A Santidade de Deus – Lição da Escola Sabatina – Jovens – 2012

Exaltem o Senhor, o nosso Deus; prostrem-se, voltados para o Seu santo monte, porque o Senhor, o nosso Deus, é santo” (Salmos 99:9).

Prévia da semana: Deus é tão enaltecido que até mesmo os seres celestiais que estão continuamente diante do trono ficam constantemente impressionados por Sua natureza santa. É vital e necessário que nós, sendo seres caídos, reconheçamos Sua santidade e dEle busquemos a justiça e o sangue purificador.

Leitura adicional: Levítico 19:2; Isaías 6:3; I Pedro 1:15, 16; Apocalipse 15:4; Nossa Alta Vocação [MM 1962], p. 208; Para Conhecê-Lo [MM 1965], p. 125; Este Dia com Deus [MM 1980], p. 138; C.S.Lewis, Cristianismo Puro e Simples, p. 141-145.


Seu nome santo

Durante nossa infância e ao longo dos anos da adolescência, os pais sempre nos lembraram de respeitar a santidade do nome de Deus. Na realidade, eles ensinaram que tudo relacionado a Deus é santo. Tomemos, por exemplo, a construção de uma igreja, que é a casa de Deus. “A casa de Deus deve ser livre de corrupção, materialismo, política, orgulho, ostentação, acepção de pessoas, ódio e hipocrisia.”1 Quando crianças, sempre éramos lembrados de que a igreja não é um lugar para brincar, portanto, nada de ficar correndo ou comendo dentro dela. Devíamos andar silenciosamente na igreja e manusear cuidadosamente a Bíblia porque é o livro santo de Deus e o próprio Deus é santo. Também fomos ensinados que o sábado (do pôr do sol de sexta-feira ao pôr do sol de sábado) é santo porque Deus o abençoou. Por isso, não devemos comprar nada nem trabalhar nesse dia porque Deus o abençoou.

Mas conforme fui crescendo e experimentando a vida com algumas pessoas de outras culturas, comecei a refletir na maneira pela qual elas celebram o santo dia de Deus. Para alguns, era um dia para recreação. Depois da igreja, eles iam nadar ou jogar bola. Se todos nós estamos adorando um Deus santo, por que as pessoas O honram e adoram de maneiras diferentes?

A santidade de Deus deveria prevalecer em nossa mente e coração. Salmo 99:5 diz, “Exaltem o Senhor, nosso Deus, prostrem-se diante do estrado dos Seus pés. Ele é santo!” Como podemos cantar “Santo, Santo, Santo, Deus onipotente!”² se na casa de Deus não O vemos como santo? Para algumas pessoas, a igreja é apenas um lugar para encontros com os amigos e para descobrir o que eles fizeram durante a semana. Mas como podemos reconhecer a santidade de Deus se nossos pensamentos estão em nós mesmos e não nEle?
A lição desta semana nos ajudará a compreender a importância da santidade de Deus, como Sua santidade pode tocar o coração e nos aproximar dEle a cada dia.

1. Leroy Brownlow, Living With the Psalms [Vivendo com os Salmos] (Brownlow Publishing Company, Inc., Fort Worth, Texas: 1976), devocional para 30 de agosto.
2. Hinário Adventista do Sétimo Dia, no 18.

Mãos à Bíblia

É muito fácil desenvolver ideias sobre Deus e adorar essas ideias, em lugar de adorar o próprio Deus revelado na Bíblia. Assim, precisamos retornar às Escrituras e avaliar nossas crenças. Esse estudo deve incluir Antigo e Novo Testamentos.

1. Que frase aparece frequentemente nos profetas do Antigo Testamento? Jeremias 7:1-3

Muitas vezes, as mensagens proféticas do Antigo Testamento estão entremeadas com a frase “assim diz o Senhor”. Isso deve nos lembrar de que o profeta não estava apenas falando para Deus, mas de que Deus estava falando através do profeta.

2. Qual é a ligação entre o Novo Testamento e o Antigo? De que modo Jesus e os escritores do Novo Testamento viam o Antigo Testamento? Mateus 4:4; 11:10; Marcos 1:2; 7:6; João 12:14, 15; Atos 13:33; Romanos 3:10; Gálatas 3:13; I Pedro 1:16; I Coríntios 5:7

O Novo Testamento está cheio de referências ao Antigo Testamento. De fato, toda a teologia do Novo Testamento está ligada ao Antigo Testamento. Toda a Escritura é inspirada pelo Senhor (II Timóteo 3:16).

Stephanie LoriezoEbeye, Ilhas Marshall, EUA


Demonstrada a santidade de Deus

A Bíblia descreve Deus de muitas formas diferentes. Ele é amoroso e misericordioso. Ele é Pai e Amigo dos pecadores. Ele também é santo, e é esta santidade que é o centro de Sua personalidade.

Um dia designado como santo (Gênesis 2:3). Deus criou o mundo em seis dias, cada dia sendo peculiar em si mesmo. Mas o dia após a criação ter sido completada se tornou o mais importante entre todos. Deus o separou como um dia santo, um dia de descanso para Si e para as pessoas que Ele tinha acabado de criar. Ele abençoou e santificou o sábado, como um dia especial, para as pessoas estarem com Ele de maneira especial. Ele estabeleceu que o sábado fosse santo através de todo o tempo e eternidade. A santidade do sábado aponta para a santidade de seu Criador.

Um santo chamado ao arrependimento e ação (Jó 42:5, 6; Isaías 6:1-3; Apocalipse 4:8, 9). Da experiência de Jó, podemos aprender muito sobre a misericórdia e perdão de Deus. Uma coisa que podemos admirar sobre Jó é a sua submissão a Deus, mesmo após múltiplos desastres o terem assolado. Depois de seu período de grande sofrimento, ele concluiu que precisava ser purificado por Deus dos muitos pecados que havia cometido involuntariamente. Então, arrependido e com o coração sincero e contrito, ele permitiu que Deus tomasse o controle de sua vida.

Isaías foi chamado por Deus e, quando o chamado chegou, ele compreendeu quão pecador e indigno realmente era para realizar a obra de Deus. Viu como as hostes celestiais reverenciam a Deus, e se achou impuro para permanecer diante dEle.

Deus quer que compreendamos duas coisas: (1) Não temos justiça própria e, portanto, jamais deveríamos nos vangloriar de nossas boas obras; e (2) somente a justiça de Deus pode nos levar a vê-Lo claramente. Quando Deus nos chama para fazer algo para Ele, também nos ajuda a fazer o que pede de nós.

A missão sagrada do mensageiro (Mateus 11:10; Marcos 1:2). A vinda do Messias era esperada ansiosamente. Foi revelada claramente nas Escrituras. João Batista foi aquele que devia preparar o caminho para Sua vinda. Preparar-se para algo especial é especial por si mesmo. Envolve comprometimento total e, no caso de João, envolveu submissão total a um Deus santo e à santa missão que Deus tinha para que ele executasse.

O veredito do povo (Lucas 4:31-36; 5:1-11). Em Lucas 4:31-36, lemos que as pessoas ficavam maravilhadas com os ensinos de Jesus quando elas se reuniam no sábado para escutá-Lo. Até um demônio reconheceu a santidade de Sua natureza. “Esse demônio que se apossara do homem conhecia dois fatos: que Jesus tinha vindo de fato para destruí-lo (e a seu poder) e que Jesus foi o Santo Bendito enviado por Deus. Todos os demônios e o próprio Satanás sabiam que Jesus era o Messias. Enquanto as pessoas na sinagoga estavam impressionadas pelos ensinos de Jesus e se perguntavam quem poderia ser este homem, o demônio sabia.”[1]

Em Lucas 5:1-11, lemos como foi necessário um milagre para que Pedro reconhecesse quanto Jesus realmente era santo. Na verdade, esse milagre (da pesca maravilhosa) convenceu os envolvidos a deixar tudo o que possuíam para segui-Lo. Depois de terem trabalhado toda a noite sem pescarem nada, Pedro provavelmente tivesse pensado que sair novamente seria um desperdício de tempo. Mas ele fez conforme Jesus havia ordenado. Imagine seu espanto quando pegaram tantos peixes que foi necessário pedir aos pescadores de outro barco que os ajudassem! Certamente, Pedro ficou tão maravilhado que imediatamente reconheceu a santidade do Homem a quem ele havia acabado de chamar “Mestre”. O senso de indignidade de Pedro é indicação da “primeira reação no coração humano quando Deus, através de Seu Espírito, começa Sua obra de transformar a vida e o caráter. Tal foi com Isaías quando, em visão, ele foi conduzido à presença divina (Isaías 6:5) […] Sobre Pedro brilhou, talvez pela primeira vez, um senso profundo de sua necessidade pessoal.” [2] E poderíamos bem acrescentar, um profundo senso da santidade de Jesus.

1. WORDSEARCH9. Life Application Concise New Testament Commentary.
2. The Seventh-day Bible Commentary, v. 5, 1a ed., p. 739.

Mãos à Bíblia

3. Qual é a primeira vez em que o conceito de “santidade” é mencionado nas Escrituras? Qual é a importância no fato de que a primeira coisa considerada santa na Bíblia é o tempo? Gênesis 2:3

Nesse caso, o tempo é “separado” daquilo que está em torno dele. O que o torna diferente, “santo”, é a declaração divina.

4. O que revela a santidade de Deus, em comparação com os falsos deuses? Êxodo 15:11; I Samuel 2:2; Salmos 86:8-10; Salmos 99:1-3; Isaías 40:25

Esse conceito de santidade deve nos ajudar a entender melhor a diferença entre o Deus santo e a raça de pecadores. Deus é separado de nós, não apenas porque Ele é o Criador e nós as criaturas, mas porque somos seres caídos. Tudo isso deve nos ajudar a entender mais claramente o que Cristo fez por nós.

Pense nisto

1. Por que Deus fez o sétimo dia santo e não um dos outros seis?
2. Após um encontro com Jesus, um demônio e um discípulo reconheceram Sua santidade. De que maneiras Ele tornou conhecida a você Sua santidade? Como você se sentiu com o que aconteceu e como você respondeu?
3. Você acha que os cristãos de hoje possuem um senso correto da santidade de Deus? Por que sim ou por que não?

Job G. MinasalvasOringao, Kabankalan City, Filipinas


Percebendo a presença santa de Deus

Moisés contemplou a santidade de Deus quando se encontrou com Ele na sarça ardente (Êxodo 3:1-5). Ele viu uma sarça em chamas, estando ramos, folhagem e tronco tudo a arder, todavia, ela não se consumia. Aproximou-se para ver a maravilhosa cena, quando uma voz da labareda o chamou pelo nome. Com lábios trêmulos respondeu: “Eis-me aqui.” Foi advertido a não se aproximar irreverentemente: “Tira os teus sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.[…] Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó.” Era Aquele que, como o Anjo do concerto, Se revelara aos pais nos séculos passados. “E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus” (Gênesis 28:17).

“A humildade e a reverência devem caracterizar o comportamento de todos os que vão à presença de Deus. Em nome de Jesus podemos ir perante Ele com confiança; não devemos, porém, aproximar-nos dEle com uma ousadia presunçosa, como se Ele estivesse no mesmo nível que nós. Há os que se dirigem ao grande, Todo-poderoso e santo Deus, que habita na luz inacessível, como se falassem a um igual, ou mesmo inferior. Há os que se portam em Sua casa conforme não imaginariam fazer na sala de audiência de um governador terrestre. Tais pessoas devem se lembrar de que se acham à vista dAquele a quem serafins adoram, perante quem os anjos velam o rosto. Deus deve ser grandemente reverenciado. Todos os que em verdade se compenetram de Sua presença, se prostrarão com humildade perante Ele, e, como Jacó, ao contemplar a visão de Deus, exclamarão: ‘Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; esta é a porta dos Céus’.”*

* Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 252.

Mãos à Bíblia

5. Como Jó percebeu a santidade de Deus, em contraste com a pecaminosidade humana? Como o evangelho pode ser visto na reação de Jó ao encontro com Deus? Jó 42:5, 6

6. Embora repetidamente ouvisse que era amado no Céu, como Daniel reagiu quando recebeu uma visão de Deus? Por que ele teve essa reação? Daniel 10:5-8

Embora esses homens fossem fiéis, piedosos e justos, suas reações à presença de Deus foram de medo, tremor e adoração. Sem dúvida, isso ocorreu porque, entre outras coisas, eles tiveram um senso da própria indignidade e pecaminosidade, em contraste com a santidade de Deus. Essas passagens sugerem a necessidade de um Salvador, Alguém para transpor o abismo entre um Deus Santo e criaturas pecaminosas como nós.

Pense nisto

1. Como você experimentou pessoalmente a santidade de Deus? Como foi sua reação e como isso mudou sua vida?
2. Se você acha que é necessário ter mais humildade e reverência quando nos aproximamos de Deus, o que você sugeriria às pessoas?

Connie DeVriesWashington, D.C., EUA


O mensageiro de ontem e de hoje

Deus derramou sobre João Batista Sua santidade, o que fez com que fosse um sucesso o trabalho de João preparando as pessoas para o ministério de Cristo. Mas quem foi João Batista? Ele era parente de Jesus – filho da prima de Maria, Isabel; e ele era um pouquinho mais velho que Jesus. Desde seu nascimento, João foi ensinado nos fundamentos de uma vida santa. Por quê? Deus tinha um plano especial para ser executado por ele na vida de Cristo. Por isso, era importante que as pessoas soubessem que ele era um homem devoto de quem poderiam depender.

João não permitiu que o mundo o influenciasse. Ele usava roupas simples, andava descalço, e comia somente comida do deserto (gafanhotos e mel). Não tinha desejo por riqueza, exaltação própria ou poder. Por ter sido visivelmente um homem santo, muitos judeus em Israel prestaram atenção ao que ele tinha para dizer. Era um ousado e forte adversário do pecado e da hipocrisia, e se apressou em pregar sobre sinceridade moral.

A obra de João foi um cumprimento de profecia. Como tal, ele foi enviado por Deus para preparar o caminho para o ministério de Jesus e Seu reino. João mostrou às pessoas o caminho que leva ao Salvador.

Como povo santo de Deus, devemos também viver de maneira simples. Nosso principal objetivo é mostrar às pessoas o caminho a Jesus Cristo e Sua santidade. Devemos ajudar as pessoas a se concentrarem no Salvador e não em nós mesmos. Como João disse, “é necessário que Ele [Jesus Cristo] cresça e que eu [João] diminua” (João 3:30).

A comissão dada por João é um desafio legado a nós, adventistas do sétimo dia. Com a ajuda de Deus, devemos viver em santidade, uma vida que reflita o amor de Deus, Seu caráter santo, e isso preparará o caminho para a segunda vinda de Cristo.

Mãos à Bíblia

7. O que os escritores do Novo Testamento ensinam sobre a santidade de Deus? Como isso mostra a coerência entre o Antigo e o Novo Testamento acerca da santidade de Deus? Lucas 5:1-11

Após a pesca miraculosa, Pedro caiu aos pés de Cristo, exclamando: “Senhor, retira-Te de mim, porque sou pecador” (Lucas 5:8). Sempre que um ser humano encontra o Deus vivo, há o espanto de enxergar a verdadeira profundidade do próprio pecado.

Pense nisto

1. Como você se sente sabendo que mesmo antes de Deus ter criado o mundo Ele tinha já um lugar e um plano para você?
2. Considere sua vida. Peça a Deus que o ajude a viver com mais simplicidade para que você se concentre no plano que Ele tem para você.

Justice Love C. Francisco-DiazEbeye, Ilhas Marshall, EUA


Completamente santo

Em Isaías 6:1-3, o profeta vividamente retrata a santidade de Deus. “O termo santo significa ‘separado’, de uma palavra antiga ‘cortar’ ou ‘separar’ ou para ser preciso, ‘um corte sobre algo’.”¹ Pense sobre esta definição à luz da santidade de Deus em Êxodo 15:11 que declara, “Quem entre os deuses é semelhante a Ti, Senhor? Quem é semelhante a Ti? Majestoso em santidade, terrível em feitos gloriosos, autor de maravilhas?”

Sendo que o Deus que adoramos é santo, nós também devemos ser santos. Em Levítico 11:44, Deus disse aos israelitas: “Pois Eu sou o Senhor, o Deus de vocês; consagrem-se e sejam santos, porque Eu sou santo.” Pedro faz ecoar estas palavras em I Pedro 1:15, 16: “Assim como é santo Aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem. Pois está escrito: ‘Sejam santos porque Eu sou santo’.” Mas como podemos nós, que fomos nascidos com natureza pecaminosa nos tornar santos? Abaixo estão três passos para nos ajudar a viver uma vida santa:

Ser diferente do mundo (I Pedro 2:9). Aqui, a palavra peculiar significa “uma pessoa que pertence a Deus.”² Porque pertencemos a Ele, devemos viver de acordo com Seus padrões, em lugar dos padrões do mundo. Podemos alcançar isso somente quando o Espírito Santo habita em nós.

Ser moralmente puro (Salmos 24:3, 4). Habacuque 1:13 descreve Deus como possuindo olhos puros demais para olhar para o mal e como sendo incapaz de tolerar o que é errado. Então precisamos ser puros para ser santos aos olhos do Senhor e ser dignos de permanecer em Seu santo lugar. Salmo 24:3 e 4, bem explica isso: “Quem poderá subir no monte do Senhor? Quem poderá entrar no Seu santo lugar? Aquele que tem as mãos limpas e o coração puro, e que não recorre aos ídolos nem jura por deuses falsos.”

Passe um tempo de qualidade com Deus todos os dias. A santidade vem como resultado do nosso relacionamento contínuo, dia após dia, com Deus e pela fé em Seu Filho Jesus Cristo.

1. R. C. Sproul, The Holiness of God [A Santidade de Deus], (Wheaton, Ill.: Tyndale House Publishers, Inc., 1985), p. 54.
2. The Seventh-day Adventist Bible Commentary, v. 7, 2ª ed., p. 562.

Mãos à Bíblia

8. Que testemunho foi dado pelo demônio sobre a santidade de Cristo? Que lições podemos tirar dessa história sobre a santidade de Deus? Lucas 4:31-36

Os anjos caídos se lembram de quem Jesus realmente é. Mesmo eles, em sua maldade, ódio e rebelião, reconhecem Sua santidade. Observe, também, que eles temiam que Ele os destruísse. Sendo cheios de pecado, os demônios temem a santidade de Deus.

9. O que João ouviu os seres celestiais ao redor do trono dizerem? Apocalipse 4:8, 9

Os seres celestiais ao redor do trono de Deus louvam Sua santidade. Dia e noite, exclamam: “Santo, santo, santo é o Senhor, o Deus Todo-poderoso” (NVI). Sendo seres sem pecado, eles ficam admirados com Sua santidade, mas não se escondem com medo dela, como acontece com os seres caídos.

Como nossas palavras, nossa vida e ações seriam diferentes se vivêssemos com a sensação constante, não somente da presença de Deus, mas também de Sua santidade!

Michael John J. DiazEbeye, Ilhas Marshal, EUA


Estamos fazendo a vontade de Deus?

O primeiro semestre do ano escolar está quase terminando e sua classe de jovens da Escola Sabatina estará fazendo uma série de evangelismo numa cidade próxima. Ainda não foi feito o orçamento para isso e os exames finais estão se aproximando. Cada um de vocês precisa levantar fundos para o evangelismo, mas muitas dificuldades estão surgindo no caminho, incluindo o fato de que algumas das suas provas finais estão marcadas para o sábado. Você não tem certeza se tem fé suficiente para prosseguir. Está exausto e desencorajado. Sentindo-se sem esperança, busca a Deus sinceramente em oração. Você entrega tudo a Ele e diz: “Sua vontade seja feita, Senhor.”

O quarto mandamento diz: “Lembra-te do dia do sábado, para santificá-lo.” O sábado é essencial para nossa saúde espiritual, mental, física e emocional. Deus abençoou o sábado, e o santificou porque, depois de ter criado nosso mundo, Ele mesmo descansou no sábado (Gênesis 2:3).

Ser santo é se submeter completamente à vontade de Deus. É andar mais pela fé do que pela visão. É confiar plenamente em Deus e descansar em Seu amor. Viver com Ele nos ajuda a ser santos. “O pecado não os dominará, porque vocês não estão debaixo da Lei, mas debaixo da graça” (Romanos 6:14).

Para mudar nosso mau e profano comportamento precisamos que Cristo viva em nosso coração. Ele nos transforma de pecadores em santos. Santidade não é um direito de nascença. Ao contrário, é um presente de Deus por meio de Cristo. Todos aqueles que recebem a Cristo como seu Salvador se tornam filhos de Deus. Existem dois aspectos para a santidade: (1) aceitar a Cristo como nosso Salvador pessoal, e (2) seguir Seu exemplo de abnegação. Somos Seus filhos espirituais, nascidos de novo e renovados em justiça e santidade verdadeiras.

Pense nisto

1. Descreva em suas próprias palavras o que significa ser santo.
2. Como pode a santidade de Deus mudar sua vida para melhor?
3. Como pode o fato de ter Deus nos tornando santos afetar o mundo à nossa volta? Veja, por exemplo, Isaías 58.

Dicas

1. Medite na santidade de Deus. Entre em Sua presença com um senso de temor e reverência. Leve com você esse sentimento toda vez que entrar em Sua presença.
2. Entreviste várias pessoas, perguntando-lhes qual é a definição ou a ideia de santidade, e se possuem alguma sugestão para manter a santidade de Deus em uma perspectiva apropriada. Partilhe suas descobertas com sua classe da Escola Sabatina.
3. Pesquise a palavra hebraica e grega para “santo” na Bíblia e faça uma lista de suas definições e nuances de significado.
4. Crie um cartão artístico tendo a santidade como tema. Use-o como marca-página em sua Bíblia, ou em seu devocional.

Glee-Zeal ReguaHonolulu, Havaí, EUA


Fonte: http://www.cpb.com.br