Reverência – Pr. Ilson Arlei Geisler

por: Pr. Ilson Arlei Geisler

Verso Base:“Santo e tremendo é o Seu nome” Sal. 111:9

Introdução

Vivemos na Idade da IRREVERÊNCIA. Nada é sagrado nestes dias. Religião, sexo, fé, família. Tudo pode ser zombado, satirizado e distorcido. Há uma urgente necessidade de resgatarmos o respeito e reverência para com Deus e Sua palavra.

A Reação de Isaías

“Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos.” Isa. 6:5

O momento é de respeito diante do contraste da presença de um Deus santo. A visão da santidade de Deus proporcionou a Isaías uma idéia de sua própria pecaminosidade. Moisés ocultou seu rosto quando entrou na presença de Deus. (Êxodo 3:6)

O profeta Isaías reconheceu suas imperfeições de caráter, elas se tornaram mais evidentes, diante da contemplação de um Deus santo. Um outro exemplo da mesma reação que teve Isaías se encontra em Lucas 5: 8. “Vendo isso Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Retira-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador.” Pedro depois de contemplar o poder de Jesus dando-lhes uma pesca maravilhosa, a ponto de romperem-se as redes. Reconheceu estar diante do verdadeiro Filho de Deus.

A principal característica da essência de Deus é a sua santidade. Ele é santo (Hab. 3:3) A santidade é o atributo de Deus, enquanto separado e elevado acima de tudo o que é comum e criado, Ele é o “sacrossanto” “A quem, pois, me comparareis para que eu lhe seja igual? Diz o santo”.Isaías 40:25

O grande problema, especialmente no mundo moderno, é que as pessoas não vêem a própria impureza, porque estão se comparando com outros ou com o mundo ao seu redor. As pessoas podem sempre achar alguém em pior estado com quem se comparar. Afinal, é difícil ver a sujeira contra um fundo escuro. A revelação da santidade de Deus nunca destrói. Traz a cura.

Pergunta para Meditar:
1. Reconheço que sou um pecador e necessito da misericórdia de Deus?

Reverância e a Cruz

“Vemos, todavia, Aquele que, por um pouco, tendo sido feito menor que os anjos, Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem”. Heb. 2:9

“Jesus revelou Seu Pai como um Deus doador. Podemos contemplar Suas dádivas na Criação, em Belém e no Calvário. Em Belém, deu-se a Si mesmo ao doar-nos Seu Filho. Quanta dor experimentou o Pai ao ver Seu Filho amado ingressar em nosso poluído planeta! Imagine os sentimentos do Pai quando teve de contemplar Seu Filho trocar o amor e a adoração dos anjos pelo ódio dos pecadores; a glória e felicidade do Céu pelo caminho que O conduziria à morte na cruz”. Nisto Cremos, pág. 53

Quando olho para a Cruz e percebo que o Criador, que estava lá pendurado, morrendo pela Sua própria Criação, como podemos não ter senso de reverência, de temor? Mas quando se contempla a cruz e o que ela representa para nós, nossa reverência diante de um Deus de tanto amor, só pode crescer. A Bíblia diz:“O amor de Cristo nos constrange” II Cor. 5:14

Pergunta para Discussão:
1. Como demonstro em minha vida que aceitei a cruz de Cristo em meu favor?

O Nome do Senhor

Entre os modernos judeus ortodoxos o nome do Senhor é considerado tão sagrado que se considera blasfêmia pronunciá-lo. Hoje eles costumam chamar o Senhor de Hashem, que em hebraico significa simplesmente “o Nome”.

Não existe qualquer poder mágico no nome em si; ao contrário, é o que o nome representa que evoca o tipo de temor e reverência que a Bíblia diz que merece. Profanar o nome é, em sentido indireto, profanar Aquele que é chamado. É transgredir um dos 10 mandamentos.

Os Nomes de Deus em Hebraico e Grego:

Hebraico:

– El: (Deus) é uma palavra que todas as línguas semíticas têm em comum.
El Elyon: Deus altíssimo (Gên 14:18-22)
El Shaddai: Deus Todo-Poderoso, Onipotente (Gên. 17:1)
El Olam: Deus Eterno (Gên 21:33)
Elohim: Deus
Adonai: Meu Senhor
Yaweh: O Senhor. (Êxo. 3: 13-15)

O nome Yahweh, também traduzido com Jeová ou Senhor, salienta a fidelidade e graça de Deus na manutenção do concerto (Êxo. 15:2 e 3; Osé. 12: 5 e 6).Em Êxo. 3:14, Yahweh descreve a Si próprio como “Eu sou o que Sou”, indicando inalterabilidade do relacionamento que Ele mantém com Seu povo.Nisto Cremos, pág. 37

“O nome Jeová surgiu de um malentendimento que, por sua vez, teve sua origem na relutância dos judeus piedosos quanto a pronunciarem o nome divino (c. de 300 a.C.) Para substituí-lo, diziam a palavra Adonai = Meu Senhor. O nome divino se escrevia com as consoantes YHWH e as vogais de Adonai, como lembrança de que esta última palavra devia ser pronunciada ao se ler este Nome.” (Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, Vida Nova pág. 639)

Grego:

– Theós: (Deus)
Kyrios: (Senhor)
Pater: (Pai)

Pergunta para Discussão:
1. Quando posso estar chamando o nome de Deus em vão?

Temer a Deus

“Temam a Deus e glorifiquem-nO, pois chegou a hora do Seu juízo. Adorem Aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas” Apoc. 14:7

Podemos amar o que tememos?

Temer a Deus é compreender quão grande, poderoso e santo Ele é, em contraste como nossa pequenez, fraqueza e quão dessemelhantes a Cristo nós somos. Essa reverência também se aprofunda muito mais quando entendemos nosso relacionamento com Ele como nosso Redentor.

“A verdadeira reverência a Deus é inspirada pelo senso de Sua infinita grandeza e a noção de Sua presença. Com este senso do invisível, todo coração deve sentir-se impressionado”. EGW, Profetas e Reis, págs. 48 e 49

“Nosso Deus é um Deus zeloso. Terrível coisa é brincar com Ele. Antigamente, Acã cobiçou uma barra de ouro e uma capa babilônica, e as escondeu, e todo o Israel sofreu; foram repelidos pelos inimigos”. Testemunhos Seletos vol I pág. 38

A Adoração e Reverência na Casa de Deus

“Para a alma crente e humilde, a casa de Deus na Terra é como que a porta do Céu… Se os crentes, ao entrarem na casa de oração, o fizessem com a devida reverência, lembrando-se de que se acham ali na presença do Senhor, seu silêncio redundaria num testemunho eloqüente. Os cochichos, risos e conversas, que se poderiam admitir em qualquer outro lugar, não devem ser sancionados na casa em que Deus é adorado” (Testemunhos Seletos, Vol. II pág. 193,194)

Silêncio na Igreja: Conta-se que certa vez o príncipe Conde, em Paris, entrou numa igreja e se ajoelhou ao lado de um jovem seminarista, cuja atitude reverente e discreta lhe chamou a atenção. “Este seminarista” pensou, “deve ser muito sábio, pois em geral se juntam na mesma pessoa o saber e a piedade”. Dirigiu-lhe, pois, ali mesmo a palavra, perguntando:

Que é que o senhor aprende no seminário? O interpelado nada respondeu. Julgando não ter sido compreendido, tornou a perguntar: Que aprende o senhor no seminário? Novamente silêncio! Mais uma vez perguntou, e nada de resposta. Só então o jovem erguendo a cabeça, respondeu:

Aprendemos a ficar calados na igreja!

Pergunta para Discussão:
1. Quando é que deixamos de ser reverentes na casa de Deus?

Reverência no Estudo da Bíblia

“Devemos estudar a Bíblia com reverência, sentindo que estamos na presença de Deus. Toda leviandade e frivolidade devem ser postas de lado”. Testemunhos para Ministros. pág. 107

Reverência e Obediência

“Sigam somente o Senhor, o seu Deus, e temam a Ele somente. Cumpram os Seus mandamentos e obedeçam-Lhe; sirvam-nO e apeguem-se a Ele.” Deut. 13:4

Não há dúvida de que se amarmos a Deus, teremos reverência, e reverência significa mais do que dar louvores ou ajoelhar-nos quando oramos. Na verdade, não podemos reverenciar a Deus sem obedecer-Lhe. Muitos aceitam facilmente a Jesus como salvador, mas nem todos querem aceitá-Lo como o Senhor de suas vidas. A Bíblia deixa claro qual é o dever do homem:

“Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem.” Ecles. 12:13

A Salvação é para os que Obedecem

“Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade, embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem”. Hebr. 5: 7-9

“Se me amardes, guardareis os meus mandamentos”. João 14:15

Conclusão

– Devemos ser reverentes diante de Deus porque somos criaturas.
– Devemos ser reverentes porque reconhecemos nossa situação pecaminosa.
– Devemos ser reverentes porque apesar de termos pecado, a cruz de Cristo nos alcançou e esse infinito amor nos constrange.
– Devemos ser reverentes quanto a nome de Deus porque ele representa seu caráter.
– E como seres humanos nosso dever é: Temer e obedecer, para que um dia possamos vê-lo face a face.