Adorando em Três Dimensões

Adorai o Senhor na beleza da Sua santidade; tremei diante dEle, todas as terras. Salmos 96:9.

São inúmeras as razões pelas quais devemos adorar a Deus. E, quase sempre, os motivos que nos levam a prestar-Lhe adoração e louvor, estão ligados a acontecimentos passados. Notemos, porém, o que o teólogo Raymond Holmes, ex-luterano e hoje pastor adventista, escreveu sobre as dimensões da adoração:

“Para muitos cristãos, a adoração gira em torno de algo que ocorreu no passado: a vida, morte e ressurreição de Cristo. O culto adventista do sétimo dia baseia-se, não apenas em eventos passados, mas também em algo que está ocorrendo no presente, algo que terá uma influência determinante sobre o futuro. Portanto, as três dimensões da existência humana – o passado, o presente e o futuro – estão envolvidas na adoração. Quando os adventistas se reúnem para adorar, estão pela fé ligados não apenas a eventos do passado, mas também ao ministério do Senhor Jesus no santuário celestial.” – Sing a New Song, pág. 39.

Quando João escreveu: “E adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apocalipse 14:7), estava focalizando o passado: a Criação. Quando escreveu: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo” (I João 2:1), estava focalizando o presente: o ministério de Cristo. E quando escreveu: “Eis que vem com as nuvens, e todo o olho O verá” (Apocalipse 1:7), estava focalizando o futuro.

Quer na igreja, quer em nossas atividades diárias, é-nos dado o privilégio de adorar a Deus nas três dimensões mencionadas. A obra redentora de Cristo na cruz, assim como uma bênção especial alcançada ontem ou horas atrás, são razões para adorarmos nosso maravilhoso Pai celestial. A certeza de que a Divindade e os anjos estão atentos às nossas necessidades diárias, é um fato presente que nos motiva a louvar a Deus. E a esperança de que a volta de Jesus marcará o início de uma era de paz e alegria leva-nos a agradecer a Deus por antecipação. Quando escrevemos cartas a pessoas dignas da nossa confiança, dizemos: “Agradeço, desde já, a sua ajuda.” Ora, as promessas divinas são fiéis e verdadeiras. Daí nosso tributo de louvor a Deus por todas as coisas boas das quais tomaremos posse muito em breve.

Pensamento para reflexão:
Não podemos adorar a Deus quando nossa alma não está repleta de louvor e gratidão.


Fonte: Meditação Matinal 2000 – 13 de Março