Da Adoração ao Reavivamento

por: Dan Houghton

Conforme saio de casa, meu carro se enche com as lindas harmonias do tipo bluegrass dos Isaques, a sua música me atraindo conforme as palavras e a música fluem…

Quando eu paro no silêncio de Sua santa presença,
Quando estou tão quieto que posso ouvir cada palavra sussurrada,
Quando eu paro para orar, entro na Sua catedral,
Estes são momentos em que Deus parece tão perto.

E em alguns instantes, estou em uma profunda experiência de adoração com meu Deus, enquanto dirijo para o meu escritório. Há uma excitação de alegria, deslumbramento, adoração e louvor, conforme me dou conta de que Ele me criou para adorá-Lo a qualquer momento, qualquer lugar, concentrando a minha mente nEle. Em momentos como este, os pensamentos, as palavras e a música se combinam para me elevar para fora do meu mundo manchado pelo pecado e diretamente à Sua presença, onde desfruto o tempo que passamos juntos.

Que coisa maravilhosa compreender que Ele anseia ter um relacionamento íntimo comigo – um de seus filhos desgarrados, separados pelo pecado. E a comunhão – a companhia de meu Deus – é doce.

As Maravilhosas Variedades da Graça

Descobri que Deus opera de muitas maneiras para me trazer para uma experiência de adoração e louvor.

Uma das mais poderosas experiências de adoração da minha vida aconteceu quando eu era um jovem. Eu era um jovem marido e pai, e certo Sábado à tarde minha esposa Karen foi chamada para servir em um turno de enfermagem, das 15:00 às 23:00. Eu estava em casa com nosso filhos de 1 ano de idade, Danny, que estava tirando um cochilo. Um amigo tinha estado em uma convocação de final de semana no campus do Colégio União, há pouco tempo atrás e me trouxe uma fira cassete de um sermão feito por um pregador chamado C. D. Brooks. Greg me emprestou a fita e sugeriu que eu iria gostar dela. Esta tarde quieta de Sábado parecia boa, e eu comecei a ouvir.

Eu nunca havia ouvido falar deste pregador, mas pela hora seguinte, no silêncio da minha sala de estar, entrei na presença do Deus todo poderoso. Conforme o irmão Brooks falava poderosamente da parte de Deus, tive a impressionante sensação de que, se eu tivesse sido o único ser humano no planeta a ter aceitado a Jesus, Ele ainda teria vindo e morrido apenas por mim. Um caroço formou-se na minha garganta e lágrimas começaram a fluir pela minha face abaixo. Ajoelhei-me ao lado do sofá e derramei a minha gratidão a Deus. Minha vida e meu futuro mudaram naquele momento. Guardo uma cópia daquela fita cassete, Uma Fé para Celebrar, na gaveta da minha escrivaninha até hoje.

Também sou abençoado quando me recordo das muitas vezes que me assentei à minha mesa com pequenos grupos de amigos para estudarmos juntos a Palavra de Deus. Tenho observado o poder transformador do Espírito Santo tomar o controle da discussão, e conforme Ele fala através das Escrituras que estão sendo lidas, vejo que o impacto em meus convidados tem sido profundo.

Há não muito tempo atrás, durante uma sessão de estudos assim, “esbarramos” com uma passagem da Escritura que não era parte do estudo que havíamos planejado. Um homem à mesa compreendeu que Deus estava falando pessoalmente a ele naquele momento. A convicção apoderou-se de sua mente, e com uma expressão de fé e crença, ele tomou a decisão de dedicar sua vida totalmente a Deus, agora e na eternidade. Foi difícil conciliar no sono aquela noite, compreendendo que eu havia testemunhado mais uma vez a mão de Deus se movendo sobre o coração de um homem – para a eternidade!

Lendo em Vermelho, Ouvindo o que é Dito

A adoração também brota quando estou sozinho com a Palavra de Deus. Gosto muito de ler as Bíblias especiais que meus queridos amigos, Mark Finley e Shawn Boonstra, me deram: eu as marquei de uma forma especial. Levei quase um ano para completar as duas Bíblias. Eu leio com uma caneta vermelha e uma régua, marcando cada verso onde sinto que Deus está falando diretamente a mim. Estes versos se tornaram alguns das minhas experiências favoritas de adoração. Não consigo enumerar as vezes em que me sentei em uma cadeira, ou me acomodei na cama, seja bem cedo pela manhã ou à noite, e ouvi Deus falando comigo, conforme folheio as páginas e leio novamente os textos que sublinhei em vermelho. Muitas vezes eles parecem novos, como se eu nunca os tivesse visto antes. E ainda assim, eles estão marcados em vermelho – como lidos. A graça de Deus através de Sua Palavra é verdadeiramente nova a cada manhã, e a Sua fidelidade é humilhante.

Algumas de minhas experiências mais memoráveis de adoração e louvor ocorreram quando estou reunido com o povo de Deus para ouvir a voz de Deus através de um de Seus servos. Uma boa pregação incita meu coração a uma entrega mais completa ao meu Salvador. Meu pastor em Fallbrook, Califórnia, enche a minha taça. Nas convenções da Associação de Leigos Adventistas do Serviço e Indústria (ASI) que participo, as mensagens através do sermão e do testemunho revelam a mão de Deus e eu sou impressionado. Em um acampamento com a minha família da igreja, cantando ao redor de uma fogueira, meu coração responde às histórias contadas e lidas acerca da fidelidade de Deus. E sempre existem os podcasts, se eu perdi alguma coisa – odeio perder qualquer coisa boa!

Somos Seus Enquanto Cantamos Hinos

Sei que muitos crentes já se cansaram dos debates vigorosos a respeito da música apropriada para a adoração. Eu sou um destes, pois minha experiência com a música de adoração tem sido transformadora da minha vida.

Quando Karen e eu nos casamos, cantávamos e tocávamos instrumentos em nossa adoração pública ou particular. Envolvemos nossos filhos, conforme eles cresceram, e a adoração musical tornou-se um modo de vida. Normalmente, quase toda música que ouvimos ou tocamos era de natureza espiritual. Através dos anos, preenchemos as nossas mentes com muitos cânticos a respeito da bondade e da graça de Deus. Existe algo de majestoso em dirigir através das Montanhas Shenandoah, ou as Montanhas Rochosas com cânticos de louvor tocando no equipamento de som estéreo do carro, tão alto quanto Karen permitir!

Fui profundamente impressionado, enquanto ouvia a mensagem sobre Jesus através do oratório O Messias, de Handel – e através do solo de uma garota de 10 anos de idade, cantando o seu louvor para a glória de Deus. Minha experiência de adoração na música tem sido profundamente expandida também pela tecnologia digital. Graças ao iTunes, transferi toda a minha coleção de música para o computador, e incluí um grande conjunto de sermões, que baixei da Internet. Agora posso ouvir a Bíblia inteira ser lida por múltiplas vozes e eu monto listas de reprodução que combinam música, leitura da Bíblia e sermões. Se estou viajando em um avião, coloco os fones de ouvido e, enquanto todos ao meu redor estão assistindo filmes, jogando vídeo games, fazendo palavras cruzadas ou lendo romances, estou em uma gloriosa experiência de adoração! Em minha casa, em meu carro ou em qualquer lugar que eu possa carregar um iPod, encontro estes momentos preciosos.

Uma Visão de Esperança

Também sou compelido a destacar o poder da arte na adoração e louvor. Na recente sessão da Conferência Geral, minha família e eu tivemos a honra de hospedar uma galeria de arte, divulgando a arte de Nathan Greene. O ponto central foi a inauguração de sua nova pintura sobre a Segunda Vinda, intitulada “A Bendita Esperança”. Milhares de pessoas passaram pelo quadro, para vê-lo com seus olhos e seus corações. Mas a experiência de adoração mais profunda emergiu de uma direção inesperada: o pessoal encarregado da segurança da Conferência Geral competiu para ver quem conseguia ser escalado para estar próximo à obra de arte! Muitos membros do corpo de segurança me disseram como o recinto parecia santo para eles – um lugar de santuário.

Uma pessoa da segurança me disse, com lágrimas descendo pela sua face, que havia sentido como se estivesse na própria presença de Jesus. Enquanto estávamos embalando a galeria para irmos para casa, ela passou por ali novamente e, apontando para a nova pintura sobre a Segunda Vinda, disse, “Eu tomei uma decisão. Não é uma questão de se; eu estarei lá para este evento!” Eu lhe disse que ansiava por encontrá-la lá.

As bênçãos por encontrar com meu Deus em adoração continuam a fluir! Adoração e louvor tornaram-se uma atitude – uma parte da minha oração sem cessar, trazendo poder transformador e graça para a minha vida.

Lidando Com Distrações

Eu estaria sendo menos do que honesto se também não mencionasse as coisas que me inibem ou distraem da minha experiência de adoração e louvor.

Às vezes parece haver tantas coisas que impedem a comunhão com Deus: a tirania do urgente; outra tarefa a ser feita; outro projeto para completar; preocupações simples com o quotidiano da existência. Os muitos avanços da tecnologia, planejados para melhorar as nossas vidas e nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente com frequencia têm apenas nos dado mais tempo, no qual somos tentados a assumir ainda ais coisas. Às vezes, como o filho pródigo, eu “caio em mim” e me dou conta que não estou tão conectado com Deus como quero e preciso estar. Não me sinto saudável, ou bem. É como se houvesse estática na conversa com o céu, com apenas uma em cada três palavras sendo ouvida ou compreendida.

Isto pode ser causado por perder uma manhã de adoração, na pressa de chegar a tempo em um compromisso. Cansado por haver trabalhado até tarde na noite anterior, senti que necessitava de cada minuto extra de sono e não tive tempo para ouvir ou orar… E não há como negar que o mundo ao nosso redor é um lugar atrativo. Mesmo as coisas aparentemente “normais” da vida diária – trabalho, relacionamentos, ir ao mercado – podem alongar a distância entre o meu coração e o meu Salvador. Às vezes quando o Senhor olha para as minhas muitas distrações, ele deve dizer para Si mesmo “O coração dele não está realmente nisto.” Este é um tipo de experiência de adoração pelo qual eu oro para nunca mais conhecer.

Para Onde a Adoração Leva?

Por que compartilhei com você nestas páginas a minha jornada de louvor e adoração? Eis aqui a razão simples: nosso novo presidente da Conferência Geral, Ted Wilson, emitiu uma conclamação de que a igreja mundial deve orar para que o Espírito Santo traga reavivamento e reforma entre nós. Este convocação ressoou profundamente em meu coração. Karen e eu temos estado orando por esta convocação a um novo tipo de “R&R” por 22 anos. Agora podemos ouvi-lo em muitos lábios, ecoando ao redor do mundo. De forma mais débil em alguns lugares, mais forte em outros, mas são os inícios do som de uma abundância de chuva!

Reavivamento e reforma não iniciam com grupos, mas com indivíduos. As Escrituras revelam vez após vez que um líder inicia fazendo um comprometimento pessoal, emitindo uma conclamação, convidando indivíduos a seguirem-no. Então, conforme mais e mais pessoas apanham este refrão, isto se avoluma em um movimento.

Temos uma oportunidade maravilhosa diante de nós. Podemos escolher abrir um momento em nossas vidas individuais, no qual o Espírito Santo possa trazer reavivamento e reforma a cada um de nós. A maneira mais eficaz que conheço para fazer esta abertura é melhorar dramaticamente as nossas experiências pessoais de adoração e louvor. Decisivamente escolhermos buscar ao Senhor de uma ou mais dentre as maneiras que descrevi – ou em outras que Deus possa revelar a você. Conforme o seu relacionamento com Deus se fortalece e aprofunda, você encontrará nova energia espiritual: o teu coração, como o de John Wesley, será “estranhamente aquecido” e você se converterá novamente – e de novo. Você vai ficar maravilhado ao ver Jesus transformar os seus relacionamentos e o seu testemunho. E conhecerá a grande e duradoura satisfação de ser parte de Sua obra final para salvar este planeta.

Conforme o Seu povo busca Sua face, Jesus está se inclinando em nossa direção, ansiando que conheçamos a vida mais profunda e mais abundante que Ele sempre pretendeu que experimentássemos. “Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração”, Ele diz. “Eu me deixarei ser encontrado por vocês.” (Jeremias 29:13,14)

Se reavivamento e reforma devem ocorrer neste movimento – e sei que sim – eles terão início com um adorador de cada vez, uma hora de meditação por vez. Eu estou escolhendo uma experiência de adoração mais profunda para a minha vida. E gostaria muito de ter alguma companhia.


Dan Houghton é presidente da Hart Research e ex presidente da Associação de Leigos Adventistas do Serviço e Indústria (ASI). Este artigo foi publicado na Adventist Review (Revista Adventista em Inglês) em 12 de Agosto de 2010.


Fonte: http://www.adventistreview.org

Traduzido por Levi de Paula Tavares em Dezembro de 2011