O Louvor e a Harmonia

por: Rodolpho Gorski

Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todas as terras. Cantai ao Senhor, bendizei o Seu nome; proclamai a Sua salvação, dia após dia. Salmo 96:1 e 2.

Na matéria de Música, em nosso curso teológico, o maestro Flávio Araújo Garcia destacou-nos este lindo pensamento de Ellen G. White: “A melodia de louvor é a atmosfera do Céu; e, quando o Céu vem em contato com a Terra, há música e cântico – ‘ações de graças e voz de melodia’. Isa. 51:3.” – Educação, pág. 161.

Infelizmente, estudei apenas o bê-á-bá da música; o necessário para poder cantar durante 12 anos no Quarteto Harmonia, primeiro quarteto organizado no Brasil, em 1952 [*]. No dia 10 de dezembro de 1956, junto com o Coral da União Cultural Brasil-Estados Unidos, demos um concerto no Teatro Santana, em São Paulo. No dia 12, o jornal O Estado de S. Paulo fez algumas considerações sobre o evento e sobre o quarteto que representava a igreja, bem como o então CAB, hoje IAE. Escreveu o crítico de música:

“Na parte central do programa fez-se ouvir o Quarteto Harmonia, conjunto masculino de que fazem parte Ruben Dias, Elias R. Azevedo, José A. Torres e Rodolpho Gorski. Esse grupo… revelou surpreendente equilíbrio e excelente resultado sonoro. Em vários momentos as vozes mostravam-se perfeitamente fundidas, fazendo lembrar a simultaneidade do órgão.”

Guardo até hoje essa gratificante recordação, sem qualquer resquício de orgulho ou vaidade. Guardamos apenas a gratidão por termos sido usados para representar, condignamente, ao Deus que adoramos, e a Sua instituição educacional que representávamos na ocasião.

Ah! Como desejaria que houvesse mais compreensão de que o cântico e as demais apresentações musicais precisam ter e estar em harmonia para ser considerados como louvor. Ou seja, a música precisa estar em conformidade com as leis musicais da inspiração sacra; e os executantes precisam estar em comunhão, sintonia e harmonia com o objeto do louvor, que é Deus. Se esses dois itens não forem satisfeitos, poderá haver arte, mas não louvor. Louvor é interação entre Deus e o homem.

Que Deus nos ajude a termos o devido discernimento a fim de que saibamos distinguir entre o que é sacro e o que profano. Que o nosso louvor esteja em harmonia com o Céu!


Nota dos editores do Música Sacra e Adoração

O Pr. José Alfredo Torres Pereira, nos informou, através de uma mensagem, a seguinte informação adicional:

“O Quarteto Harmonia foi organizado pelo Professor Charles Pierce, então Diretor do Conservatório Musical do Instituto Adventista de Ensino, em São Paulo, no início do ano de 1952.” (voltar)


Este artigo foi publicado no livro “Uma Palavra Amiga”, pág 251 (Meditações Matinais de 2003, dia 4 de setembro), Casa Publicadora Brasileira, Tatuí – SP.