo todo Seu, zeloso de boas obras.” (Tito 2:14). Há um Salvador que pode mudar dentro de nós nossos gostos insubmissos e subjugar nosso coração orgulhoso, tornando-nos zelosos de “boas obras”.

“Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, a qual por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo” (I Pedro 1:18, 19)

Enfim, creio serem essas razões suficientemente fortes para se evitar as músicas seculares que referi.

Lembre-se: ASSIM DIZ O SENHOR…

“o Meu povo é destruído porque lhe falta o conhecimento. Porque tu rejeitaste o conhecimento, também Eu te rejeitarei…” (Oséias 4:6)

“Arrepende-te dessa tua iniqüidade, e ora a Deus. Talvez te seja perdoado o pensamento do teu coração.” (Atos 8:22)

“Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo.” (Atos 2:38)

Marcus Guilherme Mesquita Rosa Godinho
Bacharel em Teologia Pastoral no Instituto Adventista de Ensino – Campus 2
Pastor no campo da Missão Ocidental Sul Riograndense das IASD
E-mail: [email protected]


Fonte: Publicado originalmente em http://www.meumundo.americaonline.com.br/musicacrista/pagina/screlcrist.html