Adoração Espiritual

por: Paul Mizzi

O que você entende por adoração espiritual? Eu baseio minha resposta no Catecismo Maior, onde encontro uma prazerosa linha de direção relativa àquilo que diz respeito à verdadeira adoração espiritual, que é exigida do homem em primeiro lugar (tanto no Shemá como no primeiro mandamento do Decálogo).

Os adoradores espirituais, aquele tipo de pessoa que Deus procura para Si, podem ser hoje denominados como cristãos. Os não cristãos não podem de forma alguma ou nem mesmo desejam adorar a Deus de acordo com os Seus requerimentos. Filipenses 3 diz que “nós somos os verdadeiros adoradores, que adoram a Deus em Espírito e não confiam na carne”. “Nós somos a verdadeira circuncisão”.

A verdadeira adoração começa em conhecer e reconhecer a Deus como o único Deus verdadeiro, e nosso Deus e Pai. Faraó não encontrou razão para obedecer ou para adorar. “Eu não o conheço”, retorquiu arrogantemente.

Nossa adoração deveria ser de acordo com o ser de Deus e Sua revelação de Si mesmo. A adoração de acordo com os ditames da vontade do homem é condenada e inaceitável. Ela é chamada de “fogo estranho”. Muitas pessoas podem parecer sinceras e zelosas, mas estão inventando formas de adoração, ao invés de se submeterem às diretivas de Deus. (Quando nos aproximados de um chefe de estado, há certos protocolos estabelecidos a serem observados; quanto mais isto se aplica a Deus, o Rei dos reis!)

Os cristãos adoram melhor pensando sobre Deus, meditando sobre Ele, lembrando e O estimando altamente. Toda nossa vida é vivida “nEle”. Coram Deo (N.T: latim, “na presença de Deus”). Somos chamados para adorá-lo, escolhê-Lo, amá-Lo, desejá-Lo e temê-Lo.

As três virtudes cardinais da fé, esperança e amor devem ser direcionadas para Ele. Assim, devemos dar todo louvor e ação de graças, e devotar toda obediência e submissão, a Ele com todo o nosso ser. Em adorá-Lo, Deus Se agrada, pois isto Lhe é devido e nós nos entristecemos e nos desgostamos quando falhamos neste assunto tão fundamental.

Humildade e uma atitude mental espiritual tornam possível a nossa adoração. A mente inclinada ao Espírito é vida e paz (Romanos 8). Assim, o homem encontra a verdadeira satisfação ao se perder em maravilha, amor e louvor por seu Criador e Redentor.


Tradução Livre: Felipe Sabino de Araújo Neto
Cuiabá-MT, 31 de julho de 2004.

Revisão da Tradução: Levi de Paula Tavares
São Paulo – Novembro de 2005

Fonte: http://www.monergismo.com